sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

PMs de UPP acusados de agressão são afastados

O DIA

Uma briga de família no Morro da Providência, na Zona Portuária, quarta-feira, acabou em confusão entre moradores e policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), e foi parar na delegacia. L. e o filho dela C. acusam três PMs de agredi-los.

Já os policiais prenderam C. por desacato e ameaça. Parte da briga foi filmada pelo jovem com tablet. L. é mãe de Wellington Gonzaga da Costa, um dos três jovens da Providência mortos em 2008 por bandidos da Mineira, após serem entregues por militares do Exército a traficantes da "favela rival".
Comandante da UPP Providência, o capitão Glauco Schorcht instaurou averiguação para apurar o caso e transferiu os três policiais para outro setor de policiamento da UPP, a fim de garantir a isenção na apuração do caso. O oficial esteve no local da ocorrência e ouviu envolvidos.
L. brigava com o marido quando os policiais Saulo da Costa França, Marcelo Gonçalves e Carlos Leonardo Barroso de Oliveira chegaram ao local da confusão. C., que defendia a mãe, se irritou com a presença dos PMs, e a discussão teria começado quando ele mandou que os policiais saíssem.
Os PMs alegam que o jovem os ameaçou com uma faca dando início à briga. Um deles teria disparado um tiro para o alto para acabar com o tumulto.
“Estou com muito medo. Disseram que iam me bater e chegaram a me empurrar. Caí no chão. Não me sinto segura. Já perdi um filho de forma trágica e temo passar por tudo de novo. Me sinto perseguida porque não me calei quando mataram meu filho”, desabafou L., muito nervosa.
Segundo ela, na confusão, C. levou tapa na mão de um dos PMs, derrubando no chão o equipamento, que ficou com a tela quebrada. Mesmo danificado, o aparelho continuou filmando. Imagens mostrariam um dos PMs pegando o equipamento. A tela fica escura, e vozes são ouvidas. O policial teria retirado o chip do tablet. C. foi levado à delegacia e liberado.
“Mesmo que ele tenha errado, os PMs não podiam quebrar o tablet. Ainda estou pagando” disse L., mostrando carnê com prestações de R$ 197,55. L. afirmou que, no ano passado, o filho fora agredido por

3 comentários:

  1. Brother cadê o dinheiro do nosso RAS???? Alô tropa tem alguem guardando esse dinheiro em conta particular pra render juros!!! So
    Pode ser isso. Eh a maior putaria esse troço. Nao tem razão pra atrasar nossos extras. Seus covardes. FORA ERI RIBEIRO. FORA!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Enquanto os Pms forem a programas da REDE GLOBO DE TELEVISÃO dançar funk FARDADOS com ex-traficantes, nunca terão o RESPEITO de ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa essa! O 1º SGT CRUZ do 19º BPM que dançava junto com o traficante, agora está putinho quando alguém toca no assunto. Isso é que dá se vender por qualquer merda! SGT ladrão, vergonha da PMERJ e do 19º.

      Excluir