terça-feira, 31 de janeiro de 2012

BAHIA - Em assembleia, associação da Polícia Militar decreta greve por tempo indeterminado

SITE: CORREIO24HORAS
 
Em uma assembleia realizada na tarde desta terça-feira (31), os policiais militares e os bombeiros decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. De acordo com informações do diretor jurídico da Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), Fábio Brito, a greve atinge todo o estado.

Neste momento, a categoria está ocupando a Assembleia Legislativa para entregar a pauta de reivindicações ao governador Jaques Wagner, que está em Cuba em viagem com a presidente Dilma Rousseff, ou com alguém que responda pelo estado. Segundo a Transalvador, policiais em passeata a caminho do CAB estão fechando vias na região do Iguatemi com motos e carros.
Apesar da decisão tomada pela Aspra, a assessoria do comando da PM não reconhece a greve e diz que o órgão funciona normalmente, mesmo com o indicativo de paralisação. O diretor de comunicação da PM Gilson Santiago disse que todas as unidades estão funcionando normalmente e que os PMs que trabalham à noite já estão assumindo seus postos.
Os policiais reivindicam o cumprimento da lei 7.145 de 1997, com pagamento imediato da GAP V, incorporação da GAP V ao soldo, regulamentação do pagamento de auxílio acidente, periculosidade e insalubridade, cumprimento da lei da anistia e a criação do código de ética, além da criação de uma comissão para discutir um plano de carreira para a categoria.
Os policiais e bombeiros reclamam que mesmo algumas questões já regulamentas pela lei não são cumpridas pelo estado. Durante a assembleia, um dos cartazes levados pelos PM dizia que o governo Wagner foi uma "traição" com a categoria. "Esse foi o governo em que mais morreram PMs", diz. Segundo a Aspra, a Rondesp já não está trabalhando e algumas companhias, como a 14ª CIPM (Lobato), também cruzam os braços. Já em Ilhéus e Feira de Santana os comandantes garantiram que não haverá greve, segundo a TV Bahia.

Forum da Entidades que representam os policiais liberam a tabela oficial do subsidio!

SITE: APCS

PARANÁ

Esta tabela vai ser agora apresentada ao Secretario de Segurança e para o Governador Beto Richa para analise, e na sequencia vai ser enviada para a Assembleia Legislativa para ser aprovada.
Segundo o Diretor-Geral da APCS/PR, Laudenir Dotta, agora depende do Governo a implementação do Subsidio. Os Policiais esperam rapidez total na analise e na aprovação do subsidio.

CONVOCAÇÃO








 OBS: Convocamos para a reunião extraordinária as esposas e familiares dos PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA - Dia (02/02) às 19h no SINDSPREV. 
Rua Joaquim Silva, 98 - Lapa. Centro do Rio de janeiro.

ENTENDA O QUE É SUBSÍDIO

SITE: Bombeiros do Brasil


Subsídio é uma forma de retribuição pecuniária prevista na Constituição Federal. No caso dos militares estaduais é a contraprestação pelo serviço prestado, a remuneração.
Durante as reformas constitucionais no final da década de 90, visando diferenciar carreiras de Estado dos funcionários acidentalmente do Estado, foi dado tratamento diferenciado, através da nova redação ao parágrafo 4º do artigo 39 da Constituição Federal, o subsídio. Esta denominação subsídio já era utilizada para remunerar os cargos públicos eletivos e os chamados de confiança. Assim, Senadores, Deputados Federais, Estaduais e Distrital, Vereadores, Presidente da República, Governadores e Prefeitos tinham suas remunerações denominadas subsídio. Essa denominação remunerativa passou a ser também devida às carreiras de policiais militares (art. 144, § 9º da CF), policiais civis e delegados; as carreiras de Promotores de Justiça (art. 128, § 5º, I, letra “c” da CF), Procuradores do Estado e Advogados (art. 135 da CF), devendo os acima mencionados, juntamente com as autoridades nominadas no parágrafo 4º do art. 39 da CF, receber através de subsídio.
Mesmo as carreiras não denominadas de Estado, se assim desejar o Chefe do Poder Executivo – da União, do Ente Federado, do Distrito Federal ou dos Municípios – podem, também, perceber suas remunerações sob a forma de subsídio, conforme prevê o § 8º do art. 39 da CF.
É oportuno destacar que o artigo 39, CF em seu § 6º, determina que seja publicado anualmente os valores dos subsídios e dos cargos e empregos públicos.
 
I - O QUE COMPÕE O SUBSÍDIO?
De acordo com o que preceitua o § 4º do artigo 39 da CF, o subsídio agrupa todos os títulos remuneratórios percebidos pelo servidor em um único valor. O regramento constitucional determina que o servidor integrante de uma das carreiras mencionadas no item I acima, perceba exclusivamente por subsídio fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória. Isso significa que o policial não mais perceberá a remuneração denominada soldo, com as demais gratificações que formam o vencimento do policial. Tudo isso passaria a ser somado constituindo um só valor, agora denominado subsídio. Não abrange indenizações transitórias de caráter pessoal. (adicional de férias, ajuda de custo, de transporte, diárias e semelhantes)
 
II - COMO DEVERÁ SER IMPLANTADO?
No entendimento da AMAI, manifestado pelos seus advogados em notificações formuladas ao Estado do Paraná e ao Senhor Governador do Estado, a fórmula de composição do subsídio a ser adotada pelo Estado é aquela vigente em 05 de junho de 1998, quando da promulgação da Emenda Constitucional nº 19, que trouxe a alteração para o parágrafo 4º do artigo 39 da Constituição Federal. Respeitando a Lei nº 11.366/96, que estabelecia o escalonamento vertical que forma a remuneração do policial militar. Isso significa dizer que a conformação do subsídio deve ser feita, em respeito ao inciso XV do artigo 37 da CF, que veda redução na remuneração do servidor. Para que tal disposição constitucional não seja violado, impõe-se que se dê início a implantação do subsídio a partir dos componentes de vencimentos do Coronel, com 35 (trinta e cinco) anos de serviço, formando assim o subsídio, que corresponderá ao chamado índice 1.000. Daí, obedecendo o escalonamento fixado pela Lei 11.366/96, se formará o subsídio de toda a carreira, até o soldado 2ª Classe, o qual tem, em face de Lei, o direito a percepção de acordo com o índice 350 (Lei 13809 - 08 de Outubro de 2002)
 
III - QUAL A FORMA DE REAJUSTE?
Sobre o subsídio, implantado com base na legislação vigente em junho de 1998, data da promulgação da emenda Constitucional nº 19, se aplicarão todas as leis que se sucederam, tanto as que concederam aumentos remunerativos como as de revisão salarial, até chegar a presente data. E, assim, sucessivamente.
 
IV - EM QUAIS ESTADOS OS POLICIAIS MILITARES RECEBEM POR SUBSÍDIO, E QUAIS ESTÃO EM ESTUDO?
PMMS – Fez um soldão (excluiu, curso, funções e quejandos) (melhor vencimento de cel, sd mediano)‏
PMTO – Fez dois subsídios 1 para coronel outro para função de confiança – instituiu tempo de contribuição para inatividade a partir da emenda 20
PMMA – Instituído em Abril, medida provisória reajustou e criou verbas indenizatórias , em 2007.
PMGO - Lei enxuta (10 artigos) adequada ao texto constitucional maior vencimento depois do DF.
PMES - Exemplo de mobilização, Implantação em parcelas até 2010 equiparando ao Distrito Federal.
Estudo e Mobilização na Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte – Movimento Polícia Legal e Pró PEC 300.
 
V – QUAIS AS VANTAGENS? Para o Policial Militar:
Incorpora a gratificação por tempo de serviço a todos os policiais, recompondo o vencimento de 1998 como se todos os militares tivessem 30 anos de serviço.
Respeito ao escalonamento vertical de 1998, que garante ao soldado de 1 Classe o segundo melhor vencimento do Brasil, equiparado ao do Distrito Federal. Os militares estaduais que não tem curso superior passarão a receber no subsídio como os que já tem, pois o subsídio é irredutível. É a forma de remuneração dos agentes políticos e das mais importantes carreiras exclusivas de Estado, como Magistratura, Ministério Público, Polícia Federal, entre outros. Desta maneira, entende-se que o subsídio seja vantajoso. Para a Polícia Militar do Paraná: O subsídio vai uniformizar a remuneração dos postos e graduações de carreira da Polícia Militar, valorizando-as, e cessa a “redução salarial dos ativos”. Para o Estado do Paraná: Zera o crescimento vegetativo e acaba com os super salários (gratificação sobre gratificação). Oportuniza reformas administrativas e estimula a carreira, fazendo cessar os desvios funcionais.
 
VI - DIANTE DA IMPLANTAÇÃO DO SUBSÍDIO, COMO FICAM AS AÇÕES DE NATUREZA SALARIAL?
É uma questão de alta indagação. Como ficam as ações judiciais propostas contra o Estado e que versam sobre revisão salarial, sobre tratamento diferenciado, sobre alteração no cálculo do qüinqüênio, enfim, que versem sobre questões salariais. Quer nos parecer, numa análise ainda superficial, que estas questões serão resolvidas com o subsídio, se implantado a partir de 1998, como assegura a Constituição.
Assim ocorrendo, evidente será, quando vier a ocorrer, a perda da finalidade destas ações. Ver-se-á que muito do que se reivindica está atendido pela implantação do subsídio, bem como se tributará a previdência pelo diferencial entre o que se prega e o benefício decorrente.
É importante, de qualquer forma, salientar que sendo o regime do militar estadual de natureza especial, tal não se coaduna com o regime administrativista, também conhecido como estatutário, do conglomerado de servidores e nem tão pouco com as regras daqueles cujo vínculo são regulados pela Consolidação das Leis do Trabalho. A carreira militar tem peculiaridades que as outras carreiras não tem, em face de se constituir força reserva do exército brasileiro (§ 6º do art. 144 da CF).
 
A AMAI é a entidade que luta universalmente pela família miliciana por isso empunha a bandeira do “subsídio como forma de remuneração dos policiais”. Para alcançarmos a vitória, precisamos, além do apoio de nossos 13.000 sócios, o empenho de todas as entidades policiais e de cada um dos milicianos, com o auxilio de seus familiares e amigos. Subsídio mais que um direito, uma obrigação do Estado para a valorização profissional da Polícia.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

SOLDADO WAGNER LUÍS, CABO DACIOLO E O POLICIAL CIVIL FRANCISCO CHAO NO BALANÇO GERAL

GREVE DA SEGURANÇA PÚBLICA É NOTÍCIA EM SITE INTERNACIONAL

SITE:  BEYOUNDBRICS 













TRADUZINDO
Rio polícia para FT: estamos "vivendo em crise"
Pessoas que visitam o Rio de Janeiro para a sua fabulosa Carnaval sempre tiveram para o passo com cuidado para evitar que seus bolsos escolhido, ou pior.

Este ano, evitando problemas será muito mais difícil se os policiais e bombeiros cumprir uma ameaça entrar em greve durante as celebrações. Em uma carta ao FT - solicitado por um beyondbrics relatório na semana passada sobre o colapso de três edifícios - o sindicato da polícia diz que segurança pública no Rio de Janeiro é "viver em crise".

Estima-se que 20 mil policiais, bombeiros e seus simpatizantes realizaram uma manifestação na praia de Copacabana no domingo para protestar contra o que os sindicatos dizem que são os mais baixos salários da polícia e bombeiros no país. Carlos dos Anjos, um policial e líder sindical, escreveu:


Policiais e bombeiros são os que agora a pedir ajuda. Esses funcionários têm que preencher seu tempo livre com trabalhos extra, para proporcionar melhores condições de vida para suas famílias. Eles ganham os piores salários em todo o país, fato ignorado por Sérgio Cabral, atual governador do Rio de Janeiro.

Ele acrescentou que o Rio de Janeiro não tinha condições financeiras para tornar a cidade segura para os visitantes durante os Jogos Olímpicos, para que Rio será sede em 2016 - dois anos depois de ser co-anfitrião para a Copa do Mundo de futebol.



LÍDERES DO MOVIMENTO NO BALANÇO GERAL

MOVIMENTO SOS PMERJ, SOS PCERJ E SOS CBMERJ, HOJE  NO PROGRAMA BALANÇO GERAL

domingo, 29 de janeiro de 2012

É A SEGURANÇA PÚBLICA NO LOCAL!


 
AO LADO DO  CB DACIOLO, SD ELIZIAM E CB SABINO DO MOVIMENTO DOS MILITARES DO CEARÁ




Foi decidido hoje durante a caminhada que o Governador SÉRGIO CABRAL,  tem até o dia 08 de fevereiro para convocar os líderes do movimento  e ouvir as nossas reivindicações. Caso contrário no dia  09 de fevereiro, faremos  uma ASSEMBLÉIA GERAL na Cinelândia às 18:00 horas para decidirmos os passos que iremos dar.
JUNTOS SOMOS FORTES!!!

sábado, 28 de janeiro de 2012

JUNTOS SOMOS FORTES!!!

ATENÇÃO! Convocação para a reunião extraordinária



Convocação para a reunião extraordinária com os líderes e representantes de associações e sindicatos dos profissionais da segurança pública fluminense. Hoje (28/01) às 20h no SINDSPREV. Rua Joaquim Silva, 98 - Lapa. Centro do Rio de Janeiro. 

O MOMENTO É DE UNIÃO TOTAL!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Governo antecipa parcelas, mas não atende policiais civis!

SITE: SINDPOL

ATENÇÃO POLICIAIS CIVIS!
Governo antecipa parcelas, mas não atende policiais civis! ATENÇÃO POLICIAIS CIVIS! A Chefe de Polícia Civil, delegada Martha Rocha, em reunião urgente nesta tarde, acaba de anunciar ao SINDPOL RJ que o Governo do Rio de Janeiro vai antecipar o aumento parcelado de 48 vezes, que foi iniciado em junho de 2010, para o pessoal da Segurança Pública. De acordo com o novo cronograma anunciado, o reajuste que está sendo concedido neste ano de 2012 será antecipado em uma única vez para o mês de fevereiro. O reajuste referente ao ano de 2013 será antecipado para o mês de fevereiro de 2013. E o aumento referente a 2014 seria antecipado para outubro de 2013. O SINDPOL RJ afirma que está em negociação com o Governo e ainda espera uma resposta aos pleitos dos policiais civis. A antecipação das parcelas anunciada hoje estava entre as reivindicações do SINDPOL RJ e consideramos uma vitória este anúncio, porém apenas diminuir o parcelamento de um aumento já dado não atende aos anseios dos policiais civis. 
A convocação dos policiais civis para a grande marcha de Copacabana para o próximo domingo continua! 
A Operação Cumpra-se a Lei continua! 
Ainda esperamos uma resposta sobre o Projeto de Revisão do Quadro Permanente da PCERJ e os outros pleitos dos policiais civis do Rio de Janeiro!

PEGADINHA DO CABRAL!

SITE DO JORNAL EXTRA : COLUNA DOS SERVIDORES

Policiais e bombeiros do Rio terão aumento de 39,4% até 2013 Policiais civis, militares, bombeiros e inspetores de administração penitenciária do Estado do Rio terão um reajuste salarial de 39,4% entre 2012 e 2013. O reajuste é, na verdade, a antecipação dos aumentos que o estado concederia mês a mês para essas categorias. O governador Sérgio Cabral informou, nesta sexta-feira, que um projeto de lei mudando os salários será enviada à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em 1º de fevereiro, quando os deputados retornam ao trabalho. Serão beneficiadas 119.673 pessoas, entre servidores ativos, inativos e pensionistas. 

DIA 29 ESPERAMOS TODOS VOCÊS EM FRENTE AO COPACABANA PALACE ÀS 10 Hs!

SITE DO PRODERJ FORA DO AR

SITE DO GOVERNO: PRODERJ

O SITE ESTÁ FORA DO AR, NÃO PODENDO VERIFICAR OS CONTRA-CHEQUES. É NATURAL ISSO ACONTECER, PORTANTO PEÇO AOS SENHORES QUE NÃO  ACREDITEM NOS BOATOS E COMENTÁRIOS TIPO: " ESTÃO DIZENDO QUE PM BM NÃO VÃO RECEBER EM FEVEREIRO".
 
OBS: A demora nos contra-cheques é que terão que mudar os n° das contas correntes de todos os  funcionários.Isso demora!! RECADO RECEBIDO NO FACEBOOK


TEMOS QUE FOCAR O DIA 29, QUE É O DIA "D"!
ESPERAMOS TODOS VOCÊS EM COPACABANA

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

CONVOCAÇÃO PARA REUNIÃO


REUNIÃO FOCANDO OS ATUAIS ACONTECIMENTOS NA PMERJ
CONVOCAMOS TODOS OS POLICIAIS DAS UPPs, PARA REUNIÃO NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA DIA 27, ÀS 19:00 HORAS NO SINDSPREV.

RUA JOAQUIM SILVA Nº 98 - LAPA

COMO CHEGAR NO SINDSPREV: CLIQUE AQUI PARA VER O  MAPA



DIA 29 DE JANEIRO VAI FICAR NA HISTÓRIA!!!

SITE: JORNAL DO BRASIL 
  
PM do Rio coloca batalhões em prontidão na véspera da greve
A Polícia Militar do Rio de Janeiro anunciou regime de prontidão em seus batalhões dia 9 de fevereiro, na véspera do começo da Operação Verão. A decisão foi repudiada pelos policiais militares, que vêem na atitude uma tentativa de desarticular a greve, programada para começar no dia 10.

Obrigação
De acordo com a lei, nenhum militar do estado pode se recusar a cumprir uma determinação superior e a negativa dos policiais em acatar à mudança pode colocá-los em prisão administrativa.  

Déjà vu
A manobra é a mesma que a Secretaria de Segurança usou no ano passado para impedir que policias militares participassem de uma passeata em homenagem aos bombeiros grevistas, em junho do ano passado. Naquela ocasião, o regime de prontidão, no entanto, foi cancelado na última hora.

ASSEMBLÉIA DOS POLICIAIS CIVIS NO CENTRO DO RIO

Assembléia dos policiais civis realizada ontem foi muito proveitosa, com a presença do Cabo BM Daciolo e o Soldado PM Wagner Luís


PARECER DA COMISSÃO DO SOS BOMBEIROS SOBRE A ASSEMBLÉIA


A PCERJ ESTÁ CONOSCO!! 

Uma comissão do SOS BOMBEIROS esteve presente na Assembléia dos policiais civis e visualizou a UNIÃO da tiragem na busca pela DIGNIDADE! A POLÍCIA CIVIL está conosco!! O momento inusitado foi o descontrole de alguns representantes de associações de policiais e bombeiros militares, que estavam mais interessados em política e autopromoção do que tratar do Movimento conjunto do dia 29/01/2012 e a possível greve do dia 10/02/2012. O desequilíbrio, no entanto, não ofuscou o sucesso da reunião, pois boa parte dos presentes sabiam que o discurso dos guerreiros, não tem o respeito nem o reconhecimento dos militares, guarda vidas ou não!! Vale ressaltar, que a divulgação do dia 29/01/2012 depende de cada um de nós!! Portanto, vamos continuar a conscientizar os policiais civis, militares e bombeiros e seus respectivos familiares da importância da presença no ato. Imprimam os panfletos, abordem e conscientizem os policiais e bombeiros, divulguem maciçamente através das redes sociais e utilizem, se possível, carros de som nos bairros, pois a nossa vitória depende do nosso comprometimento!

JUNTOS SOMOS IMBATÍVEIS!!

