terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

DEPUTADOS PEDEM A CONVOCAÇÃO DO COMANDANTE GERAL E CORREGEDOR DA PMERJ


Esposas e familiares dos POLICIAIS MILITARES presos na  OPERAÇÃO PACIFICAÇÃO receberam hoje na ALERJ o apoio dos deputados.

DEPUTADO FLÁVIO BOLSONARO
"Aproveitando que hoje foi publicada a nova composição da Comissão de Segurança Pública, hoje mesmo já está sendo protocolado o ofício, meu e dos Srs. Deputados Wagner Montes e Paulo Ramos, e de quem mais quiser assinar, para a convocação do Comandante-Geral da PM e do Corregedor da PM para que expliquem as fundamentações para essa quantidade enorme de atrocidades e autoritarismo que estão acontecendo no tocante às exclusões.
Há que haver um mínimo de critério. Não pode ele querer ser mais realista que o rei. Parece haver uma meta para se alcançar não sei quantas exclusões em um ano, não sei com qual objetivo, mas, fato é que ele está deixando famílias de vários policiais militares desamparadas, sem chão. Só resta ao Judiciário para que eles resgatem suas cidadanias e que a justiça seja feita. Não pode ser assim. O ato administrativo tem que ser mais responsável e fundamentado.
Espero que o novo presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania, Deputado Iranildo Campos, já na primeira reunião ordinária da Comissão, vote esse requerimento para que possamos ouvir das autoridades competentes qual a motivação para essas arbitrariedade"s.


 DEPUTADO PAULO RAMOS
"Estamos recebendo nas galerias uma representação de familiares de policiais militares, especialmente esposas, que vêm aqui não só para denunciar, mas para reivindicar desta Casa a preservação ou a restauração do estado democrático de direito. É uma arbitrariedade. É uma violência, independentemente de avaliação da culpa, levar policiais militares para presídios comuns. Os policiais militares têm direito – direito – a cumprir decisão judicial privativa da liberdade em unidades da Polícia Militar. Não é possível aceitar tamanha violência. Para aqueles que lutaram contra a ditadura, é possível avaliar o que significa isso. Portanto, minha solidariedade".

DEPUTADO WAGNER MONTES
"Quer dizer, o Comandante-Geral da corporação nomeia o comandante da unidade operacional da militar, portanto é um homem da sua confiança. Se ele põe à frente do comando da unidade um coronel ou tenente- coronel, é porque é um homem da sua confiança, do Comandante-Geral. Esse comandante da unidade operacional da militar, automaticamente, leva o seu oficialato (P1, P2, P3, P4 e P5) da unidade. São homens de confiança do comandante do batalhão que foram indicados pelo Comandante-geral da corporação.
Aí, o CD acontece. O Conselho de Disciplina acontece. Ele é absolvido no CD. O comandante da unidade dá pela permanência, ou seja, o presidente do CD dá pela permanência; o comandante da unidade dá pela permanência e o comandante-geral exclui. Então, aquele homem que ele botou ali não tem tanta confiança dele. Se ele não tem tanta confiança no soldado a ponto de excluí-lo, tem que tirar o comandante da unidade". 

DEPUTADO CEL JAIRO
"Este momento é preocupante. A Operação Purificação, que prendeu 65 policiais – e até aí nada de mais - preocupa as famílias aqui presentes porque 26 já foram excluídos de forma sumária, sem o princípio legal do direito amplo de defesa. Estamos preocupados porque se não tiverem ao menos o direito de se defender, estaremos rasgando a Constituição, estraçalhando o princípio democrático.
Quero me associar e dizer que o que eles querem é somente que se faça justiça. Não queremos passar a mão na cabeça de ninguém. Quem errou, tem que ser punido. Mas injustiça e sem permitir o direito de defesa é uma covardia que estão fazendo com esses policiais militares".
 

 

5 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?v=nvuGf0KQQEw&feature=player_embedded

    ResponderExcluir
  2. POR FAVOR TIREM UMA DUVIDA, APOS BREVE DISCUSSÃO COM O CAP., SUB CMT DE ONDE EU SIRVO, ELE MANDOU ENTREGAR A ARMA E DEPOIS ME ALGEMOU POR QUASE DUAS HORAS , DENTRE ESTAS DUAS HORAS , UMA HORA OU MAIS EU JÁ ESTAVA DENTRO DA SALA DA 1ª dpjm ( delegacia de policia da justiça militar)? até onde vai a legalidade e o assedio moral ou abuso de autoridade ?

    ResponderExcluir
  3. Motivo da discussão, era alguma ordem absurda? O uso das algemas foi necessario, testemunhas do fato?

    ResponderExcluir
  4. O USO DA ALGEMA SÓ É PERMITIDO SE HOUVER NECESSIDADE. VOCÊ FOI VIOLENTO ? RESISTIU A ORDEM DE PRISÃO ?
    DE QUALQUER FORMA PROCURE UM ADVOGADO, POIS SE O USO DA ALGEMA FOI PRECISO NAQUELE MOMENTO, COM CERTEZA FOI UM ABUSO TE MANTER ALGEMADO JÁ DENTRO DA SALA DA DPJM. E MEU CONSELHO PRÁ VOCÊ: NUNCA DISCUTA COM UM OFICIAL,RECOLHA PROVAS CONTRA ELES E PROCESSE-OS, GANHE RESPEITO E UM DINHEIRO E ELES PENSARÃO DUAS VEZES ANTES DE SE METER COM VOCÊ. UM ABRAÇO !!!

    ResponderExcluir
  5. Processa!!! So vao lhe respeitar qdo doer no bolso deles...

    ResponderExcluir