quinta-feira, 4 de abril de 2013

Bope leva 'caveiras’ para emagrecer em spa da PM


Projeto-piloto da Seção de Saúde, para reduzir obesidade de homens de preto pode se estender para toda a corporação. Retiro será em fazenda, na natureza, e soldados terão alimentação controlada, muito exercício e toque de recolher
Eles não têm a fama do Ronaldo Fenômeno, mas também estão acima do peso e dispostos a participar de uma espécie de “Medida Certa” do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) do Rio. Treze “caveiras” da tropa de elite da PM vão passar uma semana internados em regime de spa na Fazenda Marambaia, da corporação, na zona oeste do Rio, a partir de segunda-feira (1).
São os primeiros integrantes do “Bope em Forma”, programa experimental da Seção de Saúde da unidade, que já é conhecido internamente pela alcunha jocosa de “Fome Certa” – em referência ao “Medida Certa” televisivo.
Na Fazenda Marambaia, o grupo terá vida de quartel e será acompanhado por médico, nutricionista e equipe de Educação Física.
“É um spa militar, com internato. Terão exercício, controle nutricional e uma boa noite de sono, que é importante. O toque de recolher será às 21h e a alvorada às 6h”, avisa o coordenador da equipe de Saúde do Bope, major médico Humberto Jun, que acompanhará os policiais.
De segunda a sexta-feira, os “caveiras” terão alimentação e horários controladíssimos e seis refeições por dia – café da manhã, colação, almoço, lanche, jantar e ceia. Nas principais, o cardápio terá muita salada, legumes, proteína e fibras; no café e lanches, leite e iogurte desnatados, pão integral, sucos pouco calóricos com adoçante e oleaginosas (castanhas, amêndoas).
Durante a jornada, não faltarão exercícios físicos aeróbicos e anaeróbicos, propostos pelos três sargentos de Educação Física: corridas, trilhas, natação, musculação, pilates e luta, usando os ambientes de mata e praia disponíveis na fazenda da PM.
O local, que funciona como hotel para PMs e convidados, tem chalés, grande área verde, lago com pedalhinhos, piscina, bichos e tirolesa. A diária, divulgada em boletim interno de abril de 2012, era de R$ 80 nas cabanas para os policiais e R$ 140 para convidados, e R$ 15 nos aposentos simples.
O programa "Bope em Forma" teve origem na segunda “Semana de Saúde” da unidade, em março, quando há medições de gordura, peso, altura, índice de massa corporal, além de baterias de exames de sangue, pressão e eletrocardiograma, para os acima de 40 anos. Todos os 420 membros do batalhão são avaliados, com fotos.
Em 2011, o Bope recebeu o apoio do tenente nutricionista William Corrêa, ex-oficial da Aeronáutica, que instituiu uma alimentação mais balanceada e menos “gorda” no dia a dia e nas operações . No ano seguinte, como o iG mostrou, foi criada a Seção de Saúde e se conseguiu reduzir os parâmetros de glicose, colesterol e pressão da tropa de 2012 para 2013, segundo o major Jun e o comandante da unidade, tenente-coronel Renê Alonso .
O grupo – no qual há PMs com até 110kg, 120kg – tem idades entre 30 e 45 anos, em média, e assistiu a palestras de conscientização sobre as complicações associadas à obesidade. Alguns já sofrem com hipertensão, diabetes ou outras doenças relacionadas à obesidade.
“Geralmente é o pessoal com mais idade. O Bope é um batalhão experiente, com PMs há muito tempo na unidade. Todos têm ótima resistência, mas alguns têm certa dificuldade de perder peso e gordura localizada no perímetro, o que aumenta o risco de colesterol alto e infarto. Queremos uma reeducação que aumente a qualidade de vida do policial”, explicou Jun, clínico geral e cirurgião que já integrou o Exército.
No time enviado ao spa, há ainda voluntários. “Alguns pediram para participar, porque sentiam que estavam tendo dificuldade para emagrecer. Essa questão afeta a saúde e até a auto-estima”, disse o comandante.
A semana é apenas uma etapa inicial intensiva de um mês do total de três do programa. Quando voltarem da fazenda, os PMs continuarão o trabalho de emagrecimento por um mês, no batalhão. Nesse período, vão ficar dispensados da rotina normal e dedicados apenas às atividades do programa, “para entrar no padrão do batalhão”. Ao fim do primeiro mês, haverá novas medições de parâmetros, para mostrar a evolução. Por fim, as famílias serão chamadas a assistir a palestras sobre a importância de se estar no peso adequado, para manter em casa as bases da boa alimentação e exercícios.
“A instrução é para a família toda também aderir ao tratamento e se conscientizar das complicações causadas pela obesidade”, disse William.
Segundo o chefe do Estado-Maior Operacional da PM e ex-comandante do Bope, coronel Alberto Pinheiro Neto , o Bope é um laboratório da PM. Se o projeto-piloto do Bope der certo, será replicado para outras unidades da PM, afirmou o comandante Renê.

3 comentários:

  1. meu marido é policial militar e pesa 140 kilos ,poderia estender isso aos batalhões comuns ,pois ele é hipertenso e perder peso pra ele seria uma ótima ,não só pro serviço como pra sua auto estima tbm.

    ResponderExcluir
  2. POLÍCIAS DIFERENTES DENTRO DA MESMA POLÍCIA. É ISSO QUE ENFRAQUECE O RESTANTE DA TROPA, A COMEÇAR PELA FAMIGERADA GRATIFICAÇÃO, QUE OS DITOS CAVEIRAS GANHAM. VÃO VENDO!!!

    ResponderExcluir
  3. A PMERJ e o CBMERJ precisam de 33% de reajuste salarial para o soldo do soldado alcançar o SALÁRIO MÍNIMO.

    O Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Não está sendo respeitado nem o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as necessidades vitais básicas. Segundo o DIEESE, o Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Fevereiro de 2013 foi estimado em R$ 2.743,69 (dois mil, setecentos e quarenta e três reais e sessenta e nove centavos). Para alcançar este piso, seria necessário 32,083% de reposição salarial, pois o vencimento bruto do Soldado PM/BM no RJ atualmente é de apenas R$ 2.077,25 (a diferença é de R$ 666,44).

    Fonte: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    Já para igualar o SOLDO do SOLDADO ao SALÁRIO MÍNIMO vigente, seria necessário conceder apenas 32,19% de reajuste salarial.

    SOLDO do SOLDADO: R$ 512,90

    SALÁRIO MÍNIMO: R$ 678,00

    DIFERENÇA: 32,19%

    É fácil dar DIGNIDADE à tropa, basta querer!

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)???

    VERGONHA!

    ResponderExcluir