quarta-feira, 21 de novembro de 2012

'Motoristas de ônibus não respeitam ninguém', diz irmão de policial morto em acidente

Os motoristas de onibus não respeitam nem aos passageiros, nem a si mesmos". O desabafo é de Luiz Carlos Martins, irmão do policial civil Lúcio de Carvalho Martins, de 50 anos, morto nesta terça-feira após um acidente entre um ônibus da linha 261 (Marechal Hermes - Praça 15) e o carro onde estava, na Avenida Dom Hélder Câmara, em Maria da Graça, na Zona Norte.
O motorista do coletivo estaria em alta velocidade e olhando para trás quando atingiu o carro. Lúcio trabalhava na Chefia de Polícia e morava próximo ao local da tragédia.
A outra vítima, um passageiro do ônibus, ainda não foi identificada. Os feridos foram para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier e já liberados.


Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia
Carro de policial civil foi arrastado por 50 metros
Segundo a Polícia Civil, o motorista do ônibus Jan Carlos Dantas Couto, 36 anos, vinha em alta velocidade e conversava com a trocadora, olhando para trás.

O coletivo invadiu a contramão e subiu no Corsa, arrastando-o por cerca de 50 metros. Em seguida, ainda colidiu com um poste e parou em uma árvore.

Jean foi autuado em flagrante por homicídio doloso (com intenção) e 14 lesões corporais dolosas. "É muito triste para nós da família. Ele era como um pai para mim e meus irmãos, muito querido por todos", afirmou um inconsolável Luiz. O caso foi registrado na 25ª DP (Engenho Novo). O laudo da perícia sairá em 15 dias.

3 comentários:

  1. Jan Carlos Dantas Couto tem que ser PRESO!

    ResponderExcluir
  2. O Decreto nº 43.411, de 10 de janeiro de 2012, desprestigia o bom profissional, beneficia os acomodados e nivela a tropa por baixo! Este Decreto gerou uma grande insatisfação por parte da tropa que estudou e prestou concursos internos para subir em sua carreira, pois as promoções através do critério do Tempo de Serviço acarretaram quebra da precedência hierárquica, abalando um dos pilares institucionais vigentes na PMERJ: A HIERARQUIA. Ter uma grande quantidade de Sargentos onera a folha e não garante um bom serviço prestado à sociedade. Da maneira como são promovidos atualmente, os policiais militares não possuem condições de exercer a graduação que ostentam de maneira satisfatória. O Curso de Formação de Sargentos (CFS) prepara a Praça para a mudança de círculo, para executar as funções de graduado. O Curso Especial de Formação de Sargentos (CEFS), apelidado pela tropa de "curso de confirmação de divisas", foi criado com o objetivo de atender à demanda Institucional para a promoção por tempo de serviço, mas não prepara o PM adequadamente para executar as funções de graduado.

    ResponderExcluir
  3. o motorista pode ter errado mas em primeiro lugar devem ver as condições de trabalho também, aquelas carroças que andam pela cidade da 261, ainda são chamados de ônibus....

    ResponderExcluir