sábado, 23 de fevereiro de 2013

Após 4 meses, parentes de policiais mortos esperam indenização

SÃO PAULO - Quatro meses após uma promessa do governador Geraldo Alckmin (PSDB) de indenizar familiares de policiais militares mortos durante a folga em ataques no ano passado, nenhum parente foi recompensado ainda.
A promessa foi feita em 19 de outubro, após a Folha mostrar que familiares de PMs mortos fora de serviço buscam na Justiça indenização por não terem direito ao seguro pago pela PM.
A apólice de seguros de policiais civis e militares no Estado hoje só é válida no período de trabalho ou no trajeto de ida ou volta do serviço.
No ano passado, 106 PMs foram assassinados em ondas de ataques do crime organizado.
À época, o governador afirmou que a indenização teria que ser paga sempre que fosse provado que o PM morreu por pertencer à corporação.
Após ser questionado pela Folha, o Governo do Estado informou que enviará nesta semana o projeto que prevê o pagamento das indenizações, assim como o aumento do valor do seguro de vida de R$ 100 mil para R$ 200 mil.
Anteontem, um policial militar à paisana foi morto a tiros após reagir a uma tentativa de roubo no Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo. Seu nome não foi divulgado.
Esse é o terceiro caso de PM morto em tentativa de roubo em menos de uma semana na Grande São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário