quinta-feira, 10 de maio de 2012

PMERJ estuda fazer ingresso único para soldados e oficiais

A  Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro estuda inovar no sistema de ingresso de soldados e oficiais na corporação e implantar o acesso único para oficiais e praças.
Assim, todos os policiais precisarão primeiro ser soldados para poderem concorrer a uma vaga no Curso de Formação de Oficiais (CFO). O projeto está em estudo há cerca de três meses por uma comissão formada de coronéis e tenentes-coronéis da PM, nomeada pelo comando da corporação.
Pela nova forma de acesso, a prova inicial para entrar na PM será para soldado, patente mais baixa da hierarquia militar, e o único acesso possível ao oficialato seria por meio de um concurso interno, após tempo ainda (possivelmente três ou cinco anos). Seria criada uma regra de transição para adequar o novo modelo aos atuais oficiais e praças.

Uma vantagem seria que todos os futuros oficiais terão antes passado pela atividade de ponta da corporação. Aprenderiam na prática o lema impresso no prédio principal da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), escola de formação de oficiais do Exército: “Cadetes! Ides comandar, aprendei a obedecer”.

Como consequência do atual grupo de estudo, o concurso de 2012 para oficiais da PM foi suspenso em março, como mostrou nota do Poder Online , e não fará parte do vestibular da Uerj neste ano.
Desde 1920, os alunos passam por três anos de formação em regime de semi-internato, para se formarem como aspirantes a oficial. Os postos do oficialato são, pela ordem crescente, aspirante a oficial, segundo-tenente, primeiro-tenente, capitão, major, tenente-coronel e coronel; os praças são soldado, cabo, terceiro-sargento, segundo-sargento, primeiro-sargento e subtenente.

Temor de crise no oficialato e desestímulo no Corpo de Alunos atual

 A nova forma de ingresso na PM seria inovadora nas polícias brasileiras, que seguem o modelo das Forças Armadas – de escolas de formação distintas para oficiais responsáveis por comandar e pela parte estratégica) e praças (executores, parte tática).
A avaliação interna e temor dos próprios integrantes da comissão de estudo é que a nova forma de acesso gere tensões e crise no oficialato – principalmente entre os mais jovens – de uma instituição militar, que prima pela hierarquia e disciplina. Outra preocupação é não desestimular o atual Corpo de Alunos, que entrou pela regra antiga.
Atualmente, 331 alunos estão no Curso de Formação de Oficiais da PM do Rio (64 no primeiro ano, 168 no segundo e 99 no terceiro). Há 44.047 policiais na força, e a meta é chegar a 60 mil profissionais em 2016. Em 2011, houve 11 formaturas, somando 4.190 soldados; em 2012, já foram 2.170 novos PMs incorporados.

Missão “extremamente desafiadora”
 
Na opinião de um oficial superior da comissão empolgado com as perspectivas, a missão é “extremamente desafiadora” e seu resultado poderia levar até o próprio Exército Brasileiro a repensar o seu modo de admissão e questionar se ainda faz sentido a divisão de escolas de formação (no caso do Exército com a Aman e a Escola de Sargentos das Armas).
De acordo com um dos oficiais que integram a comissão de estudo e implantação do novo acesso, o sistema se assemelharia ao da Alemanha e ao de Nova York – onde é preciso ter cursado faculdade ou ter dois anos de serviço ativo nas Forças Armadas e Ensino Médio.
Um ponto que está sendo estudado é se a corporação passará a exigir graduação em nível superior dos candidatos a soldado para ingressar na PM – assim como a Polícia Civil faz. A academia de oficiais é atualmente um curso considerado de nível superior, que não exige formação além do nível médio para entrada.
Uma consequência do novo modelo estudado, seria a formação de oficiais mais velhos que os atuais cadetes, que podem entrar na PM a partir de 18 anos, logo após completarem o Ensino Médio e prestarem concurso de vestibular.

18 comentários:

  1. Tem que mudar mesmo! Polícia não é Forças Armadas, policiais lidam diretamente com a população. Espero que mude mesmo, que exija nível superior e certe tempo de serviço. Assim os oficiais formados, além de ter experiência de vida (por ter um pouco mais de idade), acadêmica (pelo nível superior) teriam também a experiência profissional... Acho que os Tenentes viriam bem mais preparados para lidar com a população, assim como a própria PMERJ internamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, vimos hoje um problema na corporação quanto a alguns Oficiais que nunca souberam o que é ser praça, sem nenhuma experiência de vida alguns sairam do ensino médio direto para a academia, enfim, ahco que o processo tende a melhorar, mas acho que também que a cobrança por nivem superior para o oficial seria valida.

      Excluir
  2. Parabens,e isso mesmo o cbmerj deve fazer o mesmo,pois virou a creche do papai.

