domingo, 30 de setembro de 2012

O DEPÓSITO NA CONTA DOS EXCLUÍDOS SERÁ FEITO NA PRÓXIMA TERÇA


Devido a greve bancária, o depósito na conta dos excluídos será feito na terça-feira (02/10)


SALDO DO  ITAÚ - R$  841,00 REAIS
SALDO DO BRADESCO R$ 360,00 REAIS
UMA VERGONHA!



Faltam 13,5 mil policiais civis no estado do Rio

O FLUMINENSE 
Embora a Lei 699/83 estabeleça que o estado do Rio de Janeiro deva ter um efetivo de 23.116 policiais civis, a realidade é bem diferente. Atualmente o estado possui apenas 9.533 policiais entre delegados, inspetores, investigadores, oficiais de cartório, técnicos de necropsia, peritos legistas e engenheiro policial de telecomunicações. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sinpol), Fernando Bambeira, há um déficit de pelo menos 13,5 mil policiais espalhados pelas 167 delegacias do estado, sem incluir as especializadas. 
Um exemplo no déficit do efetivo é a 73ª DP (Neves), que depois de se transformar em Central de Flagrantes, tem registrado uma demora de até 10 horas para registrar uma ocorrência simples. Os policiais da distrital alegam que com a mudança, o número de ocorrência aumentou, mas o número de policiais não cresceu na mesma proporção. Segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis, as delegacias de São Gonçalo, Niterói e Itaboraí sofrem com esse problema há anos.
“Essa é uma das maiores queixas dos policiais ao sindicato. Atualmente o efetivo de policiais civis é muito pequeno. Temos apenas 9,5 mil policiais quando deveríamos ter 23.116. Trabalhamos com menos de 1/3 do que deveríamos possuir. Esse baixo efetivo atrapalha diretamente nas investigações e nas condenações. Como um juiz pode condenar alguém se não houver investigação?”, indagou.
Além do baixo efetivo, o presidente do sindicato salientou que atualmente 20% dos policiais estão com mais de 50 anos de idade.
“Esses policiais deveriam se aposentar. Mas, todos estão com medo de perder a gratificação de R$ 850 dada para os que trabalham nas delegacias legais. Se ele sair para outra delegacia ele perde essa gratificação. Sem contar que o salário de um policial civil é muito baixo. Nosso sindicato tem cobrado tanto para a Secretaria de Segurança quando ao Ministério Público uma solução para o nosso problema”, disse.
Neves – Atualmente a 73ª DP conta com 29 policiais e cinco delegados. Para fornecer à população um atendimento adequado, seria necessário um efetivo de pelo menos 80 agentes, de acordo com o presidente do sindicato. Segundo um inspetor que preferiu não se identificar, para cada plantão seria necessário inicialmente quatro policiais para atender ao fluxo de aproximadamente 100 ocorrências registradas diariamente.
A queixa dos policiais é com a sobrecarga de trabalho. Eles reclamam do acúmulo de funções. Os policiais alegam que mesmo com os agentes enviados pelo Regime Adicional de Serviço (RAS) – em que policiais são pagos para trabalhar em seus horários de folga – ainda não é o suficiente para atender a demanda.
“Mesmo quando a delegacia não era Central de Flagrante, o efetivo já era deficiente. Posso dizer que o que estava ruim agora piorou. Precisamos de mais efetivo para atender a população e para realizar os flagrantes. Cada plantão deveria ter pelo menos quatro policiais para o público e um para fazer os flagrantes”, comentou o agente, que preferiu não se identificar.
Além de investigação e registro de ocorrências, os agentes da 73ª DP (Neves) precisam se desdobrar para levar os presos para fazer exame de corpo de delito e para os presídios.
“Tem dia que as pessoas ficam aqui por horas esperando para fazer registro de ocorrência simples. Tudo porque temos que levar presos para presídio ou para exame de corpo de delito. Para esse tipo de atividade é necessário pelo menos dois policiais”, contou.
Além da sobrecarga de trabalho, os policiais temem ainda manter presos na delegacia com o pouco efetivo. Eles alegam que por ser próxima a duas comunidades perigosas - Complexo da Coruja e Morro do Martins -, o medo de ações criminosas na delegacia é constante.
“O fato de vir presos para cá quase todos os dias expõe tanto nós policiais quanto a população que aguarda no interior da delegacia. É um risco muito grande trabalhar aqui dentro cercado por comunidades perigosíssimas”.


Soldado da Rota morto a tiros por criminosos é enterrado em São Paulo

O corpo do soldado André Peres de Carvalho foi sepultado nesta sexta-feira (28), na capital paulista. Ele foi morto com tiros de fuzil em frente da casa dele na região do Butantã, zona oeste de São Paulo. Segundo testemunhas, dois homens dentro de um carro foram os responsáveis pelos disparos. Segundo a polícia, não há dúvidas de que o policial foi executado.

sábado, 29 de setembro de 2012

PM é baleado durante patrulhamento na UPP do Alemão


Um policial que trabalha na UPP do Alemão, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, foi baleado por traficantes na noite deste sábado (29). Ele fazia um patrulhamento de rotina a pé quando entrou em um beco, onde havia traficantes armados, e acabou atingido por um tiro na região da bacia.

O PM teria sido encurralado pelos criminosos. Ele foi socorrido por colegas e levado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), que fica na estrada do Itararé. Até às 22h20 não havia informações sobre o estado de saúde do policial.


Ex-policial militar Carlos Ari Ribeiro (Carlão) foi morto durante uma troca de tiros com a Polícia Civil


O ex-PM Carlos Ari Ribeiro, o Carlão, integrante da maior milícia do Rio, foi morto na tarde deste sábado, durante uma operação conjunta da 40ª DP (Honório Gurgel), 15ª DP (Gávea) e do Core. Segundo informações de policiais que participaram da ação, o miliciano era caçado há três meses e foi encontrado em Cosmos. Carlão teria reagido e acabou ferido. Levado pelos policiais para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, chegou à unidade morto.
Principal matador da maior milícia do Rio, o ex-PM Carlos Ari Ribeiro, o Carlão, teve ajuda interna para fugir do Batalhão Especial Prisional (BEP) da Polícia Militar, na noite do dia 1º de setembro de 2011. É o que consta da denúncia feita, ontem, pela promotora Isabella Lucas, da Auditoria Militar. Ela revela que, pouco antes da fuga ocorrer, um capitão "esqueceu" de trancar as galerias onde estavam os presos, entre eles Carlão.O mesmo oficial, que estava de serviço no BEP e tinha as chaves das celas, também deixou de fazer a conferência dos presos. No entanto, esta não foi a única facilidade encontrada por Carlão para deixar o BEP. Um cabo, que trabalhava como carcereiro e era encarregado de vigiar as celas, se ausentou da galeria onde estava o miliciano, entre 20h e 21h. Foi nesse período que Carlão deixou à cela onde estava, no segundo andar da unidade, passou por três portões até chegar a uma sala da Defensoria Pública, localizada no térreo.
Ali, de acordo com a denúncia, Carlão passou pelo buraco de um aparelho de ar-condicionado, que foi retirado por ele, e teve acesso a um pátio, onde havia uma guarita desativada. Em seguida, usou uma corda para pular um muro e fugiu.

Homem apontado como gerente do tráfico é preso e tenta subornar policais

Acusado pela polícia de gerenciar o tráfico de drogas no Morro do Martins, em Neves, divisa de Niterói e São Gonçalo, Claudio Santana Nunes, de 23 anos, conhecido por Claudio CL, foi preso na tarde desta sexta-feira por agentes do Serviço Reservado (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo). Os agentes receberam informações sobre o paradeiro do suspeito através do Disque-Denúncia. Para não ser preso, o Claudio CL teria tentado subornar os agentes, oferecendo cerca de R$ 2,5 mil. Com o acusado, foi apreendida uma carga de cocaína personalizada “por um Cavalo Alado”, avaliado em torno de R$ 2 mil. Os agentes do Serviço Reservado de São Gonçalo afirmaram que o ponto de drogas, localizado na Rua José Leonardo, um dos acessos ao morro, estava prestes a “abrir” e à espera dos viciados, quando o acusado foi surpreendido e não teve tempo de fugir. Um saco plástico contendo cerca de 418 sacolés de cocaína foi apreendido com ele. Segundo os agentes, Claudio CL era responsável pela venda da droga. O preso foi indiciado por tráfico de drogas pelo delegado Luis Antônio Ferreira, da 73ª DP (Neves) e seria transferido para um presídio na Zona Oeste do Rio. 



Empresário é libertado após passar 17h sequestrado

A polícia libertou, na manhã deste sábado, um empresário, de 44 anos, que havia sido seqüestrado em São Gonçalo e ficou 17h nas mãos de bandidos. A vítima havia saído para trabalhar, na sexta-feira, quando foi abordado pelos bandidos, que o levaram para um cativeiro. Os criminosos, que seriam responsáveis por uma série de seqüestros relâmpagos em Niterói e São Gonçalo, usaram os cartões de crédito do empresário para efetuar várias compras, que chegaram a um valor de aproximadamente R$ 4 mil.
Nesta sexta-feira a Policia Civil, divulgou um vídeo onde um casal é visto realizando compras com os cartões da vítima e espera que essa divulgação venha facilitar a identificação dos criminosos e consequentes prisões.
O empresário foi encontrado em um cativeiro na Favela da Chumbada, no Galo Branco, em São Gonçalo.

PM mata bandido no centro de São Gonçalo

Tentativa de assalto, na tarde de ontem, à loja Arte e Galeria Box -Vidraçaria, na Avenida 18 do Forte,  no centro de São Gonçalo, terminou com a morte de um dos bandidos, identificado como Wanderson Silva, morador do Engenho Novo, na zona norte do Rio. Mesmo baleado, o criminoso correu e caiu em frente a uma loja de móveis, onde morreu. Os tiros provocaram um princípio de pânico, com muita gente correndo em todas as direções. No fim, uma multidão cercou o local e o trânsito teve que ser controlado por guardas municipais, que não conseguiram impedir um engarrafamento pelas ruas do Centro.

Criminosos atiram em carro de PM na Linha Vermelha


O cabo do 3º BPM, Rodrigo Bereda de Almeida, de 32 anos, foi vítima de tentativa de assalto na pista sentido Centro da Linha Vermelha, em Duque de Caxias, por volta das 4h30min desta madrugada. Segundo Rodrigo, três criminosos tentaram roubar seu  carro que foi atingido por, pelo menos, 15 disparos de pistola. O policial, que voltava de uma casa de shows da região na companhia do enfermeiro do trabalho Bruno Araújo, de 29 anos, reagiu ao assalto. Ele e o amigo foram atingidos de raspão nos braços. Os dois foram liberados depois de serem atendidos no Hospital Moacyr do Carmo.

Polícia prende suspeito de gerenciar tráfico na Cidade Alta

Suspeito de ser o gerente do tráfico de drogas na Cidade Alta, comunidade de Brás de Pina, Rafael Antônio da Luz Vieira, de 22 anos, foi preso, nesta sexta-feira, por policiais do 16º BPM (Olaria). Ele estava em casa no momento da prisão, por volta das 15h.
Uma denúncia anônima levou os agentes até o local. Com o acusado, foram apreendidos sacolés de maconha, crack e cocaína, um carregador de armas e um caderno com anotações do tráfico. A ocorrência foi registrada na 38º DP (Irajá).

PMs acusados de estuprar menina em Teresópolis são expulsos

A Polícia Militar confirmou a expulsão da corporação de quatro policiais, , acusados de terem estuprado uma adolescente de 14 anos, em abril deste ano, em Teresópolis. Os nomes dos PMs não foram divulgados, segundo o site G1.
Em depoimento à Polícia Civil, a adolescente contou que foi violentada por dois militares em uma estrada e que depois eles a entregaram a outros dois policiais. Um deles também teve relações com a garota. O outro ficou apenas olhando. Diante da acusação, a PM abriu inquérito e afastou os policiais do serviço nas ruas. A Polícia Civil informou que o caso agora está sendo investigado pelo Ministério Público Militar.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Estratégia pode tirar da cadeia Nem da Rocinha

 Depois da libertação de sete dos nove presos no caso da invasão ao Hotel Intercontinental, em São Conrado, agora um jogo de xadrez começa a ser disputado entre o Ministério Público Estadual e a defesa de Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, acusado de ser o ex-chefe do tráfico na Rocinha.
As peças estão sendo mexidas no tabuleiro da Justiça para reforçar as grades que mantêm o traficante preso desde novembro de 2011, ou abrir os cadeados da porta da frente da cadeia e devolver-lhe a liberdade em dois anos.
A estratégia do advogado Jaime Fusco — o mesmo que atuou na libertação dos sete presos — é juntar numa única Vara Criminal os nove processos que existem contra seu cliente, espalhados por diversas varas. Como em todos os casos a acusação é de associação para o tráfico, num determinado espaço de tempo, Fusco quer que Nem responda por um único crime.
É o princípio de uma figura jurídica chamada 'litispendência', reconhecendo que existem várias ações, mas todas idênticas, acarretando na extinção de uma ou mais ações. Trocando em miúdos, é como se apenas um processo sobrevivesse e os demais fossem exterminados.
E por pouco ele já não conseguiu. Fusco impetrou recurso, em segunda instância, pedindo a união dos processos. Por questões de ordem jurídica, o recurso foi destinado à 7ª Câmara Criminal, cujo presidente é o desembargador Siro Darlan — o mesmo que concedeu a liberdade aos sete réus do caso do Intercontinental, por decurso de prazo.
O julgamento do recurso ocorreu no último dia 25, em segredo de Justiça. Siro Darlan deu parecer favorável, mas os dois outros desembargadores que julgaram o caso negaram o pedido. O advogado pode recorrer da decisão.
O pulo do gato, porém, é mais alto — e por isso o advogado depende de unir os processos. Como Nem já foi condenado em 2009, em primeira instância, num outro processo por associação para o tráfico, Jaime Fusco poderia invocar o Pacto de São José da Costa Rica, do qual o Brasil é subscritor, que determina que uma pessoa não pode ser condenada duas vezes pelo mesmo crime.
Fusco pode pedir à Justiça a suspensão de todos os processos contra Nem, até que o caso no qual ele está condenado não caiba mais qualquer recurso.
 
Associação a pessoas diferentes é caminho para impedir liberdade
Nem foi condenado num processo a sete anos de prisão e é tecnicamente réu primário. Se a defesa conseguir unificar a acusação de associação para o tráfico e depois suspender os processos com base no Pacto de São José da Costa Rica, Nem ganharia liberdade condicional cumprindo dois quintos da pena. Ou seja: três anos. Como o líder do tráfico na Rocinha está preso há um ano, faltariam dois para que ele sair.
O MP está alerta. “Em cada processo, Nem estava associado a pessoas diferentes. Portanto, cada processo se trata de um caso diferente e todos têm que ser julgados pelas varas nas quais se encontram”, analisa o promotor Décio Alonso Gomes, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado.
Sucessão de atrasos e burocracia no rito processual permitiram que sete dos dez acusados da invasão ao Hotel Intercontinental (2010), em São Conrado, fossem postos em liberdade em maio por força de habeas corpus deferido pelo desembargador Siro Darlan. 

Polícia encontra corpo que pode ser do DJ Chorão

Agentes da 21ª DP (Bonsucesso) encontraram, nesta sexta-feira, perto de uma ponte na Ilha do Governador, o tronco de um corpo que eles acreditam ser de Raphael Rodrigues da Paixão, o DJ Chorão, de 26 anos. Segundo o delegado da 21ª DP (Bonsucesso), José Pedro Costa Silva, o corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde será submetido a teste de DNA feito com material genético de Jorgenete Rodrigues da Paixão, 40 anos, mãe da vítima. De acordo com ele, seis suspeitos de participação no crime foram identificados. As buscas continuam.
A polícia confirmou nesta quinta-feira que o DJ foi realmente morto por traficantes da Favela Parque União, no Complexo da Maré. O jovem, que desapareceu sábado, foi submetido ao ‘tribunal do tráfico’ e esquartejado vivo na frente de moradores. Bandidos ocuparam a casa que ele morava, na Rua da Paz, e montaram uma boca de fumo. O carro dele, um Palio branco, também foi queimado.

Exército e Marinha reforçarão segurança na eleição no Rio

Tropas ocuparão áreas não pacificadas a partir deste domingo para garantir o acesso de funcionários do TSE, candidatos e eleitores


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na quinta-feira o envio de tropas do Exército e da Marinha para o Rio de Janeiro durante a próxima semana. O objetivo é garantir o acesso de funcionários da Justiça Eleitoral, candidatos e eleitores a regiões da capital que ainda não foram pacificadas. Os soldados serão enviados já neste domingo.
Segundo o plano elaborado pelo Ministério da Defesa e pelo TSE, serão empregados fuzileiros navais no conjunto de favelas que forma o Complexo da Maré. Já os militares do Exército vão atuar na segurança em bairros da zona oeste da cidade. As tropas vão permanecer no local das 8 horas às 18 horas e a população será avisada de que a ação tem o objetivo de garantir o exercício do processo eleitoral e não tem fins de pacificação.
De acordo com o TSE, o envio de tropas por uma semana não está previsto no convênio firmado pela Corte com o Ministério da Defesa, que só prevê a presença de militares no dia das eleições. Foi preciso formar uma comissão, composta por representantes da Justiça Eleitoral, do Ministério da Defesa e do governo do Rio de Janeiro para analisar a presença dos soldados na cidade por tantos dias.
A decisão foi tomada com base no voto da presidente do TSE, Cármen Lúcia Antunes Rocha. O vice-presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, não concordou, por considerar impróprio abrir exceções.
Durante o período em que as tropas estiverem nas comunidades, funcionários da Justiça Eleitoral irão atuar para combater a propaganda irregular e garantir que os candidatos façam campanha normalmente.
O TSE também aprovou o envio de tropas federais para os municípios fluminenses de Magé, São Gonçalo, Itaboraí, Rio das Ostras, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes e Macaé, mas somente para o dia da eleição. Até o momento, o tribunal já aprovou o envio de forças federais para 143 municípios nos estados do Amazonas, Amapá, Alagoas, Maranhão, Pará, Paraíba, Tocantins, Sergipe e Rio de Janeiro.

Dilma sanciona lei que torna crime a formação de milícia

VEJA 

Alteração no Código Penal aumenta também punição para integrantes de milícia ou grupos de extermínio que cometerem lesão corporal ou homicídio

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira lei que tipifica o crime de formação de milícia e grupo de extermínio. A alteração no Código Penal foi feita a partir de projeto de lei do deputado Luiz Couto (PT-PB), aprovado no Congresso Nacional. A nova lei vale a partir de sua publicação no Diário Oficial da União, nesta sexta.
Com a alteração, o Código Penal passa a ter o artigo 288: “Constituir, organizar, integrar, manter ou custear organização paramilitar, milícia particular, grupo ou esquadrão com a finalidade de praticar qualquer dos crimes previstos neste Código.” A pena para quem se compõe esse tipo de organização vai de quatro a oito anos de prisão.
A nova lei aumenta ainda, em um terço, a punição para integrantes de milícias ou grupos de extermínio que cometerem crimes de lesão corporal ou homicídio. A pena básica para lesão corporal varia de três meses a oito anos de reclusão. A para homicídio doloso (de propósito) vai de seis a trinta anos de prisão.

