terça-feira, 16 de julho de 2013

Polícia usa vídeo de funk proibidão pra identificar traficantes da Rocinha

 
Clipe divulgado na internet traz letra com desafio aos homens da lei: ‘Pode tentar entrar, porque o bonde não é de abandonar’
Alguns dos traficantes da Rocinha que estão na lista dos 58 com mandados de prisão - alvos da operação Paz Armada - são citados num funk que está circulando pela internet. Durante a execução do proibidão, o vídeo mostra imagens de bandidos fortemente armados e de carros da Polícia Militar sendo incendiados e explodidos, além da foto de Antonio Francisco Bonfim Lopes, o chefão Nem.
A letra do funk exalta o poder bélico do bonde e desafia a polícia dizendo que, se entrar na favela, haverá forte reação. "Pode até tentar entrar porque o bonde do Mestre (como Nem também é chamado) não é de abandonar". No fim do vídeo, um aviso para a bandidagem: "Morra como homem, mas nunca abandone, nunca traia".

2 comentários:

  1. A PMERJ e o CBMERJ precisam de reestruturação na carreira.

    A promoção de praças por tempo de serviço incentiva os Soldados a não se preocuparem em estudar, se aperfeiçoar e, assim, se manterem incompetentes em um debate com algum meliante de colarinho que tenham de prender. Não podemos compactuar com a preguiça, com o desinteresse pela cultura e pelo aperfeiçoamento profissional. Premiar a ignorância e o comodismo não é interessante para a PMERJ e nem para o CBMERJ, pois estas Corporações só perdem com isto. Perdem em qualidade, perdem em credibilidade e perdem em respeito! Profissionais medíocres não podem ser promovidos. A PMERJ e o CBMERJ são maiores que o interesse de alguns militares que, nos momentos de folga, preferiram trocar os bancos escolares pela cerveja e pelo churrasco, certos de que a desídia e o descompromisso consigo mesmo, com seu futuro, seriam premiados em algum momento, por leis oportunistas, independentemente das suas qualidades e habilidades. A premiação pela preguiça nivela a tropa por baixo! A desídia, a preguiça e o relaxo cultural deixam o PM e o BM desleixados, pois eles sabem que as "lagartinhas cairão do céu".

    Enquanto outras corporações lutam para que todos os seus membros tenham ou já ingressem com um curso superior completo, exatamente para poderem pleitear junto ao governo melhores salários e condições de trabalho, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro criam mecanismos que colocam seus integrantes à margem da sociedade. Os concursos internos para o CFS e o CFC são necessários. Chega de moleza, é preciso dignificar as funções dos Sargentos e dos Cabos, ninguém deve "ganhar" as divisas. Muito me preocupa como serão os Sargentos de amanhã. A última turma que realmente fez um Curso de Formação de Sargentos foi em 2006/2007. O Sargento é o elo de ligação entre o Comando e a Tropa! Os jurunas ostentam as divisas de Cabos e Sargentos, mas continuam Soldados. Para fortalecer a Corporação, será fundamental melhorar a qualidade de seus membros, ou seja, exigir qualificação dos seus integrantes. Promover todos os Soldados à Cabos não os qualifica, não os dignifica, não os torna mais compromissados com o serviço ou mais preocupados com os rumos da corporação. Premiar o preguiçoso, o desinteressado... não! Os Militares Estaduais precisam é de DIGNIDADE SALARIAL.

    A ascensão requer qualificação. A função de sargento, por exemplo, deveria ser exercida por um militar de nível superior completo e concursado (CFS). O progresso tem que ser diretamente proporcional à dedicação do profissional. O conhecimento tem que ser valorizado, ou seja, só quem estuda deve ser prestigiado com promoções. Nenhuma conquista pode ser automática, pois isto deixa a pessoa acomodada! A oportunidade de prestar concursos internos para ser promovido irá incentivar a tropa a se aperfeiçoar, aprimorar seus conhecimentos. Eu sou contra a promoção de praças por tempo de serviço porque trata-se de um mecanismo que nivela a tropa por baixo, prejudicando consideravelmente a qualidade dos serviços prestados pela Corporação! Promover todos os soldados à cabos e posteriormente à sargentos, sem concurso, enfraquece a hierarquia militar, que é a base da organização da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Ninguém é contra os jurunas, não é uma questão pessoal. O problema é a falta de critério, é o fato de todos serem promovidos, pois quando se promove toda a tropa, na verdade ninguém está sendo promovido! O Militar Estadual adora inventar desculpas para não estudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A QUESTÃO SALARIAL (O VALOR DO SOLDO) DEVE SER O FOCO.


      O DESPREPARO DO POLICIAL MILITAR É CONSEQUÊNCIA DE SUA ACOMODAÇÃO (FALTA DE QUALIFICAÇÃO). A PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO ("ASCENSÃO AUTOMÁTICA") DEFINITIVAMENTE TEM QUE ACABAR! OS CONCURSOS INTERNOS SERVEM PARA SEPARAR O JOIO DO TRIGO. O QUE O BOMBEIRO E O POLICIAL MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRECISAM É DE UMA REMUNERAÇÃO DIGNA! OS INATIVOS E OS REFORMADOS PASSAM NECESSIDADES, MOTIVO PELO QUAL EU SOU TOTALMENTE CONTRA A PROMOÇÃO DE PRAÇAS POR TEMPO DE SERVIÇO ("ASCENSÃO AUTOMÁTICA"). O QUE O BOMBEIRO E O POLICIAL MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRECISAM É DE DIGNIDADE SALARIAL (UM SOLDO DECENTE)! AS PROMOÇÕES DEVEM SER CONQUISTADAS POR MÉRITO INTELECTUAL (CONCURSO INTERNO). ME DESCULPE, MAS EU NÃO TENHO COMO CONCORDAR COM A "DOAÇÃO DE DIVISAS", POIS É PÉSSIMO PARA A PMERJ E PARA O CBMERJ. A HIERARQUIA JÁ FICOU MUITO PREJUDICADA! É PREOCUPANTE O FUTURO DAS CORPORAÇÕES.

      Excluir