sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Exército e Marinha reforçarão segurança na eleição no Rio

Tropas ocuparão áreas não pacificadas a partir deste domingo para garantir o acesso de funcionários do TSE, candidatos e eleitores


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na quinta-feira o envio de tropas do Exército e da Marinha para o Rio de Janeiro durante a próxima semana. O objetivo é garantir o acesso de funcionários da Justiça Eleitoral, candidatos e eleitores a regiões da capital que ainda não foram pacificadas. Os soldados serão enviados já neste domingo.
Segundo o plano elaborado pelo Ministério da Defesa e pelo TSE, serão empregados fuzileiros navais no conjunto de favelas que forma o Complexo da Maré. Já os militares do Exército vão atuar na segurança em bairros da zona oeste da cidade. As tropas vão permanecer no local das 8 horas às 18 horas e a população será avisada de que a ação tem o objetivo de garantir o exercício do processo eleitoral e não tem fins de pacificação.
De acordo com o TSE, o envio de tropas por uma semana não está previsto no convênio firmado pela Corte com o Ministério da Defesa, que só prevê a presença de militares no dia das eleições. Foi preciso formar uma comissão, composta por representantes da Justiça Eleitoral, do Ministério da Defesa e do governo do Rio de Janeiro para analisar a presença dos soldados na cidade por tantos dias.
A decisão foi tomada com base no voto da presidente do TSE, Cármen Lúcia Antunes Rocha. O vice-presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, não concordou, por considerar impróprio abrir exceções.
Durante o período em que as tropas estiverem nas comunidades, funcionários da Justiça Eleitoral irão atuar para combater a propaganda irregular e garantir que os candidatos façam campanha normalmente.
O TSE também aprovou o envio de tropas federais para os municípios fluminenses de Magé, São Gonçalo, Itaboraí, Rio das Ostras, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes e Macaé, mas somente para o dia da eleição. Até o momento, o tribunal já aprovou o envio de forças federais para 143 municípios nos estados do Amazonas, Amapá, Alagoas, Maranhão, Pará, Paraíba, Tocantins, Sergipe e Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário