segunda-feira, 29 de abril de 2013

Comandante da GM prende PM por desacato e desobediência


 Uma confusão no fim da tarde do dia 25 entre o proprietário de uma agência de veículos, de 37 anos, na Rua Santa Terezinha, no bairro Niteroi, e um agente da Guarda Municipal terminou com a prisão de um terceiro sargento,  lotado no 28º BPM (Batalhão de Polícia Militar). O impasse teria começado quando um agente da GM teria solicitado a retirada de um dos veículos da loja que estava estacionado irregularmente nas proximidades. A prisão foi possível por o comandante da GM, que deu a voz de prisão, ser major da Polícia Militar.
De acordo com o comandante da GM, o major Luiz Henrique Monteiro Barbosa, ele teria saído da sede do órgão para resolver uma questão sobre o estádio Raulino de Oliveira, quando foi avisado que um agente estava sendo desrespeitado.
- Quando cheguei à agência, o GM me contou que estava somente orientando os responsáveis para retirar o veículo do local, já que a imprudência além de infração prejudica o trânsito na área. Além disso, ele ainda falou que o proprietário teria o ofendido com palavras ofensivas. Isso não pode acontecer, já que o funcionário estava no exercício da sua função - explicou.
O apoio da supervisão da PM, segundo o comandante, também foi solicitado para auxiliar na solução do tumulto. Luiz Henrique completou que no momento da abordagem ao responsável, utilizou de uma postura respeitosa para informá-lo das medidas que seriam tomadas.
- Falei com ele que era necessário o comparecimento na delegacia para esclarecer os fatos. Ele disse que não iria porque a ocorrência não aconteceu conforme o relato do GM. Informei novamente, que a minha função era encaminhar os envolvidos para prestar depoimento - acrescentou.
O sargento da PM, de acordo com Luiz Henrique, interrompeu a conversa falando que o responsável pela loja não iria para a delegacia. Além disso, o policial ainda teria desobedecido às ordens do major, que possui patente superior na hierarquia da Polícia Militar.
- Infelizmente tive que imobilizar o proprietário da agência. Em nenhum momento houve agressão física. Provavelmente ele deve ter ficado com algumas marcas, porém nada teria sido necessário se não houvesse resistência. Além disso, ainda tive que dar voz de prisão ao PM por desacato e desobediência - falou.
O comandante do 28º BPM, tenente coronel Igor Magalhães, segundo Luiz Henrique, foi comunicado sobre o fato e o seu desdobramento.
- Fomos para a delegacia e toda a história foi esclarecida. O delegado titular analisou as imagens capturas pelo monitoramento do local. Realmente o vídeo mostrou que eu tive que imobilizar o proprietário da agência. Minha vontade foi resolver de forma amistosa, porém não foi possível - pontuou.
Registro de ocorrência
O delegado titular da 93ª (Volta Redonda), Antônio Furtado, explicou que após os depoimentos, o responsável pela agência de automóveis foi indiciado pelos crimes de desobediência, ameaça e desacato.
- A soma dos crimes pode alcançar três anos e seis meses de reclusão, porém a pessoa pode responder em liberdade. Já o PM foi indiciado por desacato e desobediência, pena de três anos. Além disso, ele também ficou preso administrativamente no próprio batalhão por ter desrespeitado seu superior - esclareceu.
PM
O subcomandante do 28º BPM, Wagner Cavalcanti, explicou que o policial foi preso administrativamente, porém foi liberado nesta manhã (26), após ter sido ouvido pelo comandante.
- Agora será instaurado um inquérito policial militar, com o objetivo de avaliar a conduta do agente. Esse procedimento é diferente do desenvolvido pela Polícia Civil. O agente já foi autorizado a retomar as atividades de trabalho - pontuou.

Versão do proprietário

O proprietário da agência de carros, Dilermando Silva de Souza, de 36 anos, declarou que o GM teria multado dois veículos da loja.

- Em nenhum momento eu fui questionar o motivo das multas. O guarda que entrou na porta da loja e disse que "Até hoje você não aprendeu a  trabalhar". Além disso, o tempo inteiro ele falou comigo com um sorriso irônico. Ele ainda tentou pegar na minha mão, porém eu ignorei o gesto - falou.
Dilermando ainda falou que o major invadiu a loja e não se apresentou como comandante de alguma corporação. Segundo ele, depois de confirmar que estava falando com o proprietário da loja, informou a voz de prisão.

- Eu perguntei o porquê da prisão e virei de costas para ele. Imediatamente, o comandante me imobilizou. Ele me agrediu na tentativa de me conter.  Eu não desacatei o major em momento algum. Além disso, ele ainda estava à paisana - completou.


10 comentários:

  1. EU QUERIA VER SE ESSE MAJOR NÃO FOSSE CMT DA GM, SE IRIA BOTAR ESSA BRONCA TODA, E SE ELE ESTIVESSE EM UMA SUPERVISÃO PELA PMERJ, SE ELE COMPRARIA A BRIGA DO SGT DURANTE UMA OCORRÊNCIA, QUE PRECISASSE DE SUPERVISÃO DE OFICIAL NO LOCAL. AGORA EU PERGUNTO; SABE QUEM SERÁ O MAIOR PREJUDICADO NESSA HISTÓRIA TODA? O SGT PM QUE ACABOU SE ENVOLVENDO NESSA OCORRÊNCIA. ESSES OFICIAIS, SÓ DEMONSTRAM TRABALHO, QUANDO ESTÃO SEMPRE A DISPOSIÇÃO DE OUTRO ÓRGÃO, CASO CONTRÁRIO, ELE NEM SE IMPORTARIA, E TALVEZ ATÉ PRENDESSE O GUARDA MUNICIPAL POR QUALQUER MOTIVO. ABAIXO ESSE RDPM ARCAICO E RIDÍCULO!!!

    ResponderExcluir
  2. O SGT tem que contratar um bom advogado e entrar no bolso deste MAJ.
    O que não faltam são artigos no código cívil. E boa sorte.

    ResponderExcluir
  3. AKI EM VOLTA REDONDA, A GUARDA MUNICIPAL COM AS COSTAS QUENTE DESSE COMANDANTE, MANDA MAIS Q OS PMs DE SERVIÇO.....TUDO ELES CHAMAM ESSE MAJOR E O MESMO LOGO DA UMA CHAVE DE GALÃO....AKI O POSTE MIJA NO CACHORRO.....

    ResponderExcluir
  4. Abuso de poder e autoridade,mp nele.

    ResponderExcluir
  5. Uma tremenda besteira de todas as partes, um dono de loja ,q acha q é o dono do mundo, um PM q se acha herói e com certeza é "funcionário" do dono da agencia e por isso o dono da agencia se acha autoridade e sempre chama os serviços do sargentão para resolver seus problemas e um GM ,a parte mais fraca da corda ,sua sorte é q seu comandante foi pessoalmente no local, enfim ..junta tudo e de descarga.

    ResponderExcluir
  6. é por isso que eu jamais vou trabalhar no interior. So provoca dor de cabeça e a fubazada é corriqueira.

    ResponderExcluir
  7. policial de verdade luta pela policia,quem usa a farda para se prostituir em outra secretaria não e policial e lixo.e tão sujo quanto o policial corrupto,porquê não faz concurso para o municipio a pmerj não e fornecedora de mão de obra,grande parte da tropa lotada em outros orgãos e a pmerj taõ deficitaria com uma escala de serviço que lembra a escravidão.

    ResponderExcluir
  8. É POR ISSO Q A PMERJ TÁ UMA BOSTA.....PEDE P/SAIR MAJOR..PREFEITURA DEVE T PAGA MAIS Q A PM.....

    ResponderExcluir
  9. Esses FDP só ficam sugando sangue em todos os lugares que passam!!! tropa de elite é fichinha perto do que esses sacripantas fazem!!! acumulam cargos no Estado e Município, chefe da guarda tem que ser guarda! pra que a guarda quer um oficial da pm no comando??? tudo errado. brasil, um País te TOLOS.

    ResponderExcluir