sábado, 19 de maio de 2012

Policiais civis que balearam PM por engano no centro do Rio são afastados

Os dois policiais civis que atiraram sexta-feira (18) um em cabo da Polícia Militar após confundí-lo com um bandido no centro do Rio de Janeiro foram afastados das suas atividades até que as investigações sejam concluídas. A delegada Andréa Nunes Menezes, titular da Delegacia de Botafogo (10ª DP), onde os dois suspeitos são lotados, apreendeu as três armas dos policiais e as encaminhou para a perícia. O trio será ouvido, assim como testemunhas.
O cabo Fábio Mourão da Silva, de 37 anos foi transferido na noite de sexta do Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, zona norte. Ele passou por cirurgia de mais de quatro horas e estava em estado grave.
A vítima estava próximo ao prédio do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), no centro, quando foi ferida no braço e na barriga. Lotado no GAP (Grupo de Apoio à Promotoria), Silva estava à paisana em frente a uma agência bancária na rua Presidente Antônio Carlos, esquina com a rua Nilo Peçanha, e falava ao celular.
Segundo o Batalhão da Praça da Harmonia (5º BPM), policiais civis da Delegacia de Botafogo, zona sul, receberam a denúncia de que criminosos fariam um sequestro-relâmpago na rua Nilo Peçanha. Lá, o PM foi confundido com bandido e acabou ferido por dois agentes.
O homem foi socorrido inicialmente pelo serviço médico do TJ e depois encaminhado para o Hospital Municipal Souza Aguiar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário