quarta-feira, 7 de março de 2012

CAMPOS - Câmara enviará documento a Cabral para evitar transferência de policiais

SITE: Câmara de Campos

O presidente da Câmara Municipal de Campos, Nelson Nahim vai encaminhar um documento ao Governador Sérgio Cabral, assinado por todos os vereadores, solicitando que os policiais de Campos não sejam transferidos para o Rio de Janeiro. O anúncio foi feito durante a sessão ordinária desta terça-feira DIA 06.


Segundo o vereador Gil Vianna, 84 policiais foram transferidos nesta terça-feira (06) e amanhã mais 40. “Não houve agressão verbal e nem muito mesmo física. Eles estão sendo punidos sem merecer. O Sargento Maxsuel, que não participou do movimento, parou apenas para falar comigo, foi transferido. Se eu não fosse vereador, estaria no Rio hoje também. Na semana passada Nelson Nahim denunciou que uma mãe ligou para ele desesperada, pois o filho estava de serviço no dia e foi transferido”, disse Gil Vianna. Na semana passada, o vereador Albertinho denunciou que 18 policiais haviam sido transferidos, entre eles, o seu irmão.

Já o vereador Dante Lucas propôs criar uma Comissão de Vereadores não só de Campos, como dos Municípios vizinhos para irem até a Assembléia Legislativa conversar com os deputados e pedirem ajuda. “Os policiais de Campos estão acostumados com a rotina da cidade e lá no Rio, eles vão enfrentar favelas e serão crucificados. São chefes de famílias. Porque outras categorias fazem greve e não são demitidos? Por que fazer isso somente com os policiais?”, disse o vereador.

A vereadora Odisséia também solicitou ao vereador Vieira Reis que peça ajuda ao novo Ministro de Pesca, Marcelo Crivella, pois ela vai pedir apoio ao deputado Rodrigo Neves. “Vamos todos nos unir em prol dos policiais. Eles são chefes de família e merecem respeito. Não podemos permitir que eles sejam transferidos somente porque reivindicaram melhores salários”, ressaltou Odisséia.


5 comentários:

  1. QUEM DERA SE TODOS OS VEREADORES DE TODOS OS MUNICIPIOS DOS RIO DE JANEIRO SE EMPENHASSE EM SE MANIFESTAR A FAVOR DOS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS, TALVEZ PARASSEM COM ESSA CAÇA AS BRUXAS QUE O ESTADO ESTA FAZENDO.

    ResponderExcluir
  2. O RIO DE JANEIRO ESTA UM CAOS.FIM DA COPA DO MUNDO,AINDA ASSIM O GOVERNADOR ESTA PREPOTENTE,

    UM TRECHO DA FONTE UOL.

    Crise entre Fifa e Governo Federal interrompe noticiário negativo para Ricardo Teixeira
    Reparou que as denúncias contra Ricardo Teixeira foram praticamente varridas do noticiário? Nos últimos dias não se falou praticamente mais nada sobre as investigações da Polícia Federal de Brasília envolvendo o cartola. Isso acontece desde que Jérôme Valcke atacou o Brasil.
    FALAR A VERDADE AQUI NO BRASIL É CRIME. O FRANCES SÓ FALOU QUE ERA PRA ACELERAR A OBRA NO QUESITO COPA DO MUNDO.

    ResponderExcluir
  3. SEGUE O CONTEUDO DO QUE VALCKE FALOU,EXTRAIDO DO SITE PARAIBA.COM.BR.

    Jornal espanhol diz que crise deveria custar emprego de Valcke


    A carta enviada ao min. do Esporte do Brasil, Aldo Rebelo, nesta 3ª pelo pres. da Fifa, Joseph Blatter, deve servir para as partes "fazerem as pazes" após a polêmica dos últimos dias. Segundo analisa o diário esportivo espanholMarca, abafar o caso é o rumo natural das coisas quando se trata de "dirigentes espotivos embriagados de poder"; contudo, o veículo não se conforma e aponta que a crise "deveria custar o futuro" de Jérome Valcke na entidade máxima do futebol mundial.

    Nesta 4ª, o blog ass: pelo jornalista Fernando Llamas no Marca faz um balanço do que ocorreu desde 6ªFª, quando Valcke teria dito durante o encontro da International Board, em Bagshot, na Inglaterra, que o Brasil precisava de "um pontapé na bunda" devido aos atrasos nos preparativos para a Copa do Mundo de 2014.

    Por causa disso, Rebelo se irritou e pediu a substituição do francês como interlocutor da Fifa com o País. Na segunda-feira, o secretário-geral do órgão enviou uma carta ao ministro pedindo desculpas, porém culpou um erro de tradução e alegou que havia sido mal interpretado.
    A explicação não convenceu o jornalista espanhol, que escreve: "o secretário se excedeu com uma linguagem ofensiva. Ninguém pode acreditar que sua frase literal em francês significava simplesmente que 'é preciso acelerar o ritmo' das obras. Não. Quis dizer o que disse, que ao Brasil teriam que dar um 'pontapé no traseiro' para que despertasse".

    Citando a intervenção de Blatter, ocorrida nesta terça com um pedido de desculpas por "honra e orgulho feridos da presidente Dilma Rousseff e de todo o governo brasileiro", o blog do Marca aponta que Fifa e o governo do País devem "fazer as pazes", porém se irrita com essa situação.

    "Esta crise deveria custar o futuro de Valcke, mas não vai ser assim", afirma o jornalista. "O culpável voltará ao Brasil (tem visita marcada para 12 de março) e dedicará elogios às autoridades por seu excelente desempenho na construção de estádios, estradas, aeroportos, hoteis... já disse isso quando visitou o país há apenas algumas semanas (em janeiro), pouco antes de sua 'brincadeira'. A cara, essa esses indivíduos dão pouco".

    Por fim, o blog projeta que "o secretário-geral reconduzirá seu destino como sucessor de Blatter, haverá Mundial no Brasil e tudo isso não ficará mais do que como um outro exemplo dos excessos de alguns dirigentes esportivos que, embriagados de poder, creem-se com o 'direito da primeira noite' ('ou direito das primícias') em pleno século XXI". A referência final é à instituição (no original, em latim, direito "jus primae noctis") que teria vigorado na Idade Média, permitindo ao senhor feudal tirar a virgindade das noivas na sua noite de núpcias - sendo elas servas do feudo desse senhor e recém-casadas com outro servo.

    Entenda a polêmica

    Em entrevista concedida na sexta-feira (02/03), o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse que os organizadores do Mundial de 2014 precisavam de um "pontapé na bunda" para as obras da Copa do Mundo andarem no País, e afirmou que os preparativos brasileiros estão em "estado crítico".

    As palavras não foram bem recebidas pelo governo brasileiro, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou no sábado (03/03) que não quer mais Valcke como interlocutor da Fifa para os assuntos relacionados à Copa de 2014. "As declarações são inaceitáveis, inadequadas para o governo brasileiro", disse Rebelo.

    Não é de hoje que Valcke enfrenta rusgas com as autoridades brasileiras. Em comunicado publicado no site da Fifa, o secrtário pediu rapidez com a aprovação da Lei Geral da Copa: "o txto deveria ter sido aprovado em 2007 e já estamos em 2012", declarou.

    ResponderExcluir
  4. VIRAM ESTA EM NIVEL INTERNACIONAL FALAR A VERDADE NO BRASIL É CRIME.VALCKE NAO SABIA DISSO.
    SÓ OS BOMBEIROS E POLICIAIS SABEM.

    ResponderExcluir
  5. vereadores e louvavel o enpenho de voces a favor de nossos irmaos mas infelismente nao vai dar em nada a nao ser que se juntem todos os municipios do rio e ascionem os direitos humanos internacional e olhe la se cabral vai aceitar pois o estado do rio e dele e ninguem mexe nem o presidente dos estados unidos com todo seu arssenal militar talvez a onu se lhe garantir uma vaga entre os oito.

    ResponderExcluir