quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

DISCURSO DO DEPUTADO PAULO RAMOS HOJE NA ALERJ


Agora na parte da manhã, estive no chamado Grupamento Especial Prisional do Corpo de Bombeiros, ao lado da Quinta da Boa Vista, onde está preso um preso político, o último que restou de todos aqueles que, arbitrariamente, foram igualmente presos.
Foram muitos bombeiros e muitos policiais militares presos – arbitrariamente – e ainda continua preso o Cabo Daciolo, que na verdade também não cometeu nenhum ilícito, porque quando esteve em Salvador apoiando ou manifestando solidariedade aos companheiros militares estaduais da Bahia, ele esteve acompanhado do presidente da Associação dos Magistrados da Justiça Militar. O que fazia lá, então,o presidente da Associação de Magistrados da Justiça Militar se foi a própria Justiça Militar Estadual que mandou prender o Cabo Daciolo? Afinal de contas, qual a providência tomada em relação ao presidente da Associação dos Magistrados da Justiça Militar? Se, porventura, o Cabo Daciolo estivesse cometendo algum ato ilícito, seguramente, o magistrado também estaria cometendo algum ilícito ou, pelo menos, por dever do ofício, deveria lá ter dado a voz de prisão.
De qualquer maneira,  a minha solidariedade a todos os policiais militares, bombeiros militares e policiais civis pela luta travada. Vamos esperar que o bom senso prevaleça e que o Cabo Daciolo seja o mais rapidamente, urgentemente liberado. Ele está com dificuldade de alimentação; não posso dizer que esteja fazendo uma greve de fome, mas vive um sofrimento muito agudo, insuportável, e isto precisa ser devidamente superado.
A minha solidariedade e a minha expectativa é que de hoje para amanhã ele já esteja solto e que a mão pesada da Justiça Militar e a mão pesada do Governador Sérgio Cabral, administrativamente falando, que essas duas mãos pesadas não recaiam sobre aqueles que representam um sentimento que prevalece no seio dos militares estaduais, e que não sofram nenhuma consequência punitiva que resulte na perda das respectivas carreiras.
É duro verificar a ditadura que impera no Rio de Janeiro. Vamos ver se o bom senso prevalece e se a própria auditora, da Auditoria Militar – dizem que é candidata a desembargadora – acumula com a Justiça Eleitoral, que ela, pelo menos, haja com a serenidade de quem tem dois contracheques, e contracheques bem polpudos.

Deputado Paulo Ramos

2 comentários:

  1. PO DACIOLO COMO TEM POLITICOS TE DEFEDENDO AGORA
    AGRADEÇA AO CABRAL ELE FEZ DE VOCE UMA URNA ANBULANTE ATE AGORA CONTEI 3 PAULO RAMOS JANIRA E GAROTINHO QUE ISSO IRMAO ARRUMA UMA VAGA PRA MIM
    PORQUE VAO APARECER MAIS SEJA SABIO QUE TAL MARINA
    SILVA,ELA VAI SER PRESIDENTE QUE SABE VOCE O VICE

    ResponderExcluir
  2. Bravo!É preciso denunciar essa ditadura que estão nos impondo. Vc são os nossos representantes.

    ResponderExcluir