sexta-feira, 27 de julho de 2012

Polícia tenta prender mãe de jovem morto no Andaraí durante o enterro do filho

EXTRA
Policiais militares do Setor de Inteligência do Comando de Polícia Pacificadora (CPP) estiveram, nesta sexta-feira, no Cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio, para tentar prender Daniela Alves. Ela é mãe de Jean Marlon Alves Vieira, de 18 anos, que foi enterrado junto com Edilson da Conceição, de 21. Os dois foram mortos na noite quarta-feira, no Morro do Andaraí, naquele bairro da Zona Norte. No dia do fato as famílias dos rapazes acusaram PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de tê-los executado. Daniela, no então, não apareceu no enterro.
A acusada tem contra si dois mandados de prisão - um por associação para o tráfico e outro por homicídio. Ela é acusada de controlar o tráfico “formiguinha” que ainda existe no Andaraí, a mando do traficante Cabral, que está preso. Os dois filhos da acusada foram presos durante a ocupação feita pelo Batalhão de Operações Especias (Bope) para a implantação da UPP na região. Apesar de já terem passagem na polícia, os dois foram liberados pois na ocasião não constava nada contra eles.
Daniela já foi presidente da associação de moradores do Andaraí, também a mando de Cabral. De acordo com informações da polícia, ela passou a se esconder no Complexo do Alemão e depois foi para o Jacarezinho, de onde levava drogas para o Andaraí, pelo menos duas vezes por semana. O transporte era feito num táxi. A polícia investiga informações de que Jean seria o responsável por receber a droga.

LEIA: PM de UPP atira e mata dois no Andaraí; para a polícia, eram bandidos e para a família, inocentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário