quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Empresário é encontrado carbonizado em São Gonçalo

 Dono de uma casa de shows no Gragoatá, em Niterói, o empresário foi sequestrado na última sexta-feira, quando foi levado por três suspeitos em Itaboraí, no momento em que recolhia o aluguel de um imóvel de sua propriedade em Itaboraí.
A família do empresário Itamar da Silva Júnior, de 37 anos, identificou como sendo dele o corpo encontrado na quarta-feira à tarde dentro do carro em que foi sequestrado. O veículo foi achado carbonizado em um terreno isolado, utilizado para a prática de motocross em Ipiíba, São Gonçalo.
O corpo estava queimado e envolto em pneus, no banco de trás do veículo.
“Não tenho dúvidas de que seja meu irmão”, disse o engenheiro Roni das Silva, de 41 anos, que esteve no local e reconheceu a vítima através de dois pinos cirúrgicos, entre a quinta e a sétima vértebra da coluna. “Há dez anos meu irmão sofreu um acidente de carro e precisou passar por uma cirurgia para a colocação dos pinos”, justificou.
O delegado Wellington Vieira, da Delegacia de Homicídios de Niterói/São Gonçalo (DHNSG), acredita que a identificação feita pelos parentes esteja correta, mas vai esperar a confirmação do exame de DNA feito no cadáver.  “O fato do corpo ter sido encontrado dentro do carro em que o empresário foi sequestrado e de termos achado os dois pinos cirúrgicos indicam que seja mesmo dele o corpo. No entanto, vamos esperar pelo exame”, declarou. 
Vieira afirma que o resultado do exame de DNA sai em 15 dias e que a chefe da Polícia Civil, Marta Rocha, solicitou prioridade no caso. “O corpo foi levado para o IML do Rio justamente por ter mais condições técnicas de entregar o resultado em 15 dias”, informou.

Micro-ondas - O corpo carbonizado foi encontrado no fim da tarde desta quarta-feira na Estrada de Ipiíba, em São Gonçalo, dentro do Celta que pertence a um funcionário da pensão e foi roubado pelos sequestradores. A polícia chegou até o local através de uma denúncia anônima. Segundo a polícia, o cadáver estava envolto em vários pneus, prática normalmente usada por traficantes num tipo de execução chamada de “micro-ondas”. 
O delegado não descarta a possibilidade da vítima ter sido torturada e queimada viva. “Mas somente o exame poderá confirmar isso. O que podemos afirmar, no momento, é que quem fez isso queria apagar todo e qualquer vestígio do crime e da identificação da vítima”, relatou o delegado. 
O delegado disse também que, por precaução, vai continuar investigando o sequestro até o resultado do exame confirmar que o corpo é mesmo do empresário. Disse ainda que vai continuar procurando pistas sobre os dois suspeitos que tiveram seus retratos falados divulgados.

Um comentário:

  1. Ao se sujeitarem à essa promoção ilegal de 3º SGT para 2º SGT, todos se tornaram jurunas. E pior ainda, foram promovidos de forma ilegal, diferente do resto da tropa, que foi promovido baseado num decreto totalmente legal. Por isso, não existe mais SGTs de curso da turma de 2006, pois todos, ao concordarem com essa promoção ilegal, se transformaram em jurunas. HOJE TODOS OS SGTs DO CONCURSO DE 2006 SÃO JURUNAS.

    ResponderExcluir