segunda-feira, 30 de abril de 2012

Ministério da Justiça recomenda o fim das prisões disciplinares nas PM’s


  clique na imagem para ampliar 
 
RECOMENDAÇÃO 012 , DE 20 DE ABRIL DE 2012.

A Plenária do Conselho Nacional de Segurança Pública – CONASP/MJ, em sua décima sexta reunião Ordinária, realizada nos dias 19 e 20 de abril de 2012, no uso de suas competências regimentais e atribuições instituídas, e

Considerando que a Disciplina e Hierarquia são os pilares basilares das instituições militares estaduais, e que estas serão mantidas e preservadas;

Considerando a necessidade de adequação dos regulamentos disciplinares das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares Estaduais aos preceitos da Constituição Cidadã de 1988, bem como em suas emendas constitucionais; 

Considerando o resultado dos princípios, mais notadamente os 3 e 10, e nas diretrizes 21, da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública, que identificam a necessidade de adequação Constitucional dos regulamentos disciplinares das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares dos Estados;

Considerando o Art. 1º da Portaria Interministerial nº 2, de 15 de dezembro de 2010, que estabeleceram as Diretrizes Nacionais de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos dos Profissionais de Segurança Pública,

Considerando o Art. 2º da Portaria Interministerial nº 2, de 15 dezembro de 1010, estabelece que a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e o Ministério da Justiça deverão estabelecer mecanismo para estimular e monitorar iniciativas que visem à implementação de das diretrizes da PI nº 2 de 15 de dezembro de 2010;

Considerando a Diretriz nº 1, da Portaria Interministerial nº 2, assim assevera in verbis: Adequar às leis e regulamentos disciplinares que versam sobre direitos e deveres dos profissionais de segurança pública à Constituição Federal de 1988;

Considerando o parecer elaborado pela Câmara Técnica, “Instituições Policiais” do CONASP, recomenda o fim das penas privativas e restritivas de liberdade para punições de faltas disciplinares,

RESOLVE:

1 - O Pleno do CONASP recomenda: 
1.1 - ao Ministério da Justiça que adote junto à Presidência da República e Congresso Nacional, as providências necessárias à revisão do Decreto-Lei 667/69, a fim de vedar a pena restritiva e privativa de liberdade para punições de faltas disciplinares no âmbito das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares, alterando o seu artigo 
18.

1.2 – Aos Governadores dos Estados e do Distrito Federal que adotem em seus respectivos entes federados, enviando às Assembléias Legislativas/Câmara Distrital, projetos de Lei alterando os regulamentos disciplinares, extinguindo a pena restritiva de liberdade em conformidade com o sugerido para a alteração do Art. 18 do Decreto Lei nº 667/69.

2 - Sugerir que o artigo 18 do Decreto-Lei 667/69 passe a vigorar com a seguinte redação:
“Art.18 - As polícias e Corpos de Bombeiros Militares serão regidos por Regulamento Disciplinar estabelecidos em Lei Estadual específica, respeitadas as condições especiais de cada corporação, sendo vedada pena restritiva de liberdade para as punições disciplinares, e assegurada o exercício da ampla defesa e o direito ao uso do contraditório.

PLENO DO CONSELHO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

domingo, 29 de abril de 2012

Mensalão da UPP: 21 policiais são indiciados

Vinte e um PMs que eram lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Fallet, em Santa Teresa, foram indiciados no inquérito  da corporação para apurar o recebimento de propinas pagas por traficantes. Em setembro, o esquema de corrupção — conhecido como mensalão da UPP — pagava de R$ 400 a R$ 2 mil aos militares envolvidos, totalizando R$ 53 mil por mês.

O indiciamento foi a primeira punição aos militares, que respondem a procedimento administrativo e podem até ser investigados criminalmente. Os indícios de envolvimento levaram a corporação a retirar da gestão o comandante e o subcomandante da unidade na época, capitão Elton Costa e tenente Rafael Medeiros. Os outros militares foram substituídos por policiais recém-formados.

Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

A corrupção foi descoberta pela Coordenadoria de Inteligência da PM, que durante quase três meses investigou 30 militares, com escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. Segundo o Inquérito Policial Militar (IPM), as conversas revelam que traficantes, além de pagar propina fixa, chegavam a interferir nos locais e dias do patrulhamento nas comunidades do Fallet, Fogueteiro e Coroa.

O IPM, que investigou corrupção, prevaricação (praticado por funcionário público contra a administração pública) e descumprimento de missão dos agentes, gerou nova investigação: a PM quer saber se houve facilitação de escalas de serviço de outros militares em troca de dinheiro. Os 21 policiais indiciados estão sendo submetidos a Conselho Disciplinar — quando a Corregedoria apura a responsabilidade administrativa dos agentes. Se entender que houve crime militar, o comando da PM pode decidir por punição, aposentadoria ou expulsão.

O processo está na Auditoria de Justiça Militar. Ele pode ser dividido em outro procedimento e enviado para apreciação do Judiciário, caso haja indício de que ocorreu associação para o tráfico.

Três respondem presos ao procedimento administrativo

Dois oficiais e 16 praças respondem ao procedimento administrativo em liberdade. Outros três foram presos, com R$ 13.400 em envelopes com os nomes de policiais.

As escutas contidas no IPM apontaram que as ordens do tráfico eram repassadas por homem identificado como Alan. O suposto traficante reclamou que ações de um policial no Morro da Coroa estavam ‘atrapalhando o movimento’. O PM foi transferido, então, para o serviço administrativo. Investigações revelam que o atentado a três agentes em junho foi represália de bandidos. Os militares estavam fora do esquema e, em trabalho, tentavam prendê-los.

ASSÉDIO MORAL

BERENICE SEARA - JORNAL EXTRA

sábado, 28 de abril de 2012

Espada é apreendida em operação da PM na favela do Jacarezinho

FONTE: R7

Arma seria usada por traficantes da comunidade para torturar e ameaçar inimigos

Uma espada foi apreendida por policiais militares do Batalhão do Méier (3º BPM) durante uma operação de combate ao tráfico de drogas na favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio, na manhã desta sexta-feira (27). A arma, semelhante a usada por competidores de esgrima, seria usada por traficantes da comunidade para torturar e ameaçar inimigos, informaram os PMs.
Segundo o 3º BPM, além da espada, os militares preenderam pistolas, uma granada, 902 cápsulas e118 papelotes de cocaína, 524 trouxinhas de maconha, 548 pedras de crack, 41 pedras de haxixe e 15 frascos de cheirinho da loló.
Os traficantes trocaram tiros com a PM no início da operação. Quatros suspeitos foram presos e um menor de idade apreendido.
Entre os presos, dois foram baleados e foram levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, também na zona norte.
O caso foi registrado na Delegacia do Engenho Novo (25ª DP).

Rio registra 6 homicídios nas últimas 12 horas

FONTE: O DIA

No caso mais grave uma mulher identificada apenas como Maria do Socorro, de 43 anos, foi executada com nove tiros na porta de casa, na Rua Carlos Xavier, 736, em Madureira, na Zona Norte, por volta das 3h. De acordo com policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), a vítima parou o veículo em que estava. Homens de capacete em uma moto a abordaram e fizeram os disparos, fugindo em seguida.
Antes, por volta das 2h30, um homem ainda não identificado foi morto na esquina das ruas General Caldwell e Frederico Silva, no Centro, próximo a Central do Brasil. Policiais do 5º BPM (Praça da Harmonia) foram informados que dois homens em uma moto abordaram a vítima e fizeram vários disparos. O homem foi atingido na cabeça, abdômen e na mão. Quatro cápsulas de pistola calibre 380 foram encontradas no local.
No início da madrugada, um homem não identificado foi morto em confronto com policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 14º BPM (Bangu), na Favela do Rebu, em Senador Camará, na Zona Oeste. Segundo a polícia, ele reagiu quando PMs faziam um patrulhamento que ocorre nos finais de semana para reprimir a realização de bailes funk em comunidades da região. O acusado foi socorrido e levado para Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, mas não resistiu. Uma pistola 9mm e um radiotransmissor foram apreendidos. O caso foi registrado na 34ª DP (Bangu).
Na Baixada Fluminense, foram registrados dois homicídios. Às 23h, Mateus Castro da Silva, de 16 anos, foi assassinado a tiros na Avenida Borges Carneiro, no jardim Primavera, em Duque que Caxias. Segundo o 15º BPM (Duque de Caxias), o crime foi cometido por homens armados. A 60ª DP (Campos Elíseos) registrou a ocorrência.
Às 22h30, em Nova Iguaçu, Gilberto da Conceição Mendes, de 36 anos, foi morto em uma suposta tentativa de assalto na Estrada da Palhada, na altura do númeto 709, no bairro de mesmo nome. Ele foi baleado na cabeça por um homem em uma moto, segundo policiais do 20º BPM (Mesquita). A ocorrência foi registrada na 56ª DP (Comendador Soares).
Na Zona Norte, um homem ainda não identificado foi encontrado morto a tiros, dentro de um carro, por volta das 19h, na Rua Nerval Gouveia, em Cascadura. Policiais da Divisão de Homicídios (DH) assumiram as investigações dos quatro cirmes ocorridos na capital.

PARANÁ - Governador diz que Policiais Militares com curso superior são insubordinados

FONTE: GAZETA DO POVO

O jornalista e sociólogo Marcos Rolim qualificou o posicionamento do governador:
“Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) quer policiais sem estudo para garantir ‘disciplina’. Leva o troféu ‘anta do ano’. A propósito, ele disse o que alguns pensam e não têm coragem de dizer – Uma anta sincera, em síntese.”
Difícil não concordar.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) disse em entrevista à rádio CBN, nesta quinta-feira, que acha positivo que os policiais militares do estado não tenham diploma de curso superior.
A polêmica entre o governo e as associações que representam os policiais militares, que queriam que o governo passasse a exigir diploma dos que entram na corporação.
Segundo Richa, é bom que os policiais não tenham diploma, porque gente formada normalmente é muito insubordinada.
"Outra questão é de insubordinação também, uma pessoa com curso superior muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior, uma patente maior", afirmou o governador.
A declaração do governador é um desestímulo à educação e à cultura dentro da corporação. Nitidamente, o que Richa defende, em sua declaração, é que a PM dê preferência a pessoas que não estudem.
Além de tudo, mostra uma miopia em relação à realidade do mundo. Como se pessoas sem estudo superior não pudessem ser contestadoras ou insubordinadas (pela versão de Richa, as greves comandadas por Lula no ABC nunca existiram).
A função do Estado é estimular o estudo, e não o contrário. Mais do que isso: o governador não deveria desejar uma corporação de gente que simplesmente atende ordens cegamente, como ele parece querer. E, sim, fomentar um ambiente em que as pessoas sejam capazes de autonomia.
Richa poderia, sem nenhum problema, defender que não é preciso diploma para ser policial. Mas com outros argumentos.

ACONTECEU NA BAHIA - 19º BPM na cidade de Jequié

FONTE: RIUS.COM

 

Fato digno de revolta aconteceu no 19º BPM na cidade de Jequié

Caros amigos da sociedade jequieense, militares, imprensa


Um fato digno de revolta aconteceu hoje no interior do 19º BPM na cidade de Jequié. Fato esse, oriundo da covardia de três oficias, o comandante do 19º BPM, o subcomandante e um Tenente.
Esses três,arquitetaram de forma ardilosa com o intento de prender um sargento da policia militar, de nome ANDRADE, esse por sua vez com conduta exemplar nas fileiras da corporação, que sempre prestou os seus serviços de forma ética, responsável, com um alto grau de profissionalismo.
Em um momento do passado não remoto, o referido graduado, informou ao comandante do batalhão sobre a conduta irregular de um referido oficial durante o serviço, o qual, de forma grosseira e arrogante, destratou o referido graduado em público e no meio de seus subordinados.
Acontece que, ao ser convocado até o 19º BPM em Jequié com o intuito de ser ouvido, como vítima sobre a referida comunicação “queixa”, o sargento ANDRADE, teria sido levado pelo major a uma sala, essa da corregedoria do batalhão, foi cercado pelo referido major, o comandante do batalhão e o tenente, com palavras de desrespeito ao sargento, alegando quem seria ele (o sargento) para proferir uma queixa contra um oficial.
Além disso, o sargento foi ameaçado durante todo o tempo, com o dedo do referido major apontado em seu rosto, alegando que o sargento deveria ficar calado, pois se abrisse a boca, o mesmo seria preso. Além do mais, humilharam o sargento, que por diversas vezes solicitou ir ao banheiro por não se sentir bem, sendo negado pelo major.Todo o fato, foi presidido pelo major, com o aval do coronel e com a presença do tenente. Podemos ate chamar essa pratica covarde, assedio moral, ameaça, maus tratos, danos morais, entre outros crimes que a justiça comum vai decidir.
 
Logo em seguida, após varias tentativas, o sargento foi liberado para ir ao banheiro, acompanhado pelo tenente , como se fosse um marginal, sendo pressionado a sair do vaso em 2 minutos pelo coronel, senão o mesmo seria preso. Logo em seguida, foi dado voz de prisão em flagrante, com a alegação de crime de “desobediência”, por não ter saído nos 2 minutos.Logo em seguida, a pressão do sargento ficou elavada, ao ponto do mesmo passar mal e ser levado para o pronto socorro do Hospital Santa Helena, onde encontra-se hospitalizado.
Isso tudo representa uma afronta aos direitos humanos, um desrespeito a um trabalhador, uma afronta a categoria das praças, que exige JUSTIÇA E RESPEITO.A DITADURA PREVALECEU NO ESTADO DA BAHIA E CHEGOU EM JEQUIÉ.UM ABSURDO COMO NUNCA VIMOS ANTES NA HISTORIA DA POLICIA MILITAR EM JEQUIÉ.

COM BICO DE POLICIAIS E BOMBEIROS VIGILANTE TEME PERDER EMPREGO

O decreto do governador Sérgio Cabral, publicado em DO no início do mês, autorizando o bico de policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários, causa polêmica entre os vigilantes de empresas privadas. Acategoria teme que a liberação para que servidores da área de segurança pú-blica façam horas extras em eventos esportivos, como Copa, Olimpíadas, Paraolimpía-das e Rio+20, entre outros, tire postos de trabalho da classe. A estimativa é que 8 mil vi-
gilantes fiquem sem emprego.
A Federação dos Vigilantes do Rio fez um pedido formal à Comissão de Segurança Pública da assembleia Legislativa do Rio, presidida pelo deputado Zaqueu Teixeira (PT), que aprovou a realização de audiência pública sobre o tema
O diretor da federação Sérgio Luiz Silva acrescenta que para o tipo de contratação autorizada pelo governo não incidirá nenhum valor para efeito de aposentadoria, INSS,
139 salário. "Como não haverá obrigação trabalhista. O decreto rasga e fere direitos trabalhistas, além de tirar a oportunidades de empregos para cerca de 8 mil vigilantes", ressalta o diretor.
Já o vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes Rio, An-tonio Carlos de Oliveira, lembra que tanto a Fifa quanto o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) assinaram compromisso estabelecendo que os vigilantes farão segurança interna da Copa e Olimpíadas.

Embalagens de crack decoradas com rostos dos jogadores Adriano e Jobson

FONTE: JORNAL EXTRA
Em operação realizada na manhã desta sexta-feira, na favela do Jacarezinho, policiais do 3º BPM (Méier) apreenderam 548 pedras de crack, que estavam embaladas em pacotes com os rostos dos jogadores de futebol Adriano, do Flamengo, e Jobson, do Botafogo.
Além do crack, foram apreendidos uma pistola de 9 mm, duas granadas, uma bomba de efeito moral, 902 cápsulas de cocaína, 1.018 papelotes de cocaína, 524 trouxinhas de maconha, 41 pedras de haxixe e 15 frascos de loló.
Durante a operação, houve intensa troca de tiros entre policiais e 15 homens que fugiram para a Favela da Xuxa. Dois homens foram baleados. Um foi encaminhado para o Hospital Salgado Filho, no Méier. O segundo não se feriu gravemente e foi levado para a 25ª DP (Engenho Novo), ao lado de outro suspeito. Os demais conseguiram fugir.


O rosto de Jobson estampa a embalagem de crack apreendida no Jacarezinho
O rosto de Jobson estampa a embalagem de crack apreendida no Jacarezinho 

Embalagens de crack apreendidas no Jacarezinho
Embalagens de crack apreendidas no Jacarezinho 

Arma e granadas apreendidas no Jacarezinho
Arma e granadas apreendidas no Jacarezinho

Alô comandante: cadê os PMs?

FONTE: O SÃO GONÇALO
Apesar da ‘onda’ de violência em Niterói, motivada, sobretudo, pela falta de policiamento adequado e abandono das cabines da PM, o comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Wolney Dias, disse, ontem, que só colocará policiais nos postos em agosto.

Polícia Militar monta base no Morro do Preventório

FONTE: O FLUMINENSE
Desde sexta-feira à tarde o comando do 12° BPM (Niterói) já tem nova sede: o Morro do Preventório, em Charitas. Aproximadamente 60 policiais farão parte do Posto de Comando Móvel (PCM) da Polícia Militar que funciona num treiler instalado na manhã de ontem na comunidade e que ficará no local por tempo indeterminado. O objetivo é reduzir a criminalidade na região, além de aumentar a interação com os moradores, possibilitando a eles encaminhar denúncias sobre criminosos que atuem no local.
Antes da instalação do treiler homens do Batalhão de Choque fizeram uma operação de varredura na favela que resultou na apreensão de drogas, peças de motocicletas que seriam usadas por criminosos e cadernos de anotações do tráfico. Um homem foragido da Justiça foi capturado.
De acordo com o comandante Wolney Dias, outras comunidades também serão ocupadas. “Onde houver necessidade a PM se fará presente. Temos mapeados outros locais e em breve novos PCMs serão instalados”, informou.
Além de contar com policiamento permanente, a presença do comandante Wolney Dias será frequente no local. “Escolhi o Preventório em razão de denúncias e da preocupação da comunidade com a presença de marginais armados. Na medida que a gente ocupar o morro, a gente desmistifica essa história e as pessoas ficam mais tranquilas”, justificou.
Sobre o s recursos recebidos pela Secretaria de Segurança Pública, Wolney Dias informou que tudo está dentro do cronograma e a cidade foi contemplada com o prometido. “Falta apenas inaugurarmos as sedes da cavalaria. Mas posso adiantar que uma ficará na Região Oceânica e a outra no Horto do Fonseca”, falou o coronel.
Outras companhias já estão instaladas, no Morro do Cavalão, que também será responsável pelo policiamento da comunidade Souza Soares, e no Morro do Estado, onde atenderá ao Palácio e terão com 100 PMs cada.
Reforço – A partir de maio a cidade passa a contar com mais 100 policiais que trabalharão em seus dias de folga, resultado de convênio entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Niterói através do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). 

Balanço
– Nos últimos seis meses o Batalhão de Niterói tem realizado incursões no Morro do Preventório. Em seis meses foram detidos 21 suspeitos. Foram apreendidos dois revólveres calibre 38, duas pistolas 9 milímetros, um fuzil calibre 765, cinco radiotransmissores, quatro celulares, cadernos de anotação do tráfico, mais de dois quilos de maconha, além de quase um quilo de cocaína e 613 pedras de crack.

Disque-Denúncia aumenta recompensa pela prisão do traficante Matemático

Quem tiver informações que levem à sua prisão, ligue para o Disque-Denúncia (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Advogado de PMs presos por torturar e estuprar moradora da Rocinha pede habeas corpus no Plantão Judiciário

JORNAL EXTRA
O advogado Marcos Espínola, responsável pela defesa dos três PMs presos temporiamente na madrugada do último sábado por suposta agressão sexual e tortura a uma moradora da Rocinha, entrou nesta quinta-feira com pedido de habeas corpus no Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Rio. Estão presos no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, os PMs Renan Ribeiro de Souza, Cid Lima dos Santos e Rodrigo Bernardo Gama de Almeida.
Os pedidos de habeas corpus têm como base laudo de um médico do Hospital Miguel Couto, que atendeu a mulher após ela ter sido levada à 14ª DP (Leblon) pelos PMs. Na ocasião, a mulher foi presa pelos PMs acusada de ter furtado a bolsa de uma outra moradora da Rocinha. A prisão ocorreu no dia 18. De acordo com o advogado, o documento diz que a mulher não apresentava lesões e nem sangramento na mucosa anal.
- A acusação contra os PMs é que a mulher teria sofrido violência sexual no ânus. Com esse laudo, a versão cai por terra. Além disso, tem também o depoimento da moradora que teve a bolsa furtada, que diz que ficou o tempo todo com os PMs na casa da mulher. E que não presenciou tortura e violência sexual - disse Espínola.
Já o laudo de exame de corpo de delito feito no Instituto Médico-Legal (IML) pela ladra deu positivo para lesão corporal e para ato libidinoso sem conjunção carnal.
A mulher continua presa pelo crime de furto.

Suspeito de matar PM é preso com fuzil no Morro da Pedreira

JORNAL EXTRA

Equipes do 41º BPM (Irajá) fazem uma operação, na manhã desta sexta-feira, no Morro da Pedreira, em Costa Barros, Zona Norte do Rio. Um homem conhecido como Fera foi preso na ação. Segundo os PMs, ele estava com um fuzil AR 15 e é suspeito de ter executado o cabo da PM Francisco Alcântara de Magalhães Filho, de 41 anos, no último dia 24. O policial estava à paisana, sentado em frente a um bar na Rua Palas, na Pavuna, quando dois homens desceram de um veículo e atiraram. Fera seria um deles.
O preso foi levado para a 39ª DP (Pavuna).

Bico da PM tira vagas

FONTE: JORNAL EXTRA

A Federação dos Vigilantes do Rio afirma que o decreto do governador Sérgio Cabral, que institui o Regime Adicional de Serviços (RAS) e o Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) permitindo aos policiais fazer "bico" de segurança em empresas ligadas à administração pública, pode tirar cerca de 8 mil vagas de trabalho do mercado. A federação já pediu à Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Rio  (ALERJ) a realização de uma audiência sobre o caso, em data a ser marcada.
970

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Cipó da Souza é executado em Niterói

FONTE: ROBERTA TRINDADE


Apontado pela Polícia como braço-direito do traficante Antônio Jorge Gonçalves dos Santos, o Tony, Baixinho ou Senhor das Armas, 43 anos, o gerente-geral do tráfico no Morro do Souza Soares, Thiago dos Santos Gomes, o Cipó, 28, foi assassinado em um dos acessos ao morro, em Santa Rosa, na Zona Sul de Niterói, na tarde desta terça-feira, 24 de abril.

Preso pela última vez em junho de 2010, Cipó aguardava o julgamento em liberdade. Além de tráfico, roubo e receptação, o criminoso também respondia por vários homicídios. Ele estava na Travessa 654, na localidade conhecida como “Favelinha da 600″. Após ser baleado, permaneceu no asfalto aguardando a chegada de uma ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Ele ainda foi levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói, mas não resistiu.
A Polícia apura duas informações: a primeira afirma que os tiros foram efetuados pelos ocupantes de um carro – de marca e placa não anotadas – que passou pelo local e parou ao reconhecê-lo. A outra diz que os disparos teriam sido feitos por policiais.

Integrante da facção criminosa Comando Vermelho (CV), Cipó era subordinado ao traficante conhecido como Alex Gordinho, sobrinho de Tony e filho do irmão dele, Arnaldo Gonçalves dos Santos.

Além de abastecer o complexo de favelas do bairro Santa Rosa – sobre o qual mantêm o controle há mais de uma década – os irmãos Tony e Arnaldo também mantêm o controle sobre bocas-de-fumo nos bairros que integram as regiões de Pendotiba e Oceânica de Niterói. No total, são 19 favelas.

No dia 5 de julho de 2009, Tony foi preso por agentes da Delegacia de Repressão às Armas e Explosivos (DRAE). Apontado como um dos maiores fornecedores de armas para os morros e favelas pertencentes ao CV, ele foi surpreendido em um shopping no município de Campo Grande, capital do Estado de Mato Grosso do Sul. Contra ele havia dois mandados de prisão expedidos pela Justiça: um por homicídio, da Vara Criminal de Niterói, e um por tráfico, da Polícia Federal.

Ele e o irmão contavam com a simpatia do traficante Marcos Antônio da Silva Tavares, o Marquinho Paraíba ou Marquinho Niterói, que era o segundo homem no escalão do CV, atrás somente do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, 42. Condenado a 18 anos de prisão por tráfico de drogas, Marquinho Niterói fornecia drogas e armas para favelas cariocas e foi assassinado por asfixia, aos 40 anos, em uma cela na Penitenciária Doutor Serrano Neves (mais conhecida como Bangu 3), no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, em setembro de 2005.

Mendonça Prado solicita audiência para discutir a valorização dos profissionais da Segurança

FONTE: FAXAJU


O deputado federal Mendonça Prado (Democratas/SE), 1º Vice-Presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) da Câmara dos Deputados,solicitou uma Audiência Pública para discutir a atual situação dos policiais e bombeiros militares e as políticas públicas de valorização dos profissionais de segurança.
O Requerimento n.º 135/12 de Mendonça Prado foi aprovado prontamente pela CSPCCO e a audiência está prevista para ser realizada no dia 08 de maio. O local ainda não foi definido. De acordo com o parlamentar, a situação da segurança pública no Brasil chegou a níveis preocupantes. Para ele, a falta de estrutura e de condições dignas de trabalho para esses profissionais prejudicam excessivamente o combate contra a violência e a marginalidade.

Em seu Requerimento, Mendonça Prado ainda relembrou os movimentos ocorridos desde o início do ano passado, e o tratamento dado aos bombeiros e policiais militares encarcerados em prisão comum, em virtude da greve da categoria nos Estados de Salvador e Rio de Janeiro. “As lideranças de policiais e bombeiros militares promoveram paralisações pacíficas por todo o país. Contudo, insultos proferidos por autoridades constrangeram os manifestantes que tanto têm lutado e se dedicado aos seus serviços. Alguns líderes dos movimentos chegaram a ser presos de forma administrativa e, agora, estão sendo processados judicialmente. É importante que esta Casa de Leis ouça os integrantes de movimentos reivindicatórios, visto que o tema da valorização do profissional de segurança pública é muito debatido neste Colegiado”, destacou.

Para participar do debate na Audiência Pública, o parlamentar propôs o convite à Desembargadora Salete Macalloz; à Deputada Estadual pelo Rio de Janeiro, Jandira Rocha; ao Deputado Estadual pela Bahia, Capitão Tadeu; ao Deputado Estadual por Tocantins,Sargento Aragão; ao Deputado Estadual por Santa Catarina, Sargento Amauri Soares; aos ex-deputados federais, Major Fábio, Capitão Assumção e Juliano Rabelo; ao Coronel Rabelo da Polícia Militar do Rio de Janeiro; ao ex-integrante do Corpo de Bombeiros Militares do Rio de Janeiro, Cabo Benevenuto Daciolo; ao Policial Militar do Rio Grande do Norte, Cabo Jeoais; ao soldado da Polícia Militar do Ceará, Pedro Queiroz; aos Sargentos Vieira e Edgar, da Polícia Militar de Sergipe; e à Presidente da AFAPESP – Associação dos Familiares e Amigos de Policiais do Estado de São Paulo, Adriana Borgo.

Por Izys Moreira - Assessoria de Imprensa 

História: Dois Lobos dentro de mim

Conto Cherokee
 
Os anciões Cherokee estavam preocupados com um dos garotos da tribo que, por se sentir injustiçado, tornou-se agressivo. O avô do menino o traz para perto de si e diz:

- Eu entendo sua raiva. Há uma batalha terrível entre dois lobos que vivem dentro de mim. Esses dois lobos tentam dominar o espírito de todos nós.

Um é Mau. Seus dentes são fortes como raiva, inveja, ciúme, tristeza, cobiça,
 arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade,
 orgulho, superioridade e ego.

 O outro é Bom. Seu olhar é forte como alegria, esperança, serenidade, paz, humildade, empatia, bondade, generosidade, verdade, perdão, compaixão, harmonia e fé.

 O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:

- Qual lobo vence?
 
O velho índio respondeu:

- Aquele que você alimenta!

A anistia é o único caminho capaz de recolocar a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do nosso Estado dentro do seu verdadeiro rumo

FONTE: BLOG DO DEPUTADO PAULO RAMOS
Estamos caminhando para que tenhamos 64 Deputados e 70 autores do Projeto da Anistia dos policiais e bombeiros militares
DISCURSO DIA 24/04 
Venho à tribuna para manifestar uma preocupação muito grande com o que vem acontecendo na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros do nosso Estado, tendo em vista o peso das punições que estão sendo aplicadas àqueles que participaram de um movimento justo, de um movimento reivindicatório que contou também com o apoio da maioria esmagadora da população do nosso Estado.
A situação interna é de sofrimento, porque muitos estão sendo excluídos dos quadros das corporações, e outros sendo submetidos a conselho e, ao que tudo indica, poderão também ser excluídos. O sofrimento é muito grande porque os policiais militares e bombeiros militares - mesmo aqueles que não participaram do movimento - sabem que a situação vivida em relação a salário, em relação às condições vida e de trabalho, ainda é muito difícil. Mas, não é razoável acolher que exatamente aqueles que agiram com mais desassombro possam pagar um preço tão alto por ter expressado o sentimento, quase unânime, no seio das corporações.
Eu li esses dias, que até os índices de criminalidade experimentaram um aumento muito grande. Eu me convenci, analisando os números, de que isso é consequência exatamente desse ambiente vivido no seio da Polícia Militar. É como se os policiais militares se considerassem desmotivados para o exercício da função, tendo em vista a penalização dos companheiros. É uma espécie de solidariedade.
Eu imagino,  que o único caminho para o restabelecimento da autoestima de policiais militares e bombeiros militares seja a anistia. Estou certo de que o Comandante da Polícia Militar e o Comandante do Corpo de Bombeiros estão cumprindo ordens. Eles próprios deverão dar uma contribuição para que a anistia venha.
Nesta Casa, vamos chegar ao número de 64 Deputados autores de um Projeto, já tramitando, que propõe a anistia, especialmente em relação às exclusões. Não se trata agora de analisar equívocos cometidos, inclusive os equívocos ou erros graves da própria Administração. Podemos citar como exemplo de grave erro ter colocado policiais militares e bombeiros militares num presídio de segurança máxima, Bangu I, sem que criminosos fossem. É duro verificar que, no afã de controlar o movimento, tamanha arbitrariedade tenha sido praticada, obviamente, além de outras. Mas não é o momento de se analisar erros ou acertos de qualquer dos lados; o momento é de assumir a compreensão de que somente a anistia poderá recolocar as duas corporações militares estaduais no eixo normal, para o desenvolvimento de suas atividades.
Tenho eu, Sr. Presidente, uma preocupação muito grande – venho a esta tribuna manifestá-la – porque percebo que há um ou outro equivocado que imagina ser possível tirar proveito eleitoral mantidas as exclusões, como se estas representassem uma mácula tão grande para o Governo que seriam um motivo forte para uma denúncia futura, a alcançar resultados eleitorais favoráveis àqueles que possam vir a se utilizar desse instrumento na campanha eleitoral. Eu me surpreendi, mas percebo claramente que há um pequeníssimo grupo que entende não ser razoável conquistar a anistia em função das próximas eleições. O Governo ficaria de forma tal acuado que quem estivesse denunciando as exclusões poderia delas tirar proveito eleitoral. Isso é de uma insanidade, de um equívoco que precisa ser compreendido. Eu não posso imaginar que, às vezes, uma ou outra figura de expressão no movimento possa caminhar com tamanho equívoco.
A anistia deve ser exigida, deve ser compreendida longe de qualquer pretensão eleitoral, longe de qualquer uso eleitoral. A anistia é para pacificar, sereniza os ânimos, faz justiça, então, tem que existir a compreensão de que com ela não haverá nem derrotados nem vitoriosos. A vitória virá do reconhecimento de que não vai ser com determinados excessos que vamos restabelecer o princípio da autoridade ou restabelecer ou manter a normalidade.
Para manter a normalidade nós precisamos pacificar internamente os sentimentos, pacificar os corações. Cabe, obviamente, a quem detém o poder, o Governador do Estado, caminhar para essa compreensão.
Eu não posso nem de longe acreditar que haja partido político disposto a inviabilizar a anistia para tirar proveito eleitoral. Mas vejo com preocupação essa possibilidade. Como se aproveitar a desgraça de um grande número de policiais militares e bombeiros para tirar proveito eleitoral?
Sr. Presidente, venho a esta tribuna, primeiro, para alertar à família policial militar e à família bombeiro militar. A luta pela anistia é que a luta justa e que cada um assuma, no período eleitoral, a posição que entender conveniente, mas trabalhar contra a anistia para tirar proveito eleitoral chega a ser desumano. Nem é equívoco, é uma perversidade adicional.
Estamos caminhando para que tenhamos 64 Deputados e 70 autores do Projeto da Anistia, demonstrando claramente que o Poder Legislativo já tem essa compreensão, a de que a contribuição que o Legislativo Estadual pode dar é pela pacificação interna, para a congregação de todos aqueles que compreendem que às vezes é muito difícil reivindicar sem transgredir; aqueles que compreendem que às vezes há necessidade de uma ação mais contundente para conquistar, mas cabe, obviamente, àqueles que comandam e cabe também a quem governa assumir uma compreensão maior; ter aquele papel de quem sabe a realidade social, compreende, atende, conversa, dialoga e se distancia o mais possível das punições excessivas.
Que fique aqui, essa minha manifestação, primeiro, em defesa da anistia. A anistia não aproveita nem prejudica eleitoralmente a quem quer que seja. A anistia faz justiça. A anistia é o único caminho capaz de recolocar a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do nosso Estado dentro do seu verdadeiro rumo, do seu próprio destino. Portanto, estou disposto inclusive, Sr. Presidente, perseverando determinado comportamento, a fazer a denúncia concreta. Não é aceitável que quem quer que seja (mesmo partido) político, trabalhe contra uma proposta que beneficia e faz justiça; que permite a manutenção de muitas famílias, única e exclusivamente pelo propósito eleitoral.
Portanto, Sr. Presidente, se esse equívoco vem sendo praticado pelo menos de boa-fé, que haja uma reformulação; que haja uma reconsideração; que haja uma reavaliação e possamos todos, unanimemente, caminhar na defesa da anistia. Que amanhã cada um possa tirar o proveito que quiser, mas restabelecido o emprego, restabelecida a condição de militar estadual de todos aqueles que já foram excluídos e que não haja mais exclusão como caminho da verdadeira pacificação. 
 
Muito obrigado.

Os comerciantes do Rio querem contratar policiais de folga

FONTE: EXTRA 
Os comerciantes querem contratar policiais de folga, pelo Programa Estadual de Integração da Segurança (Proeis), para garantirem a tranqüilidade do lado de fora dos estabelecimentos. 
O pedido foi feito pelo Sebrae, pela Fecomércio e por representantes de shoppings-centers.
A questão  foi encaminhada  ao governador Sérgio Cabral — que, por sua vez, se dispôs a adaptar o atual decreto para atender aos comerciantes.
O texto que está em vigor diz que só podem gozar do benefício as empresas públicas ou as concessionárias de serviços públicos. 
A contratação de policiais de folga pelo comércio já é realidade em outros países, como os Estados Unidos.

Sobra vaga em bico

FONTE: O DIA
Pelo visto, PMs não animaram muito com a possibilidade de ganhar um dinheiro extra para ajudar na segurança de Niterói. O comando da corporação decidiu reabrir inscrições para o programa, o Proeis, também chamado de bico legal. De acordo com o publicado no Boletim da Polícia Militar no último dia 20, o motivo foi “a baixa adesão nas inscrições”.
Na primeira fase, as inscrições eram apenas para policiais que atuam em Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí. Agora, até os que trabalham em batalhões da capital serão aceitos.
 
Gratificações
Pelo convênio assinado com a Secretaria de Segurança, as gratificações serão pagas pela Prefeitura de Niterói. Por uma jornada de oito horas — a ser cumprida em horários de folga — cada soldado receberá R$ 150. Oficiais ganham pouco mais, R$ 175.
 
Reserva
A prefeitura procurou minimizar a falta de interesse no programa detectada pelo comando da PM. Disse que pelo menos 400 policiais foram escolhidos; a nova seleção seria para um cadastro de reserva. 

terça-feira, 24 de abril de 2012

Cabo da PM é morto a tiros de fuzil quando estava em bar na Pavuna

FONTE: JORNAL EXTRA
Um policial militar do 19º BPM (Copacabana) foi morto com cerca de 20 tiros de fuzil, no fim da noite desta segunda-feira, na Pavuna, Zona Norte do Rio. Segundo informações da PM, o cabo Francisco Alcântara estava num bar na Rua Palas quando bandidos em dois carros passaram pelo local e o reconheceram. Eles abriram fogo contra o PM. O bar onde Francisco estava ficou com a fachada marcada por tiros. Os bandidos fugiram com a arma do policial.
O caso será investigado pela Divisão de Homicídios. Os agentes investigam se o crime foi cometido pelo traficante conhecido como Mexicano. Ele é do Morro da Pedreira, em Costa Barros. Antes de ir para o 19º BPM - onde estava há dois meses -, o cabo havia trabalhado no 41º BPM (Irajá), reponsável pelo policiamento no Morro da Pedreira.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

No último domingo, o grupo Anonymous invadiu o site da Polícia Militar de São Paulo e publicou uma mensagem de protesto na página, informou o portal da Info. No texto, os hackers não fizeram acusações diretas, mas críticas genéricas contra a “opressão, corrupção e pobreza”.
“Olá Povo Brasileiro, permitam-me introduzir-me a vocês como Anônimo. E apenas como Anônimo, pois não sou mais do que uma ideia, uma ideia de um mundo livre, sem opressão e pobreza e que não é comandada pela voz tirânica de um pequeno grupo de pessoas no poder.
Um mundo onde o verdadeiro propósito e prioridade é viver em liberdade sem ser restringido por regimes corruptos e governado apenas pela sede de lucro e poder. Talvez você já tenha ouvido falar de mim...

Nós não desejamos ameaçar o jeito de viver de ninguém. Nós não desejamos ditar nada a ninguém. Nós não desejamos aterrorizar sua população. Anonymous já esta e sempre esteve entre ela. Anonymous é a voz de cada oprimido sem rosto dentro deste país, nós estamos em todos os lugares, vocês nos veem todos os dias, quando andam na rua observando vocês, observando os erros dos seus governantes e a corrupção crescer a cada dia. Não toleramos corrupção!”
Polêmica
Os contratos de tecnologia da PM passaram a ser questionados pelo Ministério Público e por deputados de oposição ao governo do PSDB na Assembleia Legislativa de São Paulo.
Segundo os denunciantes, houve direcionamento em licitações para a compra de softwares usados na gestão de dados da PM. UM grupo de deputados também questiona a aquisição de tablets 3G pela polícia que, na avaliação desses parlamentares, não funcionariam corretamente.
Em resposta, o governo paulista suspendeu temporariamente a compra de softwares. O governador do Estado Geraldo Alckmin defendeu o comando da PM, mas disse que todas as denúncias serão investigadas.

PMs são atacados por grupo de traficantes armados com fuzis no Jacarezinho

FONTE: R7

Um suspeito foi baleado e um fuzil M-16 foi apreendido; houve intenso tiroteio
Um homem foi baleado durante uma troca de tiros entre policiais do Batalhão do Méier (3º BPM) e um grupo de aproximadamente 15 traficantes fortemente armados. Com o suspeito foi apreendido um fuzil M-16.

Segundo os policiais, eles faziam um patrulhamento de rotina e, ao passar próximo ao Buraco do Lacerda, um grupo grande de traficantes abriu fogo contra os PMs. Os bandidos fugiram pela linha férrea e os policiais desembarcaram e foram atrás deles. Houve troca de tiros e um suspeito, que estava com o fuzil, foi baleado.

O fuzil foi recolhido, mas o suspeito ficou no local do confronto. Por causa do intenso tiroteio, os policiais não conseguiram socorrê-lo.

O restante do grupo conseguiu fugir. O caso foi registrado na Delegacia da Piedade (24ª DP).

Vítima de furto diz que não viu PMs agredirem mulher na Rocinha

FONTE:  G1
O depoimento da comerciante da Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, que teve a bolsa furtada, na quarta-feira (18). Ela e três policiais militares foram ouvidos no sábado (21). Os PMs do Batalhão de Choque são suspeitos de torturar e agredir sexualmente uma moradora da comunidade que furtou a bolsa da comerciante.

Os policiais Renan Ribeiro de Souza, Cid Lima dos Santos e Rodrigo Bernardo Gama de Almeida foram indiciados por estupro e tortura e cumprem prisão temporária (30 dias) decretada pela Justiça na Unidade Especial Prisional da PM (antigo BEP).
A comerciante já foi ouvida duas vezes pela polícia. Em seu depoimento, ela afirma que ficou o tempo inteiro com os policiais e não notou sinais de agressão na mulher presa. Ela contou também que dois policiais deram voz de prisão à vizinha que a furtou, e que a mulher foi algemada, pois estava resistindo. A comerciante disse ainda que recebeu um telefonema para prestas esclarecimentos.
Os PMs e um quarto agente foram denunciados pela autora do furto. Eles foram ouvidos durante a madrugada de sábado (21) na 14ª DP (Leblon). Nos depoimentos, que duraram 8 horas, eles disseram que a vítima do furto ficou o tempo todo presente, o que, segundo eles, prova que as agressões não aconteceram.
A comerciante também afirmou que só ficou sabendo da agressão à vizinha presa quando chegou à delegacia para prestar o segundo depoimento. Ela disse que foi atendida por uma policial que, após relatar o que havia acontecido, acusou-a de estar mentindo e que tinha provas de que a vítima havia sido estuprada dentro de casa. Ainda assim, a comerciante disse que não estava mentindo e que ficou dentro da casa com os PMs e a autora do furto o tempo todo.
O marido da comerciante também depôs e afirmou que a vizinha estava em perfeitas condições físicas, sem nenhuma lesão, marca, ou qualquer outro sinal de machucado.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Oito sargentos reformados e seis cabos presos por participação em greve da PM em Volta Redonda


A manifestação grevista de policiais militares, deflagrada em fevereiro deste ano, ainda provoca repercussões administrativas na corporação. O Conselho de Disciplina da PM decidiu reformar oito sargentos — sete deles atuavam no 28º BPM (Volta Redonda) e um estava lotado no 20º BPM (Mesquita).
A corporação também puniu disciplinarmente seis cabos do 28º BPM, com 30 dias de detenção, por transgressão grave, que foram considerados aptos para seguir na ativa. Dos 16 policiais submetidos ao conselho, apenas dois foram inocentados: um sargento, que nem chegou a ser julgado porque o 28º BPM informou que ele não participou da manifestação, e um cabo, que trabalhou normalmente entre 9 e 10 de fevereiro, quando houve adesão à greve. O registro saiu no boletim interno 72, publicado nesta quarta-feira — um dia antes da PM determinar a redução do período de descanso na escala dos policiais militares.
De acordo com as justificativas apresentadas pelo Conselho de Disciplina, o movimento era ilegal. Até às 21h de quinta-feira, a PM não tinha se manifestado sobre o assunto.
“Afronta às normas”, alega PM
Os sargentos que estavam no batalhão foram reformados, sob a alegação de que participaram de “uma afronta às normas regulamentares em vigor”. A corporação alegou, ainda, que o comando-geral publicou mensagens no boletim de 8 de fevereiro, alertando os policiais sobre a ilegalidade do manifesto.
Não foi a primeira punição em Volta Redonda. No mês passado, 11 policiais do batalhão foram expulsos por atos de indisciplina por causa da adesão à greve. O episódio já repercute na Assembleia Legislativa.
— Querem dar tratamento de bandido para aqueles que estão à serviço da população, para combater a criminalidade. Estão punindo pais de família e mandando policiais para casa num momento em que a PM precisa de reforço de efetivo — criticou o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP), que criou, nesta quinta-feira, um projeto de lei que prevê remuneração aos policiais com folga reduzida.

Trote para a PM e Corpo de Bombeiros pode gerar multa no Rio

Os trotes são uma brincadeira de mau gosto e também prejudicam os atendimentos às verdadeiras emergências. Uma lei de 2010 pode sair do papel e mudar este quadro. Como o número do telefone de quem liga para a PM e para os bombeiros fica registrado nas centrais de atendimento, o autor do trote pode ser multado. Veja os detalhes.

Moradora da Rocinha presa por furto acusa quatro PMs do Batalhão de Choque de tortura e estupro


Uma mulher de 36 anos, moradora da Favela da Rocinha que está presa por furto, acusa quatro policiais militares do Batalhão de Choque de tortura e estupro. Os crimes teriam acontecido na noite da última quarta-feira, na comunidade.
Horas antes, a mulher havia furtado a bolsa de outra moradora da favela. A vítima pediu ajuda aos PMs, que localizaram a casa da suspeita. A bolsa foi encontrada na residência.
Antes de ser levada à 14ª DP (Leblon), a mulher que furtou a bolsa diz que foi espancada com socos, chutes e golpes de toalha molhada. Além disso, a mulher disse que sofreu violência sexual por parte dos PMs, mas não houve conjunção carnal.
Laudo do Instituto Médico Legal (IML) divulgado pelo “RJ TV”, da TV Globo, deu positivo para lesão corporal e para ato libidinoso diverso de conjunção carnal.
A mulher contiua detida na carceragem da 14ª DP. Os PMs suspeitos ainda não foram ouvidos sobre o caso.
Em nota, a Secretaria de Segurança informou que a Corregedoria Geral Unificada (CGU) está acompanhando as investigações da 14ª DP desde quinta-feira. A CGU também vai instaurar procedimento administrativo disciplinar para apurar o caso.
Já a Polícia Militar informou que os quatro suspeitos serão afastados das atividades operacionais até o término da investigações. A Corregedoria interna da corporação instaurou inquérito policial-militar para apurar os fatos.

Ato público debate anistia de bombeiros e PMs expulsos em greve das corporações

FONTE: R7

Reunião nesta sexta-feira (20) para debater a anistia dos 13 bombeiros e 18 PMs expulsos durante a greve das corporações. A reunião acontece às 18h na Associação Brasileira de Imprensa.

Um projeto de lei, que concede anistia administrativa aos militares estaduais aos quais foram atribuídas “condutas inadequadas” durante o movimento reivindicatório, deve entrar em pauta para votação na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).
Os bombeiros foram expulsos da corporação no dia 12 de março, por decisão do comando-geral do Corpo de Bombeiros.De acordo com a assessoria da corporação, todos são considerados “culpados por articulação em manifestações de caráter político-partidário, nas quais incitaram ostensivamente a tropa à prática de ilícitos de natureza disciplinar e penal militar, além da adoção de conduta incompatível com a missão de Bombeiro-militar”.

Policiais de Campos voltam à base de origem
No dia 10 de abril, a 2ª Vara Cível, de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, determinou o retorno dos policiais militares que haviam sido transferidos do Batalhão de Campos dos Goytacazes (8º BPM) para outras unidades do Estado em represália ao movimento grevista.

Policial Militar leva 9 tiros no Engenho de Dentro

FONTE: O DIA
O sargento da PM Cláudio Roberto Coutinho, de 49 anos, lotado no Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (Bptur), levou nove tiros em uma suposta tentativa de assalto, na noite desta quinta-feira, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio. Duas mulheres que estavam em um bar foram atingidas por balas perdidas. De acordo com policiais do 3º BPM (Méier), o estado de saúde do militar é grave, mas ele deve sobreviver. 

Segundo testemunhas, por volta das 19h30 o sargento foi abordado por quatro homens em duas motos, na esquina das ruas Doutor Bulhões e Pernambuco. No local funcionam dois bares famosos na região e de grande movimento. O policial estava em frente a um deles aguardando a mulher que trabalha em um salão de beleza. Ele reagiu a investida e foi baleado nove vezes. Os bandidos teriam usado a própria arma do militar para feri-lo. 
De acordo com o Serviço Reservado (P-2) do 3º BPM (Méier), o PM foi atingido na perna, braço, orelha, ombro e abdomen. Ele está internado no Hospital Salgado Filho (HSF), no Méier, onde chegou lúcido, apesar de ter perdido muito sangue. O sargento foi operado e permanece internado. Ainda não há informações oficiais sobre seu estado de saúde. 
Os bandidos fugiram levando a bolsa e pertences do PM, além da arma. A moto dele, no entanto, não foi roubada. Cristina Duarte, de 25 anos, e Edilaine dos Santos Ruth Griane, 30, também foram baleadas e levadas para o HSF. A primeira foi atingida de raspão nas costas e já foi liberada. A segunda levou um tiro na perna e fraturou o fêmur. Ela foi operada e permanece internada na unidade. O caso foi registrado na 26ª DP (Todos os Santos).

PALESTRA NA ABI( ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA)

FONTE: SOS BOMBEIROS

DIA 20/04/2012, ÀS 17h, NA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA(ABI), TEREMOS UMA PALESTRA COM A DESEMBARGADORA SALETE MACCALÓZ , O DR CUSTÓDIO E OS 13 BOMBEIROS EXCLUÍDOS, AFIM DE TRATAR DAS ILEGALIDADES DAS PRISÕES, DA NOSSA ASSOCIAÇÃO E DOS PROJETOS QUE SERÃO DESENVOLVIDOS.

Rua Araújo Porto Alegre, 71( próximo a Cinelândia)

quinta-feira, 19 de abril de 2012

COMO O SERVIDOR VAI TRABALHAR NA FOLGA SE A PARTIR DE HOJE VOLTA A VELHA ESCALA?

FONTE: JORNAL EXTRA

Policiais e bombeiros vão receber gratificação de bico oficial conforme a patente
O Regime Adicional de Serviço (RAS), novo sistema de bico criado para policiais civis e militares, bombeiros e inspetores de administração penitenciária trabalharem nos horários de folga com o aval do estado e ganharem gratificações, vai pagar os servidores de acordo com o cargo ou a graduação. Para cada um dos três turnos de trabalho previstos (seis, oito ou 12 horas), foram estabelecidos três valores de gratificação. Quanto mais alta a patente ou a função, maior será a bonificação. A diferença entre a gratificação menor e a maior é de 67%.
A distribuição ainda não foi oficializada, mas a expectativa inicial é que no nível C, o mais baixo, fiquem os praças da PM e do Corpo de Bombeiros, os inspetores da Polícia Civil e os inspetores penitenciários de 3ª classe. Para esse grupo, a bonificação por turno pode chegar a R$ 225.
á o nível A, o mais elevado, o maior valor da gratificação será de R$ 375. Deverão receber esse valor os chamados oficiais superiores (coronéis, tenentes-coronéis e majores) da PM e dos Bombeiros, além dos delegados da Polícia Civil e os inspetores penitenciários de 1ª classe.
Assim, quem estiver no nível C poderá ganhar até R$ 2.250 mensais pelo RAS, valor possível apenas no mês de férias, quando se pode fazer até 10 turnos de 12 horas. Já os integrantes do nível A que trabalharem a mesma jornada no mês de férias vão receber R$ 3.750 de gratificação.
Apesar de o decreto criando o RAS ter sido publicado no último dia 4, ainda não há previsão de quando o regime vai começar a funcionar na prática. Segundo a Secretaria de Segurança, alguns detalhes ainda precisam ser determinados. Um deles é a maneira como as gratificações serão pagas: no mesmo contracheque do salário ou numa folha suplementar.
A Secretaria de Segurança informou ainda que, mesmo com a criação do RAS, o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), criado no ano passado para que PMs façam horas extras, não será extinto. Atualmente, 1.266 policiais participam do Proeis.


Policiais militares terão folgas reduzidas que podem se estender até o fim do ano

FONTE: JORNAL EXTRA
Alegria de praça dura 71 dias. Esse foi o tempo de duração das escalas de serviço com folgas ampliadas, publicadas no boletim interno da Polícia Militar de 8 de fevereiro. Numa tentativa de estancar a greve da categoria, que começou no dia seguinte, a corporação disse que as novas escalas iriam proporcionar “recuperação física e psicológica” e dariam “melhor qualidade de vida” aos praças. A partir desta quinta-feira, volta a valer a escala anterior “em caráter emergencial”, para reduzir os índices de criminalidade.
Embora não haja uma previsão, as escalas com folgas reduzidas podem se estender até o fim do ano, prazo dado pela corporação para preenchimento das unidades operacionais com escassez de efetivo.
Na prática, policiais de rádio patrulha e cabina que fazem plantões de 12 horas de serviço voltam a ter folgas de 24 horas, seguidas por folgas de 48 horas no plantão seguinte. Em fevereiro, eles passaram a folgar dois dias por plantão trabalhado. Os policiais com escalas de 24 horas, que tinham três dias de descanso, voltam a ter dois dias de folga.



‘Pai Nosso’ da PM
A alteração provocou uma onda de protestos na categoria, com manifestações até na página de um site de relacionamentos do coronel Erir Costa Filho, comandante-geral da PM. Num deles, uma fez uma versão do “Pai Nosso”, pedindo melhorias na “escala nossa de cada dia”.
— Como a PM está pagando a gratificação, se acha no direito de mexer na escala de serviço e desrespeitar a folga dos policiais. Os praças estão sem o apoio da cúpula — criticou Vanderlei Ribeiro, presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e Bombeiros.
A medida causou revolta na categoria. Um policial militar, que faz rádio patrulha na área do 16º BPM (Olaria), disse que a redução da folga o obrigará a perder o “bico” como segurança particular, que representava um complemento de R$ 1 mil na renda mensal.
— Fui pego de surpresa, porque a escala mudou de repente — lamentou.
— Esse tipo de medida estimula até a corrupção, porque o policial perde uma renda extra de uma hora para a outra — disse um cabo, que não se identificou.

SOBRE AS EXCLUSÕES E TRANSFERÊNCIAS DOS POLICIAIS MILITARES

FONTE: JORNAL EXTRA - BERENICE SEARA


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Disque-Denúncia divulga cartaz com suspeitos de matar PM e médico em Niterói

FONTE: O DIA

O Disque-Denúncia divulgou, nesta quarta-feira, o cartaz com as fotos dos suspeitos de matarem o sargento da PM Celso de Jesus e o médico Carlos Vieira de Carvalho Sobrinho. Patrick Augusto Santos de Oliveira, o Madrugadão, e Wallacy Santos Quintanilha, o PQD, estão sendo procurados pela polícia.
O médico foi morto durante uma tentativa de assalto, quando entrava de carro na sua casa, em Icaraí e o policial morreu após trocar tiros com os assaltantes, em um posto de gasolina, na Avenida João Brasil, no bairro do Fonseca.  
Após conclusão do inquérito, a polícia chegou aos acusados Madrugadão e PQD, que fazem parte do tráfico de drogas do Morro da Coruja, em São Gonçalo.
O tráfico de drogas deste morro é controlado pelo traficante Maicon dos Santos de Souza, conhecido como Gaguinho, que é um dos principais traficantes do Comando Vermelho. Gaguinho age em Niterói e São Gonçalo. 

Moradores de comunidade colocam fogo em ônibus na saída do Túnel Noel Rosa para protestar contra operação policial

FONTE: JORNAL EXTRA 


Moradores da comunidade Rato Molhado, no Engenho Novo, queimaram um ônibus em protesto contra uma operação policial que terminou com uma criança de 10 anos baleada, no fim da tarde desta quarta-feira. Revoltados, eles atearam fogo ao ônibus na Rua Paim Pamplona, na saída do Túnel Noel Rosa, no sentido Jacaré. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não houve feridos no incêndio.
O Túnel Noel Rosa ficou fechado por cerca de 1h30m no sentido Jacaré, assim como o acesso ao Viaduto José Alves de Morais, no sentido Vila Isabel. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, o tráfego no túnel e no viaduto já foi liberado e o tráfego é intenso no local. Mais cedo, o trânsito ficou bastantes complicado. Os motoristas que saíam de Vila Isabel tiveram que seguir pela Rua 24 de Maio e acessar novamente o Viaduto. Para quem vinha do Jacaré, a opção foi seguir para a Avenida Marechal Rondon. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, o trânsito esteve congestionado, no sentido Vila Isabel, até a Rua Lino Teixeira, no Largo do Jacaré.
De acordo com a polícia, os moradores chegaram a parar seis coletivos, mas só conseguiram incendiar um da Viação Estrela Azul, que fazia a linha Engenheiro Leal - Praça XV. Apenas o motorista estava dentro do veículo. Ele conseguiu sair ileso. O tenente-coronel Ivanir Linhares, comandante do 3º BPM (Méier), afirmou que a comunidade está ocupada para evitar novas ações dos moradores. Segundo ele, além da menina de 10 anos, que foi atingida de raspão na barriga, um jovem de 18 anos, acusado de envolvimento com o tráfico, também foi baleado no peito durante a ação.
A menina foi atendida no Hospital Salgado Filho, no Méier, mas já foi liberada. Já o rapaz passa por uma cirurgia na mesma unidade. Com o criminoso, a polícia apreendeu uma pistola 9 milímetros.

Arma de PM suspeito de estupro é achada em carro de policial civil

FONTE: G1

Policiais da 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) detiveram, na manhã de terça-feira (17), um policial civil que estava com uma arma registrada em nome do PM Frank Cimar Barbosa de Oliveira Souza, suspeito de estuprar uma jovem e fugir da delegacia. Segundo o capitão Marcos dos Santos Machado, a espingarda calibre 12 estava no carro do agente. Ele foi levado para a 35ª DP (Campo Grande), onde foi autuado por porte ilegal de arma e liberado em seguida.
Segundo a Polícia Civil, o cabo Frank Cimar, que trabalha no 17º BPM (Ilha do Governador), será acusado de sequestro, estupro, de ameaçar a vítima e outras testemunhas.
O capitão contou que os policiais da 2ª DPJM investigavam um estacionamento que pertenceria a Frank Cimar, em Campo Grande, na Zona Oeste, quando o policial civil chegou ao local e se juntou a um sobrinho do PM foragido. O agente, que trabalha na 43ª DP (Pedra de Guaratiba), não deu uma explicação convincente para o que fazia no estacionamento e teve o carro revistado, ainda segundo o capitão. Lá, os PMs encontraram a espingarda.
“Quando verificamos que a arma estava registrada no nome do Frank Cimar, demos voz de prisão e levamos o agente para a delegacia. Ele alegou que a arma havia sido colocada em seu carro, sem que ele percebesse, pelo sobrinho do foragido”, disse o capitão Marcos.
Segundo a Polícia Civil, o inspetor da 43ª DP foi afastado, nesta quarta, do cargo para uma função no Setor Pessoal de Serviços Diversos. Ainda segundo a Polícia Civil, o caso está sendo investigado.


PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL - PROJETO DE LEI Nº 1453/2012 CONCEDE ANISTIA ADMINISTRATIVA AOS MILITARES ESTADUAIS.

PROJETO DE LEI Nº 1453/2012... - 17/04/2012
Fonte : Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro


CONCEDE ANISTIA ADMINISTRATIVA AOS MILITARES ESTADUAIS.
Autores: Deputados PAULO RAMOS, LUIZ PAULO, JANIRA ROCHA, MARCELO FREIXO, FLÁVIO BOLSONARO, WAGNER MONTES, ZAQUEU TEIXEIRA, ROBERTO HENRIQUES, CLARISSA GAROTINHO.
DESPACHO:
A imprimir e às Comissões de Constituição e Justiça; de Servidores Públicos;
de Defesa Civil ; e de Segurança Pública e Assuntos de Polícia.
Em 16.04.2012.
DEPUTADO PAULO MELO, PRESIDENTE.
A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLVE:
Art. 1º - Fica concedida anistia administrativa aos militares estaduais aos
quais se atribuem condutas durante movimentos reivindicatórios por melhorias de vencimentos e de condições de trabalho ocorridos entre janeiro e março de 2012.
Art. 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as
disposições em contrário.
Plenário Barbosa Lima Sobrinho, 27 de março de 2012
Deputados: ALEXANDRE CORREA, ALTINEU CORTES, ANDRÉ CECILIANO,
ANDREIA BUSATTO, ASPÁSIA CAMARGO, BEBETO, BRUNO CORREIA, CHIQUINHO
DA MANGUEIRA, CLAISE MARIA ZITO, CLARISSA GAROTINHO, CORONEL JAIRO, DICA, DIONISIO LINS, DR. JOSÉ LUIZ NANCI, EDSON ALBERTASSI, ENFERMEIRA REJANE, FABIO SILVA, FLAVIO BOLSONARO, GERALDO MOREIRA, GERSON
BERGHER, GILBERTO PALMARES, GRAÇA MATOS, GRAÇA PEREIRA, GUSTAVO TUTUCA, HELCIO ANGELO, INES PANDELO, IRANILDO CAMPOS, JANIO MENDES, JANIRA ROCHA, JOÃO PEIXOTO, LUCINHA, LUIZ MARTINS, LUIZ PAULO, MARCELO
FREIXO, MARCELO SIMÃO, MÁRCIO PACHECO, MARCOS ABRAHÃO, MARCOS SOARES, MARCUS VINÍCIUS, MIGUEL JEOVANI, MYRIAN RIOS, NILTON SALOMÃO, PAULO RAMOS, PEDRO FERNANDES, RAFAEL DO GORDO, RICARDO ABRÃO, ROBERTO DINAMITE, ROBERTO HENRIQUES, ROBSON LEITE, ROGÉRIO CABRAL, ROSANGELA GOMES, ROSENVERG REIS, SABINO, SAMUEL MALAFAIA, SAMUQUINHA,
THIAGO PAMPOLHA, WAGNER MONTES, WAGUINHO, XANDRINHO, ZAQUEU

JUSTIFICATIVA



OBS: FALTA AGORA ENTRAR EM PAUTA PARA VOTAÇÃO DA ALERJ

A VOLTA DA VELHA ESCALA

Extra (RJ)
Velha escala (Extra, Extra! - Berenice Seara)

Velha escala
 

Em fevereiro, às vésperas do carnaval e no meio do burburinho da iminente paralisação, a Polícia Militar atendeu a uma velha reivindicação da tropa.
 

► Criou uma nova escala de serviço, correspondente a 24 por 72 horas. 

► Mal passou a Quaresma, e o boletim da PM avisou que, a partir de amanhã, volta a valer a antiga escala, a de 24 por 48 horas.
 
►Com o retrocesso, não vai sobrar tempo para os policiais fazerem o bico — ou a atividade extra-PM — recentemente aprovado oficialmente. 

►Por isso, a comissão formada na Assembléia Legislativa para acompanhar a criação do banco de horas da PM, decidiu convocar para explicações o co-mandante-geral, Erir Ribeiro da Costa Filho.
845

terça-feira, 17 de abril de 2012

Suspeito morre durante confronto com PMs na Rocinha

FONTE: O DIA


Um suspeito de tráfico de drogas morreu durante confronto com policiais do Batalhão de Choque  na Favela da Rocinha, na tarde desta terça-feira. Os agentes realizavam patrulhamento na localidade conhecida como Beco 99, quando tentaram abordar um grupo de suspeitos. Eles fugiram com a cobertura de um comparsa que atirou contra os policiais.
Houve troca de tiros e o homem ainda não identificado foi ferido no tórax. Ele foi encaminhado para o Hospital Miguel Couto, mas não resistiu ao ferimento. Um revólver calibre 38 foi apreendido.
A Rocinha tem enfrentado diversos problemas mesmo com a presença dos agentes das Forças de Pacificação. No último dia 12, houve troca de tiros e suspeitos fugiram deixando a arma e a munição no local. Dois fuzis foram encontrados na localidade conhecida como Beco 199, onde o cabo da PM Rodrigo Cavalcante, de 33 anos, foi morto na mesma semana.
Durante a madrugada do mesmo dia, homens do BPChq tiveram que intervir na saída do baile funk, no Largo do Boiadeiro. Houve um princípio de tumulto na saída do baile e os policiais do Choque foram até o local, segundo o coordenador de policiamento da Rocinha, Edson Raimundo Santos.
Os frequentadores do baile, revoltados, atearam fogo em lixo no meio da rua e jogaram um paralelepípedo no para-brisa do carro do batalhão. O grupo, de acordo com o major, fugiu pelos becos da favela.

Alerj aprova hora extra para policiais, bombeiros e inspetores

FONTE: JB
A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou nesta terça-feira (17/04), em segunda discussão, o projeto de lei 996/11, que cria no estado um programa de estímulo para servidores das polícias Militar e Civil, Bombeiros Militares e Inspetores de Segurança e Administração Penitenciária dedicarem parte do seu tempo livre ao serviço extraordinário em serviços operacionais nas próprias corporações. 
Para tanto, ele define que o serviço extraordinário será aquele que ultrapasse a jornada semanal de 40 horas, exceto em condições emergenciais onde não haja possibilidade de planejamento, e define o cálculo para pagamento pelas horas extras: resultado do valor/hora normal de trabalho, de cada posto, graduação ou cargo, acrescido de 50% e multiplicado pelo número de horas extras trabalhadas.
O autor da proposta, deputado Flávio Bolsonaro (PP) explicou que a proposta busca “garantir a estes profissionais algo mais próximo do que eles merecem”. “É lógico que o ideal seriam contracheques compatíveis com a responsabilidade desses profissionais”, acentuou ele, lembrando que a medida combate a rotina dos ‘bicos’ e garante a hora extra remunerada. “Hoje eles não recebem um centavo a mais”, frisou. 
O texto encarrega o Poder Executivo da regulamentação da norma, com definição das atividades alvo do programa e da elaboração de tabela com valores das horas de serviço extraordinário.