PF prende traficantes ligados a Matemático

JORNAL DO BRASIL

As polícias Federal e Militar prenderam, em Bangu, quatro integrantes da quadrilha de Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, que chefiou o tráfico de drogas nas comunidades de Taquaral e Coreia até maio deste ano.
Os envolvidos supostamente fraudavam o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, utilizando terceiros que figuravam como contemplados, quando, na realidade, os imóveis eram destinados à companheira e às namoradas de Matemático.
A ação é o fechamento da investigação que levou à localização do corpo de Matemático no interior de um carro, próximo ao viaduto antigo de Bangu, na Zona Oeste do Rio.
Os acusados, que poderão responder por associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, serão conduzidos à Superintendência Regional da Polícia Federal para formalização das prisões e, posteriormente, encaminhados ao sistema penitenciário.

SÃO PAULO - PCC é suspeito de morte do ex-PM justiceiro

Uma interceptação telefônica oficial registrou contatos de bandidos  planejando uma grande ação criminosa em Pindamonhangaba, no interior. Horas depois, o ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, conhecido como Cabo Bruno, de 53 anos, foi executado na noite de quarta-feira, na cidade. Famoso por liderar o chamado Esquadrão da Morte (grupo acusado de matar pelo menos 50 pessoas na década de 1980), Florisvaldo saiu da Penitenciária 2 de Tremembé havia apenas 35 dias, depois de cumprir 27 anos de  pena.
 No sistema carcerário houve comemorações e a principal hipótese sobre a motivação é uma  vingança orquestrada pelo crime organizado.

De acordo com a Polícia Militar, Florisvaldo de Oliveira voltava  para casa, na Rua Álvaro Leme Celidônio, no bairro Quadra Coberta. Por volta das 23h, dois criminosos se aproximaram, cada um  por um lado da rua. Os matadores começaram a atirar no ex-PM, que foi atingido por cerca de 20 disparos de pistolas de calibres 45 e 380. O Cabo Bruno, muito atingido na barriga e no rosto, morreu na rua. Os bandidos fugiram e não roubaram nada da vítima.
O Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) recebeu três chamadas informando sobre o assassinato. As primeiras viaturas chegaram ao local e encontraram o corpo do Cabo Bruno ao lado de um Astra prata, que também tinha perfurações de bala.
Há suspeita de que ele tenha sido vítima de uma emboscada e baleado no carro. Em seguida, teria deixado o veículo, na tentativa de escapar com vida. Três homens armados, um deles ao volante de um Fiat  Doblô prata, seriam os autores do crime, de acordo com  testemunhas.

Palestra /Cabo Bruno tornou-se evangélico. No domingo, foi empossado como pastor da Igreja Refúgio em Cristo, em Taubaté, e, na terça-feira, realizou uma palestra de  20 minutos para 30 PMs em um Batalhão da capital. Ele discorreu sobre seus erros do passado e alertou os policiais da ativa para que não os repetissem.
“Ele falou bastante sobre o passado, mas com o objetivo de incentivar os novos policiais para que não façam o mesmo que ele fez e sejam mais conscientes na hora de tomar decisões nos trabalhos de rua. Foi um testemunho rápido, mas com a certeza de grandes vitórias”, afirmou a pastora Dayse da Silva Oliveira, de 46 anos, mulher do ex-policial.

SÃO PAULO - PM morre com disparo acidental durante treinamento

Um cabo da Polícia Militar (PM) morreu, na manhã da última quarta-feira (26), após um tiro acidental atingir sua cabeça durante um treinamento na Base da Força Aérea, em Cumbica, bairro de Guarulhos, na Grande São Paulo. O soldado que efetuou o disparo entrou em estado de choque e precisou ser socorrido no Hospital da PM.
O cabo Marcos Paulo Kneubauhl Cruz, do 43º Batalhão, na zona norte da capital, recebeu o tiro em meio a uma aula de instrução de tiro. Ele ainda foi socorrido no Hospital Geral de Guarulhos, mas não resistiu ao ferimento. De acordo com a PM, Cruz tinha 36 anos, era casado e estava há 16 anos na corporação.
O soldado que fez o disparo tem 19 anos. A PM informou que instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias da morte.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Suspeito de emplacar carros roubados chora ao ser preso

Um jovem funcionário do Detran-RJ, de 22 anos, suspeito de emplacar carros roubados, foi às lágrimas ao ser preso na manhã desta quinta-feira (27), na zona oeste do Rio de Janeiro. O rapaz é integrante de uma quadrilha de oito pessoas especializada em roubar carros, principalmente, na zona norte. A polícia apreendeu R$ 12 mil em dinheiro, relógios, celulares e lacres de placas Pouco depois, outros dois suspeitos foram presos. A dupla estava em dois carros, um deles, importado, teria sido roubado de uma agência na Barra da Tijuca. De acordo com a Polícia Civil, os oito integrantes da quadrilha já foram presos.


Traficantes trocam tiros na comunidade Jorge Turco

Traficantes rivais trocam tiros desde o início da noite desta quinta-feira na comunidade Jorge Turco, em Rocha Miranda, Zona Norte da cidade. Um grupo de bandidos do Morro da Pedreira, em Costa Barros, de uma facção criminosa rival, tenta invadir o local. 
As informações iniciais dão conta de que um suspeito teria morrido após ser baleado em confronto com policiais do 9º BPM (Rocha Miranda). Além disso, dois suspeitos teriam ficado feridos.
De acordo com a Polícia Militar, outro grupo de traficantes, do Morro do Chapadão, também foi para o local para apoiar os criminosos que atuam no Jorge Turco. O tiroteio é intenso e causa apreensão nos moradores da região.
A ação seria comandada por Saulo Cristiano Oliveira Dias, o Saulo do Chapadão, segundo homem na hierarquia do tráfico do Chapadão.

Suspeito troca tiros com PM e ‘esquece’ a tornozeleira rastreadora

Um homem suspeito, identificado como Elton Gomes da Silva, 28 anos, que seria morador do Morro do Estado, no Centro de Niterói, está sendo procurado após trocar tiros com policiais do 7° BPM (São Gonçalo) na noite da última quarta-feira no bairro Barro Vermelho.
Policiais teriam mandado Elton parar o veículo em que ele estava, um Gol preto, para ser revistado em uma blitz. O suspeito teria acelerado e efetuado inúmeros disparos conta a guarnição que foi atingida com quatro tiros. Nenhum dos policiais ficou ferido.
Os militares então reviraram os tiros e iniciaram uma perseguição. Os criminosos abandonaram o carro e fugiram a pé, invadindo várias casas.  Todos conseguiram fugir, entretanto, ao revistarem o veículo, os policiais encontraram um rastreador, uma espécie de GPS, que seria plugado a uma tornozeleira usada por Elton, que estava na condicional pelo crime de roubo.
Dentro do carro, os policiais ainda encontraram também vários documentos, como a carteira de habilitação do suspeito. Um dos moradores que teve a residência invadida pelos criminosos reconheceu Elton como sendo um dos que entraram em sua casa.
Companheira do suspeito vai à delegacia- A esposa do suspeito compareceu à delegacia e informou aos policiais que Elton trabalhava em campanhas eleitorais e na noite do crime teria saído para beber com amigos. O veículo em que os criminosos estavam possuía marcas de pelos menos 10 tiros.
Detento também retira tornozeleira em São Gonçalo- No último dia 21 de agosto, um jovem de 21 anos que cumpria pena em regime semiaberto conseguiu retirar a tornozeleira usada para localização de presos e roubou uma motocicleta em Nova Cidade, São Gonçalo. Ele assaltou o dono da motocicleta ameaçando-o com um revólver calibre 38.

CANIBALISMO

A cena de um adolescente de 16 anos comendo pedaços do corpo da própria mãe, em Nova Iguaçu, espantou até mesmo os policiais, acostumados a lidar com casos bizarros no cotidiano violento da Baixada Fluminense. O delegado Luiz Jorge Rodrigues, da Delegacia da Posse (58ª DP), classificou a situação como deplorável.


Cabo da PM é preso, suspeito de estuprar cinco mulheres na Baixada Fluminense

Policiais da Delegacia de Atendimento a Mulher de São João de Meriti (Deam) prenderam, nesta quinta-feira, o cabo PM Alexandre Nunes Moreira, de 38 anos. Lotado no 15º BPM (Duque de Caxias), ele é suspeito de estuprar cinco mulheres, que já o reconheceram na delegacia.
O policial usava seu carro, um Peugeot Passion, para abordar as vítimas. Segundo os investigadores da Deam, de dentro do veículo, o PM apontava a arma para a vítima e a obrigava a entrar no banco traseiro.
A polícia chegou até Alexandre Nunes Moreira depois que uma de suas vítimas o reconheceu na rua, no bairro Praça da Bandeira, em São João de Meriti.
Contra Alexandre havia um mandado de prisão temporária. Ao ser preso, a polícia encontrou com o PM uma touca ninja usada para estuprar as vítimas.



Polícia encontra esconderijo de traficantes em comunidade na Baixada Fluminense

Policiais do Bope, dos Batalhões de Choque e de Mesquita e do Grupamento de Cães estiveram na comunidade Grão Pará, em Nova Iguaçu. Em uma área de mata foi encontrada uma espécie de acampamento. Durante a operação, aulas de escolas da região foram suspensas.


CABO DA POLÍCIA MILITAR NÃO RECEBE PREMIAÇÃO

Cabo da policia militar mesmo com uma ficha disciplinar exemplar (apenas respondeu a um conselho disciplinar, devido ao movimento reivindicatório por melhores condições de trabalho e salário da corporação)  não teve direito a Premiação.
Cabo MARCO AURÉLIO trabalhou durante 12 anos no efetivo do 2º BPM, participando de maneira efetiva e operacional em todos os processos de pacificação na área do batalhão, como a primeira UPP do Rio de Janeiro no Morro Dona Marta, no Tabajaras, Tavares Bastos (onde hoje e o Bope) no Morro Azul e no Morro Santo Amaro, trazendo a paz e uma queda de 80% no índice de criminalidade.
Consequentemente colaborando com o merecido 1º  LUGAR do 2º BPM nas metas de diminuição de criminalidade.



JORNAL DO BRASIL
A Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro promoveu na última terça-feira (25) no Teatro João Caetano, a cerimônia de premiação do Sistema Integrado de Metas e Acompanhamento de Resultados (SIM). Foram
 reconhecidos, com bônus em dinheiro, os policiais das unidades que mais reduziram os indicadores estratégicos de criminalidade no primeiro semestre de 2012. 

De acordo com a lista publicada no Diário Oficial, o Sistema Integrado de Metas premiará com R$ 9 mil os agentes de segurança da Área Integrada de Segurança Pública (AISP 2) por terem alcançado a primeira colocação com 105 pontos. Com isso, serão contemplados os policiais lotados no 2º BPM (Botafogo) e nas 9ª (Catete) e 10ª DP (Botafogo).
O segundo melhor resultado entre as Áreas Integradas foi da AISP 4, que compreende o 4º BPM (São Cristóvão), a 6ª DP (Cidade Nova), a 17ª DP (São Cristóvão) e a 18ª DP (Praça da Bandeira). Os policiais dessas unidades receberão o bônus de R$ 6 mil por terem alcançado 99 pontos.
A terceira posição ficou com AISP 38, que inclui o 38º BPM (Três Rios), a 107ª DP (Paraíba do Sul), a 108ª DP (Três Rios) e a 109ª DP (Sapucaia). Os policiais dessas unidades atingiram 93 pontos e receberão o bônus de R$ 4,5 mil de gratificação.

Mudança na idade da aposentadoria de bombeiros é aprovada pela Alerj


Foi aprovada, nesta quarta-feira, pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) o projeto de lei que altera as idades de aposentadoria no Corpo de Bombeiros. A proposta, de autoria do Poder Executivo, estabelece que o ingresso na reserva remunerada — período no qual o bombeiro ainda pode ser convocado pela corporação — será a partir dos 60 anos. Pela regra que ainda está em vigor, praças e oficiais dos Bombeiros podem parar de trabalhar entre 48 e 59 anos, dependendo da patente. A mudança será oficializada após a sanção do governador Sérgio Cabral.
Para a reforma, a aposentadoria dos militares poderá ser pedida aos 62 anos. Atualmente, essa idade varia entre 58 e 64, também conforme o posto ou a graduação. Apenas uma das nove emendas propostas foi aprovada, garantindo a aposentadoria aos bombeiros que completarem 30 anos de serviço.
A Alerj também aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que regulamenta o regime de dedicação exclusiva para os professores da Uerj. Assim, os docentes com jornada semanal de 40 horas que quiserem trabalhar somente para a instituição vão receber o Adicional de Dedicação Exclusiva (ADE), correspondente a 65% do salário básico. Esse valor será repassado em três parcelas anuais, a partir de 2013, sempre no mês de janeiro. O ADE também será considerado no cálculo do adicional de férias e do 13º salário. Sete das 90 emendas apresentadas foram aprovadas.

Maré: Tribunal do tráfico condena e some com DJ



Julgado por traficantes, torturado e esquartejado vivo. Assim foram os últimos minutos de Raphael Rodrigues da Paixão, o DJ Chorão, 26 anos, segundo amigos e vizinhos dele no Parque União, Complexo da Maré.

O jovem está desaparecido desde sábado, quando foi visto pela última vez na saída de um baile na favela onde morava. Relatos apontam que ele foi abordado quando chegava em casa, na Rua da Paz, às 5h30. Tentou fugir, mas foi ferido por tiros na perna. Arrastado até a Rua Brasília, teria sido submetido ao "tribunal" e morto, sob tortura.

O desaparecimento não havia sido registrado até a noite de ontem em delegacia. O clima é de medo entre amigos e parentes.

Há dois meses, Chorão começou a organizar e tocar em baile na comunidade Chaparral, próxima ao Parque União. E tinha sido advertido por traficantes da Maré a não se apresentar no local, dominado por milícia que expulsou o Comando Vermelho. Não obedeceu. Esse teria sido um dos motivos da execução.

Julgamento na frente de moradores

Antes de sumir, o DJ Chorão teria sido submetido a um ‘julgamento’ na frente de vários moradores do Parque União. A sentença final foi dada pelo chefe do tráfico da favela, Jorge Luiz Moura, o Alvarenga.

Segundo moradores que saíam para trabalhar, o jovem foi espancado e seu corpo teria sido retalhado, colocado num saco e jogado no final da Rua Ari Leitão, na Maré.

Segundo testemunha, alguns moradores ainda tentaram convencer criminosos para que eles devolvessem o corpo, mas os bandidos alegaram que Chorão traiu o grupo e essa era sua sentença.

Ex-mulher e filha somem

O vice-presidente da Associação de Profissionais e Amigos do Funk (Apafunk), o cantor Mano Teko, disse que foi informado da morte do DJ Chorão, mas não sabia detalhes.

Desde o sumiço do jovem, a ex-mulher e a filha do DJ não foram mais vistas na comunidade, segundo contaram amigos e vizinhos. Elas deixaram o local, e ninguém sabe o paradeiro.

Para Igor Monteiro, o Xerife, do site Balada Mixx, o DJ Chorão era um dos profissionais mais conceituados do ramo. Ele contou que esteve com o artista há duas semanas num baile e que o jovem estava tranquilo.

“Ele era muito comunicativo, era um ótimo DJ. Era considerado um dos melhores no meio do funk. Para o Chorão, sua a família e Deus estavam acima de tudo”.

Equipe de reportagem da rede CNT é assaltada perto do Engenhão

Uma equipe de reportagem da rede televisiva CNT foi assaltada na noite desta quarta-feira (26) nas proximidades do Estádio João Havelange, o Engenhão.
O repórter, o motorista e o cinegrafista, que fazem parte do programa Balanço Esportivo, foram abordados no trânsito, próximo à entrada da favela do Jacarezinho. Eles seguiam para o estádio para cobrir o jogo entre o Flamengo e o Atlético Mineiro, quando três homens, dois em uma moto e um a pé, todos armados, obrigaram a equipe a entregar o equipamento de filmagem, além de seus pertences pessoais.

SÃO PAULO - Cabo Bruno é assassinado a tiros um mês após sair da prisão

Solto havia 36 dias, depois de cumprir uma pena de 28 anos, Florisvaldo de Oliveira, o Cabo Bruno, foi assassinado a tiros em Pindamonhangaba, interior de São Paulo. Acusado de chefiar um grupo de extermínio e matar mais de 50 pessoas na periferia de São Paulo nos anos 80, Cabo Bruno foi morto aos 53 anos, quando chegava em sua casa, no fim da noite desta quarta-feira. A Polícia Civil ainda não tem suspeitos mas acredita que se trata de uma execução.
De acordo com informações da Polícia Militar, Florisvaldo estava acompanhado de parentes e voltava de um culto evangélico, por volta das 23h45m, quando dois homens chegaram - um de cada lado da rua. Foram disparados cerca de 20 tiros contra o ex-policial, que morreu na hora.
- Ele estava acompanhado dos familiares quando foi surpreendido. Desceu do veículo e somente ele foi alvo do crime - afirmou à TV Vanguarda o tenente da PM Mario Tonini.
Cabo Bruno havia sido condenado a 117 anos e quatro meses de prisão. Cumpriu um quarto da pena , beneficiado por um decreto do governo federal, que concede perdão a presos que cumpriram 23 anos consecutivos e tenham bom comportamento. No dia 23 de agosto ele deixou o presídio de Tremembé, no interior paulista, para seguir a vida de pastor evangélico ao lado da mulher, a pastora e cantora gospel Dayse França.


Viatura da PM cai em ribanceira na Grajaú-Jacarepaguá

Uma Blazer da Polícia Militar que seguia pela Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, capotou e caiu em uma ribanceira de aproximadamente 40 metros próxima à via, no início da madrugada desta quinta-feira. O acidente ocorreu após a primeira passarela, no sentido Jacarepaguá.
Os dois policiais do 6º BPM (Tijuca) que estavam na viatura - o soldado Adnilson Vialle de Almeida e o terceiro sargento indentificado apenas como Viana  - ficaram feridos no acidente e foram encaminhados ao Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Um deles teria quebrado um braço e o outro sofrido corte profundo na testa, mas não correriam risco de morrer, segundo as primeiras informações dos bombeiros. Militares do quartel de Vila Isabel fizeram o resgate.
A pista, sentido Jacarepaguá, na altura da terceira passarela de pedestres, estava molhada no local do acidente e o motorista  teria perdido o controle da Blazer logo depois de uma curva. A 19ª DP (Tijuca) vai investigar se os PMs perseguiam algum carro ou se foram fechados por  bandidos.

O veículo destruiu cinco colunas de concreto da mureta da via e derrubou oito ferros de sustentação, antes de cair em um matagal que fica nos fundos de um condomínio. Colegas dos policiais recolheram armas, carregadores e os pertences deles, que ficaram na Blazer, e levaram para o batalhão.
Uma faixa da pista sentido Jacarepaguá na altura da terceira passarela para pedestres segue interditada, já que uma perícia está sendo realizada no local do acidente.



quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Campeã brasileira,Yries Pereira troca elite do surfe profissional pela PM do Rio


Soldado do Batalhão de Choque deixou topo do esporte e patrocínio por carreira militar. Na polícia, continua a vida de atleta: é a campeã interna no Super Teste de Aptidão Física, vai disputar mundial de futsal na Holanda e pretende ser a  

 

Campeã brasileira de surfe, Yries Pereira abandonou patrocínio e uma carreira de sucesso na elite do esporte no Brasil, o Super Surfe, pelo sonho de ser militar. Desde o ano passado, ela é soldado da Polícia Militar do Estado do Rio e trabalha no Batalhão de Choque desde o início deste ano.
“Meu sonho de criança era ingressar na carreira militar. Mas eu achava que era incompatível com o esporte, apesar de a disciplina ser a mesma.”


LEIA A REPORTAGEM COMPLETA AQUI

 

Oficial da PM é condenado pela morte de estudantes em Niterói

O GLOBO
O tenente da Polícia Militar Ricardo Araújo Delgado foi condenado a 11 anos e oito meses de prisão pela morte dos estudantes Filipe Mariano Pereira Brito, de 15 anos, e João Gabriel de Matos Lemos, 16. Os jovens foram assassinados a tiros de fuzil quando saíam de um pagode, em Pendotiba, Niterói, em março de 2009. Os outros dois PMs acusados de forjar o auto de resistência que culminou com a morte dos jovens – o aspirante Breno César Andrade de Pereira e o cabo Ronaldo Oliveira Lemos – foram absolvidos. A sentença foi proferida, na madrugada de hoje, pelo juiz Peterson Barroso Simão, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói.
De acordo com o Ministério Público, os PMs, na época lotados no 12º BPM (Niterói), realizavam patrulhamento de rotina em Pendotiba, quando passaram a perseguir os estudantes, que trafegavam em uma motocicleta pela Estrada Francisco da Cruz Nunes. Os jovens fugiram da abordagem e acabaram atingidos pelos tiros, disparados pelo oficial. Na época, os policiais alegaram que as vítimas estavam armadas e apresentaram um revólver calibre 38 para justificar um confronto, que, de acordo com testemunhas, não ocorreu.
"A culpabilidade do réu é acentuada, com alto grau de reprovabilidade e censurabilidade. Poderia ter agido de outra forma e não o fez, tendo ciência inequívoca de sua ilicitude. O réu não se intimidou com o cometimento dos crimes com uma audácia extremamente reprovável. Como policial militar, cabia-lhe dar bom exemplo e defender o cidadão e a sociedade, e não prejudicá-los. Desferiu disparos de arma de grosso calibre contra dois menores indefesos em Avenida movimentada da Cidade. Poderia abordá-los e detê-los sem necessidade do confronto armado, considerando a tenra idade das vítimas e a experiência daquele que exercia a liderança e chefia da guarnição", concluiu o magistrado na sentença.

PM é preso com carro e armas irregulares

Um subtenente da Polícia Militar foi preso em flagrante nesta segunda-feira à tarde com carro e a arma em situação irregular. O oficial foi detido quando deixava o 4º BPM (São Cristóvão), onde era lotado, e levado para a 17ª DP (São Cristóvão).

O policial foi preso após investigação da 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), que recebeu denúncia anônima de que o Lifan 320 (placa KVD-5447) que ele usava, avaliado em cerca de R$ 30 mil, tinha restrição judicial.

De acordo com os agentes, o veículo é produto de estelionato. No veículo, foram encontrados um revólver sem numeração e granada de luz e som.
O PM preso afirmou não saber que o carro era objeto de restrição judicial e disse ter sido enganado ao adquirir o veículo. Quanto ao revólver, alegou tê-lo comprado depois que sua pistola foi apreendida para perícia, por ter sido usada em ocorrência.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Trinta e oito são presos em operação contra fraudes no Detran

Trinta e oito pessoas já foram presas na operação Asfalto Sujo, até 11h desta terça-feira. A ação foi desencadeada pela Corregedoria do Detran, pelo Ministério Público e pela Polícia Civil e ocorre em diversos pontos do estado do Rio para cumprir 41 mandados de prisão e 67 de busca e apreensão. Os alvos da ação são suspeitos de realizar fraudes no Detran.
A quadrilha é formada por funcionários do órgão, despachantes e zangões que atuavam em pelo menos quatro postos de vistoria. Além dos 41 denunciados pelos crime de formação de quadrilha e corrupção, outros 10 acusados vão responder por crimes isolados de corrupção, destruição de documento público e inserção de dados falsos em sistema, somando 53 crimes. O Ministério Público requereu ainda a suspensão do exercício de função pública de 47 funcionários do Detran e despachantes públicos registrados.
Policiais fazem operação em diversos pontos do estado
Policiais fazem operação em diversos pontos do estado Foto: Urbano Erbiste / Extra
No esquema, os suspeitos, segundo a denúncia, recebiam propina para realizar de forma ilegal vistorias de licenciamento anual, transferências de propriedade de veículos e emissão de documentos. A investigação sobre a quadrilha começou há seis meses. Os agentes percorrem desde o início da manhã os municípios de Itaboraí, São Gonçalo, Niterói, Tanguá, Rio Bonito, Cachoeiras de Macacu, Magé, Rio de Janeiro, Duque de Caxias, Campos, São Fidélis e Bom Jesus do Itabapoana.
A quadrilha agiria desde julho de 2009 e lucrava cerca de R$ 200 mil por mês. A prática da “vistoria fantasma” era a fraude mais comum. Segundo investigações, documentos referentes a vistoria do veículo para licenciamento anual eram emitidos sem que o carro fosse levado ao posto do Detran.
Entre os detidos, há um despachante localizado em casa, no bairro Paraíso, em São Gonçalo. Ele foi levado até seu escritório, onde foram apreendidos documentos.

PM faz operação no Jacarezinho e apreende 200 quilos de drogas

Um homem foi preso e cerca de 200 quilos de drogas apreendidos durante operação de policiais do Batalhão do Choque (BPChq) e do Batalhão de Ações com Cães (BAC) na Favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. 
O preso estava com com nove cápsulas de cocaína, duas pedras de crack, um sacolé de maconha e R$ 67 em espécie. 
Além disso, os policiais encontraram cerca de 200 quilos de drogas dentro de um baú que tinha sido enterrado pelos traficantes.

Bope apreende metralhadora da Primeira Guerra em esgoto

O Batalhão de Operações Policiais da Polícia Militar (Bope) apreendeu na tarde desta terça-feira (25) uma metralhadora americana da Primeira Guerra Mundial, em uma rede de esgotos no Morro do Salgueiro, na Tijuca, Zona Norte do Rio.
Segundo informou a polícia militar, a metralhadora .30 browning calibre é utilizada como uma arma antiaérea e tem a capacidade de derrubar aeronaves.
A arma foi encontrada após uma denúncia anônima. A apreensão foi levada para a 19º DP, na Tijuca.

Policial Militar desaparecido

Policial Militar desaparece e família não consegue receber pensão.
O carro do SD Carlos Alberto Ribeiro Chaves Junior (5º BPM), foi encontrado com marcas de sangue perto da Vila Vintém, em Padre Miguel. Parentes receberam a informação de que ele teria sido levado para dentro da comunidade por bandidos


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

PM investigará suposta milícia no Leblon

O Globo

A formação de uma suposta milícia na Rua Aperana, no Leblon, será investigada pela equipe do Serviço Reservado do 23º BPM (Leblon), como informou o comandante da unidade, tenente-coronel Luiz Octávio Lopes da Rocha Lima. A denúncia do aumento de seguranças na via, que é cercada de trilhas que levam ao Vidigal, foi publicada neste domingo pela coluna Gente Boa de Joaquim Ferreira dos Santos, no Globo.
Policiais militares estariam oferecendo o serviço de porta em porta e já trabalhariam para diversos condomínios do endereço. A Rua Aperana é uma das mais valorizadas do Alto Leblon. A via é paralela ao trecho final da movimentada Avenida Visconde de Albuquerque, nas proximidades da Avenida Niemeyer. Depois do último prédio residencial, começa um caminho sem edificações que leva ao Parque do Penhasco. A rua alcança a comunidade Chácara do Céu.
O comandante Luiz Octávio afirmou ser contra esse tipo de serviço, segundo ele, perigoso para o morador:
— Não reconheço essa oferta como legal. Chega a ser perigoso para o morador, que permite a um desconhecido acompanhar a rotina do condomínio, sem saber suas reais intenções.
Policial envolvido pode ser preso
O tenente-coronel enfatizou ainda que na reunião do Conselho Comunitário do bairro, nesta semana, conversará com os moradores sobre o risco da contratação dos seguranças:
— Não recebi reclamações sobre o problema. É importante, inclusive, que moradores procurem a Polícia Civil para registrar boletins de ocorrência com as ofertas do serviço. Entrarei em contato com o delegado da 14ª DP (Leblon). Vou investigar. Se policiais estiverem envolvidos, eles serão presos e punidos administrativamente.
Presidente da Associação de Moradores do Alto Leblon, Evelyn Rosenzweig disse que a contratação desse tipo de serviço já foi comum na região, alguns anos atrás. Ela não havia notado o aumento do número de seguranças na via até um morador a procurar para fazer a queixa. Segundo Evelyn, ele estava preocupado, já que seu condomínio tinha a intenção de contratar os serviços de um policial militar:
— Acho um equívoco contratar esse tipo de serviço. Sei que existe uma pressão, mas com tantos meios tecnológicos, como câmeras, travas eletrônicas e alarmes, é mais conveniente investir nesses equipamentos do que no “policiamento” da rua. Até porque, nesses casos, não há uma empresa corresponsável. O meu prédio não tem seguranças, mas câmeras sim.
Ela não acredita que a região esteja vivendo uma escalada nos assaltos a residências, o que poderia motivar as contratações. Para Evelyn, houve um aumento de ocorrências nas ruas, como as saidinhas de banco.


Bandidos atacam viatura da PM

Uma viatura da Polícia Militar foi atacada por dois homens em uma motocicleta na entrada do Túnel Rebouças, no Humaitá, na Zona Sul, na manhã desta segunda-feira. A dupla, que havia tentado roubar um posto de combustíveis na Avenida Borges de Medeiros, próximo ao Parque dos Patins, ainda efetuou disparos entre as duas galerias do túnel, no Cosme Velho.

Os PMs se esconderam atrás da viatura para escapar dos disparos. Ninguém se feriu. Os bandidos fugiram na direção do Cosme Velho. Como medida de segurança, o túnel ficou fechado por alguns minutos. Policiais fazem buscas pelos criminosos na região.

domingo, 23 de setembro de 2012

Policial federal morre em tentativa de assalto

Bombeiro, que seria parente da vítima, também foi baleado


O policial federal Jonas da Cunha morreu após ser baleado por um bandido durante uma tentativa de assalto neste domingo no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio.
O agente estava em seu carro e passava pela Rua Doutor Leal, altura da Ramiro Magalhães, quando foi abordado pelo criminoso, que estava em uma moto e reagiu, sendo atingido com um tiro na cabeça.
Após breve confronto, o sargento Eduardo Brittes, que também estava no veículo, foi ferido por estilhaços no ombro e no rosto e está em observação no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. Ele seria parente da vítima.

De acordo com a policia, o bandido foi baleado, mas roubou uma picape e conseguiu fugir. A  delegacia de Homicídios (DH) investiga o caso.
 

SOLDADO DESAPARECIDO

12 DE MARÇO DE 2012
O carro do SD Carlos Alberto Ribeiro Chaves Junior, de 31 anos, foi encontrado com marcas de sangue perto da Vila Vintém, em Padre Miguel. Parentes receberam a informação de que ele teria sido levado para dentro da comunidade por bandidos junto a um amigo.

O SALÁRIO DO SD ESTÁ BLOQUEADO -  A FAMÍLIA PRECISA DE AJUDA
AJUDE A FAMÍLIA DO SOLDADO DESAPARECIDO
Priscila de Almeida Pegas (esposa)
Banco: Bradesco- Agência: 2379-5 - Conta corrente: 0010999-1



Justiça liberta acusados de invadir hotel na zona sul do Rio

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro libertou sete acusados de invadir o hotel Intercontinental, em São Conrado, na zona sul. O crime ocorreu no dia 21 de agosto de 2010, quando 35 hóspedes e funcionários foram mantidos reféns por homens armados. O pedido de liberdade foi concedido pela 7ª Câmara Criminal, no dia 13 de março, mas só divulgado recentemente. O motivo seria demora da acusação em apresentar provas e testemunhas contra os presos. Os acusados respondem pelos crimes de sequestro e cárcere privado, associação para o tráfico e porte ilegal de armas. 

Os beneficiados com a medida foram: Alan Francisco da Silva, Vinícius Gomes da Silva, Victor Gomes Eloi, Washington de Jesus Andrade Paz, Davi Gomes de Oliveira, Jackson Nascimento Gomes da Silva e Técio Matias da Silva. Segundo as investigações, eles fariam parte da quadrilha de Antônio Bonfim Lopes, conhecido como Nem, que chefiava o tráfico de drogas da favela da Rocinha, vizinha ao hotel.
 

Bandidos atacam policiais na Linha Vermelha

Motoristas que seguiam pela Linha Vermelha, no início da manhã deste domingo, viveram momentos de tensão. Um grupo de suspeitos ainda não identificados efetuou disparos contra um carro da Polícia Militar, que patrulhava a área, na altura da favela Furquim Mendes, na Pavuna.

O Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRV) confirma que houve uma breve troca de tiros no local. Ainda segundo a polícia, ninguém foi preso e não há informações sobre feridos.

Capitão Ludwig sem aproveitamento

BERENICE SEARA

Os sem aproveitamento
► Lembra o capitão Carlos Frederico Ludwig Neto, que recorreu à Justiça para entrar no Curso de Formação de Oficiais da PM, o que poderia levar à sua promoção a major?
►Pois ele entrou, concluiu o curso e... levou bomba!
►Segundo o boletim da corporação, foi considerado "sem aproveitamento".
► Outro reprovado foi o o capitão Dennys Bizarro, recentemente condenado por ter liberado os assassinos de Evandro João da Silva, o coordenador do AfroReggae morto durante um assalto, em 2009.

sábado, 22 de setembro de 2012

Niterói e São Gonçalo perdem 300 policiais para UPPs

O FLUMINENSE 

Representantes de moradores temem a volta de onda de violência após transferência . Nota de repúdio foi encaminhada à Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Alerj

As cidades de Niterói e São Gonçalo perderam, nos últimos dias, 300 policiais. Esta situação deixou representantes da Câmara de Segurança da Região Oceânica (CSRO) em estado de alerta. A transferência, que teve início em agosto, gerou uma nota de repúdio feita pela CSRO, informando da retirada destes policiais e de parte do aparato de segurança trazido para a cidade na época que a “onda de violência” assolou o município. O documento foi encaminhado à Comissão de Segurança Pública e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), solicitando apuração do caso.
A preocupação parte do princípio que com a transferência dos policiais e a não reposição deste contingente, fatos como os que ocorreram na cidade, nos meses de fevereiro, março e abril, voltem a assombrar a vida dos moradores de Niterói.
“Quando houve aquele boom de violência na cidade, o secretário de Segurança e o comandante-geral da PM, usaram estes novos PMs que estavam aqui fazendo estágio, como número de policiais que estavam reforçando o policiamento de Niterói. Se eles estavam reforçando e saem, houve uma perda. Tudo bem que eles (PMs) cumpram estágio e passem a ingressar as unidades pacificadoras, mas cadê a reposição? Com essa redução, não há dúvidas que em um curtíssimo espaço de tempo nós vamos voltar ao mesmo patamar de violência anterior”, falou Renan Lacerda, presidente da Câmara de Segurança da Região Oceânica.
Renan Lacerda diz ainda que a queda do efetivo pode ser notada na Região Oceânica. Ele afirma que na época do aumento de roubos havia 70 policiais patrulhando a região, em seguida, com as medidas adotadas pelo governo, o número aumentou para 120 e hoje voltou a ser 70. O apoio do Batalhão de Choque também deixou a cidade e os cavalos que chegaram vir para cidade, precisaram retornar para Campo Grande.
“Onde estão motos e Patrulhamentos Táticos Móveis (Patamos) destinados à Região Oceânica quando a criminalidade na cidade aumentou? Os cavalos vieram e não tinha local adequado, tiveram que retornar. Mas a população da Região Oceânica e a Câmara de Segurança conseguiram um local dentro de um iate clube para abrigar estes animais, articulando com empresários locais o material para construção das baias”, completou.
A expectativa é que até o fim da próxima semana o requerimento do deputado estadual Paulo Ramos (PDT), que solicita uma audiência pública com o secretário de Estado de Segurança José Mariano Beltrame e o comandante-geral da Polícia Militar (PMERJ), coronel Erir Costa Filho, para esclarecimentos sobre o remanejo de policiais lotados no 12° BPM (Niterói) e no 7º BPM (São Gonçalo) para Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), no Rio, seja votado.
“É um absurdo. Houve reforço do policiamento em Niterói a Prefeitura contratou homens por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) e agora pode perder 100 agentes, enquanto em São Gonçalo seriam 200. Queremos explicações. Após aprovado, o ofício enviado ao presidente da comissão, deputado Zaqueu Teixeira (PT), a audiência deverá acontecer”, disse Paulo Ramos.
Questionada sobre o fato, a assessoria da Polícia Militar respondeu apenas que, no início de setembro, 160 dos 588 policiais formados no último dia 3 de setembro foram deslocados para cumprir estágio prático-operacional em Niterói. Outros 160 foram para São Gonçalo. 
Além disto, há 465 policiais trabalhando pelo Proeis para a Prefeitura de Niterói e 33 policiais para a concessionária das barcas. O Regime Adicional de Serviços (RAS) está empregando também um reforço diário de 50 policiais para Niterói. O 7º BPM conta com mais 97 policiais/dia.


Policiais militares têm fuzil levado de dentro da viatura

Os sargentos Ferreira e Silva Júnior, da Polícia Militar, têm, respectivamente, 17 e 12 anos de serviços prestados à instituição e à comunidade. Mas a experiência deles não impediu que um fuzil fosse roubado de dentro do veículo em que realizavam patrulhamento, na última quarta-feira (19), no bairro da Gamboa, Zona Portuária do Rio de Janeiro.
De acordo com a assessoria de imprensa da PM, os dois policiais militares, lotados no 5º BPM (Praça da Harmonia), abordavam usuários de crack em uma rua na Gamboa, por volta das 18h30, após deixarem o fuzil no carro. Quando retornaram ao veículo, os PMs não encontraram mais a arma. Não há informações sobre o modelo de fuzil que foi furtado.
Segundo a assessoria da PM, os dois sargentos estão presos judicialmente no Batalhão Especial Prisional (BEP). Os policiais foram autuados pela 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar e, em razão da prisão em flagrante, não houve necessidade de abertura de Inquérito Policial Militar (IPM). Eles vão responder pelo crime de extravio de arma. Segundo a assessoria da PM, eles ainda não responderam a processo disciplinar.
Na noite do furto, o comando do 5º BPM deflagrou várias operações nas áreas do entorno do batalhão. Entretanto, até as 12h deste sábado, o fuzil ainda não havia sido recuperado.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

PM expulsa dois policiais por saque no Complexo do Alemão

JB
Dois policiais militares acusados de saquear uma casa no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, durante a ocupação promovida a partir de novembro de 2010, foram expulsos da corporação nesta semana. A decisão foi tomada após investigação promovida pela Corregedoria da Polícia Militar. A expulsão foi ordenada pelo próprio Comando-Geral da PM. 
O ex-sargento Jorge Francisco Machado e o ex-soldado Eduardo de Souza Lopes integravam o 16º Batalhão.
Segundo a corporação, os dois retiraram bens da casa de uma mulher, durante o processo de ocupação do Alemão. A expulsão foi divulgada em boletim publicado pela Polícia Militar na segunda-feira passada. 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Falso policial é preso em Cabo Frio

A Corregedoria Geral Unificada (CGU) da Secretaria de Estado de Segurança (Seseg) prendeu Leonardo Cézar Alvarez, de 31 anos, que trabalhava no setor de investigação da 126ª DP (Cabo Frio), por porte ilegal de arma. A investigação começou com uma denúncia de que um grupo de policiais estaria extorquindo comerciantes na cidade de Cabo Frio.
Com ele, os agentes encontraram uma carteira falsa de auxiliar administrativo da DP, um par de algemas, 30 projéteis e uma pistola calibre 380, que pertencia ao seu pai. Durante a prisão, os policiais tiveram acesso a um ofício afirmando que Leonardo ocupava um cargo de confiança na prefeitura de Duque de Caxias e estaria emprestado à delegacia para serviços burocráticos. Uma sindicância foi aberta para apurar se Leonardo está cedido legalmente à unidade e se há envolvimento de outros servidores.

Miliciano é morto após deixar prisão

Condenado em 2011 por integrar uma milícia no bairro da Gardênia Azul, em Jacarepaguá, o militar do Corpo de Bombeiros Carlos Fernando de Souza foi morto na manhã desta quinta-feira. Ele fazia parte do grupo chefiado pelo ex-vereador e sargento do Corpo de Bombeiros, Cristiano Girão Matias.
Carlos Fernando havia saído da prisão há cerca de 20 dias. Ele foi encontrado morto a tiros dentro de um carro. O assassinato está sendo investigado pela Divisão de Homicídios (DH).


Delegado é investigado pela Polícia Federal

O GLOBO
Assim como o tenente-coronel da PM Fernando Príncipe Martins, que passou a ser investigado para explicar como conseguiu comprar um Porsche zero quilômetro avaliado em mais de R$ 600 mil, outro policial do Rio caiu nas malhas da corregedoria: o delegado Márcio Franco, ex-braço direito da delegada Martha Rocha, chefe de Polícia Civil. Márcio responde a dois inquéritos internos e a um na Polícia Federal, no qual é suspeito de lavagem de dinheiro. Na PF, terá que justificar como conseguiu nos últimos anos movimentar milhões de reais na sua conta-corrente. Como o coronel Príncipe, Márcio também atribui sua ascensão financeira ao trabalho paralelo, como sócio-cotista de uma empresa de segurança com atuação há cerca de sete anos no Rio.

Márcio é ex-diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE) da Polícia Civil, cargo que assumiu depois da passagem por várias delegacias especializadas do estado. Do DPE, ele foi afastado em julho de 2011 após um episódio controverso: o registro do furto de dinheiro de sua gaveta, na sede da Polícia Civil. Márcio afirmou, na época, que teriam sido furtados R$ 5 mil. O problema é que ele próprio registrara inicialmente que o valor era R$ 15 mil. A quantia em espécie chamou a atenção de seus superiores.

Coaf verificou anormalidade
O assunto passou a ser investigado em dois inquéritos, pela Corregedoria Interna da Polícia Civil e pela Corregedoria Geral Unificada (CGU), em agosto do ano passado, por determinação do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Procurada pelo GLOBO, a Secretaria de Segurança informou apenas que os inquéritos contra Márcio Franco ainda estão em andamento.
Já o inquérito na PF tem como base um relatório do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), unidade de inteligência financeira do Ministério da Fazenda. Os técnicos do Coaf identificaram nos últimos anos uma movimentação atípica na conta-corrente do delegado.
Segundo rastreamento realizado pelos agentes federais do Rio, num período de três meses (entre janeiro e março de 2007), Márcio Franco movimentou R$ 655,6 mil em espécie, o que foi considerado atípico devido à capacidade financeira do delegado.
Os policiais federais também constataram que Márcio teria registrado em seu nome dez operações imobiliárias, sete das quais de aquisição, num total de R$ 4,144 milhões, entre 1998 e 2007, e três de alienação, num total de R$ 1,9 milhão, realizadas no período de maio de 2006 a junho de 2007. As investigações começaram a ser feitas em 2008 pelo delegado federal Luis Flávio Zampronha, o mesmo policial que esteve à frente do inquérito do mensalão que vem sendo julgado pelo Superior Tribunal Federal (STF).
Na época, Luis Flávio Zampronha era o diretor da Divisão de Repressão ao Crime Financeiro, da Polícia Federal de Brasília. O resultado da investigação foi encaminhado no ano seguinte para os policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Financeiro, da PF do Rio.
Nas investigações, Márcio Franco aparece como sócio de Izamilton Mota Góes, ex-presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo (2008 e 2009) e atualmente membro do Conselho Fiscal do clube rubro-negro. Cada um dos dois teria 50% das cotas da empresa Delta Group Consultoria em Segurança e Locação de Mão de Obra Ltda, constituída em 2005 e com sede no Andaraí. Izamilton também aparece como sócio da empresa Delta Force Segurança e Vigilância Ltda, constituída em 1996 e com sede no Rio Comprido, na qual figura como sócia Hebe Franco de Mendonça, mãe do delegado Márcio Franco. Nessa época, Izamilton era funcionário da Câmara dos Vereadores do Rio, lotado no gabinete da vereadora Patrícia Amorim, atual presidente do Flamengo.

Inquérito sobre compra de jogador
O nome de Izamilton também apareceu em outra investigação federal, num inquérito de 2001 que apurou uma suposta operação de lavagem de dinheiro envolvendo a compra do jogador sérvio Dejan Petkovic pelo Flamengo em parceria com a empresa suíça ISL, na época patrocinadora do clube. Izamilton era citado juntamente com o então presidente do Flamengo, Edmundo Santos Silva.
Localizado, Izamilton não quis dar qualquer declaração. Já Márcio Franco não foi encontrado para falar sobre o assunto.

Bombeiros pediram para mudar idade, diz coronel

 EXTRA - (Servidor - Djalma Oliveira)


O secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, disse que o projeto de lei que muda as idades de ingresso na reserva remunerada e de aposentadoria da corporação foi elaborado para atender a um pedido da própria tropa. Segundo ele, muitos sargentos e subtenentes que ingressam no quadro de oficiais reclamam do pouco tempo que têm para exercer essa nova função, por causa da idade da aposentadoria. — Com essa mudança, estamos dando a chance de o bombeiro permanecer na corporação e ter mais promoções, se aposentando com um salário melhor — explicou Simões, lembrando que o direito de se aposentar aos 30 anos de serviço está garantida e não será alterado. Quem atinge esse tempo e ainda não tem idade para ir para a reserva tem a opção de continuar trabalhando ou deixar a ativa.
Na ALERJ a proposta recebeu nove emendas. Duas delas abrem a possibilidade para que os bombeiros que estão atualmente na ativa escolham se querem ou não aderir ao novo regime. O projeto deve voltar à pauta da Casa somente na próxima semana. Sérgio Simões se colocou à disposição para prestar esclarecimentos sobre a matéria para os deputados.
De acordo com o projeto, a transferência para a reserva remunerada (na qual o bombeiro pode ser convocado para trabalhar) passaria a acontecer aos 60 anos. A regra atual prevê a ida para a reserva entre 48 e 59, de acordo com a patente. Já a reforma passaria a ser aos 62. Hoje, os bombeiros podem se aposentar a partir dos 58 anos, conforme a patente. 1929

Mulheres fora do concurso para soldado da PM

O DIA

Após dois anos reservando espaço para elas, corporação volta atrás e exclui candidatas de seleção para 6 mil vagas em janeiro



As mulheres estão prestes a perder espaço na Polícia Militar. O próximo concurso para soldado da corporação, que será aberto em janeiro, com previsão de 6 mil vagas, apenas para homens. A medida interrompe um ciclo na PM em relação à figura feminina na corporação.

Dados das últimas seleções para soldado mostram aumento na participação feminina. Em 2009, foram abertas 200 vagas para elas — 5% do total. Já em 2010, o número mais que dobrou: 800 postos oferecidos (22%), sendo que 1.500 acabaram convocadas.

Segundo o chefe do Centro de Recrutamentos e Seleção de Praças da PM, tenente-coronel Roberto Vianna, o grande rigor físico exigido para o cargo de soldado é a justificativa para que as mulheres sejam excluídas desta seleção.
Para o diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, a falta de estudos biométricos e de capacidade de carga dos equipamentos, no entanto, estaria atrapalhando a inserção delas na PM.

“O problema, segundo me relatou o tenente-coronel Vianna, é que a carga de equipamento que cada soldado transporta no treinamento e no dia a dia inviabilizaria a participação de mulheres. O que a PM se propôs a fazer, segundo ele, é desenvolver um estudo do limite de carga para as mulheres para tentar conciliar a necessidade da atividade com o limite físico feminino”, afirma Estrella.

Mulheres da corporação estão indignadas. “É um absurdo. As mulheres comprovaram na prática que a PM precisa dos nossos trabalhos. Somos fundamentais, principalmente nas comunidades com UPPs, porque conseguimos fazer muito bem esse trabalho de polícia de proximidade. Temos um olhar diferenciado sobre a comunidade”, argumentou uma tenente de 30 anos.
ema divide especialistas em segurança e saúde

Especialistas em segurança e saúde divergem sobre o assunto. “O rendimento intelectual das mulheres é superior. No último concurso, dos 10 primeiros colocados, seis eram mulheres. Mas elas também têm mostrado valor operacional, principalmente nas UPPs”, comentou o coordenador de Comunicação da PM, coronel Frederico Caldas.

“Concordo (com a decisão da PM) em parte. Mas elas têm vida profissional mais eficaz quando exercem cargos de chefia, de comando”, opina o coronel Mário Sérgio Duarte, ex-comandante-geral da PM.

Paulo Storani, antropólogo, ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope), consultor de segurança e pós-graduado em Gestão de Recursos Humanos, que comandou a primeira turma de oficiais femininas em 1983, acha que as PMs ‘são capazes e já conquistaram seu espaço na corporação’. “É irreversível. Essa decisão é momentânea”, ressaltou.

Altamiro Bottino, fisiologista do Botafogo, que avalia o funcionamento corporal dos jogadores, por sua vez, é enfático. “É uma decisão acertada. Não é uma avaliação machista, mas realista. Os homens têm, em média, entre 10 e 15 kg de massa muscular a mais que as mulheres, e sete quilos a mais de estrutura óssea. Isso faz muita diferença”.
No efetivo há 30 anos

A PM do Rio instituiu o primeiro efetivo feminino há 30 anos, em 17 de março de 1982. Eram 158 alunas do Curso de Formação de Soldados, que atuavam em pontos turísticos, trânsito, hospitais e em ocorrências com mulheres, crianças e adolescentes. Hoje, há mais de 2,9 mil mulheres na corporação.

Para X., uma soldado de 24 anos que pediu anonimato, que isto seria uma forma de preconceito na PM. “Há espaço para todos, seja no serviço operacional ou administrativo. Não deveriam olhar o gênero, mas, sim, a aptidão e a dedicação do policial”, disse.

Y., 22, outra soldado, acha que as mulheres têm tanta competência para atuar na PM quanto os homens. “Muitas ocupam postos de comando e são respeitadas. O problema da falta de preparo não é pelo fato de ser mulher, mas pela formação, que não é adequada para atuar em áreas conflagradas”.
 

Veja o ataque de bandidos a um sargento da PM na zona norte do Rio

O ataque aconteceu na rua Barão de Jaguari, em Irajá. Os criminosos monitoraram os passos do policial por cerca de meia hora até atirarem contra ele. O PM, experiente em confrontos, conseguiu se proteger e revidou os tiros. Os moradores estão assustados com o episódio de violência.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Tráfico obriga comerciantes a fornecer carteiras de trabalho para criminosos


Duas delegacias da Polícia Civil — a 20 DP (Vila Isabel) e a Delegacia de Combate às Drogas — estão investigando a informação de que comerciantes estão sendo pressionados a assinar carteira de trabalho para pessoas ligadas ao tráfico de drogas no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, onde há uma UPP desde novembro de 2010. O objetivo é simples: com o documento nas mãos, traficantes se passam por trabalhadores e conseguem, assim, escapar das abordagens policiais com mais facilidade.
A recusa em ceder à pressão dos criminosos seria um dos motivos para o assassinato do comerciante Flávio Duarte, de 40 anos, dono de uma padaria no morro, morto no último dia 4. Na edição de anteontem, o EXTRA mostrou que traficantes da favela probiram comerciantes de vender para policiais da UPP.

Dois meses e meio antes de ser morto, Flávio da Padaria, como ele era conhecido na favela, procurou o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, para fazer denúncias sobre a ação do tráfico. A Secretaria de Segurança confirmou que Flávio teve uma reunião com Beltrame, em 15 de junho, "para tratar de assuntos de interesse da comunidade", mas não revelou o teor do encontro.
Menos de 48 horas depois do crime, outro morador foi assassinado. Gilberto Paiva de Campos, o Russo, de 54 anos, foi baleado dentro de casa. Ele era amigo de Flávio da Padaria. A Divisão de Homicídios é responsável pela investigação dos dois casos.

Denúncia de ameaças a ritmistas
As denúncias sobre intimidação organizada por bandidos do Morro dos Macacos não ficariam restritas à comunidade. No último sábado, integrantes da bateria da escola de samba Unidos de Vila Isabel que moram na favela teriam sido ameaçados e impedidos de ir ao ensaio, marcado para as 23h na quadra conhecida como Vilinha, no Boulevard 28 de Setembro. Eles só teriam sido liberados no início da madrugada, e chegaram ao ensaio por volta das 2h.
A 20 DP (Vila Isabel) também está investigando denúncias sobre as possíveis ameaças. O presidente da escola, Wilson Vieira Alves, o Moisés, disse não ter conhecimento do incidente:
— Não tomei conhecimento desse episódio. Se me sentisse ameaçado, iria à delegacia, para denunciar.
Acusado de ligação com o jogo do bicho, Moisés foi condenado a 23 anos por contrabando, formação de quadrilha e corrupção ativa.

Lei do silêncio no morro
No Morro dos Macacos, moradores e até policiais evitam falar sobre a ação do tráfico. Antes de entrar na sede da UPP, um jovem oferece:
— Quer um peixe aí (gíria para cocaína)?.
Enquanto circulava pela comunidade, a reportagem era seguida de perto por olheiros do tráfico.

Policial Militar se arrisca para salvar cadela

Um gesto de coragem salvou a vida da cadela Meg, de 3 anos. Ela é mascote do Jockey Club, de onde fugiu na última segunda-feira. Atordoada com o movimento da Rua General Garzon, Jardim Botânico, acabou caindo no canal que divide a via e só está viva porque um policial se jogou na água e fez o resgate.

A atuação de Kleber Lima da Silva, 25 anos, foi filmada  por morador do bairro que passava pelo local. Além de entrar na água, Kleber teve de acalmar Meg para conseguir tirá-la do canal. Assustada, ela tentava nadar de um lado para outro. Kleber contou com a ajuda de um POLICIAL MILITAR, que o puxou para cima quando a cadelinha já estava em segurança.

Veja o vídeo abaixo:

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Grupo é cercado pela PM na comunidade de São Gonçalo e revida atirando em direção aos policiais

Segundo informações da PM, três homens foram presos na tarde desta terça-feira por agentes do Serviço Reservado (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo) após confronto policial no bairro Jardim Catarina. Os PMs checavam informações anônimas sobre a presença de homens armados com pistolas e fuzis e que estariam atuando como seguranças do tráfico de drogas na localidade.
Os homens suspeitos agiram com violência assim que foram cercados pelos agentes em trecho da comunidade. Houve troca de tiros entre a PM e os supostos traficantes, mas ninguém foi ferido.
Duas pistolas 9mm e três rádios transmissores foram apreendidos na ação. O flagrante por posse ilegal de arma de fogo e prisão dos acusados foi registrado na Central de Flagrantes da 74ª DP (Alcântara).

Ex-comandante do Bope pego em blitz com Porsche: ‘Agora, só falo sobre sexo’

Ao ser procurado pelo EXTRA, na noite desta terça-feira, para comentar a decisão da corregedoria de investigá-lo por ter adquirido um Porsche, o ex-comandante do Bope, coronel Fernando Príncipe Martins, disse que não gostaria mas de falar sobre o assunto, e finalizou a conversa com ironia:
- Agora, só falo sobre sexo. Pode publicar isso aí - disse

Deputado pede que PMs da reserva retomem as armas em São Paulo

Bol Notícias
 
O deputado estadual Major Olímpio Gomes (PDT) afirmou que a "guerra" entre bandidos e policiais "está instalada em todo o Estado de São Paulo" e recomendou que PMs da reserva voltem a andar armados.
A afirmação foi feita na sessão da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) da última sexta-feira (14).
O deputado fez menção ao assassinato do soldado Marco Aurélio de Santi, 43, de São Carlos (232 km de São Paulo), que aconteceu na manhã daquela sexta.
Na noite de sábado (15), o sargento Adriano Simões da Silva, 36, foi morto com oito tiros em Araraquara (273 km de capital).
Já em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), policiais militares foram alvos de ataques na semana passada.
Num dos casos, quatro tiros acertaram o portão da casa de um policial, que atua na base do Campos Elíseos.
De acordo com o deputado, desde o início deste ano, 70 PMs e três policiais civis foram mortos em todo o Estado. Ainda houve 92 tentativas de homicídio.
"Há mais de 30 mil inativos e não adianta dizer que eles não são alvos", afirmou o deputado à Folha.
ALERTA EM RIBEIRÃO
O tenente Dalvo Rodrigues Mango, diretor da Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Ribeirão, afirmou que a entidade está em alerta.
Isso porque, segundo ele, a PM local informou a associação que os atentados na capital paulista estão migrando para o interior --inclusive Ribeirão. "Estamos todos de sobreaviso e avisando [os policiais] a ficarem atentos."
Segundo o tenente, o aviso é destinado a policiais que estão em atividade e aos que já se aposentaram.
No entanto, as associações dos oficiais em Ribeirão e na capital afirmam que o uso de arma por policiais da reserva deve ser feito apenas se houver necessidade.
Questionada sobre o alerta do quartel feito à associação, a PM não respondeu.
Em nota, a corporação afirmou apenas que, até agosto, foram mortos 62 policiais.
Já a assessoria de imprensa da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública) informou ser prematuro afirmar a existência de uma "guerra" porque os casos ainda estão sendo investigados.