sábado, 25 de outubro de 2014

Marido afirma em depoimento que asfixiou delegada após ela negar pedido de divórcio


O marido da delegada Tatiene Damaris, Alessandro Oliveira Furtado, de 39 anos, afirmou ter assassinado a mulher por asfixia após ela negar o pedido de divórcio nesta quinta-feira (23). O estudante de direito também disse, em depoimento à Polícia Civil, que a delegada teria apontado uma arma para ele. O enterro da vítima foi realizado na tarde desta sexta-feira (24) no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na zona oeste do Rio.
O delegado da DH (Delegacia de Homicídios) da Capital, Rivaldo Barbosa, afirma que a polícia não acredita nessa versão.
— O Alessandro não demonstrava tristeza pela morte de um ente querido. Inicialmente ele tentou dizer que ela podia ter sido vítima de uma ação de um grupo organizado. Depois, disse que podia ter sido vitima de latrocínio. Essa mudança de posicionamento chamou a atenção dos policiais.
Após a confissão, a polícia voltou à casa de Tatiene e Alessandro para realizar a reconstituição do crime. A delegada da Delegacia de Santa Cruz (36ª DP) foi assassinada na cozinha da casa, e não havia sinais de arrombamento. No corpo, havia marcas de hematomas mas não de tiros ou facas.
Segundo as investigações, Alessandro não trabalhava e Tatiene era responsável por todas as despesas da casa. Em depoimento, ele afirmou que o casal estava brigando há muito tempo, e por isso entrou com pedido de divórcio. Alessandro Furtado foi preso em flagrante por homicídio qualificado e pode cumprir pena de até 30 anos de prisão.
Tatiene Damaris tinha 39 anos e trabalhava na Polícia Civil desde 2005. Ela deixou dois filhos, um de 19 e um de três anos de idade. Há cerca de 20 dias, a delegada havia feito um seguro de vida que beneficiava os filhos.

PM do Rio gasta R$ 500 mil em viagens para o exterior


Em meio à crise da segurança nas regiões periféricas do Estado, a Polícia Militar do Rio de Janeiro foi o órgão da gestão Cabral/Pezão que mais gastou com viagens a outros países neste ano. De 1º de janeiro à última sexta-feira (24), o contribuinte pagou exatos R$ 513.219,44 em diárias e outras despesas, como alimentação, de policiais militares em eventos internacionais. Os dados constam da execução orçamentária do Estado, publicados no portal da Transparência Fiscal. Diferentemente de outros órgãos, a PM oculta o nome e o destino de servidores que tiveram despesas pagas.

Homem é preso após oferecer R$ 10 mil a policiais

Policiais do Batalhão de Choque (BPChoque) prenderam um homem após ele ter oferecido R$ 10 mil para não ser levado para a delegacia. Adilson Rosa Lima Junior, de 24 anos, foi abordado pelos agentes na comunidade da Fazendinha, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. Depois dos agentes terem encontrado 0.9 gramas de maconha com ele, Adilson foi avisado que seria encaminhado para a delegacia. Para evitar ser levado, ele ofereceu o dinheiro aos PMs.

Dinheiro é oferecido a PMs para não levarem criminosos até a delegacia
Dinheiro é oferecido a PMs para não levarem criminosos até a delegacia Foto: Divulgação

Os agentes fingiram aceitar o valor e Adilson usou seu celular para chamar dois mototaxistas. Os homens chegaram ao local com o valor todo em espécie, oferecendo aos policiais. Os três foram levados para a 22ª DP (Penha) e presos em flagrante. Adilson irá responder por porte de drogas, corrupção e associação para o tráfico. Marcus Vinicius de Oliveira Barros e Alexsandro Souza da Silva responderão por corrupção e associação para o tráfico.

