segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Recruta relata excessos em treinamento no CFAP

Queimaduras, convulsões e desmaios. Assim terminou o segundo dia do período de adaptação da 5ª Companhia Alfa no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) da PM, em Sulacap, na Zona Norte do Rio, de acordo com o relato de um recruta.
Segundo o aluno, naquela tarde, na última terça-feira, a sensação térmica era de cerca de 50 graus, quando, por volta de 13h, o recruta Paulo Aparecido Santos de Lima, de 27 anos, desmaiou durante uma corrida. Desde então, Paulo está internado no Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio. Segundo a corporação, seu estado de saúde “é grave, porém estável”.
Para o colega de turma, houve excesso dos oficiais que comandavam a companhia desde o dia anterior:
— A aula foi das 5h às 23h. Fizemos exercícios pesados sob sol forte. De meio-dia às 13h, fomos obrigados a ficar sentados no asfalto quente. Muitos tiveram queimaduras nas nádegas, assim como eu. Por conta de flexões, alguns queimaram as mãos e os pés. Outros, receberam baldes de água gelada e tiveram choque térmico


Segundo o recruta, toda a turma tinha apenas dois minutos para beber água no mesmo bebedouro, com a primeira permissão apenas a partir do meio-dia. Depois, os intervalos para hidratação eram a cada três horas.
Segundo a PM, o comando da turma foi afastado e um inquérito foi aberto para apurar os fatos.

30 comentários:

  1. OFICIAIS COMETERAM CRIME MILITAR

    O §1º do Art. 7º do RDPMERJ (R-9) diz o seguinte: "Cabe ao Policial Militar a inteira responsabilidade pelas ordens que emitir e pelas conseqüências que dela advierem." Os oficiais deverão ser punidos exemplarmente e responder pelo crime de LESÃO CORPORAL dolosa (Artigo 209 do Código Penal Militar), pois ofenderam a integridade corporal do aluno. É importante que seja feita a Perícia Traumatológica do Instituto Médico Legal (art. 328 do Código de Processo Penal Militar). Não sendo possível o exame de corpo de delito direto, por haverem desaparecido os vestígios da infração, supri-lo-á a prova testemunhal. O Aluno participou o fato?

    O Inquérito Policial Militar (IPM) é a apuração sumária de fato que seja tipificado na lei como crime militar e de sua autoria. Tem o caráter de instrução provisória, cuja finalidade precípua é a de ministrar elementos necessários à propositura da ação penal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezados,

      sou repórter do jornal EXTRA e estou procurando recrutas da turma do Paulo. Queria saber se alguém tem o contato de algum recruta que desistiu do curso. Seguem meus contatos: 2534-5920 e 7138-0293. Meu nome é Rafael Soares.

      Excluir
    2. alguém ai pode por favor instruir esses alunos a participarem o fato ao cmt do curso e paralelo ao IPM comunicar ao ministerio publico para que seja tomadas as medidas cabiveis na vara civel e criminal.

      Excluir
  2. Pow lembro que a 20 anos atrás tudo isso era pior e ninguém reclamava, não to aqui dizendo que sou melhor ou minha turma é a melhor mas é uma casa militar e tem muita gente se metendo, quero ver na hora q tiver trocando na pedreira se vai chamar jornal ou ministério público para ajudar.
    Pronto Falei!!!
    Sgt Anderson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é por causa de idiotas cmo vc que a pm continua essa pmerda, não sei em que este sofrimento vai ajudar o policial, duvido que eles tenham dado um tiro ou aprendido uma tecnica de defesa o que com certeza ajudaria em sua vida profissional, isto é tortura seu idiota e se vc sofreu não devia desejar aos outros..... 1ºsgt marcos

      Excluir
    2. Mto bom Sgt Marcos. Falou tudo. Vou fazer 10 anos de PM e nunca sofri isso... Isso é recalque! Mandem a denúncia para o Ministério Público e para a Corregedoria Unificada e vejam esses Oficiais irresponsáveis pagarem por seus crimes (pois isso de treinamento não tem nada).

