domingo, 26 de fevereiro de 2012

Manifestação dos familiares de policiais presos em Jequié na Bahia

SITE: RIUS.COM
A ação por parte do Governo Baiano que culminou na prisão sem justa causa de policiais em Jequié causa revolta em seus familiares, filhos, esposas e grande parte da sociedade civil. Hoje ( 24/02/2012) manifestantes de Jequié tomaram as ruas centrais da cidade para pedir a libertação dos policiais detidos sem justa causas. Há exatos 12 dias foi instaurado processo administrativo contra dois PMs no 8º BPM/Vitória da Conquista e seis no 19º BPM/Jequié, no qual, segundo informação que o RIUS apurou que no PAD (Processo Administrativo Disciplinar), consta a permanência dos detidos no movimento que começou no ultimo dia de janeiro de 2012. Acusando-os de impedimento de saída de viaturas de radio patrulhas do pátio, ocupação da câmara dos vereadores de Jequié, desrespeito aos oficiais comandantes alem de exposição de armas de fogo em publico e depredação do patrimônio público. Durante a greve dos militares que lutam pelo cumprimento de direitos adquiridos, causa central da greve baiana, o governador do estado afirmou não ter represálias aos policiais que de forma pacifica e ordeira aderissem à greve; somente haveria punição para os PM´s que cometessem desordem, incentivo, vandalismo ou crimes. Em Jequié não foram constatados fatos dessa natureza em nenhum momento da greve, o que corrobora para que não desabonasse a conduta dos detidos. Na manifestação desta tarde, constatou-se a presença de representantes da sociedade civil, pastores, padres, vereadores dentre outros, unidos para que seja liberados os 8 policiais. Pelas ruas da cidade uma passeata com centenas de pessoas. Cerca de 500 pessoas estiveram presentes no ato público ordeiro e pacífico. Tanto os manifestantes como grande parte da sociedade civil não enxergam motivos para as prisões. De modo especial quando a autoridade maior do estado afirmara que não haveria represálias para os policiais que de forma ordeira e pacifica aderissem a greve. Como de fato não ouve. No entanto consta no documento PAD acusações que todos os manifestantes negam veementemente. A manifestação foi encerrada na Praça Rui Barbosa e colocados postos de coletas de assinaturas a documento cobrando a liberação dos policiais militares.
O vereador João Cunha (PP), único representante do poder Legislativo de Jequié na manifestação contra ás prisões dos policiais militares, falou sobre o ato pacífico dos PMs na câmara de vereadores, e deixando claro para a população que a Câmara foi cedida pelos vereadores, e não foi constatado nenhum ato que abonasse a conduta dos Policiais. Chamou de insensível o chefe do Executivo baiano, ao ser questionado sobre a punição aplicada aos soldados da Polícia Militar. ” O policial é quem nos dar a segurança, é homem de bem e não pode ficar detido. É inadmissível o que está acontecendo em Jequié. Não podemos aceitar que um governador que teve votação expressiva nesta cidade tome uma atitude dessas. Os policiais que estão presos são homens de bem, a manifestação que foi feita por eles no período da greve foi completamente organizada, os mesmos tiveram acesso ao prédio da Câmara com autorização do poder Legislativo. Não é justo que, pelos erros cometidos por PMs de Salvador, que os nosso amigos aqui de Jequié, que são homens responsáveis e pais de família, sofram as sanções ”, afirmou João. Ao finalizar a entrevista, o vereador disse que o governador está agindo de maneira inadequada e com intenção de prejudicar os policiais.

Um comentário:

  1. ISTO E UMA COVARDIA PORQUE EM MINAS ELES CONSEGUEM FAZER QUE OS DIREITOS HUMANOS PREVALEÇAM
    SEJA CONTRA GOVERNADOR DEPUTADOS E COMANDANTES QUE
    FAÇAM INJUSTIÇA COM OS SERES HUMANOS SERA QUE MINAS ESTA EM OUTRO PAIS NAO LA TEM O SGT RODRIGUES O CB JULIO QUE FORAM ELEITOS PELOS PRAÇAS E CORRE ATRAS POR SEUS COLEGAS QUE OS ELEGEU ENQUANTO EM
    OUTROS ESTADOS PRAÇAS ELEGEM OFICIAIS VAMOS REVER NOSSOS CONCEITOS NA PROXIMA ELEIÇAO
    NISSO NAS PROXIMAS ELEIÇOES.

    ResponderExcluir