sexta-feira, 12 de abril de 2013

Psicólogos farão patrulhamento com PMs das novas UPPs

Uma nova experiência com o objetivo de aproximar cada vez mais moradores de comunidades pacificadas com a polícia será posta em prática nas duas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) — Caju e Barreira do Vasco/Tuiuti — inauguradas nesta sexta-feira: dois psicólogos da Polícia Militar farão o acompanhamento diário dos 450 PMs das duas novas unidades. Segundo o coronel Paulo Henrique Azevedo de Moraes, coordenador de Polícia Pacificadora, o trabalho dos psicólogos é embrionário, será paulatino e visa a traçar um diagnóstico da relação interpessoal dos policiais com os membros da comunidade. Na prática, a ação servirá para evitar conflitos. Os psicólogos — tenentes Newton e Mônica — são lotados na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).
— Estou inserindo psicólogos para que eles me digam como caminhar. Eles farão um diagnóstico do clima organizacional, da relação do policial com a comunidade. Procurar saber onde poderá haver conflitos para nos anteciparmos e resolver problemas. Eu já tenho a visão policial. Agora, quero outros dados, com os olhos dos psicólogos para saber como está sendo o processo de pacificação — explicou o coronel Paulo Henrique.
Ele disse também que a iniciativa está começando nas duas novas UPPs mas que a ideia é expandi-la para todas as outras regiões pacificadas. Os psicólogos acompanharão os policiais no patrulhamento diário para observar comportamentos.
— É mais uma ferramenta. Queremos evitar esse choques que às vezes acontecem. Muitas vezes o problema é falta de comunicação. E os psicólogos, com suas ferramentas, ajudarão continuamente o processo de pacificação — contou o militar.

5 comentários:

  1. O Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Não está sendo respeitado nem o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as necessidades vitais básicas. Segundo o DIEESE, o Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Março de 2013 foi estimado em R$2.824,92 (dois mil, oitocentos e vinte e quatro reais e noventa e dois centavos). O vencimento bruto do Soldado PM/BM no RJ atualmente é de apenas R$2.077,25.

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    É fácil dar DIGNIDADE à tropa, basta querer!

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)???

    VERGONHA!

    ResponderExcluir
  2. Esse coronel paulo Henrique é uma farsa. Vejamos: Fez o cursinho do Bope e ficou 12 anos com a bunda sentada dentro do Tribunal de Justiça do Rio, num jabazão patrocinado por alguns desembargadores amigos de Niterói, cidade onde o caveira mora. Foi de capitão a tenente-coronel sem ter passado por nenhum batalhão. Quando saiu do TJ, ganhou de presente o comando do Bope. Ficou um ano e foi para o 12º BPM (Niterói), de onde saiu menos de um ano depois com péssimos índices de criminalidade e envolvido na investigação sobre a morte da juíza Patrícia Acioli (descumpriu várias ordens da juíza para afastar das ruas policiais que eram réus em São Gonçalo). Saiu do batalhão de Niterói para o 20º BPM (Mesquita), onde saiu menos de um ano depois, também com péssimos índices e sem atingir as metas. Como o negócio dele é ficar no ar condicionado sem fazer porra nenhuma, ganhou de presente uma vaga de aspone no estado-maior da 1ª CPA. Estava articulando sua volta para Niterói, onde iria assumir a Secretaria de Segurança da Cidade, uma função que não serve para porra nenhuma, mas rende prestígio pessoal e um "por fora" na segurança particular. O plano foi abatido depois que a família da juíza foi para os jornais e disse que ele quase tomou porrada na noite do crime. Teve que sair de lá vazado. isso porque, na época que era do Tribunal de Justiça, foi o cara que negou a escolta para a juíza. Assinou pelo menos duas negativas. Para não ficar mal, o Governador - que indicou o nome de Paulo Henrique - mandou a PM arrumar um posto melhor para ele. Arrumaram o Comando das UPPs. De quebra, ganhou uma promoção a coronel. Essa é a verdadeira história desse merda, medroso e baba-ovo do poder.

    ResponderExcluir
  3. vai ter muito psicologo baixando psiquiatria...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKK
      ESSA FOI BOA ... QUEM NÃO LEMBRA DO GETAM ... FOI ASSIM MESMO ...

      Excluir
  4. tem coisas que só acontece na pmerj, pobre corporação, oficial superior lotado no 25 bpm punido com trinta dias de prisão por ter vendido vaga de soldado , pasmem os senhores, ou seja acobertou candidato reprovado o fazendo ingressar na corporação através de cfsd, portanto, dois pecados: tirou a vaga de um candidato limpo e incluiu um candidato sujo só Deus sabe o valor da barganha e continua na ativa cuidado cmt do 4 cpa cuidado ou será que o mesmo é parceiro vamos aguardar.

    ResponderExcluir