      Excluir
    3. Prezado Marcos acredito que sou mais qualificado q vc pois tenho educação, acredito que a PM está deste jeito por pessoas como vc que fica fazendo fofoca e expondo seus companheiros para os paisanos, devemos lavar roupa suja em casa e é so isso, vc é um cara antigo como eu e sabemos que isso não desmereceu vc e nem eu no passado. Mas tudo bem espero cruzarmos pelos serviços da vida.
      Forte Abraço
      Sgt Anderson

      Excluir
    4. Esse Sgt Anderson só pode está de sacanagem! Roupa suja... é por isso que esses merdas desses oficiais deitam e rolam em cima de pobres como você. Tem que explanar mesmo. Ministério Público neles! Eu sei do meu dever, mas também conheço os meus direitos.
      Sub Alves

      Excluir
  3. Ao anônimo das das 15:38, com certeza vc não tem em seu curriculum escrito super homem, muitos de nós com mais de 25 anos com certeza, em especial EU, com prisões de chefes de tráfico, não me julgo melhor nem pior q o recruta que entra hoje. pois não se fica valente na Policia se entra Valente porém o que se esta fazendo hoje no CFAP e pura covardia praticada por Oficiais que nunca estiveram em incursões violentas e cadetes que nem deixaram as fraldas. q como muitos vão se esconder destro das unidades para fiscalizar Barba, Cabelo e Bigode. tiro em defunto vi muito em 25 anos, entrar e sair somente com sua guarnição para resgatar aloprados e que é ser diferente. Pronto Falei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é valido prezado amigo seu comentário, só quis dizer que essa roupa suja era para ser resolvido dentro, junto a corregedoria, agora fica todo paisano sabendo de nossas vidas e nos julgando, só foi isso que quis dizer.

      Excluir
    2. CONCORDO COM VOCÊ 17:46 !!!!

      Excluir
  4. Anônimo18 de novembro de 2013 15:38
    Pronto Falei!!!Hummmmmmmmmmm
    -Sei não!
    -Mais acho que VC tomba na curva!
    -Deu uma Desmunhecada heim!
    -Esta lendo muito Sites de "fofocas"!kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rssss....sai ganso!!! Fica desqualificando e é vc que não bota a cara.
      SGT Anderson

      Excluir
  5. Ao anônimo de 13:31, o RDMPERJ assim como o código penal militar serve somente para ser aplicado em praças haja vista o corporativismo entre os oficiais, não sei se é do seu conhecimento que o presidente do STF ministro Jaquim Barbosa, também é o presidente do (CNJ) Conselho Nacional de Justiça, e o mesmo após receber relatório sobre os tribunais militares no Brasil, ficou estarrecido por descobrir que somente praças são punidos pelos tais tribunais e por isso estão preparando parecer para extinguir tais tribunais, ou seja servem somente para beneficiar alguns em detrimento de outros. no entendimento do mesmo todos devem ser julgados pelos tribunais de justiça sem que acha corporativismo entre seus pares. Se o ato praticado no CFAP contra esses alunos fossem praticados por praças em serviços de PTR com certeza já tinham recolhidos os mesmos ao BEP por determinação do CMT Geral, e não somente instauração de IPM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O corporativismo entre os oficiais é inútil, pois para a Justiça não importa se o Policial Militar é Soldado ou Coronel.

      Excluir
    2. desculpe amigo mais não é verdade, estou cansado de ver aqui em SP oficiais cometerem o mesmo delito que o praça com julgamentos com desfecho diferentes, há sim corporativismo tendo em vista que há uma instituição chamada tjm onde vários juizes são coronéis ocupando cargo de juizes. Infelizmente existe uma palavra chamada discricionaridade em que os que praticam ato injusto ou ilegal não respondem por seus atos como deveriam. Isto não só na PM mas no judiciario, legislativo e executivo que não sofrem interferência externa de controle. Cansei de ver injustiça na PM e ainda continuo vendo.

      Excluir
  6. Ao anônimo de 17:54 com certeza vc não teria coragem para me dizer isso face a face, pois pelo seu tom já deu para perceber que é mais um desses adora dar tiro em defunto tando que a mascara nem precisou de ajuste caiu como uma luva. E para seu governo com certeza es hoje (talvez) SGT pois não através de concurso e sim por tempo, até porquê notasse que vc tem um grau de cultura muito baixo pela forma como escreve. não quero tomar o seu tem procure estudar, se formar, e ajudar por um modelo melhor de SEG. Publica no Estado e que sabe no País. Boa tarde.

    ResponderExcluir
  7. Velha e sempre eficiente POLÍTICA ROMANA DO DIVIDIR PARA CONQUISTAR..praças divididos, isso que nossos inimigos querem. 20 anos se passaram, as mesmas """técnicas"" de instrução ainda são praticadas...isso é reflexo de um sistema policial atrasado, primitivo...coisa de país de 3º mundo.

    ResponderExcluir
  8. Os policiais que se enfrentam e se subjugam os tais, não devem ofender um ao outro por suas opiniões, nem mesmo um grupo de sargentos por tempo, apenas pela forma de se escrever, pois ambos estão cometendo crimes, a desrespeitar a condição de cada um servidor público e, até de ser humano previsto no Art. 5º da CF. Mas em relação ao que ocorreu com o PM Paulo, se tratando de um profissional, formado e qualificado pelo estado, o sr. Ten. ou outro oficial, não respeitou se quer os direitos básicos da pessoa humana, matéria muito falada nos curso de POEPP e outros ministrados e exigidos pela própria corporação. O policial militar é um profissional de policia, e tem por excelência o dever de respeitar a lei, conforme aprenderam e fizeram em seu juramento, até porque, um aluno, ainda é um civil e mesmo que militar, sua função é servir como servidor público e não como combatente. Deixe para cada órgão o cumprimento de sua missão. Seja ela no combate as armas e munições, Policia Federal e Exercito, no combate ao narcotráfico, Policia Civil e Federal, na Defesa Civil Bombeiro Militar, para o Policial Militar o Patrulhamento Ostensivo e a Preservação e Manutenção da Ordem Publica, não se tem que treinar sobrevivência, ao servidor público, não se pode trabalhar a longa distancia de sua residência, aonde ele vai usar este curso de sobrevivência, se é um policial de área urbana, onde nem mesmo a antiga Policia Florestal se achava em área de mata para tal?
    Faz se mister o fim da Policia Militar por causa desses excessos, que quem paga depois é a população!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo em genero, numero e grau. Alias o melhor reconhecimento em virtude de salario se faz com luta, porque se fosse por quem presta o melhor serviço ganhariamos mais que deputados. O militarismo cega e só é viavel há oficiais.

      Excluir
  9. So uma informação para todos,o colega que se encontrava no HCPM entubado veio a falecer!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então a situação se agravou e o crime agora é o de HOMICÍDIO SIMPLES com DOLO EVENTUAL (Art. 206, §1º, do Código Penal Militar).



      CPM - Decreto Lei nº 1.001 de 21 de Outubro de 1969



      Art. 206. Se o homicídio é culposo:



      Pena - detenção, de um a quatro anos.



      § 1° A pena pode ser agravada se o crime resulta de inobservância de regra técnica de profissão, arte ou ofício, ou se o agente deixa de prestar imediato socorro à vítima.



      Multiplicidade de vítimas



      § 2º Se, em conseqüência de uma só ação ou omissão culposa, ocorre morte de mais de uma pessoa ou também lesões corporais em outras pessoas, a pena é aumentada de um sexto até metade.



      Provocação direta ou auxílio a suicídio

      Excluir
  10. Os oficiais que mataram o Aluno do CFSd deveriam ir direto para a UP/PMERJ (antigo BEP). Sendo comprovado o assassinato, demissão e BANGU 1!

    ResponderExcluir
  11. Fiquei sabendo que houve outro Aluno que morreu, sendo no total dois! Demoram a socorre os dois !! O que me parece esse Oficial ser um despreparado e depois do CFAP isso tudo vai ser usado ? Uma Pena o ocorrido !

    ResponderExcluir
  12. Até aluno oficial dá instrução no CFAP; todos sabem disso. Engraçado é que se a tortura tivesse sido praticada por um praça mais antigo, tipo um sargento ou um subtenente, o mesmo já estariam lá no BEP, presos e oque vejo são os mesmos brigando pela vaidade em vez de se unir para denunciar oque acontece com os praças. Mas, como se trata de oficiais, vão apenas substituir e abrir um IPM que todos sabem que não vai dá em nada.

    Ass. SD Apollonio.

    ResponderExcluir
  13. Essa vai para o Sgt Anderson.
    Esse seu termo "paisano" "P.I" e outros pejorativos só mostram o quão doente é a nossa policia. Pois p.i é o cidadão que nos paga e ao contrario do que nos ensinam, é a eles que temos que servir e ser proximos. Essa instituição é mais deles do que dos oficiais aos quais o senhor serve.
    Pelo visto o senhor é mais uma vitima desse militarismo destruidor, vejo que seus valores já estão invertidos. Já se aproveitaram da sua cabeça fraca, Sgt. Lamentável.
    SD PM Neves.

    ResponderExcluir
  14. SOU AL CFSD DA 5°CIA ALFA E AFIRMO COM TODA CERTESA DO MUNDO QUE O NOSSO COMANDANTE DE CFAP, NÃO TEM ABSOLUTAMENTE NADA HAVER COM ISSO.
    ELE É UM CARA TOTALMENTE HUMANO. MESMO SABENDO QUE O COMANDO E A RESPONSABILIDADE É DO CORONEL NÉLIO, O QUE NOS FOI FEITO, FOI DE FORMA QUE ABSOLUTAMENTE NINGUÉM VISSE, NEM MESMO O COMANDANTE.
    HÁ NÃO SER OS RESPECTIVOS INSTRUTORES..
    E TAMBÉM QUERO AFIRMAR QUE O QUE FOI FEITO CONOSCO NO DIA, É, E FOI EXTREMAMENTE MILITARISMO.
    O QUE DE FATO NOS PREJUDICOU, FOI O SOL E A TEMPERATURA DOS DIAS DE TREINAMENTO.
    ISSO NÃO TERIA ACONTECIDO SE OS OFICIAIS E SGTS QUE ESTAVAM NAQUELE DIA, TIVESSEM CAIDO NA REAL E VISTO QUE O MOMENTO E TEMPO NÃO ERAM PROPÍCIO PARA AS ATIVIDADES EXERCIDAS...

    ResponderExcluir
  15. Prezados companheiros,
    Primeiramente quero aqui expressar minhas profundas condolências pelo fato ocorrido na sua casa, é lamentável que aqueles que tinham responsabilidades por vidas e que deveriam orientar os mais modernos e menos experientes, tenham se portado de maneira tão vil e covarde.
    Não sou policial como vocês, mas já fui militar do exército durante seis anos e sirvo a doze no CBMERJ. Prestem bem a atenção pois mencionei que "fui" militar e hoje sou bombeiro.
    O tempo que fui militar, passei por alguns maus bocados durante o treinamento mas após formado constatei que muita coisa se fazia necessário para que fossem massificados os ensinamentos e adquirido uma resistência pscológica e física aos rigores de uma vida militar.
    Hoje verifico como nosso companheiro acima, que esse "militarismo" das forças auxiliares é somente uma artimanha do sistema para nos dominar e nos adestrar para que fiquemos sob o julgo de classe de senhores que se acham acima de tudo e nos veem como seus servos que cumprem fielmente suas ordens (mesmos absurdas) sem sequer contestá-las.
    Infelizmente como o outro companheiro acima, existem muitos que são corporativistas e que ainda acham que "roupa suja se lava em casa" e a coisas erradas não devem ser combatidas ou reveladas, no mínimo pensando que no futuro possa também estar nesta situação. Pode ter certeza sargento (praça) que se fosse o seu na reta, eles (comando) não seriam complacentes. Por outro lado se episódios como esse não se tornarem públicos, se não cairem na imprensa com certeza outros pessoas morreram ou serão sofrerão "acidentes" nos cursos de formação e especialização ou você acha realmente que esse inquérito ocorrerá de maneira transparente e isenta de influências externas se não tiver um acompanhamento da imprensa, mp, OAB, ou o diabo que seja.
    Peço desculpas por me intrometer na casa do vizinho mais este assunto me chamou muita atenção por eu ter quase perdido um amigo também bombeiro por causa de um TAF para o ingresso no CFS realizado de maneira irresponsável, sem acompanhamento médico, num dia muito quente e num sol de meio-dia. Resultado: uma crise renal. Foi encaminhado do CFAP em Guadalupe para um hospital público e lá ficou largado. Enfim uma série de desmandos que cada vez nos revoltam e enojam.
    Roupa suja se lava a público sim, pra todo mundo ver, para que não se repita e até pra tenhamos o apoio da população, para que saibam que também somos vítimas de um sistema covarde, opressor e corrupto.
    Sgt ..., CSM MOTO - CBMERJ.

    ResponderExcluir
  16. Me desculpem pelos erros acima, após publicar e que eu verifiquei o que foi digitado.
    SGT..., CSMMOTO/CBMERJ

    ResponderExcluir