quarta-feira, 17 de abril de 2013

Marival Gomes é exonerado da polícia


O ex-vereador e ex-secretário municipal de Segurança, Marival Gomes da Silva, foi exonerado da Polícia Civil, onde ocupava o cargo de inspetor. Ele é acusado de corrupção passiva, formação de quadrilha e violação de sigilo funcional. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg), o desligamento foi resultado da conclusão de um processo administrativo disciplinar conduzido pela Corregedoria Geral Unificada (CGU), além de representar um desdobramento da “Operação Furacão”, realizada pela Polícia Federal em 2007, que prendeu 29 pessoas - entre magistrados, advogados, policiais, empresários e bicheiros.
O Ministério Público Federal (MPF) move ainda um processo julgado na 6ª Vara Criminal Federal e que já culminou, em dezembro do ano passado, na condenação a nove anos e seis meses de reclusão do ex-vereador, além de ter determinado seu “afastamento cautelar” do cargo policial, diante do reconhecimento de que “o acusado era membro da organização criminosa, servindo-lhe através do fornecimento de informações privilegiadas obtidas através do cargo público ocupado e, também, valendo-se da influência do cargo para estabelecer canais com as mais diversas autoridades, em prol da quadrilha”.
“Essa atuação era remunerada, através de pagamentos feitos por um dos operadores do pagamento mensal de propina da quadrilha (...). É evidente que esta forma de agir é totalmente incompatível com a continuação do exercício da função pública, sobretudo a policial”, diz um trecho da decisão.
O ex-vereador já apresentou recurso contra a decisão e o processo deverá seguir agora para o Tribunal Regional Federal (TRF) de 2ª Região. Ele também poderá recorrer no âmbito administrativo da polícia.
Procurado, Marival Gomes afirmou que ainda reforça sua defesa e, por isso, não poderia comentar o caso neste momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário