quarta-feira, 26 de junho de 2013

Excesso não é a lógica da polícia’, diz secretário de Segurança sobre denúncias de abusos na Nova Holanda

O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, defendeu, em entrevista à Rádio CBN, na manhã desta quarta-feira, a apuração das denúncias de possíveis excessos cometidos pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) durante operação na Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, que terminou com nove mortes. Ao mesmo tempo, ele disse que a morte do segundo sargento do Bope Ednelson Jeronimo dos Santos Silva, de 42 anos, também deve ser investigada.
- Essas coisas têm que ser apurada. Especulação não faz bem a ninguém. Temos aqui mais de 1,5 mil policiais expulsos. Isso não é problema e se tiver que expulsar mais, vamos expulsar. Assim como temos que apurar os excessos, temos que apurar quem matou o sargento. Infelizmente o Rio de Janeiro vivia em alguns lugares a lógica da guerra, que não é mais a lógica da polícia - afirmou Beltrame.
Segundo o secretário, hoje a cidade vive dois momentos:
- Áreas pacificadas, onde isso não acontece mais, e, infelizmente, lugares onde a lógica da guerra ainda acontece. O que aconteceu na Maré acontecia na Mangueira, na Cidade de Deus, na Vila Cruzeiro, no Alemão, na babilônia, no Chapéu Mangueira. Infelizmente a Maré ainda é um lugar desses. O que tivemos lá foi uma ação de traficantes contra a polícia. Não tem nada a ver com a manifestação.
De acordo com Beltrame, a polícia que cuidava da manifestação era o batalhão convencional e a tropa de Choque, inclusive, com equipamentos somente para desobstruir vias.
- Tanto é que quando houve os tiros de dentro da Nova Holanda, o grupamento especial teve que agir. O estado foi atacado. Infelizmente é o que o Rio, há muitos anos, recorrentemente assistia. Nossa política está muito clara, reduziu-se o auto de resistência drasticamente, reduziu-se homicídios drasticamente, retirada, inclusive, de equipamentos letais de alguns batalhões. Quando o estado for atacado, vamos optar por agir e não optar por nos omitir - acrescentou.
O secretário disse ainda que desconhece o uso de facas nas mortes ocorridas na Nova Holanda, conforme denunciou moradores da região. Eles afirmaram que policiais do Bope teriam usado esse tipo de arma para torturar as vítimas:
- Ao que sei, preliminarmente, não há, pelo menos até agora, esse tipo de notícia. Não fui informado disso. Mas vamos apurar e ser transparentes.
Segundo Beltrame, a situação na Nova Holanda é tranquila na manhã desta quarta-feira.
- A polícia está nas imediações. Vamos continuar a observar para ver se há necessidade ou não de se tomar outra medida - disse o secretário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário