sexta-feira, 20 de abril de 2012

Oito sargentos reformados e seis cabos presos por participação em greve da PM em Volta Redonda


A manifestação grevista de policiais militares, deflagrada em fevereiro deste ano, ainda provoca repercussões administrativas na corporação. O Conselho de Disciplina da PM decidiu reformar oito sargentos — sete deles atuavam no 28º BPM (Volta Redonda) e um estava lotado no 20º BPM (Mesquita).
A corporação também puniu disciplinarmente seis cabos do 28º BPM, com 30 dias de detenção, por transgressão grave, que foram considerados aptos para seguir na ativa. Dos 16 policiais submetidos ao conselho, apenas dois foram inocentados: um sargento, que nem chegou a ser julgado porque o 28º BPM informou que ele não participou da manifestação, e um cabo, que trabalhou normalmente entre 9 e 10 de fevereiro, quando houve adesão à greve. O registro saiu no boletim interno 72, publicado nesta quarta-feira — um dia antes da PM determinar a redução do período de descanso na escala dos policiais militares.
De acordo com as justificativas apresentadas pelo Conselho de Disciplina, o movimento era ilegal. Até às 21h de quinta-feira, a PM não tinha se manifestado sobre o assunto.
“Afronta às normas”, alega PM
Os sargentos que estavam no batalhão foram reformados, sob a alegação de que participaram de “uma afronta às normas regulamentares em vigor”. A corporação alegou, ainda, que o comando-geral publicou mensagens no boletim de 8 de fevereiro, alertando os policiais sobre a ilegalidade do manifesto.
Não foi a primeira punição em Volta Redonda. No mês passado, 11 policiais do batalhão foram expulsos por atos de indisciplina por causa da adesão à greve. O episódio já repercute na Assembleia Legislativa.
— Querem dar tratamento de bandido para aqueles que estão à serviço da população, para combater a criminalidade. Estão punindo pais de família e mandando policiais para casa num momento em que a PM precisa de reforço de efetivo — criticou o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP), que criou, nesta quinta-feira, um projeto de lei que prevê remuneração aos policiais com folga reduzida.

5 comentários:

  1. Por falar em BEP, dizem ainda que o comandante do BEP divulgou que as unidades da corregedoria receberiam uma gratificação em torno de mil reais pela atividade correcional na festa de fim de ano da unidade, na frente até de parentes dos policiais do BEP, porém até agora nada, e pasmem, a corregedoria e todas DPJMs estão recebendo. Parece que o coronel Costa Filho não concorda em incluir o BEP porque considera a unidade “problemática”, descriminando aquele batalhão.
    Tem ainda o caso das UPPs que são meninas dos olhos, mas estão sendo tratadas como lixo, sem alojamento, as policiais femininas urinando na rua, e olha que a prefeitura recolhe que urina na rua durante eventos. Daqui a pouco vai ter guarda municipal levando PM de UPP para a delegacia por mijar na rua.
    Como acredito no senhor, espero que o senhor lei, pelo menos parte, do que esta escrito aqui no ar, e apure alguns fatos.
    Pretendo divulgar essa carta, mas prefiro que o senhor o faça.


    enviado para o e-mail do deputado Wagner Montes as 11 horas do dia 18/04/2012

    Até hoje nada

    ResponderExcluir
  2. e a tropa, tanto que mesmo o senhor na época disse que era um coronel considerado, e todos sabemos que era em relação ao episódio com o deputado Chiquinho.
    Só que o atual comandante geral tem se mostrado um hipócrita descarado, pois alegou que iria moralizar e como sua primeira medida desenterrou a prisão disciplinar, o que só alimenta a corrupção no alto escalão, que não pode ser desafiado pelos subordinados, ou simplesmente prende-os. O comando disse que iria fazer a faxina de cima para baixo, mas só atacou os praças e os oficiais de baixa patente, dando ainda mais poder aos oficiais superiores corruptos.
    No episódio da greve, prendeu os que se levantavam em busca de melhores salários e condições, e transferiu como retaliação muitos policiais da tropa de elite (BOPE), tão prestigiada e qualificada, segundo o próprio governo e a mídia.
    Para abafar o movimento determinou a unificação das escalas, não como boas, mas como justas (24x72 e 12x48), porém após dois meses de escalas justas, decidiu trazer de voltar às escalas de escravos, para garantir aos oficiais a famosa “venda de policiamento”.
    Por fim quero comentar outros pontos do comando geral, um em relação ao batalhão de Niterói, que embora reclame de efetivo, o que também acontece em outras unidades, não tem dado conta do município. O comandante geral anterior caiu por ter dado o comando a um oficial que na época nem era suspeito do assassinato da juíza, porém o atual deu Niterói a um coronel que é suspeito no episódio do sumiço das armas no BEP e de ter descumprido as ordens do próprio comandante geral, ao transferir grande parte dos policiais do BEP para o 17 e depois para o 12. Como pode?

