quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Falsos bombeiros que faziam segurança de rua são presos no Rio

FONTE: G1
Dois homens que se passavam por tenentes dos bombeiros para fornecer serviços de segurança armada nas ruas de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foram presos pela Polícia Civil na tarde desta quarta-feira (27). Segundo a polícia, Eneas Aristides de Castro, 53 anos, e Celso Pacheco do Nascimento, 52, também vendiam carteiras falsas da corporação.
O delegado Felipe Lobato Curi, titular da 54ª DP (Belford Roxo), comentou que a falsificação dos documentos era grosseira. “Eles vendiam carteiras do Corpo de Bombeiros municipal de Nilópolis, um órgão que não existe. Eles também tinham fardas de brigadas desconhecidas, como a brigada nacional de fronteiras nacionais do Brasil, supostamente para proteção ambiental”, disse. O valor cobrado por uma carteira falsa variava entre R$ 5 mil e R$ 7 mil.
Os policiais chegaram até a dupla após uma denúncia anônima. Em uma das abordagens, Eneas apresentou para a polícia a carteira falsa de bombeiros como identificação. Na casa dele foram encontrados documentos de interessados em adquirir a carteira. O delegado informou que essas pessoas serão chamadas para comparecer à delegacia e vai analisar se os supostos clientes podem responder por algum crime.
Os falsos bombeiros vão responder por uso de documento falso, usurpação de função pública, porte ilegal de arma e falsificação de documento público. Além dos documentos e das armas utilizadas para fazer a segurança nas ruas, os policiais apreenderam fardas do Corpo de Bombeiros falsas, cacetetes, munição e documentos falsos. Os criminosos e o material foram encaminhados para a 54º DP.

10 comentários:

  1. Como eles vendiam carteiras falsas da corporação???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AS CARTEIRAS DELES NÃO SÃO FALSAS.
      FOI UM MAL INTENDIDO,POIS JÁ FOI ESCLARECIDO TUDO.
      SÓ A MIDIA NÃO PROCUROU SABER A VERDADE SAIU COLOCANDO PARA O POVO ASISTIR UMA NOTICIA FALSA.

      Excluir
  2. o dr.delegado nao conhece a causa , nao conhece a carteira pra dizer que é falsa,sao bombeiro municipal de nilopolis,e nao sao falsos

    ResponderExcluir
  3. Esses dois idiotas que escreveram acima, e que não se identificaram, entendem é de plantar mandioca, segura a mandioca. A Instituição Corpo de Bombeiros é Estadual, seus servidores são estatutários. São funcionários Estaduais. Portanto não existe Bombeiros Municipais. Outra coisa Bombeiros têm porte de arma por ser tratar de militares, o que para meu entendimento é errado, eles não são da Segurança Pública e sim da Defesa Civil.

    ResponderExcluir
  4. E a Defesa Civil pertence a SEGURANÇA PUBLICA, animal sem conhecimento de causa...

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde! Aos energúmenos que estão postando coisas sobre o CBMN (Corpo de Bombeiros Militar Municipal de Nilópolis), com toda certeza não tem conhecimento da causa nem mesmo o Sr°. Delegado do caso, pois a Instituição existe desde 1935 que na época era corpo de bombeiros voluntários, em 1953 o antigo Ministério da Guerra concedeu ao CBMN a condição de MILITAR conforme Aviso geral n°. 13.788- D 5/6 do Ministério da Guerra juntamente com a Resolução Municipal n° 1702-26-07 combinado com o Decreto Federal n°. 34.155 de 12/10/1953 que dar FÉ PÚBLICA A carteira de identidade do CBMN POIS FOI AUTORIZADA PELO MINISTÉRIO DA GUERRA. É muito fácil falar abobrinha e criticar sem provas, nossa Instituição existe de fato e de direito pois o nosso CNPJ não é de uma empresa privada e si classificada como ÓRGÃO PÚBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL. Quem não conhece a nossa história e luta procure pesquise antes de falar MENTIRAS. Somos Militares de Fato e de Direito, aos recalcados e curiosos temos um Círculo de Oficiais do CBMN ativo. A Secretaria de Defesa Civil também faz parte da Segurança Pública, falar mal é mole mais fale as coisas com conhecimento de causa.
    MAJOR-BMN FARIAS (CHEFE DO SERVIÇO RESERVADO DO EMG-BMN/2 DO CÍRCULO DE OFICIAIS DO CBMN). ANTES DE FALAR MAL PESQUISE POIS A CORPORAÇÃO EXISTE ANTES MESMO DE VC'S ESTAREM COM ESPERMATOZOIDES DO SACO DOS VOSSOS PAIS.

    ResponderExcluir
  6. Em toda instituição tem pessoas de condutas erradas até pessoas falsificando a Carteira do CBMN e fazendo besteira.

    ResponderExcluir
  7. Bombeiro de Nilópolis?! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Vcs são uma PIADA!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Major CBMN?" KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Mijei de tanto rir!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. É uma questão que se foi esclarecida não houve retratação.

    Fica assim registrado as gerações futuras que o deferimento é de falsidade ideológica.

    Cabe aqui um esclarecimento por parte da imprensa para que se faça jus a causa e enquanto isso prevalece o discurso inicial.

    Enquanto alguns riem eu choro de tristeza pois vejo que existem pessoas que lutam pela sobrevivência futura com fortes alicerces no pretérito mais que perfeito, não pela causa "que é nobre" ou pela ação, mas pela reação de alguns que simplesmente desfazem da causa alheia.

    Que a justiça seja feita aos envolvidos neste processo doloroso e que a verdade absoluta vem a tona.

    Enquanto isso faço o meu papel. Oro por todos.

    E a vida segue!

    No amor de Jesus.

    Dom Elias Batista Nogueira

    ResponderExcluir
  9. Aos ignorantes que não se dão ao trabalho de pesquisar, o Circulo de Oficiais do Corpos de Bombeiros Militar Municipal de Nilópolis / RJ, (COCBMMN/RJ). Em apoio ao Major Farias em seu esclarecimento aos desinformados que só sabem expor sua ignorância , como o jornalista Bezerra que em sua ignorância alegou que nosso Bombeiro se tratava de um Bombeiro "PARAGUAIO", tendo assim que indenizar o CBMMN/RJ em uma pequena fortuna por sua ignorância, e pela Jurisprudência deveriam ser penalizados todos que assim o fizessem. Anteriormente de 1959 já existia esta organização em funcionamento. Oficialmente regularizada a partir de 1959 como CBV/RJ, como seu funcionamento em Olinda, 1966 vindo a se tornar Corpo de Bombeiros Municipal de Nilópolis / RJ (CBMN/RJ), com seu funcionamento Nilópolis, vindo com seu entendimento pelo porte de arma, ser reconhecido como Militar em 1969, quando logo após em 1973, foi assinado um convênio pela Prefeitura de Nilópolis e Câmara Municipal de Nilópolis com a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, do qual o CBMMN/RJ, deveria ser absorvido pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Ao não ter sido cumprido tal convênio, do qual vários membros do CBMMN/RJ, que se encontram em condições de AQUARTELAMENTO até a data de hoje. Aos quem não se interessa pelo nosso assunto que se recolha a sua insignificância. Pesquise para não falar nem escrever besteiras. 1º Tenente/Jornalista Edilon

    ResponderExcluir