    ResponderExcluir
  3. É... Finalmente a Pmerj está parando de marcar passo na história.
    Essa inciativa com certeza vai ser um grande incentivo ao profissional de polícia. Hoje, temos na corporaçao oficiais que não sabem operar o rádio de uma viatura, nunca foram depor por prisão efetuada. Podem até conhecer bem a teoria. Mas, teoria tem que caminhar junto com a prática. Com essa proposta certamente teremos profissionais mais capacitados e com experiência de rua.
    E podem ter a certeza de que os desvios de conduta na esfera administrativa, vão reduzir consideravelmente. Digo administrativo porque o desvio de conduta na esfera criminal não tem jeito, pode ser praça ou oficial porque banda podre independe de posto ou graduação

    ResponderExcluir
  4. Ser policial se aprende na prática,tenho 22 anos de pmerj,e sempre há algo aprender,acho uma mudança altamente positiva,para todos tanto para a sociedade quanto para a pmerj.

    ResponderExcluir
  5. Eu quero é salário, prefiro ser um soldado ganhando R$ 5.000,00 do que um Major ganhando R$ 4.000,00

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Louvável a atitude da PMERJ. O CBMERJ e PMERJ tem que parar de querer seguir tudo que é feito no EB e de querer dar satisfação. A realidade das forças estaduais é outra. Louvo quem tem coragem para uma mudançs signficativas nessas corporações que tem extrema dificuldade para renovação e se adequar ao mundo atual.

    ResponderExcluir
  8. dessa forma a policia vai avançar,vai agradar a todos pois só quem é praça sabe o que sofremos dentro da nossa corporação.vivemos em pais democrático onde todos os ramos da sociedade não querem mais a ditadura;como pode uma instituição como a pmerj que preza pelo direito humano,ter um regulamento da época do regime militar, um regulamento de 1983 onde a ditadura reinava no pais.cadê o nosso direito humano?como pode um pai de familia ter o direito a liberdade interrompida por causa de cabelo,barba considerado fora do padrão.chega de hipocresia direito humanos já,escala 24x72 e um novo regulamento já,concurso só para soldado,internamente prova para oficial.

    ResponderExcluir
  9. tem que aumentar o limite de idade pelo pra 35 anos para dar oportunidade,a,quem só conseguiu estudar depois dos 20ou 30anos ok?gardo.

    ResponderExcluir
  10. Acho que pra quem tá "do lado mais fraco da corrente" não vai melhorar em nada!

    ResponderExcluir
  11. Tbm sou a favor de que 1º passe pelo cfsd antes de ir ao curso de cfo. E que o limite de idade aumente, pois tem muita gente que não fez o concurso antes por não ter tido tempo de estudar, por algum motivo. E agora terminou e quer ter a oportunidade de participar dessa corporação. A pm em cobrar o físico até concordo e a idade tbm, mas que seja razoável. Uma pessoa de 35 anos ainda consegue realizar muita coisa, mesmo por que já tem um tempo de vida, "Experiencia de vida"... E muitos de 18,19 e 20 anos pensam em entrar mas por causa de poder dar carteirada e do porte de arma, que hj isso é uma realidade totalmente diferente, muitos enconde até quem são...

    ResponderExcluir
  12. Excelente atitude de mudança, acredito que influenciará positivamente no conduzir das questões e problemas do dia a dia devido a maturidade e vivência do futuro oficial alidada a teoria que ele irá receber no curso de oficialato. A prova interna é de fato o caminho, mas ainda defendo que os critérios para acesso a prova deveriam ser: promoção a Cb, Sgt só por tempo de serviço, acesso a prova de oficialato partir de cb (com faculdade) ou Sgt (sem faculdade)para impedir que qq soldado recrutinha com muito pouco tempo de experiência passe a frente e quebre mais uma vez a hierarquia.

    ResponderExcluir
  13. muito bom pois quem quer mandar primeiro tem que obedecer.
    imagine um policial com mais de 20 anos de policia receber ordem de quem nunca viveu uma vida de stress num confronto armado. apoio a decisão!

    ResponderExcluir
  14. TAMBEM CONCORDO AUMENTA O LIMITE DE IDADE DA POLICIA MILITAR, ATE 35 ANOS AI EU VOU CONCORRER ESSA VAGAS, IA EU REALISO MEU SONHO.

    ResponderExcluir
  15. A PMRJ deveria aumentar o limite de idade para ingresso no seu quadro funcional, pois deveria ingressar pessoa com mais experiencia de vida na corporação .. pois muita gente com mais de 30 anos já tem faculdade ..

    ResponderExcluir
  16. A PMERJ está na hora de crescer e mudar sua estrutura organizacional, pois os oficiais QOC, em suas mentes acham quer é o rei, que devem viver como tal. pois são parasitas do governo que não contribui em nada para sociedade carioca, permanecendo atrás de gabinetes comendo e engordando dentro da caserna. Com essas mudanças faria com que esses parasitas do estado trabalhassem, antes de chegar ao posto de comando, haja vista, o quartel general está cheio de tenentes, capitães, majores, tenete coronel e coronel sem fazer nada para ninguém. Todavia, o estado tem obrigação de pagar esses inúteis que nunca defenderam o cidadão, porém todo o mês está la para receber seu pagamento.

    ResponderExcluir
  17. Acho que os que são soldados que passaram pela aquela prova ridícula terão que estudar muito pra ser oficial. Todos que estão do lado de fora a fim de fazer a prova Tem capacidade de exercer o cargo. E fácil. Teria que ter prova interna e externa. Já resolveria. Mas se o curso e pra tirar o ensino superior. Pra. Que te-Los em mãos agora?

    ResponderExcluir