sábado, 11 de fevereiro de 2012

PMs e bombeiros do DF iniciam movimento por melhores salários

SITE: JORNAL DO BRASIL 

Militares de Brasília têm os melhores salários do pais, mas querem equiparação com policiais civis




 Oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal decidiram neste sábado aderir a um movimento local para cobrar aumento de salários e benefícios do governador Agnelo Queiroz. Eles participam de uma assembleia geral convocada pelos praças da PM, na próxima quarta-feira, em que serão definidas as pautas prioritárias da categoria entre dez pré-selecionadas.

Segundo o presidente da Associação dos Oficiais do Corpo de Bombeiros Militares do Distrito Federal, Sérgio Aboud, por enquanto os oficiais não pensam em greve e a mobilização não tem relação com o movimento grevista iniciado em outros estados. Ele também nega que se trate de pressão pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que estabelece um piso nacional para policiais militares e bombeiros.
"Mas ela realmente seria necessária. O policial ganha pouco e aí vai atrás de complemento que quem paga é o crime organizado. Hoje no DF não tem isso, mas é isso que o governo quer? Quer polícia subsidiada pelo crime organizado?", indaga. "Decidimos que vamos apoiar o movimento no dia 15 de forma ordeira e sem afrontar a ordem e a segurança pública. Dependendo do que acontecer lá (na assembleia), vamos ver que rumo tomar".

O presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal, Sérgio Souza, disse que a categoria está insatisfeita com a falta de abertura do governo para discutir propostas.

"Queremos salário digno, pois estamos há quatro anos sem ajuste, e reestruturação da carreira porque hoje existe uma anomalia da estagnação nos níveis hierárquicos superiores".

Um comentário:

  1. Militar do interior diz:Os Pms de Brasilia não farão greve,pois serão prontamete atendidos em suas reinvindicações,e caso haja greve,vão receber o que pleiteiam.Qual o segredo?Política e uninão da tropa,sem medo de repressão,pois sabem que se acontecer algo que lhes prejudique,haverá um resultado nas urnas.

    ResponderExcluir