sexta-feira, 26 de abril de 2013

Falso policial civil é preso em Copacabana

O falso policial foi denunciado por garotas de programa à PMs do 19º BPM, baseados em uma cabine na orla da Avenida Atlântica. Elas reclamaram da forma agressiva como o Carlos Henrique se identificava e as ameaçava. De acordo com as características descritas, os policias localizaram o suspeito na altura da Praça do Lido. Ao ser abordado, ele entrou no Ford Fiesta verde, placa LBA-8128, de São Gonçalo. Na fuga, ele quase atropelou um dos PMs e passou por uma blitz da Lei Seca sem ser parado, segundo um soldado.
Carlos Henrique foi perseguido por mais de três quilômetros e acabou abordado na Rua Real Grandeza, em Botafogo, a um quarteirão do Cemitério São João Batista. Durante a revista, os PMs encontraram a carteira e o distintivo da Polícia Civil, além das algemas e da pistola Beretta calibre 7.65 com sete munições e numeração raspada, além dos outros pertences. Segundo os PMs, Carlos disse que seu sonho era ser policial. Ainda de acordo com os militares, o acusado disse ser morador do bairro do Humaitá, na Zona Sul, graduado em Educação Física e Bacharel em Direito.
 Um falso policial foi perseguido e preso em flagrante em Botafogo, na Zona Sul do Rio, na madrugada desta sexta-feira. Com Carlos Henrique Pereira de Mendonça, de 45 anos, policiais do 19º BPM (Copacabana) apreenderam uma carteira e um distintivo da Polícia Civil, uma pistola municiada e com a numeração raspada, algemas, coldre e mais de 100 DVDs de filmes pornôs, supostamente piratas. A polícia vai investigar a denúncia de que o falso agente vinha ameaçando, agredindo e roubando garotas de programa na orla de Copacabana, onde teve início a abordagem da PM.
Na 12ª DP (Copacabana), central de flagrantes da região, os policiais civis confirmaram que a carteira da corporação era falsa. O documento tinha dados numéricos (matrícula, registro) do cadastro de um outro policial civil. No veículo foram encontrados 105 DVDs de filmes pornográficos. O carro apreendido está em situação regular, mas cadastrado em nome de uma mulher.

6 comentários:

  1. Essa figura já faz esse papel há anos em Copacabana,sempre metendo essa bronca de ser policial,já desconfiava das suas atitudes, mas agora a casa caiu e vai pagar por seu crimes.

    ResponderExcluir
  2. esse pilantra ja tirou dinheiro meu que era de compromisso estava trabalhando e tinha alguns dvd comigo ele me colocou maior terror seu bandido safado tem que mofar na cadeia

    ResponderExcluir
  3. Parabéns aos PMs do 19º BPM!

    O Governo do Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Não está sendo respeitado nem o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as necessidades vitais básicas.

    Segundo o DIEESE, o Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Março de 2013 foi estimado em R$ 2.824,92 (dois mil, oitocentos e vinte e quatro reais e noventa e dois centavos). O vencimento bruto do Soldado PM/BM no RJ atualmente é de apenas R$ 2.077,25 (R$ 747,67 abaixo do referido piso).

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    É fácil dar DIGNIDADE à tropa, basta querer!

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população fluminense (Bombeiros e Policiais Militares)???

    VERGONHA!

    O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa conceder 36% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ para cumprir o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, ou seja, para suprir as necessidades vitais básicas dos Militares Estaduais (pagar o Salário Mínimo Necessário aos Soldados PM/BM).

    NO RIO DE JANEIRO, OS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PÚBLICA NÃO SÃO TRATADOS DIGNAMENTE. A VIDA DE MILITAR ESTADUAL É COMPLICADA! FALAR DO PM É FÁCIL, DIFÍCIL É SER PM.

    É preciso oferecer o MÍNIMO de DIGNIDADE aos integrantes da PMERJ. DINHEIRO PARA PAGAR BEM TEM, CASO CONTRÁRIO NÃO EXISTIRIAM O PROEIS E O RAS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. 36% de reajuste salarial é o mínimo que o Governo do Estado do Rio de Janeiro poderia conceder aos PMs e BMs em Fevereiro de 2014.

      Excluir
  4. Bandidos tocam fogo em dentista

    São nesses momentos que decidimos que tipo de sociedade somos. Uma dentista foi queimada viva em seu consultório após assaltantes roubarem seus cartões bancários, tentarem um saque e se vingarem ao perceberem que ela tinha apenas R$ 30,00! O responsável por atear fogo tem 17 anos, ou seja, não pode nem ser preso por tal ato (ECA). Foi uma tragédia, mas ficará impune! A redução da maioridade penal é indispensável. Infelizmente, a lei dificilmente mudará. É preciso buscar soluções que atuem nas causas do problema.

    A sociedade perdeu a sua identidade. A familia, responsável por passar valores, já não se acha mais na obrigação de educar. Na verdade, tercerizou a sua RESPONSABILIDADE para a Escola ou outros. Nesta situação, não vejo quem é quem, ou quem respeita quem. A justiça, que poderia agir para colocar ordem na casa, é cega. Já está na hora de alguém fazer um projeto de Lei para acabar com a progressão de pena e reduzir a maioridade penal. Nas comunidades, a pena de morte já existe como resposta à impunidade.

    A pena de morte e o fim da maioridade penal são necessários. A sociedade vivencia o medo todos os dias, é massacrada pelos governantes e pelos bandidos. A criminalidade está banalizada! Quem está pretenso a cometer um crime não vê na penalidade algo que lhes iniba. E para quem já é do meio, quanto mais bárbaro o crime, mais respeitado é o bandido. Para completar, temos os "dimenor" (menores infratores), que são a face mais absurda do Código Penal Brasileiro e das leis correlatas.

    ResponderExcluir
  5. eu particularmente tenho SAUDADES muitas SAUDADES de quando em nosso país os TRÊS PODERES DA REPUBLICA eram: EXERCITO - MARINHA - AERONÁUTICA, ou seja, as FORÇAS ARMADAS quantas saudades....

    ResponderExcluir