"Cabral é autoritário e não vai negociar com policiais militares", diz deputado


Um dos principais nomes da oposição da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, o deputado estadual Paulo Ramos (PDT) prevê pouca tolerância do governador Sérgio Cabral (PMDB) com o movimento grevista que une policiais militares, civis e os bombeiros do estado.

Deputado PM
Major reformado da Polícia Militar, o parlamentar tem acompanhado a movimentação dos grevistas, mas prefere fazê-lo a distância. Ele teme que a contaminação política do debate possa prejudicar os PMs.

Replay
"O que estamos vendo é uma mobilização da categoria, e não política. Eles têm todo o meu apoio como ex-policial militar. O que nós sabemos é que o governador é um autoritário e não vai querer negociar nada. Ele vai repetir o que fez com os bombeiros no ano passado", prevê Paulo Ramos.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Greve dos policiais militares: Rio pode ficar sem UPPs em fevereiro

SITE: JORNAL DO BRASIL
Agentes denunciam atraso no pagamento de gratificações para policiais lotados em UPPs O movimento grevista dos policiais militares chegou com força às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Rio de Janeiro. Segundo os agentes, a ordem é cruzar os braços nas 19 comunidades beneficiadas pela pacificação, caso o governo do estado não atenda as reivindicações dos policiais militares. Gratificações atrasadas Apesar de a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-RJ) ter anunciado que as gratificações especiais dos policiais lotados em UPPs seriam pagas até o dia 10 de janeiro, os agentes ainda não viram a cor do dinheiro. A Secretaria de Segurança atribui o atraso a um processo de digitação pendente na Polícia Militar, o que não diminui a revolta dos agentes.

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO

Realidade de nosso dia a dia.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Policiais civis, militares e bombeiros ameaçam entrar em greve antes do Carnaval

SITE: R7

Assembleia acontece na tarde de terça-feira no centro do Rio
Policiais civis, militares e bombeiros irão se reunir nesta terça-feira (24) em uma assembleia para discutir se irão iniciar uma greve para reivindicar melhores salários. As três categorias pretendem negociar com o governo estadual até o dia 10 de fevereiro, e caso não forem atendidos, ameaçam iniciar a greve antes do Carnaval.

Além do reajuste salarial, os policiais civis e militares, juntamente com o Corpo de Bombeiros, reivindicam a redução das parcelas do reajuste de agosto de 2010, prevista em 48 vezes, para 24 vezes.

A assembleia acontece a partir das 16h na sede cultural da Coligação dos Policiais Civis, no centro da cidade.

Também durante a assembleia, as três categorias irão definir os detalhes para uma caminhada prevista para acontecer no próximo domingo (29) na orla da praia de Copacabana, na zona sul do Rio.

AGENDA DA MOBLIZAÇÃO

23/01/2012- Reunião dos oficiais, às 18h, no clube de subtenentes e sargentos. .End: Travessa Carlos Xavier, 103 - Madureira. Obs: A REUNIÃO É PARA OFICIAIS!!

23/01/12 - Reunião de Bombeiros e policiais, em Itaperuna, às 20:30, na Capil - Cooperativa Agropecuária de Itaperuna Ltda - Av Presidente Dutra,1099, Cidade Nova, próximo ao Parque de Exposições Carlito Crespo Martins.

24/01/2012 - Reunião dos policiais civis, às 16h, rua sete de setembro, 141- 2º andar - Centro/ RJ

26/01/2012 - Assembléia Geral de policiais militares, civis e bombeiros - Praia do Anil - Angra dos Reis, às 19h.

29/01/2012 - 1º ENCONTRO DE POLICIAIS E BOMBEIROS DO RJ- A SEGURANÇA PÚBLICA PEDE SOCORRO!! .Local: em frente ao COPACABANA PALACE, às 10h.

FORÇA e HONRA, amigos!


SITE : GRUPO PCERJ
Como POLICIAIS CIVIS, que igualmente deixamos o SANGUE e o SUOR nas ruas do Rio de Janeiro, hipotecamos nosso total apoio aos colegas POLICIAIS MILITARES e BOMBEIROS pela CORAGEM e DISPOSIÇÃO de lutar por uma vida mais digna para os seus familiares.
E deixe Alice ficar no seu País das Maravilhas, pensando que NADA VAI ACONTECER em sua cidade maravilhosa, como se fôssemos todos “soldadinhos” da Rainha de Copas que não pensam ou necessitam de melhores condições de trabalho.
Depois, quando o Chapeleiro Louco estiver definitivamente solto, não nos venham dizer que os JUSTOS MOVIMENTOS pela dignidade das categorias POLICIAIS são “oportunistas”, como Alice se referiu a uma paralização de 48 horas feitas pelos Policiais Civis à época do PANAMERICANO.
OPORTUNISTAS são os governantes que estão APROVEITANDO as demandas da SEGURANÇA PÚBLICA, das TRAGÉDIAS, dos GRANDES EVENTOS para encher os bolsos de dinheiro às custas de nossas vidas.
FORÇA e HONRA, amigos!
Porque isso eles nunca vão conseguir nos tirar.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Convocação dos policiais civis na grande marcha de Copacabana



O SINDPOL RJ - Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro convoca a categoria policial civil e seus familiares para comparecer ao evento a ser realizado no domingo, 29 de janeiro de 2012, em frente ao Hotel Copacabana Palace, às 10h00min, que marcará o início do movimento "Enfim Juntos", tendo por objetivo o resgate da dignidade profissional dos policiais civis, policiais militares e bombeiros militares do Estado do Rio de Janeiro.

Nessa ocasião, faremos uma caminhada pela Praia de Copacabana, a fim de alertar a população para a triste e lamentável situação em que se encontram os integrantes das forças de segurança do Estado do Rio de Janeiro.

Policiais Militares e Bombeiros Militares estão mobilizados, contam conosco, e não podemos ficar de fora desse histórico evento.

É nosso dever moral participar desse evento e mostrar que, assim como temos coragem para enfrentar o crime organizado mais violento do Brasil, também temos coragem para reivindicar nossos direitos e resgatar nossa dignidade, obtendo o justo reconhecimento que nos é, há anos, devido.

Quem não é visto, não é lembrado.


Não se deve pedir aquilo que não temos coragem para conquistar.


Policiais Civis, contamos com vocês! Compareça com a camisa do "Cumpra-se a Lei"! 


Participe desse momento histórico na busca por nossa dignidade!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Agenda do Movimento



1- Formar a comissão de negociação, com integrantes da PCERJ, PMERJ e CBMERJ ao Governo.

2- Formar o Conselho do Movimento dos POLICIAIS e BOMBEIROS, fazendo partes deste, " OFICIAIS e PRAÇAS " ativos, inativos, reformados e  pensionistas.

3- Efetuar o Habeas Corpus preventivo aos POLICIAIS e BOMBEIROS.

4- Confeccionar folhetos informativos, e faixas com temas do MOVIMENTO dos  POLICIAIS e BOMBEIROS.

5- Comunicar os atos e movimentos a imprensa em geral.

6- Encaminhar ofícios de comunicação da reunião e caminhada do HOTEL COPACABANA PALACE  até  o POSTO 6, no dia 29/01/2012 às 10h, aos seguintes órgãos:
POLÍCIA CIVIL, CORPO DE BOMBEIROS, BATALHÃO DE POLÍCIA DA ÁREA e CET-RIO.

7- Dia 29/01/2012 – Concentração em frente ao COPACABANA PALACE às 10h. Policiais Militares, Civis e bombeiros  em trajes civis e desarmados.

8- Dia 03/02/2012 – Ato da UEMRJ ( União das Esposas dos Militares do Rio de Janeiro) no PALÁCIO GUANABARA. Concentração  às 09:30h no Largo do Machado, para caminhada até a SEDE DO GOVERNO.

9-  Dia 06/02/2012 (doação de sangue )  foi decidida pela comissão provisória que  nesta data será o dia do SANGUE AZUL e dia do SANGUE VERMELHO respectivamente, pelos POLICIAIS MILITARES e BOMBEIROS MILITARES.


OBS:  AGENDA PROVISÓRIA

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CONVOCAÇÃO GERAL - BOMBEIROS, POLICIAIS MILITARES E POLICIAIS CIVIS - SBT TV - ENTREVISTA - ZONA OESTE

Blog do Cel Paul
Atenção, Bombeiros, Policiais Militares e Policiais Civis, o SBT TV realizará amanhã uma matéria sobre a nossa mobilização. Além de ser uma ótima oportunidade de divulgação, não podemos esquecer que o SBT foi a única emissora que noticiou a armadilha montada pelo governo Sérgio Cabral contra os Bombeiros, no dia 03 JUN 2011 (invasão do QG).
A matéria será no Calçadão de Bangu, em frente à estação de trem, às 07:30hs.
Vamos mostrar a nossa força, PMs, BMs e PCs que residem na Zona Oeste.
Vistam suas camisas, levem suas faixas e cartazes, não esqueçam das buzinas.
Vamos fazer uma grande festa no Calçadão de Bangu.
Juntos Somos Fortes!

POLICIAIS CIVIS E MILITARES APROVAM GREVE

JORNAL EXTRA
Em assembleia na noite de ontem, cerca de 700 policiais civis, militares e bombeiros aprovaram um indicativo de greve por tempo indeterminado, nas três corporações a partir do dia 10 de fevereiro. A condição para que os servidores não cruzem os braços é que o governo do estado chame as categorias para negociar melhorias salariais.
Na próxima terça-feira, dia 24, representantes das três corporações deverão voltar a se reunir para elaborar uma pauta de reivindicações. Uma das ideias é pedir um aumento salarial único para todos os servidores do setor.
A assembleia foi movimentada, mas transcorreu em clima de tranquilidade. Segundo pessoas que acompanharam o evento, os PMs de uma patrulha que fazia o policiamento no local acabou aderindo ao movimento.
A dificuldade de dialogar com o governo do estado é uma das principais reclamações de bombeiros e policiais há bastante tempo. Diversos aumentos salariais dados nos últimos anos aos servidores das três corporações focam concedidos sem uma negociação prévia entre governo e servidores.

PMs, policiais civis, e bombeiros podem entrar em greve no dia 10


SITE: DIÁRIO DO VALE
Policiais militares e civis e bombeiros decidiram por volta das 21 hs de hoje que tentarão negociar novamente com o governador do estado do Rio de Janeiro. Segundo eles, caso suas reivindicações não sejam atendidas, as três instituições entrarão em greve no dia 10 de fevereiro. A assembleia que reuniu dois mil policiais e bombeiros, no bairro da Lapa, no Rio. Representantes das três categorias do Sul Fluminense participaram do encontro. Três ônibus foram fretados para transportar os 120 militares de Barra Mansa, Barra do Piraí, Piraí, Itatiaia, Resende e Volta Redonda. O grupo esperava que o comandante geral da corporação, coronel Costa e Filho, comparecesse à assembleia informando que o governador Sérgio Cabral (PMDB) tinha aceitado as suas reivindicações, evitando assim uma greve às vésperas do Carnaval. Mas, isso não ocorreu. Os PMs e bombeiros reivindicam uma base salarial de R$ 3 mil, jornada de trabalho de 40 horas semanais e auxílio transporte. Entre as reivindicações, estão ainda o fim das prisões administrativas e a proteção dos policiais grevistas para "evitar atitudes truculentas do governo contra o movimento". Em junho do ano passado, bombeiros militares do Rio de Janeiro foram presos após invasão do quartel-general da corporação. Eles chegaram a entrar em confronto com o Batalhão de Choque e o Bope.

Bombeiros e policiais ameaçam greve no Rio por melhores salários

   
As três categorias da segurança pública do Rio, bombeiros, policiais civis e militares prometem entrar em greve no mês de fevereiro. A principal reivindicação é por aumento de salário.

HOJE NO SINDSPREV

Mais de mil compareceram ao evento no SINDSPREV


CAMINHADA ATÉ O QG DA POLÍCIA MILITAR




 


FICOU DECIDIDO QUE: OS POLICIAIS MILITARES, CIVIS E BOMBEIROS FARÃO UM GRANDE ATO EM FRENTE AO COPACABANA PALACE, NO DIA 29/01, ÀS 10h.

JUNTOS SOMOS FORTES!!!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

ESTAMOS AGUARDANDO TODOS VOCÊS!

Hoje dia 18 - quarta -feira às 19 horas. SINDSPREV – Rua Joaquim Silva 98 - Lapa

Centro Como chegar no SINDSPREV:
CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Estatística de Policiais Mortos e Baleados

SITE: ROBERTA TRINDADE

O ano de 2011 terminou com 128 policiais baleados no Estado do Rio de Janeiro. Destes, 43 estavam de serviço, 10 eram policiais militares reformados e 1 da reserva. No total são 108 PMs, 18 policiais civis, 1 policial federal e 1 agente da PRF baleados, sendo que 59 morreram.

O ano de 2010 terminou com 182 policiais baleados no Estado do Rio de Janeiro. A estatística fechou com 83 PMs mortos, 11 PCs mortos, 1 PF morto, 76 PMs baleados, 9 PCs baleados, 1 PF baleado e 1 PRF baleado. Dos 182 policiais, 75 estavam de serviço. Doze eram PMs reformados e um era policial civil aposentado.

Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2011: clique AQUI 

Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2010: clique AQUI

 

PM e Bombeiros do Rio se reúnem nesta quarta e podem fazer greve no Carnaval

Policiais militares e Bombeiros do Rio de Janeiro planejam paralisar as atividades no próximo dia 10 de fevereiro, às vésperas do Carnaval, um dos principais eventos no calendário do Estado. Na noite desta quarta-feira (18), as categorias se reúnem em assembleia para definir reivindicações e estratégias. Elas pleiteiam, entre outros, reajuste salarial, vale transporte e carga horária fixa de 40 horas.
A greve deve ser deflagrada caso as negociações com o governo estadual fracassem. A proposta de cruzar os braços começou a ganhar força após a paralisação de PMs e bombeiros do Ceará, iniciada em dezembro do ano passado. No início deste mês, os grupos retornaram ao trabalho após ter parte das reivindicações atendidas.
Donos do pior salário-base do País, os policiais militares do Rio pleiteiam aumento dos vencimentos iniciais de R$ 1.031 para R$ 3 mil, sob alegação da periculosidade de suas atividades. Nas redes sociais e em blogs, o descontentamento dos militares já começou a se espalhar. Em um dos "folders virtuais" que circulam pela rede, as categorias são encorajadas a divulgar o movimento.
"A paralisação na véspera do maior evento mundial, o Carnaval. É muito importante os turistas tomarem conhecimento. Envie para parentes no exterior para divulgarem lá", pede o aviso.
Fim das prisões
Entre as reivindicações, estão ainda o fim das prisões administrativas e a proteção dos policiais grevistas para "evitar atitudes truculentas do governo contra o movimento". Em junho do ano passado, bombeiros militares do Rio de Janeiro foram presos após invasão do quartel-general da corporação. Eles chegaram a entrar em confronto com o Batalhão de Choque e o Bope.


BLOG VIDA RENOVADA EM CRISTO APOIA A MOBILIZAÇÃO DOS POLICIAIS MILITARES

Desta vez é mesmo sério. Haverá greve de policiais no Rio, com apoio de Bombeiros e Policiais Civis.
Pm´s do Rio estão lutando por seus direitos.
Com estes salários e condições de trabalho não é possível sobreviver.
O Governo do Estado do Rio paga o pior salário de todos os estados do Brasil.
Nós apoiamos a iniciativa de greve, já que parece que só assim a situação poderá se reverter.
É uma pena saber que se concretizada a greve, o transtorno se instalará pelo Estado.
Já não nos sentimos seguros, então, o que será de nós caso seja necessário chegar a este ponto?
Mas, entendemos que as reivindicações são justas.
Por isso, estamos divulgando aqui no blog.
Haverá uma reunião no dia 18 deJjaneiro (próxima quarta-feira) no  SINDPREV próximo aos arcos da Lapa, às 19:00h.
Esperamos que esta crise seja amigavelmente resolvida.
Maiores informações acesse aqui.

Bombeiros protestam na porta de quartel na Penha

 SITE: R7 NOTÍCIAS
Um grupo de bombeiros fez um pequeno protesto em frente ao quartel da corporação na Penha, zona norte do Rio de Janeiro, no fim da manhã desta quarta-feira (18).
O ato foi em solidariedade ao capitão Bandeira, que, segundo o coronel Paul, encontra-se detido no local desde segunda-feira (16) por participar de costantes manifestações da categoria.
De acordo com os integrantes do protesto, o capitão Bandeira será liberado na manhã da próxima quinta-feira (19).
O grupo colocou uma faixa em frente ao quartel e percorreu as ruas do bairro com um carro de som. Eles anunciaram uma assembleia de policiais militares e bombeiros que acontecerá às 19h desta quarta, no Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social, na Lapa, região central. O objetivo é definir os rumos do movimento, cujo objetivo é reajuste salarial.
No ano passado, bombeiros do Rio de Janeiro ficaram em greve por mais de um mês. Na época, eles reclamavam de ter o menor salário do país. Mais de 300 foram presos por invadir o quartel central, no centro.

ONIBUS PARA REUNIÃO DE HOJE



28° BATALHÃO PM - 2 ÔNIBUS
10° BATALHÃO PM - 1 ÔNIBUS
33° BATALHÃO PM - 1 ÔNIBUS
34º BATALHÃO PM - 1 ÔNIBUS
37° BATALHÃO PM - 1 ÔNIBUS

"TIRANDO OS PM QUE VÃO DE MEIOS PRÓPIOS DOS BATALHÕES DO INTERIOR. "

Os ônibus sairão de locais próximos aos Batalhões.

Se vc reside na área de algum desses BTL's , entrem em contato com os representantes.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Ativos, inativos, pensionistas e familiares todos serão bem-vindos.


 Dia 18 de janeiro (quarta-feira) a partir das 19:00 horas, faremos uma reunião no auditório do SINDSPREV, para deliberações sobre a mobilização dos POLICIAIS MILITARES e BOMBEIROS MILITARES e familiares!
Ativos e inativos sua presença é muito importante!
SINDSPREV – Rua Joaquim Silva 98/A – Centro
Como chegar no SINDSPREV: mapa



Obs: POLICIAIS E BOMBEIROS - Todos devem estar desarmados e em trajes civis!!!

POLICIAL É HERÓI


JUIZ FEDERAL DIZ QUE A GREVE SÓ É PROIBIDA PARA AS FORÇAS ARMADAS


O fim da greve de policiais civis em São Paulo trouxe à tona a discussão sobre o direito de greve de servidores públicos em geral e, em particular, de policiais. O debate é oportuno. Alguns alegam que a greve de policiais militares dos estados conspira contra disposição constitucional que versa sobre a hierarquia e a disciplina.
No entanto, quando se irrompe o movimento grevista, não há que falar em quebra da hierarquia, que se refere à estrutura organizacional graduada da corporação e que se mantém preservada mesmo nesse instante.
A inobservância de ordens provenientes dos que detêm patentes superiores, com a paralisação, caracteriza ato de indisciplina? Recorde-se que a determinação proveniente de superior hierárquico, para ser válida, deve ser legal. Jamais, com base na hierarquia e na obediência, por exemplo, há que exigir de um soldado que mate alguém apenas por ser esse o desejo caprichoso de seu superior.
Logo, se existem condições que afrontem a dignidade da pessoa humana no exercício da atividade policial, o ato de se colocar contra tal estado de coisas jamais poderia ser tido como de indisciplina. A busca por melhores salários e condições de trabalho não implica ato de insubordinação, mas de recomposição da dignidade que deve haver no exercício de qualquer atividade remunerada. Portanto, se situa dentro dos parâmetros constitucionais.
Quanto às polícias civis e federais, não há sequer norma semelhante à anterior, até mesmo porque possuem organização diversa. No entanto, para afastar alegações de inconstitucionalidade da greve de policiais, o mais importante é que não se deve confundir polícia com Forças Armadas.
Conforme previsão constitucional, a primeira tem como dever a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. Já as segundas, constituídas por Exército, Marinha e Aeronáutica, destinam-se à defesa da pátria e à garantia dos Poderes, da lei e da ordem.
Às Forças Armadas, e somente a elas, é vedada expressamente a greve (artigo 142, parágrafo 3º, inciso IV, da Constituição). Ressalte-se que em nenhum instante foi feita igual referência à polícia, como se percebe dos artigos 42 e 144 do texto constitucional. A razão é simples: somente às Forças Armadas não seria dado realizar a greve, um direito fundamental social, uma vez que se encontram na defesa da soberania nacional. É de entender a limitação em um texto que lida diretamente com a soberania, como a Constituição Federal.
 O uso de armas, por si só, não transforma em semelhantes hipóteses que são distintas quanto aos seus fins. As situações não são análogas. A particularidade de ser um serviço público em que os servidores estão armados sugere que a utilização de armas no movimento implica o abuso do direito de greve, com a imposição de sanções hoje já existentes.
Não existe diferença quanto à essencialidade em serviços públicos como saúde, educação ou segurança pública. Não se justifica o tratamento distinto a seus prestadores. Apenas há que submeter o direito de greve do policial ao saudável ato de ponderação, buscando seus limites ante outros valores constitucionais.
 Não é de admitir interpretação constitucional que crie proibição a direito fundamental não concebida por legislador constituinte. Há apenas que possibilitar o uso, para os policiais, das regras aplicáveis aos servidores públicos civis.
No mais, deve-se buscar a imediata ratificação da convenção 151 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que versa sobre as relações de trabalho no setor público e que abre possibilidade à negociação coletiva, permitindo sua extensão à polícia.
Uma polícia bem equipada, com policiais devidamente remunerados e trabalhando em condições dignas não deve ser vista como exigência egoísta de grevistas. Trata-se da busca da eficiência na atuação administrativa (artigo 37 da Constituição) e da satisfação do interesse público no serviço prestado com qualidade.  

* Marcus Orione Gonçalves Correia doutor e livre-docente pela USP, professor associado do Departamento de Direito do Trabalho e da Seguridade Social e da área de concentração em direitos humanos da pós-graduação da Faculdade de Direito da USP, é juiz federal em São Paulo (SP)
 SITE: SINPOLNOTÍCIAS

Assembleia Geral dos Policiais Civis

Hoje, dia 17 de janeiro de 2012, às 19h00min, no Rio`s Presidente Hotel, situado na Rua Pedro I, nº 19, Praça Tiradentes, Centro, Rio de Janeiro. Há estacionamento na Rua Pedro I com preço promocional para os participantes da assembléia! Será apreciado o andamento das negociações salariais com o Governo do Estado, com novidades! E será decidido sobre o movimento reivindicatório! As novidades, junto com as decisões tomadas, serão apenas divulgadas depois da assembleia!
SITE: http://www.sindpolrj.com/

REUNIÃO DE ONTEM NO CLUBE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DO CBMERJ

REUNIÃO DE ONTEM NO CLUBE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DO CBMERJ EM MADUREIRA

Compareceram na reunião de ontem oficiais, praças da PMERJ e CBMERJ, ativos e inativos e familiares. A reunião foi proveitosa e com propostas mais concretas e algumas idéias, o grupo estará presente à reunião de amanhã no SINDSPREV.  

ESPOSAS E FAMILIARES DE PMS E BMS FARÃO UM ATO DIA 03/02

Ato das Esposas dos Militares do Rio de Janeiro
Data: 03 FEV 2012.
Local: Em frente ao Palácio Guanabara.
Horário: será divulgado em breve
Obs: a concentração será no Largo do Machado

CONTATO: Adriana tels: 021-9901-5692 /021-8041-8189 /021-7372-1804

Dilma corta à metade verbas da Segurança


A tesourada foi de R$ 1,036 bilhão, impactando as ações Brasil afora

BRASÍLIA - O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) sofreu, no primeiro ano do governo Dilma Rousseff, o maior corte de recursos desde a sua criação, no fim de 2007. Dos R$ 2,094 bilhões autorizados para 2011 só a metade foi paga nos diversos projetos previstos pelo Ministério da Justiça, contrariando o discurso de campanha de ampliar a colaboração com estados e municípios nessa área. A tesourada foi de R$ 1,036 bilhão, impactando as ações Brasil afora.


Nos últimos quatro anos, a execução orçamentária média do programa foi de 63%. Com os cortes do ano passado, o valor deixado no cofre alcança R$ 2,3 bilhões. Ações alardeadas nos palanques eleitorais em 2010 não mereceram nenhum centavo no ano de estreia de Dilma, a exemplo da construção de postos de polícia comunitária com R$ 350 milhões previstos. Para a modernização de estabelecimentos penais, foram prometidos outros R$ 20 milhões, mas nada foi pago. Os dados são do Sistema Integrado de Administração Financeira do governo federal (Siafi).

Quase 40% do valor desembolsado no ano passado (R$ 1,058 bilhão) foram de restos a pagar, ou seja, compromissos firmados em exercícios anteriores.
O ajuste fiscal do governo Dilma também atingiu uma das principais políticas do Pronasci, a Bolsa Formação, que paga auxílio a policiais e outros profissionais de Segurança matriculados em cursos de qualificação. O governo nunca gastou menos que 86% do autorizado para esse fim. Em 2011, só 49% da verba prometida foram pagos. Mesmo assim, a Bolsa Formação ainda responde por mais da metade do valor aplicado no Pronasci (R$ 572 milhões).

Discursos diferentes para a mesma área
Para o professor Gláucio Soares, do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio da Janeiro (Uerj), os dados evidenciam a falta de comprometimento federal com a Segurança Pública.
A prioridade expressa nos gastos não corresponde à expressa no discurso e nas pesquisas de opinião, que apontam a Segurança Pública como área fundamental afirma o professor.
Ele acrescenta que tem sido mais fácil cortar verbas da Segurança Pública do que, por exemplo, das áreas militares.
Procurado, o Ministério da Justiça informou, em nota, que, considerando o ajuste fiscal anunciado no início de 2011, o limite orçamentário do Pronasci era, na prática, de R$ 775 milhões, sendo que, desse total, R$ 771 milhões foram executados.

Governo promete aprimorar projeto
O ministério explicou que a Política Nacional de Segurança Pública, que inclui o Pronasci, está em fase de aprimoramento da gestão. Um dos objetivos seria a criação de mais mecanismos para avaliá-la que não só a execução orçamentária. Um anteprojeto de lei enviado ao Congresso prevê a criação do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp).
"O sistema vai suprir a ausência de um mecanismo oficial de estatística capaz de compilar e fornecer dados e informações precisos sobre a situação da Segurança Pública no país. Os estados irão assinar pactuação com a União e, se não fornecerem dados, terão suspensos os repasses de verbas federais", diz trecho da nota do Ministério da Justiça.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

HOJE - REUNIÃO.

Hoje realizaremos uma reunião que reputo muito importante para a consolidação da mobilização dos Bombeiros e dos Policiais Militares do Rio de Janeiro, na qual buscaremos iniciar a construção de um movimento que não sofra solução de continuidade, o que só se consegue com uma mobilização devidamente estruturada. Não será um novo movimento, mas a comunhão de todos os nossos esforços iniciados em 2007. Uma luta sem líderes e nem liderados. Uma mobilização que fortaleça a PMERJ e o CBMERJ, construindo pontes entre todos os segmentos das corporações, Oficiais e Praças, inativos e ativos, pensionistas e familiares. Um movimento na direção de começarmos a derrubar todos os muros que historicamente tem nos separado e nos enfraquecido.
Divulguem, usando todos os meios disponíveis (blogs, sites, redes sociais, emails, telefone) e, o mais importante, compareçam.
Tragam as suas ideias para fortalecermos a nossa mobilização.

Ativos e inativos, Oficiais e Praças, pensionistas e familiares, todos e todas serão bem-vindos.
Todos devem estar desarmados, em trajes civis e os do serviço ativo deverão estar de folga.
Data: 16 JAN 2012 (2ª feira).
Horário: 19:00 horas.
Local: Clube dos Subtenentes e Sargentos do CBMERJ (Rua Carlos Xavier, 96 - Madureira – RJ).


OBS: A reunião  DE HOJE será uma preparação para a reunião do dia 18 JAN 2012, às 19:00 horas, no SINDSPREV.  

Juntos Somos Fortes!

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

domingo, 15 de janeiro de 2012

DIGNIDADE todos devemos buscar e participar deste processo.

Os Cmts da PMERJ e do CBMERJ, e principalmente o Cabral, usam o argumento que o MOVIMENTO POR MELHORES SALÁRIOS é político, e que tem alguns se aproveitando disso. Então sugiro que para eles não usarem esses argumentos e que as negociações avancem,  que " A COMISSÃO de NEGOCIAÇÃO " não faça parte nenhum POLICIAL ou BOMBEIRO que tenha concorrido a cargo POLÍTICO, ou que venha a se candidatar na próxima eleição! Com isso conseguiremos abrir um canal de " DIÁLOGO" e desta forma não afastaremos ninguém da nossa luta, OFICIAIS e PRAÇAS. Os líderes já estão identificados NATURALMENTE no processo, e nós sabemos quem os são, e toda a PMERJ e o CBMRJ também os identificarão, mas nada impede que eles deixem suas sugestões, e que e essas sejam colocada em ASSEMBLÉIA para votação companheiros. Com isso eles estarão dando prova de humildade e de que não querem tirar proveitos, e sim lutar e buscar a DIGNIDADE para todos nós POLICIAIS e BOMBEIROS.
 E quando chegar a campanha POLÍTICA, que venham os CANDIDATOS, e que sejam escolhido os que tiverem realmente competência para o cargo.
Ser um líder não significa necessariamente que será um bom político, portanto vamos dar um passo de cada vez, assim como aprendemos a subir uma escada, galgando degrau por degrau companheiros.

 1º Sgt.BM Valdelei Duarte, cidadão brasileiro e BOMBEIRO com muito orgulho.

  JUNTOS SOMOS FORTES E IMBATÍVEIS.

REIVINDICAÇÃO - Policiais militares se reúnem por melhores condições de trabalho

 
REPORTAGEM: DIÁRIO DO VALE
Volta Redonda

Policiais militares se reuniram na manhã de hoje (15) em uma comissão de negociação, que está percorrendo cidades e regiões do Estado, para reivindicar por melhores condições de trabalho. O encontro aconteceu na subsede do Sindicato dos Metalúrgicos, no Retiro, em Volta Redonda, e ainda teve a presença de representantes dos bombeiros e da Polícia Civil.
A reunião teve como objetivo, debater o futuro da instituição, visando uma possível greve no dia 10 de fevereiro. O movimento busca definir uma base salarial de R$ 3 mil, 40 horas de trabalho semanal e auxílio transporte.
Cerca de 300 policiais militares de cidades do Sul Fluminense estiveram presentes, além do  Cabo Daciolo, líder da greve dos bombeiros, e Sérgio Mendes, da Polícia Civil, que apoiam o movimento.



REPORTAGEM: FOCO REGIONAL
Volta Redonda
Policiais militares, bombeiros e representantes da Polícia Civil estiveram reunidos na manhã deste domingo, na subsede do Sindicato dos Metalúrgicos, no Retiro, em Volta Redonda, para avaliar e discutir a pauta de reivindicações entregue pela comissão ao comandante Geral da Polícia Militar do Rio, coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, na última quinta-feira. O coronel ficou de encaminhar pessoalmente a pauta ao governador Sérgio Cabral. O movimento teve  a adesão da Polícia Civil e apoio dos bombeiros.
O soldado Reis, que faz parte da comissão, comparou os salários dos policiais do Ceará,  que chegaram a fazer greve, com os salários pagos no Rio. Antes do reajuste, os policiais cearenses ganhavam R$ 1,5 mil, e atualmente recebem R$ 2,6 mil. No Rio, o piso é de R$ 1.031,38. Eles querem R$ 3 mil, sob alegação de que é um risco maior trabalhar no Rio. Segundo Reis, os salários estão defasados desde a saída do então governador Leonel Brizola.
Além dos salários, os policiais reivindicam também a alteração na carga horária para 40 horas semanais. Atualmente a escala é de 24/48 (24 horas trabalhadas e 48 de folga). Eles querem 12/48 (12 horas trabalhadas e 48 de folga), ou 24/72 (24 trabalhadas e 72 horas de folga).
Na pauta eles pedem ainda o fim da prisão administrativa, vale transporte (a gratuidade fica a critério da empresa), vale refeição, mudança do RDPM (Regulamento Disciplinar da Polícia Militar) para Código de Ética, e equipamento de segurança, incluindo coletes à prova de balas, já que muitos estão com data de validade vencida.
De acordo com a comissão, o movimento está ganhando força e vai continuar em várias cidades do estado. "Estamos dispostos a ir até o fim. Não existe interesse político. Atendidas as reivindicações o movimento terá fim. Tenho certeza que toda a corporação vai unir ao nosso movimento", disse Reis.