quinta-feira, 19 de abril de 2012

Policiais militares terão folgas reduzidas que podem se estender até o fim do ano

FONTE: JORNAL EXTRA
Alegria de praça dura 71 dias. Esse foi o tempo de duração das escalas de serviço com folgas ampliadas, publicadas no boletim interno da Polícia Militar de 8 de fevereiro. Numa tentativa de estancar a greve da categoria, que começou no dia seguinte, a corporação disse que as novas escalas iriam proporcionar “recuperação física e psicológica” e dariam “melhor qualidade de vida” aos praças. A partir desta quinta-feira, volta a valer a escala anterior “em caráter emergencial”, para reduzir os índices de criminalidade.
Embora não haja uma previsão, as escalas com folgas reduzidas podem se estender até o fim do ano, prazo dado pela corporação para preenchimento das unidades operacionais com escassez de efetivo.
Na prática, policiais de rádio patrulha e cabina que fazem plantões de 12 horas de serviço voltam a ter folgas de 24 horas, seguidas por folgas de 48 horas no plantão seguinte. Em fevereiro, eles passaram a folgar dois dias por plantão trabalhado. Os policiais com escalas de 24 horas, que tinham três dias de descanso, voltam a ter dois dias de folga.



‘Pai Nosso’ da PM
A alteração provocou uma onda de protestos na categoria, com manifestações até na página de um site de relacionamentos do coronel Erir Costa Filho, comandante-geral da PM. Num deles, uma fez uma versão do “Pai Nosso”, pedindo melhorias na “escala nossa de cada dia”.
— Como a PM está pagando a gratificação, se acha no direito de mexer na escala de serviço e desrespeitar a folga dos policiais. Os praças estão sem o apoio da cúpula — criticou Vanderlei Ribeiro, presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e Bombeiros.
A medida causou revolta na categoria. Um policial militar, que faz rádio patrulha na área do 16º BPM (Olaria), disse que a redução da folga o obrigará a perder o “bico” como segurança particular, que representava um complemento de R$ 1 mil na renda mensal.
— Fui pego de surpresa, porque a escala mudou de repente — lamentou.
— Esse tipo de medida estimula até a corrupção, porque o policial perde uma renda extra de uma hora para a outra — disse um cabo, que não se identificou.

4 comentários:

  1. Isso é bom acontecer para alguns companheiros da PM; pós-muitos não se uniram para mudar isso tudo, agora todos nós estamos pagando. Eu estou respondendo no conselho e vou ser preso a qualquer hora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É companheiro, todos nós tínhamos e ainda temos como mudar isso tudo. Não vamos desistir jamais.

      Excluir
  2. Nao podemos aceitar esse retrocesso,cometido pelo comando geral,vamos nos unir e para tudo,digo todos nos,se e 40 horas,ou seja 160 horas mensais vamos cumprir,o.que passar disso e extra!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Para a CIVIL,PRF,PF,CBMERJ,DESIPE é um direito,pro MALDITO PM é um favor essa escala!!!!

    ResponderExcluir