Mototaxistas são presos ao levarem dinheiro para traficante pagar policiais

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Delegada é executada na Zona Oeste do Rio

JORNAL EXTRA
Polícia investiga morte de delegada
A delegada assistente da 36ª DP (Santa Cruz), Tatiene Damares, foi assassinada no início da tarde desta quinta-feira, nas proximidades da Faculdade Castelo Branco, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, segundo informações da sala de operações do 14º BPM (Bangu).Equipes da Divisão de Homicídios (DH) estão no local. Há informação de que o crime foi cometido por milicianos da região.

UPP do Complexo do Lins é queimada e PM é baleado em tiroteio


Dois contêineres da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Complexo do Lins foram parcialmente incendiados, uma viatura foi apedrejada e um PM e dois homens foram baleados durante uma troca de tiros na noite desta quarta-feira. As mochilas de policiais que trabalhavam na base foram saqueadas. Um menor de idade foi apreendido.

A base destruída pelas chamas

De acordo com PMs da UPP, após o tiroteio suspeitos atacaram uma viatura a pedradas, danificando o para-brisas. Pouco depois, os dois contêineres que ficam na Rua Dona Francisca, no acesso para a Cachoeirinha, foram incendiados. Imagens do incêndio foram enviadas por moradores para o WhatsApp do DIA. Bombeiros do quartel do Méier foram acionados e conseguiram controlar as chamas. Não houve feridos. PMs, no entanto, disseram que bolsas de colegas que estavam de serviço e guardadas no local foram saqueadas. Durante o confronto, o sargento identificado como Cleomar foi baleado no tornozelo e um menor de 17 anos no pé. O militar está internado no Hospital Naval Marcílio Dias, que fica próximo a UPP atacada, e o jovem no Hospital do Andaraí. Marlon Ramos de Oliveira, 22, também foi baleado e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Segundo a UPP, ambos tem antecedentes criminais. Não há informações sobre o estado de saúde deles. Um menor flagrado com pedras foi apreendido e encaminhado para a 25ª DP (Rocha). A polícia ainda não sabe se ele participou do ataque.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

PM terá efetivo de 35 mil agentes durante final de semana das eleições

A Polícia Militar definiu, nesta quarta-feira (22), o esquema de segurança para o final de semana das eleições. Segundo a corporação, no domingo (26), dia de votação, serão 20.788 PMs dando segurança a 5.418 locais de votação. Do total do efetivo, 455 militares estarão à disposição do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e 212 à disposição do Ministério Público (MP). O esquema terá início a partir das 13h de sexta-feira (24). Nesta semana, o comandante das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), coronel Frederico Caldas, informou que as comunidades pacificadas vão receber 1.000 policiais a mais para o reforço na segurança. O aumento no efetivo policial foi motivado devido os recentes confrontos envolvendo criminosos e PMs em algumas comunidades pacificadas.

Acusados de matar líder das 'Mães de Acari' vão a júri popular

JORNAL DO BRASIL


O juiz Fábio Uchôa, titular da 1ª Vara Criminal do Rio, decidiu nesta quarta-feira, dia 22, submeter a julgamento pelo Tribunal do Júri sete acusados de participar do assassinato da diarista Edmea da Silva Euzébio, que liderava o grupo conhecido como "Mães de Acari", que nunca encontrou os corpos de 11 jovens sequestrados em 1990. Ela e Sheila da Conceição foram emboscadas e mortas a tiros, no estacionamento do metrô da Praça Onze, em 15 de janeiro de 1993. 
O crime, segundo a denúncia, teria sido ordenado pelo coronel reformado da PM e ex-deputado estadual Emir Campos Larangeira. Além dele, também são réus os PMs Eduardo José Rocha Creazola, o "Rambo", Arlindo Maginário Filho, Adilson Saraiva Hora, o "Tula" e Irapuã Ferreira; o ex-PM Pedro Flávio Costa e o servidor municipal Luiz Cláudio de Souza, o "Mamãe" ou "Badi". 
A denúncia aponta ainda a participação de uma oitava pessoa, o agente penitenciário Washington Luiz Ferreira dos Santos, cujo processo foi desmembrado do principal e está na fase de produção de provas. Edmea teria sido morta por ter conseguido novas informações que localizariam os adolescentes de Acari - um deles seu filho - sequestrados em sítio de Magé, na Baixada Fluminense. Segundo a denúncia do MP, os acusados integravam o grupo conhecido como "Cavalos Corredores", que agia sob as ordens do coronel Emir Larangeira, principalmente na década de 90, quando o oficial comandou o 9º BPM (Rocha Miranda). O caso, que chegou a ser arquivado, sofreu uma reviravolta em 2011, após o depoimento de uma nova testemunha. Ela contou que a reunião para matar Edmea teria ocorrido no gabinete do então deputado estadual Emir Larangeira, na Assembleia Legislativa (Alerj). A data de julgamento dos acuados somente será definida após o julgamento de possíveis recursos, sendo que todos poderão recorrer da decisão em liberdade. 
Entenda o caso A Chacina de Acari, como ficou conhecida, ocorreu no dia 26 de julho, quando 11 jovens, dentre eles sete menores, moradores da favela do Acari no Rio de Janeiro, foram retirados de um sítio em Suruí, bairro do município de Magé, onde passavam o dia, por um grupo que se identificava como sendo policiais. Os sequestradores queriam joias e dinheiro, e após supostamente negociarem a sua libertação por meio de um pagamento, os sequestradores levaram as vítimas para um local abandonado. Nem eles nem seus corpos até hoje foram encontrados. As mães dos desaparecidos começaram uma busca por seus filhos e por justiça, e ficaram conhecidas como as "Mães de Acari" (local onde a maioria dos sequestrados morava).

Motorista flagra traficante de fuzil descendo a Estrada da Garganta em Niterói


Um motorista filmou no domingo dois suspeitos de tráfico descendo de motocicleta a Estrada da Garganta, na Zona Sul de Niterói. Nas imagens é possível ver que o homem sentado na garupa ostenta um fuzil e passa em meio aos carros em plena luz do dia. 
A ação, segundo os moradores da região, é comum, inclusive com traficantes fortemente armados circulando em meio aos comércios na Rua Mário Viana, em Santa Rosa, uma das principais vias do bairro, e em outras vias próximas de comunidades dominadas por traficantes de drogas. O motorista que flagrou a ousadia, às 18h30, estava filmando a via quando se deparou com a dupla, que seguia sentido Santa Rosa. O motorista, que estava à sua frente, diminui a velocidade ao perceber a ultrapassagem dos homens armados, que entram na comunidade do Viradouro.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Traficantes invadem piscina de vila olímpica e exibem fuzis

Um grupo de traficantes do Rio de Janeiro ostentou armas ao publicar fotos em uma rede social. O bando entrou na piscina da vila olímpica de Honório Gurgel, na zona norte do Rio, e exibiu três fuzis. Segundo a polícia, a foto foi tirada em uma segunda-feira, quando não havia ninguém no clube.

Cabo Daciolo busca diálogo com Pezão e Crivella para apresentar propostas de servidores

BERENICE SEARA
Dacilo, que se reuniu com categorias do funcionalismo público, vai tentar encontro com candidatos ao governo

Deputado federal eleito com quase 50 mil votos, Cabo Daciolo (PSOL) vai tentar se reunir com Luiz Fernando Pezão (PMDB) e Marcelo Crivella (PRB) até quinta-feira (23) desta semana para apresentar propostas para diversas categorias do funcionalismo público. Na sexta-feira (24), indicará uma posição para os servidores no segundo turno.
"Se a eleição fosse hoje, pregaríamos o voto nulo para o funcionalismo. Mas estamos abertos ao diálogo e vamos procurar os candidatos para apresentar as pautas para Saúde, Segurança, Educação...", afirmou Daciolo.
Na última sexta-feira (17), o deputado eleito organizou um encontro com mais de 500 representantes de diversas categorias para começar a organizar as propostas.
Embora as reivindicações sejam muitas, Daciolo afirmou que cada pauta será composta por três itens principais.
"Não queremos promessas. Queremos resultados efetivos".