terça-feira, 2 de abril de 2013

Justiça denuncia policial por manter casa de prostituição em Niterói

O Ministério Público do Rio – MPRJ – informou que a a 4ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal, da 2ª Central de Inquéritos (Niterói), denunciou criminalmente o policial militar Alessandro Evangelista Carvalho e sua mulher, Elisabete Costa da Silva Carvalho, por manterem uma casa de prostituição no local conhecido como edifício da CEF, no Centro da cidade. A ação penal foi distribuída à 1ª Vara Criminal de Niterói.
De acordo com a Promotoria, as investigações começaram a partir de uma denúncia anônima, que originou a operação realizada no dia 29 de outubro de 2012, na qual Aline Cardoso Mendonça, gerente do local à época, foi presa em flagrante. Depois, Alessandro que era conhecido como Rodrigo pelas garotas de programa  e Elisabete foram apontados como os administradores da casa.
No momento da operação, havia garotas de programa e possíveis clientes. Todos foram levados para a 76ª DP. No local, foram encontrados cartazes, com tabela de preços dos programas; uma máquina de cartão de crédito, que estava registrada em nome de Elisabete; e cadernos de contabilidade, com os nomes das garotas e os respectivos valores dos programas. Cada um deles custava de R$ 40 a R$ 80, dependendo da duração.
Na denúncia, a Promotoria ressalta que todo o prédio da CEF está em péssimo estado de conservação e oferece risco aos moradores. O MP já notificou o CREA, a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Prefeitura de Niterói para que sejam tomadas as providências necessárias.
A Promotoria enviou cópias da denúncia para a Corregedoria-Geral da PM e para a Corregedoria-Geral Unificada, já que o acusado é cabo da PM, lotado no Batalhão de Itaboraí. As penas variam de dois a cinco anos para o crime de manutenção de casa de prostituição e de um a quatro anos, para exploração sexual alheia.

5 comentários:

  1. tinha uma casa noturna com o nome sugestivo de "pau não cessa", na parede tinha placas avisando é proibido cuspir no chão, limpar o pau na cortina, matar mosquito na parede etc..também tinha os preços: Anal 100,00 reais, vaginal 50,00, , os nomes eram os vulgares, c.., b...,era frenquentada por boemios e moças desinibidas.

    ResponderExcluir
  2. VEIO AQUI AGRADEÇER OS POLICIAS DO DPO DE NOVA CIDADE, QUE FICA NO MUNICIPIO DE NILOPOLIS,QUE PRENDEU O BANDIDO BRUNO DA SILVA DE SOUZA QUE TEM TRES PASSAGEM PELA JUSTIÇA,NO DOMIGO A NOITE MINHA FILHA VOLTAVA DA IGREJA ESSE BANDIDO ROUBO CELULAR DELA.

    ResponderExcluir
  3. Tem CAP. Do 40 BPM dono de casa de prostituição na rio sao Paulo. Fique de olho MP.

    ResponderExcluir
  4. PMERJ e CBMERJ precisam de 33% de reajuste salarial

    O Rio de Janeiro, com a segunda maior arrecadação de impostos do Brasil, poderia pagar muito melhor os Bombeiros e Policiais Militares. Não está sendo respeitado nem o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que visa suprir as necessidades vitais básicas. Segundo o DIEESE, o Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Fevereiro de 2013 foi estimado em R$ 2.743,69 (dois mil, setecentos e quarenta e três reais e sessenta e nove centavos). Para alcançar este piso, seria necessário 32,083% de reposição salarial, pois o vencimento bruto do Soldado PM/BM no RJ atualmente é de apenas R$ 2.077,25 (a diferença é de R$ 666,44).

    Fonte: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    Já para igualar o SOLDO do SOLDADO ao SALÁRIO MÍNIMO vigente, seria necessário conceder apenas 32,19% de reajuste salarial.

    SOLDO do SOLDADO: R$ 512,90

    SALÁRIO MÍNIMO: R$ 678,00

    DIFERENÇA: 32,19%

    É fácil dar DIGNIDADE à tropa, basta querer!

    Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)???

    VERGONHA!

    ResponderExcluir