segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Menor de 17 anos assume disparo de sinalizador na Bolívia

Essa é uma tática de traficantes no Brasil... Um menor assume o crime, e é solto em pouco tempo.

Um menor, de 17 anos, assumiu a responsabilidade pelo disparo do sinalizador, no jogo do Corinthians, na Bolívia, que matou o torcedor boliviano do clube San José. Em entrevista ao Fantástico, ele diz que comprou o sinalizador naval na Rua 25 de março, centro de São Paulo, e que foi orientado por integrantes da Gaviões da Fiel a não procurar a polícia na Bolívia. Após o incidente, 12 torcedores do Corinthians foram detidos em Oruro sob acusação de autoria e cumplicidade na morte do menino. Ele afirmou ainda que irá se entregar à Vara da Infância e da Juventude de Guarulhos por vontade própria e diz que não estaria protegendo os outros torcedores com esta atitude. "Não estou protegendo ninguém. Só quero assumir o meu erro". O incidente fez a Conmebol sancionar o Corinthians, atual campeão da Libertadores da América, a disputar suas próximas partidas locais sem torcida e proibir a venda de ingressos pelo clube a seus torcedores em suas partidas internacionais.

2 comentários:

  1. está saindo barato toda essa punição, tenho pena dos pais, e o babaca que tá achando que o governo brasileiro vai ajudar alguem ta enganado. Uma coisa é certa, se os vandalos jogassem sinalizador na argentina ou no paraguai, com certeza, teria uns 6 ou 7 vandalos corintianos mortos a essa altura e consequentemente todos os torcedores presos e esculachados. Deram sorte, mas até quando....

    ResponderExcluir
  2. O TELEFONEMA

    - Alo!
    - Fala Gaviãozinho!
    - Fala Fiel!
    - Tamo te ligano "Mano" pra pedir um favorzão.
    - Fala mano, cê num pede, cê manda!
    - É que tamo preocupados com nossos irmãozinhos na Bolivia!
    - Pô "Mano", eu tamém.
    - Pois é, como eles são 12... Isso é perigoso, quando junta 12... Tem sempre um X9. Tipo Judas, sabe?
    - Fala ai.
    - Precisamo que assuma a "Parada".
    - Pô cara, ai eu danço.
    - Dança nada, cê é "meno".
    - Que que eu ganho?
    - Tipo assim... Cê que o que?
    - Meu... Se nos fô denovo pro Japão...
    - Pô meu... Esse ano é no Marrocos. Mas se assumi essa parada ai e livra nossos irmão, garanto sua passagem e seu ingresso.
    - Mano, valeu, mas tem um pobrema..
    - Fala!
    - Minha mãe.
    - Fala pra ela que nóis manda um presente se ela te apoia.
    - Fechado Mano. Mas vo precisa de advogado.
    - Deixa com nóis. Temo um que vai dexa claro que cê é culpado mano.
    - Só... é nóis. Vai curintia.
    - Valeu mano. É nóis. Vai curintia.

    ResponderExcluir