quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Colégio da PM pode ter ensino fundamental

Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira (23/10), em discussão única, o projeto de lei 1.778/12, que regulariza a oferta de vagas no ensino fundamental no Colégio da Polícia Militar (CPM). A proposta será enviada ao governador, que terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar o texto. Se sancionada, ela dará à instituição base legal para oferta de vagas em turmas a partir do 6º ano. “A legislação em vigor não faz menção ao ensino fundamental, mas apenas ao médio. Apesar disso, a instituição oferece as vagas. A proposta busca regularizar o funcionamento dessas turmas junto ao Conselho de Educação”, explicou o deputado Comte Bittencourt (PPS), que assina a proposta com o deputado Paulo Ramos (PDT).
Além de incluir o ensino fundamental a partir do sexto ano na lei que autorizou a criação do colégio, o projeto aprovado define que a oferta anterior à vigência desta norma seja revalidada pelo Conselho Estadual de Educação. A Polícia Militar já anunciou a criação de unidades do Colégio da Polícia Militar no bairro de Sulacap, zona Oeste da capital, e no município de Mesquita, na Baixada Fluminense.

3 comentários:

  1. já ta dificil ser pm,ainda vou colocar meus filhos nisso ai?qualquer desgraçado ai se vingar em qualquer criança só por ser filho de policial e ninguém vai se importar, se for um cracudo menor vem todo mundo em cima da pm querendo indenização e justiça, que qualquer advogado irá pegar a causa de graça, quem tiver piedade dos seus. não coloque seus filho nisso.será pato de parque atira a vontade, em quem pegar ta bom,depois fala que é menor e vai para a galera.

    ResponderExcluir
  2. de quem será que foi essa ideia? não acredito que foram os pais,impossivel acreditar ainda mais nessas regioes onde o diabo anda sedento de sangue,ainda mais se for dos filhos dos policiais,porquê não conseguem vagas nos colégios militares? é só pedir não existe cotas p/indio,negro ,favelados, bota mais um filhos dos policiais, graças a deus os meus já se formaram nas UFF.SEM PRECISAR DE ESMOLAR COTAS.que deus tenha piedade dessas crianças , olha o risco em familia!

    ResponderExcluir
  3. I N D I G N I D A D E

    Ao analisarmos a Constituição Brasileira de 1988, percebemos que os Bombeiros e Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro não recebem um salário digno. No Brasil, é preciso melhorar a distribuição de renda, corrigir o histórico problema das distorções sociais.

    O Salário Mínimo Necessário, divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (http://www.dieese.org.br), capaz de atender às necessidades vitais básicas (moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene e transporte), de acordo com o artigo 7º, inciso IV, da Carta Magna de 1988, em Setembro de 2012 correspondeu a R$ 2.616,41 (dois mil, seiscentos e dezesseis reais e quarenta e um centavos). O piso salarial deve ser reajustado periodicamente, de modo a preservar o poder aquisitivo dos Militares Estaduais. Portanto, o menor vencimento dos PMs e BMs (o de Sd) deveria ser de, no mínimo, R$ 2.616,41 (líquido e sem as gratificações)!

    UM ESTADO QUE PRETENDE SEDIAR MEGAEVENTOS ESPORTIVOS COMO COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS NÃO PODE PAGAR MENOS DO QUE O MÍNIMO NECESSÁRIO AOS SERVIDORES ESSENCIAIS.

    ResponderExcluir