quinta-feira, 17 de abril de 2014

Polícia Militar decreta fim da greve na Bahia


Acabou a greve da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) deflagrada na terça-feira (15). Há pouco, exatamente às 14h19, o líder do movimento, vereador Marco Prisco, do PSDB, decretou fim da paralisação após leitura da proposta apresentada pelo governo do estado. Os policiais militares que estão 'acampados' no parque Wet'n Wild, na Avenida Paralela, votaram de forma unânime pela aceitação da proposta enviada pelo Executivo.
Prisco disse que "para a associação, o acordo é bom" e convidou os policiais para um churrasco para "comemorar a vitória histórica" da categoria. Ele também convocou os policiais a "lotar" a Assembleia Legislativa a fim de cobrar aprovação de projetos que porão em prática as promessas do governo.
Entre os itens conquistados está a garantia da não punição aos participantes do levante, assim como a revisão do Código de Ética e do plano de cargos e salários, tão logo os PMs retomem os postos de trabalho, conforme matéria do site Bahia Notícias.

PMs são baleados na UPP do Alemão

Roberta Trindade

Foram identificados como Leandro Ramos e Jesuíno os soldados lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão baleados na Favela da Grota, próximo à Rua Joaquim de Queiroz, na tarde desta quinta-feira. Os PMs foram socorridos e conduzidos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Eles teriam sido atingidos na perna por disparos de pistola 9mm. Com isso, chega a 79 o número de policiais baleados no Estado do Rio somente este ano. Destes, 26 morreram. No total, 50 estavam de serviço.
Ainda na madrugada, pelo menos três comunidades em processo de pacificação foram palco de momentos de tensão. No Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, PMs foram atacados com coquetéis molotov e bombas de fabricação caseira, na localidade conhecida como Arlete.
No Complexo do Alemão, equipes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília chegaram a ficar encurraladas no Chuveirinho – mesmo local onde o soldado Rodrigo de Souza Paes Leme foi morto, no início do mês de março, aos 33 anos. Após reagir, eles conseguiram atingir um dos criminosos, que conseguiu fugir deixando um rastro de sangue. Os PMs arrecadaram cápsulas de pistolas de três calibres diferentes – 380, 40 e 9 milímetros.
Já no Morro da Providência, policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) encontraram um imóvel utilizado por criminosos para embalar drogas. Recebidos a tiros, houve confronto e um bandido, ainda não identificado foi baleado. No local os PMs apreenderam uma submetralhadora e uma pistola 9mm, além de grande quantidade de drogas.

Traficantes da Favela de Parada de Lucas resolveram personalizar os coletes à prova de balas e os cassetetes

ROBERTA TRINDADE
Traficantes das favelas Parada de Lucas e Vigário Geral, na Zona Norte do Rio, estão utilizando colete de identificação. A descoberta foi feita por policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) durante incursão realizada com apoio de agentes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira, na primeira comunidade.
O colete, idêntico ao usado por policiais, vem com a inscrição "Parada Geral" - uma alusão à junção das duas favelas, que antes eram palco de guerras entre as facções rivais Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP) e hoje têm as bocas-de-fumo controladas pela mesma quadrilha.
Além do colete, também foram apreendidos um fuzil Colt 556 com onze carregadores, um cassetete escrito "calmante", material para endolação, rádios transmissores, coletes balísticos, uma balança e anotações do tráfico de drogas.
Os agentes também prenderam Sandro Eduardo Almeida de Andrade, que estava foragido da Justiça, e Alessandro Natalino da Silva, contra quem havia um mandado de prisão por roubo.

Comerciante foi salvo do ‘tribunal do tráfico


Um comerciante de 35 anos foi salvo por policiais militares de um ‘tribunal do tráfico’ no Morro da Palmeira, em Belford Roxo. Ele foi baleado, levou coronhadas e pauladas e teve o braço direito decepado com golpes de machado, mas acabou resgatado por PMs do 39º BPM (Belford Roxo).
Os policiais prenderam três suspeitos em flagrante: Marx Damásio, de 27 anos, Juliana Barbosa, de 24, e Anderson dos Santos Pessoa, de 40. Segundo os policiais, o comerciante só teve forças para dizer: “estou vivo!”, antes de desmaiar.
— Pegaram ele numa lanchonete do Centro, após reconhecê-lo como morador do Castelar. Como as duas comunidades são dominadas por facções rivais, os traficantes diziam que queriam que ele virasse um exemplo para o Castelar — diz o delegado-titular da 54ª DP (Belford Roxo), Luiz Henrique Ferreira Guimarães.
Segundo o delegado, havia outra pessoa com o comerciante quando os traficantes o abordaram na lanchonete. Ela foi torturada e está desaparecida.
— Abrimos um outro procedimento para apurar quem é esta outra vítima. Se foi morta, se conseguiu fugir... Vamos fazer um levantamento nos registros de desaparecimento para ver se conseguimos alguma pista — diz Luiz Henrique.
O comerciante foi levado para um hospital da região. Agentes da 54ª DPtrabalham para identificar e prender cerca de 20 bandidos envolvidos na ação.


No vídeo, policial sugere um rateio para bancar silicone da Maria UPP

quarta-feira, 16 de abril de 2014

BRAÇO DIREITO DO MINISTRO DA JUSTIÇA É DENUNCIADA POR FORMAÇÃO DE QUADRILHA E PECULATO


MP acusa Regina Miki de formação de quadrilha e peculato
O Gaeco ABC (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), vinculado ao Ministério Público, acusou a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki (PT), e outros 16 integrantes da GCM (Guarda Civil Municipal) de Diadema de burlar marcação de ponto em horas-extras e desviarem dinheiro público.
O crime ocorreu, segundo o Gaeco, na época em que Regina Miki era titular de Defesa Social do governo de José de Filippi Júnior (PT-2001 a 2008) em Diadema. Ela foi enquadrada por formação de quadrilha e peculato (apropriação indébita de dinheiro público). Entre os réus está Emílio D’Angelo Júnior, ex-comandante da GCM e braço-direito da hoje secretária nacional do Ministério da Justiça.
De acordo com o MP, Miki autorizou esquema fraudulento para incrementar remuneração de GCMs comissionados insatisfeitos com os vencimentos mensais. Ela avalizou pagamento de horas-extras a servidores apadrinhados na corporação – todos estavam em cargos de chefia –, a despeito de funcionários contratados sem concurso público serem impedidos de receber adicionais salariais.
O sistema tinha início com guardas-civis municipais que preenchiam boletins diários em que justificavam a permanência além do expediente habitual. Em outro documento, denominado de mapa-força, eles indicavam plantões feitos por cada integrante da guarda, o que também garantiria o depósito de bônus por trabalho. Todo o esquema, conforme denúncia do Gaeco, com consentimento de Regina Miki, que, como secretária, autorizava a quitação salarial com as horas-extras indevidas.
Porém, além da ilegalidade do pagamento do adicional, comprovou-se que esses funcionários não cumpriam as horas-extras designadas no boletim diário e nos mapas-força. Mas, como eles próprios assinavam a documentação e como Miki coadunava com a fraude, a transferência bancária era efetuada. O desvio ocorreu sistematicamente entre janeiro de 2007 e outubro de 2008.
O caso veio à tona após denúncia do ex-deputado estadual José Augusto da Silva Ramos (PSDB), em 2008. O tucano lavrou BO (Boletim de Ocorrência) relatando o fato e, então, deu-se início ao processo judicial. Foi a própria Justiça que acionou o Gaeco para investigar se a suposta prática criminosa relatada por José Augusto tinha fundamento. Há duas semanas o MP remeteu o caso à 3ª Vara Criminal de Diadema confirmando as suspeitas do ex-deputado.

ENVOLVIDOS
Além de Regina Miki e Emílio D’Angelo Júnior, foram arrolados no processo os guardas Alécio de Sena Andrade, Antonio Soares Fonseca, Edivaldo Mendes Guimarães, Ernesto da Silva Olimpio Diaz, Itamar Fortes, Jaqueline Ariadne Santos, José Tadeu Farias de Andrade, José Vicente de Oliveira Neto, Jorlei Rogério dos Santos, Julio César de Oliveira, Marcio Cordeiro Couto, Marcos Pereira da Silva, Ronaldo Yoshio Nonaka da Silva, Rosair Severino de Souza e Valdenir Laurentino da Silva.
A Prefeitura de Diadema não informou se todos continuam na corporação. Também não respondeu se abriu sindicância para apurar as possíveis ilegalidades.
Em nota enviada pelo Ministério da Justiça, Regina Miki disse não ter sido notificada oficialmente e afirmou que todas as contas de gestão foram devidamente aprovadas. Por outro lado, todos os exercícios do governo Filippi foram rejeitados pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) – inclusive os de 2007 e 2008 –, tendo as condenações sido revertidas apenas pela Câmara de Diadema, que à época era formada por maioria aliada do petista.
O nome de Regina Miki é defendido por setores do PT de Diadema como candidata à Prefeitura em 2016. Seu principal projeto na cidade foi a efetivação da Lei Seca, com fechamento de bares às 23h, o que contribuiu para diminuição dos índices de violência do município.

Garotinho defende remodelação de UPPs: "puro marketing"

BRASIL247
 O deputado federal e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), criticou as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), implementadas no governo de Sérgio Cabral (PMDB). Para ele, as UPPs são "puro marketing" e "precisam ser reformuladas". O ex-governador do Rio também reforçou que os policiais precisam de treinamento adequado e lembrou que, em sua gestão, os PMs só saíam às ruas após dois anos de treinamento (hoje eles podem ser escalados para atuar em uma UPP depois de seis meses).
Na opinião do parlamentar, se não houver programas sociais realizados em paralelo ao policiamento, não há resultados. Garotinho disse que, na implantação experimental do GPAE (Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais) no Morro do Cavalão, em Niterói, em seu governo, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, jovens entre 16 e 21 anos, a faixa que mais morre e mais mata, e para evitar a fuga de bandidos, de nada adiantaria nosso esforço". Por isso, reforçou: "tem que investigar, prender os bandidos e entrar com projetos sociais".

A realidade do alojamento do 23º BPM - Leblon

O vídeo, que tem duração de dois minutos e cinqüenta segundos, um policial militar anda pelos corredores do alojamento narrando as condições do mesmo. As imagens mostram policiais militares dormindo no chão, sobre pedaços de papelão, bolsas com os seus pertences também no chão, banheiros sujos com lixo acumulado e sem luz, armários enferrujados e sem porta, insetos e lixo espalhado pelo chão.

Imagens feita por celular de um policial militar denunciam descaso das autoridades com a categoria
Relato do policial:
"Agora os senhores vão ver as condições precárias, que nós policiais militares estamos vivendo, e amanhã temos que levantar cedo ainda para poder tomar conta da comunidade, pra poder prevenir o tráfico de drogas, pra poder zelar pela nossa população, e é aqui que os nossos policiais estão descansando, em meio à poeira, no taco, sem um colchão, condições dignas zero... Agora os direitos humanos tem que olhar também pra gente. É uma sensação de abandono, de ser só número. Agora vamos ver as condições dos nossos banheiros, que nem luz tem. Cheio de papel aqui, assim que eles deixaram pra gente. Se a gente não arrumar, a gente chegou não tem nem um dia, a gente chegou hoje. É dessa forma aí que a polícia quer que nós policiais militares estejam com todo vigor patrulhando... Aqui outro companheiro que ajeitou alguns papelões. Aqui ta tudo jogado. Se a gente não der nosso jeito... É isso aí governador. Aqui é o vigésimo terceiro batalhão do Leblon, a assistência que nos dão. Aqui é bairro nobre".
leia a reportagem toda:  O DIÁRIO 

video


terça-feira, 15 de abril de 2014

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA ENTRA EM GREVE

 Os policiais militares da Bahia decidiram, em assembleia-geral realizada nesta terça-feira (15), no espaço Wet'n Wild, na Avenida Paralela, decretar greve por tempo indeterminado, com início imediato. Como já era sinalizado tanto pelos praças quanto pelos oficiais, a categoria não aceitou as propostas do governo do Estado, que apresentou a Lei de Modernização da PM na última quinta (10), a qual foi considerada um "retrocesso" pela classe. Apesar da reunião entre representantes da categoria e do Palácio de Ondina e apresentação de "avanços"em itens do Código de Ética da PM e da progressão salarial, não houve acordo em relação às reivindicações dos policiais, a exemplo do pagamento da Unidade Real de Valor Monetário (URV). Segundo o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, o governo se comprometeu a rever as gratificações das Condições Especiais de Trabalho (CET). A dos praças passaria de 17% para 45%; do motorista-praça, de 32% para 60%, com o mesmo porcentual estendido aos policiais administrativos. Já os funcionários do Colégio da PM e outros receberiam 25%. Conforme a proposta, haveria discussão do Código de Ética, rediscussão do plano de carreira e revisão processos administrativos disciplinares oriundos da greve de 2012. Também seria regulamentado o artigo 92 do Estatuto da Polícia, que versa sobre os auxílios moradia, funeral, alimentação e outros ganhos da agremiação. Os tópicos foram apresentados ponto a ponto pelo vereador Marco Prisco (PSDB) e, apesar dos aplausos a cada anúncio, rejeitados pela maioria dos mais de 2 mil policiais presentes à casa de shows, aos gritos de "ô, a PM parou".

VITIMADOS DA POLÍCIA MILITAR, CIVIL, BOMBEIROS E AGENTES DO DESIPE





 Hoje  votação do aumento do Auxílio Invalidez e a inclusão de mais vitimados para receber o benefício.

A última canetada de Sérgio Cabral


CASO MARIA UPP: Alguns policiais teriam sido expulsos de casa por suas respectivas mulheres

PMs que teriam se envolvido com a 'Maria UPP' sofrem com ciúmes das esposas

Depois da Corregedoria da Polícia Militar começar uma investigação sobre a denúncia de que militares de serviço fizeram sexo com uma mulher, apelidada de "Maria UPP", nas bases de Unidades de Polícia Pacificadora, as esposas de alguns PMs também "entraram em ação". Elas estão expulsando de casa os maridos infiéis e, pelo menos, 30 deles já teriam recebido o "cartão vermelho".
Reconhecido como um dos PMs fotografados em uma cena de sexo oral com a Maria UPP, um soldado lotado numa favela pacificada da Zona Norte do Rio e casado com uma policial militar está dormindo no 22º BPM (Benfica) desde domingo. Fotos e vídeos da Maria UPP em ação circulam entre os policiais através de mensagens de WhatsApp, aplicativo de bate-papo pelo celular.
A "tropa das patroas" tenta chegar à tal Maria UPP. Para isso, elas já estão montando escalas de visitas surpresa aos maridos durante as madrugadas, hora em que a moça costuma se "apresentar" para o serviço, que é feito de graça.
Nesta segunda-feira, um dia depois da publicação da reportagem no MEIA HORA , a Maria UPP, que se diz viciada em sexo com PMs, foi flagrada mudando de rota: ela trocou as Unidades de Polícia Pacificadora nas favelas e esteve num batalhão. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) instaurou uma sindicância para levantar quais unidades foram visitadas pela mulher e quais policiais se relacionaram com ela durante o horário de serviço. Após a conclusão desse procedimento apuratório, o caso será encaminhado à 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM).
Posto de ‘musa’ é disputado por moradora do Adeus
Adiantada nas investigações para fechar o cerco aos maridos infiéis, a "tropa das patroas" descobriu que a Maria UPP — uma pernambucana de 23 anos moradora da Praça Seca, na Zona Oeste do Rio — tem uma concorrente à altura, que mora no Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, na Zona Norte, e disputa com ela o título de "Musa dos PMs". Apesar de não ser tão ousada como a rival — que tatuou a sigla UPP perto da virilha —, ela também é desinibida e pode ser vista em vídeo acompanhada por outros cinco PMs fardados.
A Maria UPP "original" já teria se deitado com mais de mil PMs. Nas fotos dela em ação, a moça aparece com mais de um policial. Em uma das imagens, ela está vestindo uma farda e segurando um fuzil; e em outra, um homem apoia uma pistola em suas costas.