quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Policial militar mata homem em briga de trânsito na comunidade Rio das Pedras

A Divisão de Homicídios (DH) investiga o caso de um policial militar que matou um homem, na madrugada desta quinta-feira (23), depois de uma briga de trânsito na comunidade Rio das Pedras, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. As informações são da Polícia Civil, que acrescentou que o PM foi autuado em flagrante por homicídio.
De acordo com a Polícia Militar, o cabo (41º BPM) Eduardo Aquino Silva Santos, de 30 anos, estava na carona de um carro com um amigo, quando bateu em outro veículo na Estrada de Jacarepaguá, na altura do número 3.705.
Segundo policiais do 18º BPM (Jacarepaguá), responsável pelo patrulhamento da área, os ocupantes do veículo atingido iniciaram uma luta corporal contra o PM e o amigo, quando Eduardo sacou a arma e disparou. Dois tiros atingiram Mauro Barcos do Nascimento, que chegou a ser  encaminhado à emergência do Hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas acabou morrendo. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).
Pessoas que estavam no local e viram a cena, agrediram o policial, que foi internado em estado grave. O PM foi encaminhado sob custódia para o Hospital Lourenço Jorge e depois foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio.
Segundo a Polícia Civil, apesar da autoria do crime já estar confirmada, o delegado Rivaldo Barbosa, da DH, aguarda o PM se recuperar para poder ouvi-lo.
A Polícia Militar informou que, assim que Eduardo receber alta, será encaminhado ao Batalhão Especial Prisional (BEP) e que vai abrir um processo disciplinar para investigar o caso.

2 comentários:

  1. O Policial Militar pode ter agido em legítima defesa. Trata-se de uma justificação para uma conduta ilícita, que legitima um ato que seria crime em sua ausência. Tecnicamente, é um conceito de Direito Penal que pertence à classe das excludentes de ilicitude - isto é, circunstâncias que removem a ilegalidade de uma conduta, embora sem alterar o fato de que o ato é previsto em lei (tipo penal). Consiste no emprego de condutas ilícitas como recurso para se defender de uma agressão.

    ResponderExcluir
  2. legitima defesa um caralho filho da pulta .. vai se fude porra. matou um cara trabalhador que ainda deixou dois filhos para criar.. ah vai toma nu cu porra ..

    ResponderExcluir