domingo, 7 de abril de 2013

Policiais desistem de extras devido a salários atrasados


Criado há quase um ano, como resposta à falta de efetivo do 12º BPM para enfrentar a onda inicial de violência em Niterói, o Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) — que já chegou a contar com 150 homens para patrulhar o Centro e a Zona Sul — está esvaziado. De acordo com PMs do batalhão de Niterói conversou sob condição de anonimato, o pagamento do mês de dezembro ainda não foi feito aos policiais, e os salários dos meses seguintes vêm sofrendo atrasos. O resultado, segundo o Conselho Comunitário de Segurança, é que o policiamento nas ruas da cidade tem sido feito, diariamente, somente por cerca de dez a 15 homens — efetivo que chegou a ser de 150 em 2012, quando o programa foi criado.
— Está muito desestimulante trabalhar no Proeis porque é difícil receber as horas extras. A realidade é que a maior parte dos policiais está faltando mesmo — disse um PM do 12º BPM.
Dependendo do posto ocupado, do turno e da demanda de segurança do órgão conveniado, um praça ou graduado da PM recebe R$ 150, e um oficial,R$ 175 pelo turno máximo de oito horas trabalhadas.
De acordo com o presidente do conselho, Leandro Santiago, as falhas na condução do programa têm contribuído para expor a cidade a uma nova onda de violência:
— Esses tiroteios e crimes recentes voltaram a acontecer porque o Proeis parou, e o 12° BPM tem um efetivo de 630 homens, que é insuficiente para cobrir a área de Niterói e Maricá. Essa situação é grave, já que esses PMs preferem voltar a fazer bicos em serviços de segurança clandestina — afirma Santiago.
O comandante do 12°BPM, Wolney Dias, também confirmou o esvaziamento do programa no município:
— Eu só acompanho num estágio secundário, mas realmente vejo cada vez menos policiais no Proeis. Isso acaba nos prejudicando, já que eles nos auxiliavam no policiamento ostensivo, e também prejudica a população, já que há menos policiais nas ruas.
Na quarta-feira, a equipe de reportagem percorreu, durante a tarde, ruas do Centro como Amaral Peixoto, Coronel Gomes Machado e Visconde do Rio Branco e não encontrou policial algum do Proeis atuando, nem mesmo na cabine da PM da Praça Araribóia. A falta de PMs também foi constatada em vias de Icaraí e Santa Rosa.
O Proeis foi implantado no município em 2012, durante o governo Jorge Roberto Silveira. Inicialmente foram contratados 70 policiais, o que representava um investimento de R$ 2,8 milhões anuais. De acordo com dados da atual prefeitura, hoje o município tem um gasto médio de R$ 250 mil por mês com o Proeis, valor que pode variar de acordo com o número de policiais que adere ao sistema mensalmente. Hoje, diz o órgão, 48 PMs trabalham por dia. Segundo a PM, há 390 homens cadastrados em Niterói.

11 comentários:

  1. O proeis da CODIM esta na mesma coisa, muitos companheiros já estão desvalidando os dias, pois não já estamaos 3 meses atrasados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Policiais Militares não devem trabalhar em suas folgas, pois eles precisam descansar!

      A PMERJ e o CBMERJ precisam de 33% de reajuste salarial para o soldo do soldado alcançar o SALÁRIO MÍNIMO.

      O Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Não está sendo respeitado nem o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as necessidades vitais básicas. Segundo o DIEESE, o Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Fevereiro de 2013 foi estimado em R$ 2.743,69 (dois mil, setecentos e quarenta e três reais e sessenta e nove centavos). Para alcançar este piso, seria necessário 32,083% de reposição salarial, pois o vencimento bruto do Soldado PM/BM no RJ atualmente é de apenas R$ 2.077,25 (a diferença é de R$ 666,44).

      Fonte: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

      Já para igualar o SOLDO do SOLDADO ao SALÁRIO MÍNIMO vigente, seria necessário conceder apenas 32,19% de reajuste salarial.

      SOLDO do SOLDADO: R$ 512,90

      SALÁRIO MÍNIMO: R$ 678,00

      DIFERENÇA: 32,19%

      É fácil dar DIGNIDADE à tropa, basta querer!

      Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)???

      VERGONHA!

      Excluir
  2. Diminuiu muito a quantidade de policiais, pois a grande maioria eram os policiais de upp's, e como o coronel paulo henrique piorou as escalas de todas as upp's, os policiais que trabalham no 7º e no 12º nao tiram mais, pois alem de trabalharem longe de casa, tem uma escala ruim pois nao sao considerados residentes, e nao tem a escala que os residentes tem, como os policiais que moram em itaborai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Policiais Militares não devem nunca trabalhar no PROEIS nas folgas

      O ESTRESSE, NA ÁREA POLICIAL, É MUITO PERIGOSO! Depois, quando dá problema, é tudo na conta do PM...

      Excluir
  3. Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população? Bombeiros e Policiais Militares merecem RESPEITO!

    ResponderExcluir
  4. É POR ISSO QUE EU PREFERI FICAR NA SEGURANÇA DO PORTUGUÊS, POIS A MINHA PRATA NUNCA ATRASA E NÃO ME SUBMETO A ESSE RDPM ARCAICO, COM OFICIAIS ME VIGIANDO NA MINHA FOLGA. JÁ QUE TENHO QUE FAZER SEGURANÇA, PREFIRO MIL VEZES FAZER A PAISANA, DO USAR O HORRÍVEL BATE BOLA, E SEM ME PREOCUPAR COM DRD E ETC.

    ResponderExcluir
  5. ENQUANTO HOUVER CAVALO, SÃO JORGE NÃO ANDA À PÉ..........CULPADO DISSO TUDO SÃO VOCES MESMO, NÃO SE DÃO AO RESPEITO E NÃO SE VALORIZAM......FICAM SE ESCRAVIZANDO POR R$ 150.OO REAIS......

    ResponderExcluir
  6. O último a sair, por favor apague a luz.

    ResponderExcluir
  7. Quando o policia sagaz tem várias formas de ganhar dinheiro honestamente e....pouco importa se o serviço extra vai existir ou não. Nos batalhoes do interior a oferta de serviço extra RAS é em média de 20 policiais e a procura chega a 10 vezes esse número. Só que o PPMM quer trabalhar no batalhão dele (interior) e por inúmeros motivos não trabalha em qualquer lugar ou qualquer serviço mais operacional ou em outro batalhão. Como o governo não sabe acabar com essa discrepancia, é melhor o policial estudar, procurar outros meios de aumentar sua renda, pois todos nós sabemos que isso em breve irá acabar. Por fim a esperança dos amigos acima não serão respondidas ou atendidas na conversa, na insatisfação ou com tempo, terá que doer em alguem, algo mais duro e impactante.

    ResponderExcluir
  8. O programa em si não é ruim. Porém a falta de um critério rigoroso, no que diz respeito à data de pagamento, quantos serviços você vai tirar por mês e quanto de fato você vai receber, deixa a desejar. Isto acaba desmotivando o PM a participar do programa.

    ResponderExcluir
  9. Vejo que os PMs descobriram um forma de se manifestar contra este comando e governador...


    Boicote ao PROES, o governador vai usar este programa como campanha politica, se não der certo passará a ser Ponto Negativo.

    E ai PM, vai fazer campanha para o Cabral/Pesão? depois você vai ficar na mão...

    ResponderExcluir