sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Polícia Civil encontra quartel-general de milicianos em Quintino

Agentes da Polícia Civil encontraram um quartel-general de uma milícia, em Quintino, na Zona Norte, na noite desta quinta-feira. No local, um escritório de uma quadra comunitária do Morro do Fubá, foram apreendidas armas e munições de diversos calibres. Em um estabelecimento anexo, foi descoberta uma fábrica de máquinas caça-níqueis. Os milicianos foram surpreendidos por agentes da Delegacia de Homicídios, mas ninguém foi preso.
Os policiais estavam no bairro investigando três homicídios que aconteceram na região do Morro do Fubá, na noite de quinta-feira. Os corpos foram deixados em dois locais diferentes, mas próximos entre si, na região. De acordo com o delegado adjunto da DH William Pena Jr., os corpos foram executados da mesma maneira: com dois tiros na cabeça disparados por armas do mesmo calibre. A polícia trabalha com a hipótese de que as vítimas tenham sido executadas juntas e seus corpos abandonados em locais diferentes.
Enquanto estavam no local dos homicídios, os agentes da DH receberam a informação de que os executores dos crimes estariam em uma quadra comunitária, na Rua Inharé. Os policiais foram até lá e encontraram cerca de 100 pessoas que assistiam a um culto religioso. Houve correria e apenas oito pessoas ficaram. Elas foram conduzidas para a Delegacia de Homicídios para prestarem depoimento.
No escritório do estabelecimento, havia sinais de que pessoas haviam fugido às pressas. Um jogo de cartas em andamento foi abandonado, assim como objetos pessoais. Os agentes revistaram o local e encontraram armas e munições em bolsas que estavam escondidas dentro de uma lixeira, em uma espécie de porão. Os policiais descobriram uma porta nos fundos do escritório que dava saída para o Morro do Fubá, por onde possivelmente os milicianos fugiram.
De acordo com a polícia, as amas eram duas pistolas 9mm e uma .40. De acordo com o titular da DH, delegado Rivaldo Barbosa, as armas serão periciadas para saber se foram usadas nos três homicídios ou em outros que aconteceram anteriormente na região. Também foram encontrados 60 carregadores de diversos calibres, a maioria de fuzis, e munições variadas. No local, também havia coletes à prova de balas, algemas, cintos funcionais e rádios transmissores.
Em um ambiente anexo ao escritório, funcionava uma fábrica de caça-níqueis. Havia 30 máquinas sendo produzidas no local.
Em frente à quadra, a polícia recuperou um carro roubado. Um veículo blindado também foi apreendido. Ele foi usado na execução de pelo menos uma vítima. De acordo com a DH, os corpos ainda não foram identificados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário