terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Rio de Janeiro não consegue bloquear celulares de presos

FONTE: JORNAL DO BRASIL

São Paulo achou solução com 100% de acerto

Enquanto relatório da Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo (Seap-SP) afirma ter encontrado um software capaz de bloquear 100% de ligações telefônicas realizadas no interior de presídios, a mesma secretaria, só que do Estado do Rio (Seap-RJ), diz que, nas três prisões – Bangu I, II e III – que já possuem algum sistema bloqueador de celular, nenhum obteve a completa eficácia esperada.
O relatório da Seap-SP, que está nas mãos do governador paulista, o tucano Geraldo Alckmin, obtido pela versão online do jornal Folha de S. Paulo, revela o resultado dos testes realizados, em sigilo, no Centro de Detenção Provisória de Mogi das Cruzes (SP). O software funciona desde o dia 18 de outubro de 2012 e, nos primeiros nove dias de testes, 1.513 chips foram bloqueados dentro do presídio. Desses, também constam os aparelhos de 264 agentes e funcionários e visitantes, também bloqueados.
De acordo com a Seap-RJ, “embora o investimento realizado pela Secretaria com os bloqueadores de celulares, nenhuma empresa, até o momento, apresentou um resultado 100% eficaz”. Além disso, segundo as empresas que prestam esse serviço, quanto mais as operadoras disponibilizarem sinal, mais difícil é para fazer o controle.
Essa ineficiência seria a razão para a não utilização de recursos financeiros, provenientes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), na compra de softwares bloqueadores de celulares para serem instalados em outros presídios do estado do Rio.
Dados coletados pelo Jornal do Brasil com a Seap-RJ revelam que em 2011 foram bloqueados e apreendidos 2.491telefones celulares em presídios fluminenses, enquanto no ano passado esse número caiu para 2.300 aparelhos.
A Seap lembra ainda que, para tentar impedir a entrada de aparelhos celulares e outros tipos de material ilícito, todas as unidades possuem bancos e portais detectores de metais e manuais, além de sistemas de câmeras.
Ainda de acordo com dados da Seap-RJ, o Complexo de Gericinó, onde está o maior número de unidades prisionais - entre eles, Bangu I, II e III-, existe um scanner corporal ( que segundo a Seap-RJ é o único instalado no Brasil ), oito aparelhos de Raio-X de bagagem, 23 leitores ópticos de carteira de visitantes, 275 câmeras e catracas eletrônicas de controle de acesso a visitantes. Uma câmera de inspeção visual, usada para revistas em locais de difícil acesso, como buracos em chão e paredes, também é disponibilizada para todas as unidades penitenciárias do Estado.

Delegado critica detectores de celular
Na opinião do delegado-titular da 18ª DP (Praça da Bandeira), Orlando Zaccone, que já foi coordenador do Núcleo de Controle de Presos da Polinter (Nucop), não permitir a comunicação de presidiários é um problema que afeta a ressocialização dos presos.


Claro que algumas vezes o telefonema é feito por motivos criminosos, mas, para mim, me parece que a maioria das ligações feitas de celulares dentro dos presídios brasileiros é por motivos familiares. A comunicação telefônica não é algo negativo. Muitas vezes pode até criar a ressocializaçao, que não existe” – afirma o delegado, que indaga: “como vai existir se eles não podem nem se comunicar com a família?”.
Para Zaccone, a sua solução para coibir ligações criminosas de dentro dos presídios são os telefones públicos.
“Uma boa parte dos celulares só entra nos presídios porque existe uma restrição muito pesada em relação à comunicação dos presos. Teria que haver, por parte do Estado, a garantia de comunicação dos presos com familiares através de telefones públicos, que só facilitaria a fiscalização do que está sendo falado durante os diálogos. A restrição deveria ser apenas àqueles que a Justiça determinar pelo grau de periculosidade, de acordo com o crime cometido.
Já um delegado da Polícia Federal (PF), que preferiu o anonimato e costuma realizar investigações mediante escutas telefônica autorizadas pela Justiça, discorda da opinião de Zaccone. Ele garante que até pouco tempo, quando estava fazendo investigações em torno de presos, o uso de celulares na cadeia era voltado para práticas delituosas.
Como, para o delegado da PF, as gravações já chegavam selecionadas e não lhe cabia ouvir todas, ele não pode definir se os grampos também captavam conversas amistosas ou familiares, como afirma Zaccone. Mas garante: "nos presídios do Rio, em geral, o uso do celular continua sendo utilizado na preparação de crimes".

4 comentários:

  1. PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO, A TRAGÉDIA!

    DOAÇÕES DE DIVISAS - A HIERAQUIA NA POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO DEFINITIVAMENTE ACABOU!

    AS PROMOÇÕES DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO ESTÃO PROVOCANDO A QUEBRA DA PRECEDÊNCIA HIERÁRQUICA NA PMERJ. O DECRETO Nº 43.411, DE 10 DE JANEIRO DE 2012, FOI MAL FORMULADO, POIS DEVERIA PREVER O TEMPO DE SERVIÇO NO GRAU HIERÁRQUICO (GRADUAÇÃO), NÃO O TEMPO TOTAL DE SERVIÇO! OUTRA COISA, NINGUÉM DEVERIA SE TORNAR SARGENTO DE POLÍCIA SEM PRESTAR CONCURSO INTERNO, É MUITA FALTA DE BOM SENSO PROMOVER TODOS OS INTEGRANTES DA CORPORAÇÃO, POIS É UMA MEDIDA QUE NIVELA A TROPA POR BAIXO.

    Pelo menos 3 (três) concursos internos o Policial Militar (praça) precisa prestar durante a carreira (CFC, CFS e CAS)!

    O soldado, com 6 (seis) anos, deveria fazer PROVA para o CFC (para poder ir a cabo);

    O cabo, com 12 (doze) anos, deveria fazer PROVA para o CFS (para poder ir a 3º sargento);

    O 2º sargento, com 20 (vinte) anos, deveria fazer PROVA para o CAS (para poder ir a 1º sargento).

    O importante é a remuneração, o salário, pois é o que sustenta a família do servidor. Não dá para profissionais que prestam serviços essenciais, como Bombeiros e Policiais Militares, receberem soldos inferiores ao salário mínimo vigente (R$ 678,00).

    SOLDO do Militar Estadual

    10 (dez) anos atrás, o soldo do soldado era superior ao salário mínimo. Hoje, o soldo do subtenente é inferior ao salário mínimo! Adiantou o PM receber as 5 (cinco) promoções? Não, não adiantou absolutamente nada! O interessante é que alguns iludidos acham que estão bem porque colocaram um triângulo no ombro, só que isso não ajudará em nada na hora de ir ao supermercado fazer as compras.

    AS PROMOÇÕES DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO DESMOTIVAM OS POLICIAIS MILITARES PARA O ESTUDO, QUE É FUNDAMENTAL! O POLICIAL MILITAR DO RIO DE JANEIRO ESTÁ ACOMODADO.

    A SEÇÃO DE PROMOÇÕES DA PMERJ TEM QUE INTERPRETAR O ARTIGO 5º DO DECRETO Nº 43.455 DE 07 FEV 2012 DA MANEIRA CORRETA, POIS OS GRADUADOS PROMOVIDOS POR MERECIMENTO A CONTAR DE 13 DE MAIO DE 2012 FAZEM JUS AO RESSARCIMENTO DE PRETERIÇÃO, POIS NÃO PODEM SER ULTRAPASSADOS POR POLICIAL MILITAR QUE ERA MAIS MODERNO.

    O CMT GERAL DEVERIA PEDIR AO JURÍDICO DO GCG UMA NOVA ANÁLISE, POIS LÁ EXISTEM PESSOAS CAPACITADAS PARA INTERPRETAR O REFERIDO DECRETO.

    NO CBMERJ A TURMA DO CFS DE 2005 JÁ IRÁ SER PROMOVIDA EM RESSARCIMENTO DE PRETERIÇÃO A SUBTEN NO ANO QUE VEM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ART 5º DO DECRETO Nº 43.455, DE 07 FEV 2012, que foi público no Bol da PM n.º 027 - 08 Fev 12, prevê o seguinte: "Os Policiais Militares e Bombeiros Militares de qualquer graduação, com exceção dos Subtenentes, promovidos em decorrência de quadro de acesso, que forem ultrapassados por mais moderno, em suas graduações, pelo critério de tempo de serviço, serão promovidos em ressarcimento de preterição, a contar da mesma data dos promovidos pelo tempo de serviço, ficando excedentes sem ocupar vagas, não sendo necessário o cumprimento do tempo mínimo na graduação e serviço arregimentado para a promoção prevista neste artigo."

      http://www.policiamilitar.rj.gov.br/admin/admin_biblioteca_pdf/Dec%2043455.pdf

      OS SARGENTOS CONCURSADOS FORAM TODOS PROMOVIDOS EM DECORRÊNCIA DE QUADRO DE ACESSO, A CONTAR DE 13 DE MAIO DE 2012. PORTANTO, FAZEM JUS AO RESSARCIMENTO DE PRETERIÇÃO, PORQUE, DE ACORDO COM O ARTIGO 5º DO DECRETO Nº 43.455, DE 07 FEV 2012, ELES NÃO PODEM SER ULTRAPASSADOS POR POLICIAL MILITAR QUE ERA MAIS MODERNO ATÉ 11 JAN 2012.

      Excluir
    2. O interstício de 3º para 2º Sgt PM foi reduzido, de 06 (seis) para 03 (três) anos, para fins de ingresso em Quadro de Acesso (situação que já era prevista no Decreto nº 7.766/84 - Regulamento de Promoções de Praças). Os Limites Quantitativos de 3º SGT PM da QPMP-0 foram públicos no Adit ao Bol da PM n.º 045 - 08 Mar 12, solicitando a documentação. O Quadro de Acesso de Antiguidade (QAA) foi público no Bol da PM n.º 068 - 12 Abr 12, sendo público novamente no Adit ao Bol da PM n.º 086 - 11 Mai 12, por ter sido público com incorreção anteriormente. A promoção dos referidos graduados foi pública no Bol da PM n.º 086 - 11 Mai 12.

      Excluir
  2. Rio de Janeiro não consegue nada! Tentaram criar a Escola de Formação de Sargentos na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, mas não conseguiram.

    SÃO PAULO É OUTRA COISA, PARECE ATÉ OUTRO PAÍS. NÃO TER UMA ESCOLA DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS É UMA VERGONHA!

    ESSgt - PMESP (Escola Superior de Sargentos da Polícia Militar do Estado de São Paulo)

    http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=09MyPvSTeS0&feature=endscreen

    ResponderExcluir