sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Detenção de menor no Jacarezinho termina com base de UPP atacada e policial ferido

A detenção de um menor de 17 anos, na noite desta quinta-feira, na Favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, terminou com uma base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade atacada a pedradas e um policial ferido. Segundo a assessoria de imprensa das UPPs, uma equipe fazia um patrulhamento pela Avenida Guanabara, no Campo do Abóbora, por volta das 22h, quando viu o adolescente vendendo drogas. Com ele, ainda de acordo com a assessoria de imprensa, foram apreendidos 304 papelotes de cocaína, 41 trouxinhas de maconha e R$ 30,25.
Enquanto os PMs faziam a revista, o menor tentou fugir e se machucou. Pessoas que estavam perto do local, então, começaram a atirar pedras, garrafas e também lançaram fogos de artifício contra a base avançada da UPP, na tentativa de libertar o adolescente detido. Alguns policiais foram atingidos e um deles precisou ser medicado. O menor foi socorrido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Novo. Depois, ele seguiu para a 25ª DP (Engenho Novo), onde o caso foi registrado.

2 comentários:

  1. As Promoções de Praças por Tempo de Serviço deveriam acabar, pois não são efetivas através de concursos ou cursos regulares de formação e acabam abalando um dos pilares institucionais vigentes na PMERJ: A HIERARQUIA.
    Urge termos Policiais Militares bem pagos, com uma carreira que premie os mais capacitados. É necessário, portanto, que só subam na carreira aqueles profissionais que se submetam a concursos internos, todos em níveis de igualdade, exigência essa até mesmo para se chegar ao último posto, aberto a todos os Policiais Militares, desde que sejam aprovados em exames internos, obrigando assim o PM a se reciclar constantemente, resultando para a sociedade profissionais de segurança pública muito mais qualificados e preparados para o exercício de sua função pública. A sociedade quer uma Polícia Militar bem preparada, bem equipada e motivada. O BOMBEIRO E O POLICIAL MILITAR DO RIO DE JANEIRO NÃO TÊM DIGNIDADE. Os integrantes da Polícia Militar (PMERJ) e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ) precisam, antes de tudo, receber um salário digno, compatível com as funções que exercem. Nenhum Militar Estadual deveria receber abaixo de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais! "A farda é leve para quem a veste por vocação, mas é fardo insuportável para aquele que não compreendeu a missão para a qual prestou juramento!" "Os profissionais não se improvisam e o Comando cabe ao mais digno e competente."

    ResponderExcluir
  2. AGORA VIROU MODA ATACAREM POLICIAIS PARA EVITAR QUE UM TRAFICANTE QUE FOI PRESO EM FLAGRANTE, SEJA CONDUZIDO PARA DELEGACIA. AONDE ISSO VAI PARAR....

    ResponderExcluir