domingo, 12 de agosto de 2012

São Paulo - Policial militar escala torre, interrompe trânsito e para pousos no aeroporto de Congonhas


O homem, que foi identificado como um policial militar que estava afastado por problemas psiquiátricos, escalou uma das torres que auxiliam na sinalização para pousos em Congonhas, que fica na parte externa do aeroporto, no cruzamento das avenidas Washington Luís e Bandeirantes, e chegou a soltar rojões para o alto. As operações de pouso ficaram interrompidas das 17h37 até as 19h. 
Policiais militares e bombeiros foram ao local e o convenceram a descer. A operação foi feita com o auxílio de cordas e o policial militar, que tinha o rosto pintado, foi levado para um hospital para fazer exames.
Segundo a Infraero, 11 voos foram desviados para os aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, Viracopos, em Campinas, e Santos Dumont e Galeão, no Rio. A torre onde o PM subiu mantém as luzes que são usadas à noite e nos dias de chuva para ajudar na orientação dos pilotos. O movimento de decolagem, que nesta sexta-feira estava sendo feito na cabeceira oposta da pista, não foi afetado. Apenas sete voos (3,8%) foram cancelados nesta sexta-feira

Além da faca, ele estava com rojões que, também segundo o boletim de ocorrência registrado sobre o caso, foram disparados no alto da torre, ameaçando as aeronaves que aterrissavam em Congonhas. Segundo a polícia, os disparos foram feitos contra policiais e bombeiros que tentaram resgatá-lo.
O Hospital São Paulo não deu informações sobre o estado de saúde do policial e nem quando ele deve deixar o hospital. Quando sair, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública, deverá prestar depoimento na delegacia do aeroporto. A estrutura onde o policial subiu permanecia ontem sem nenhum tipo de reforço para evitar novos atos como o ocorrido na sexta. Ontem, o aeroporto operou normalmente, segundo a Infraero.

Um comentário:

  1. espero que a policia não perca tempo tentando prender esse vagabundo.tem que quebrar logo pra não correr o risco de passar vergonha de novo vendo o meliante fugir nas barbas da poliçada e depois dizer que não puderam fazer nada...

    ResponderExcluir