domingo, 23 de junho de 2013

Justiça nega pedido de prisão de acusados de depredar Alerj

Com base em imagens registradas em frente ao prédio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) a 5ª DP (Mem de Sá) solicitou à Justiça, na noite desta sexta-feira (21),  a prisão temporária de cinco homens que aparecem em atitudes criminosas durante a manifestação. O pedido, no entanto, foi negado pelo juízo do plantão judiciário. 
Em sequência de fotos e frames de vídeos, um deles aparece tentando quebrar a janela do prédio da Alerj com uma cadeira; outro com um coco na mão integrando o grupo que agrediu um policial militar; o terceiro pichando a parede da Casa e outros dois  insuflando os vândalos, com garrafa e coco nas mãos. 
O pedido de prisão de cinco dias pelos crimes de dano ao patrimônio e formação de quadrilha foi feito, conforme prevê a legislação, ressaltando as características físicas dos acusados, além das imagens que mostram a conduta criminosa.
A Polícia Civil continua analisando imagens registradas durante todos os atos. Caso as prisões fossem concedidas, as imagens seriam incluídas no Disque-Denúncia para que a população colaborasse com a identificação dos cinco homens.

2 comentários:

  1. A JUSTIÇA NEGOU O PEDIDO DE PRISÃO DESSES BANDIDOS, MAS SE ESSES BANDIDOS TIVESSEM INVADIDO E DEPREDADO O TRIBUNAL DE JUSTIÇA OU MATADO UM JUIZ, AÍ A ATITUDE DELES SERIA DIFERENTE. ENQUANTO ELES NÃO SÃO ATINGIDOS, ELES FICAM OMISSOS A TUDO O QUE ESTÁ ACONTECENDO, COM EXCEÇÃO DE APURAREM AS DITAS VIOLÊNCIAS COMETIDAS PELOS PMs BUCHAS, QUE APANHARAM MAIS DO QUE BATERAM. VÃO VENDO!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. I M P U N I D A D E

    É como se o Poder Judiciário estivesse dizendo aos cinco homens que depredaram o prédio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, agrediram um policial militar e picharam a parede da Casa que: eles podem continuar cometendo os crimes de dano ao patrimônio e formação de quadrilha!

    ResponderExcluir