    ResponderExcluir
  3. ATENÇÃO SENHOR CHEFE DO CRSP,
    O MAJOR QUE O SENHOR BOTOU PARA CHEFIAR A P/2, VAI LHE DEIXAR EM MAUS LENÇÓIS E AINDA POR CIMA DEIXÁ-LO MAU COM AS AUTORIDADES. ESSE TAL DE MAJOR LUIZ ALEXANDRE É UM ZERO A ESQUERDA, ALÉM DE NÃO SER CREDENCIADO NO SISTEMA ELE AINDA CONSEGUIU FAZER DA CASA DE FAMÍLIA QUE SEMPRE FOI O CRSP, NUM INFERNO PARA OS AGENTES QUE SEMPRE VESTIRAM A CAMISA E DERAM SEU SANGUE PELA UNIDADE. INFELIZMENTE ALGUNS COMPANHEIROS ANTIGOS DE CRSP, JÁ PENSAM EM PEDIR TRANSFERÊNCIA PARA OUTRAS UNIDADES, POIS ESTÁ DIFÍCIL DE ATURAR ESSE TAL DE MAJOR LUIZ ALEXANDRE, QUE ALÉM DE NÃO SABER NADA DE SERVIÇO RESERVADO, AINDA QUE MUDAR O TIPO DE ROUPA PAISANA QUE O AGENTE SAI PRA RUA A FIM DE FAZER PESQUISA SOCIAL. ENFIM SENHOR CHEFE DO CRSP, SEI QUE O SENHOR É UMA PESSOA SÉRIA E QUE REALMENTE VESTE A CAMISA DO CRSP, E SERIA UMA PENA O SENHOR PERDER A CHEFIA POR CAUSA DE UMA PESSOA QUE NÃO TEM COMPROMISSO NENHUM COM ESSA TÃO RESPEITADA UNIDADE.

    ResponderExcluir
  4. Para ser tomada uma decisão deve-se primeiro basear-se nos pricípios constitucionais. Quem julga, deve no mínimo ter conhecimento de tais princípios. Creio, que o mais importante, neste caso, seja o da Razoabilidade e depois o da Legalidade...Ta faltando instrução e estudo para certos julgamentos....

    ResponderExcluir
  5. EM BRASÍLIA O GOVERNADOR ARRUDA ESTAVA CHEIO DE ESQUEMAS ESCUSOS, PUNIA A POLICIA PARA SE MANTER OPRIMIDA E NÃO TENTAR INVESTIGAR,

    NO RIO ESTÁ A MESMA COISA, GOVERNADOR CHEIO DE ESQUEMAS ESCUSOS,
    PUNIÇÃO A POLICIAS,...

    EM BRASILIA GOVERNADOR FOI PRESO, COMANDANTES DA PM FORAM PRESOS, CHEFES DE POLICIA CIVIL FORAM PRESOS,

    ACHO QUE JÁ ESTÁ NA HORA
    DE VIA STF OU STJ SOLICITAR MANDADO DE PRISÃO CONTRA O GOVERNADOR, COMANDANTES DE PM, E CHEFES DA POLICIA CIVIL,


    O CASO ESTÁ SENDO O MESMO,

    ARRUDA FOI PRESO, FORAM PRESOS CHEFES E COMANDANTES
    JÁ QUE O STF ENTENDEU QUE COM SUAS MEDIDAS ELES OBSTRUIRAM A JUSTIÇA, JÁ QUE COM MEDIDAS DELES NÃO ERA POSSIVEL INVESTIGAR SEUS CRIMES

    ResponderExcluir