domingo, 31 de março de 2013

Confusão entre PMs e moradores termina com um baleado no Alemão

Uma confusão envolvendo moradores e policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Alemão terminou com um baleado na tarde deste sábado (30).
Segundo a Polícia Militar, o tumulto começou depois que um grupo de homens se recusou a passar uma revista durante um patrulhamento de rotina na comunidade da Grota. Revoltados com o episódio, os outros moradores resolveram apoiá-los.
Os agentes pediram reforço e chegaram a usar spray de pimenta para dispersar a multidão. Alguns moradores tentaram tomar a arma de um PM, que acabou disparando na mão de um homem. Ele, que seria irmão de um ex-traficante, foi levado para o Hospital Souza Aguiar, no centro do Rio, onde passará por cirurgia.
O CPP (Comando de Polícia Pacificadora) vai apurar se houve excesso na conduta dos PMs que participaram da abordagem aos moradores.
Ocupado pelas forças de segurança em novembro de 2010, o conjunto de favelas do Alemão ganhou unidades pacificadoras no ano passado.

obs: Wagner Luiz da Silva que  foi levado para o Hospital Souza Aguiar  seria irmão de um ex-traficante  "O TAL DO MISTER M".


CAPITÃ DA PM JULIA LIERS DANÇA FUNK COM "MISTER M" EX TRAFICANTE

O Big Brother da PM

 
Implantado recentemente, o sistema de monitoramento ide câmeras nas viaturas serve para supervisionar — e tornar mais eficiente — o trabalho do policial
 
A vigilância contínua é a melhor profilaxia contra qualquer tipo de desvio. Sob essa orientação, a Secretaria de Segurança anuncia uma nova iniciativa que reforça seu arsenal de medidas para conter a violência no Rio. Desde a segunda semana de março, 100 carros do 7° Batalhão de Polícia Militar (São Gonçalo) e do 12° (Niterói) realizam o patrulhamento das ruas com a ajuda de filmadoras. Cada veículo conta com duas câmeras que captam imagens do que ocorre dentro e fora do carro. Os registros, por sua vez, são transmitidos em tempo real para determinadas centrais, permitindo que esses homens da lei tenham sua atuação fiscalizada durante toda a jornada de trabalho (veja o quadro). Ao custo de 18 milhões de reais, o sistema de monitoramento deve estar concluído até o fim de 2013, quando todas as 2 000 viaturas dos 28 batalhões da região metropolitana estarão conectados a esse autêntico Big Brother da segurança pública, segundo promessa das autoridades. "É um instrumento que vai tornar a PM mais transparente", afirma Edval Novaes, subsecretário de modernização tecnológica da Secretaria de Segurança. "Vamos poder esclarecer dúvidas em operações, bem como utilizar as imagens para corrigir condutas erradas."

O investimento na modernização da polícia carioca faz parte da preparação para os grandes eventos que vamos receber até 2016. No dia a dia operacional, as viaturas são uma ferramenta crucial para o policial exercer a contento sua função. Uma das primeiras medidas tomadas pelo secretário de Segurança José Mariano Beltrame, em 2007, foi exatamente terceirizar a frota da PM fluminense, à época um cacareco, com carros cheios de remendos ou parados, à espera de conserto. Na sequência de melhoramentos, tempos depois os veículos foram dotados de computador de bordo conectado à internet, que permite fazer consulta ao Detran e relatar ocorrências rapidamente. Além de possibilitarem uma atuação mais eficiente, tais medidas têm tudo para surtir efeito no comportamento dos agentes de segurança que atuam nas ruas. "Como a incidência de corrupção persiste, é interessante que autoridades adotem medidas para supervisionar os policiais, a fim de coibir práticas reprováveis", destaca João Trajano, pesquisador do Laboratório de Análise da Violência da Universidade Estadual do Rio (Uerj). "Mas o alcance dessa medida de agora é limitado. É necessário investir em metas como a qualificação dos soldados", pondera.

Tal qual se observa por aqui, a corporação da cidade de Los Angeles ficou conhecida pelos casos de desvio de conduta e abuso da força. A crise de confiança atingiu o ápice em 1991, quando policiais foram filmados espancando o taxista negro Rodney King. As imagens correram o mundo e protestos violentos paralisaram durante alguns dias a capital mundial do cinema, ocasionando a morte de 53 pessoas e prejuízos da ordem de 1 bilhão de dólares. O grave incidente motivou a instalação de filmadoras em todas as patrulhas locais. Há três anos, o sistema foi aprimorado para que as lentes pudessem escanear a placa dos carros. Em três anos, 3,5 milhões de veículos tiveram sua licença checada pelo dispositivo. Outra metrópole americana de passado conturbado, Nova York derrubou a estatística de roubo de automóveis desde que adotou a mesma iniciativa. Lá, a perseverança em políticas de segurança, com o investimento constante em tecnologia, mostrou-se uma arma eficaz no combate ao crime. Hoje, é possível andar tranquilo pela cidade americana a qualquer hora. Ao exercer controle sobre a ação policial, o sistema de monitoramento de câmeras da PM fluminense renova as esperanças da população de se sentir mais segura. Afinal, tem muita gente de olho.

clique na imagem acima para ampliá-la

Policial militar é encontrado morto no porta-malas do carro


O comandante do Batalhão de Bangu (14º BPM), o coronel  Sarmento, afirmou na deste sábado (30) que o policial militar encontrado morto no porta-malas do próprio carro na entrada da favela da Vila Kennedy, zona oeste do Rio, pode ter sido vítima de uma vingança orquestrada por traficantes da região.
O PM,  que estava desaparecido há dois dias, era um dos responsáveis pelo comando das operações contra o tráfico de drogas na comunidade. Sarmento suspeita que o agente tenha sido reconhecido pelos criminosos.
— Ele pode ter sido reconhecido pelos traficantes. Não sabemos, mas ele pode ter passado por lá. Estamos aguardando a chegada da DH [Divisão de Homicídios] ao local para tentar descobrir novas informações com a perícia. Mas pode ter sido uma vingança, pois estamos há mais de dois meses realizando ações frequentes prendendo lideranças e armas.
Na noite de sexta-feira (29), os PMs do 14º BPM prenderam um dos chefes do tráfico na Vila Kennedy. Conhecido como LZ, o criminoso foi preso com uma pistola e um radiotransmissor.
 

* Me informaram  que o Cabo Freitas  era do 41º BPM e estava alguns meses no 14º BPM

sábado, 30 de março de 2013

PMs são atacados no Morro São João

Policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora do Morro São João foram atacados a tiros por bandidos, no final da noite dessa sexta-feira, segundo a Polícia Militar.
A PM recebeu uma denúncia por volta das 23h de ontem de que havia bandidos armados na localidade conhecida como Quadra da Matinha. Quando subiram para verificar, foram confrontados por três criminosos armados, que, para fugir, dispararam contra os policiais militares.
O PM Luis Gustavo Quintanilha, 24 anos, Costa foi atingido no ombro por estilhaços da bala, foi socorrido no local, mas passa bem. Os bandidos continuam foragidos. O patrulhamento na região, entretanto, está reforçado desde o acontecimento.


Um hospital para atender às duas corporações

Integração 
Os comandantes da PM e dos Bombeiros instalaram uma comissão para estudar a construção de um hospital para atender às duas corporações.

JORNALISTA DIZ: GAROTINHO CHORA FILIAÇÃO DE DACIOLO AO PSOL

clique na imagem para ampliar

sexta-feira, 29 de março de 2013

Policial militar é preso em Barra Mansa



O PM Ulisses Salucci Clementino, lotado no 23º Batalhão de Polícia Militar, foi preso em flagrante na madrugada de hoje (24), na Rodovia Sérgio Braga, no bairro Barbará, por disparo de arma de fogo.
Segundo a polícia, Ulisses - que é lotado na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Rocinha, no Rio de Janeiro - seguia pela rodovia, quando no trevo próximo a entrada do bairro Boa Sorte, teria disparado um tiro para fora do veículo que dirigia.
De acordo com o delegado adjunto da 90ª DP (Barra Mansa), Michel Floroschk, responsável pelo plantão de área do fim de semana, ao efetuar o disparo, Ulisses foi flagrado por uma viatura da Polícia Militar que seguia atrás do carro dele. Ulisses alegou que teria tentado uma ultrapassagem, quando teria sido fechado por outro veículo. Ulisses contou ainda, em depoimento, que o outro motorista teria mostrado uma arma para ele, o que teria o enfurecido e feito atirar para o alto.
A polícia não conseguiu encontrar o suposto motorista citado pelo suspeito. O PM foi levado para a delegacia, onde foi preso em flagrante por disparo de arma de fogo. Com ele foi apreendido um revolver com um estojo deflagrado e sete munições intactas.
O caso está sendo investigado pela Polícia Civil

PMs são proibidos de entrar em confronto com criminosos e de prender traficantes de drogas

quinta-feira, 28 de março de 2013

DEPÓSITOS NAS CONTAS DOS EXCLUÍDOS - MÊS DE MARÇO

Agradeço a todos os amigos que, independentemente do valor doado, ajudaram mais uma vez os Policiais Militares do RJ que ainda encontram – se excluídos por terem pedido melhores salários e condições de trabalho. Não poderia deixar de citar os vereadores Major Bombeiro Márcio Garcia pela doação de R$ 1.000,00, e o CB PM Alonsimar pela doação de R$ 840,00. O CB Novaes abriu mão de receber o valor desse mês, pois graças a Deus será reincorporado as fileiras da PMERJ através decisão judicial, aguardando agora somente publicação em boletim, portanto o valor foi de R$ 3.800, sendo R$ 1.900 para o CB CRISTIANO e R$ 1.900,00 para o SD SAMUEL.
Senhores, por favor não deixem de doar, ainda há dois Policiais Militares excluídos, não podemos deixar ninguém para trás, doem qualquer valor e não deixem de assinar a petição pública pela anistia, que Deus abençoe os senhores.
"Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo."
(Mahatma Gandhi)

SD WAGNER LUÍS

PRESTAÇÃO DE CONTAS : http://sospoliciaismilitares.blogspot.com.br/2012/12/prestacao-de-contas-depositos-nas_24.html

quarta-feira, 27 de março de 2013

MAIS UMA VITÓRIA

CB Novaes teve concedida liminar que o reintegra às fileiras da PMERJ, ele foi um dos 18 Policais Militates excluídos da Corporação por pedir aumento salarial e condições dignas de trabalho.
 Processo n° 0019203-30.2012.8.19.0031

NOTA DE AGRADECIMENTO
JUSTIÇA DETERMINA LIMINAR DE REINTEGRAÇÃO DE FABIANO NOVAES AOS QUADROS DA PMERJ


Neste momento impar, onde me encontro em um momento de alegria profunda, por ver que a justiça embora que tardia, neste caso restabelece o que de fato é certo. E desmistifica toda estorinha criada em torno da minha expulsão da PMERJ.
Ontem por volta das 17 horas, Quando saía da Câmara Municipal de Maricá, recebi um telefonema de um amigo, onde me deu uma notícia há muito tempo aguardada por mim, meus familiares e todos os amigos que participaram destes momentos de covardia vividos por mim e por pessoas de bem que apenas lutavam por dignidade.
Na minha situação, ficou definida de acordo com o despacho da Juíza de Direito da 1ª Vara Cível de Maricá, nos autos do processo no 0019203-30.2012.8.19.0031 que concedeu liminar a meu favor, determinando que o Estado e a PMERJ faça a minha reintegração aos quadros da corporação no prazo de 15 dias.
Este fato vem a comprovar uma frase que ouvia da minha vó que apesar de sua humildade e limitação cultural, foi uma pessoa de enorme sabedoria que teve caráter e criou seus 10 (dez) filhos que ocupando o lugar de pai, uma vez que ficou viúva quando meu pai ainda tinha 3 (três)anos de idade. Ela dizia que: “O TEMPO É O SENHOR DA VERDADE!”.
Durante o período eleitoral, passei por inúmeras injúrias, fui alvo de acusações que visavam me diminuir e criar uma dúvida em relação a minha pessoa e não as minhas propostas fui taxado como EX- PM faziam ataques pessoais, usaram um grande veículo de comunicação da cidade postando matérias com a finalidade de denegrir minha pessoa, fizeram pesquisas de opinião para confundir meus amigos e os eleitores de modo geral. Tentaram embutir na cabeça das pessoas que eu era criminoso e não merecia a credibilidade e confiança das pessoas. Há pouco tempo, inclusive o senhor prefeito, ao ver uma das minhas postagens defendendo o direito de manifestação popular, comentou que a melhor resposta para uma oposição criminosa é o desprezo. Mas eu agradeço a todos vocês que acreditaram e confiaram em mim. Agradeço a Deus, pois resposta está sendo dada agora.
Aproveito neste momento de desabafo, para dizer ao prefeito e seus aliados, que o tempo é o senhor da verdade, a justiça está sendo feita e o certo está sendo restabelecido. A palavra de Deus diz que, bem aventurado os que têm sede de justiça. Eu aguardava ansiosamente por este momento. E torço para que de fato, a justiça também seja justa nos casos onde Vossa Excelência é apontada como Réu.
Quero deixar claro a todos que esta conquista se deu principalmente pela ação divina, pela oração dos amigos e pela ação jurídica impetrada pelo meu advogado e toda sua equipe que sempre foram excelentes profissionais, dedicados que nunca me desampararam. Gostaria de Agradecer ao Drº José Miranda e toda sua equipe. Gostaria de agradecer ao SEPE e SINTUFF, que são sindicatos atuantes em lutas populares em nosso Estado, estes foram os sindicados que abraçaram esta causa e me deram todo suporte jurídico.
Aos políticos, fica a frustração de ver como a ALERJ, que deveria ser a casa do povo, onde se cria Leis e fiscaliza os atos do executivo, está dominada e comprometida por este. É inadmissível a proposta de lei de anistia ter a assinatura de cerca de 92% dos deputados e mesmo assim, após ser entregue na mão do Líder do governo na ALERJ, está sequer ser colocada em votação. Por este motivo, tendo participado do PSD e sendo este o mesmo partido do líder do governo e tendo participado desde sua criação onde fiz parte do diretório de Maricá não concordando com atitudes da administração partidária e alguns posicionamentos do diretório ao qual faço parte aproveito para externar minha indignação e pedido de afastamento do partido.
Quero agradecer aos meus familiares, amigos e todos aqueles se preocuparam e torceram por mim. Mas aproveito para reafirmar aos companheiros que a luta não acabou, existem ainda amigos que se encontram na situação em que eu estava. São ao todo, dois policiais e dezoito bombeiros. Peço a todos as orações e ajuda no que for preciso para ajudar a estes irmãos. Pois sei e senti na carne o que eles estão passando.
Gostaria de novamente externar e reiterar meus compromissos e juramentos feitos a dez anos atrás, de servir e proteger a sociedade mesmo com o sacrifício da própria vida. Com o gás e entusiasmo de um recém formado e a experiência de dez anos. Aos amigos da minha cidade não tenho a garantia de voltar a trabalhar na segurança pública aqui, mas tenha certeza que estarei sempre disposto a lutar por dignidade e fortalecer toda luta que de fato for justa e expressar direito de liberdade de expressão da vontade popular. “JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!”

CB NOVAES

PMs do Alemão transferidos após ameaça de traficantes

 

Recado de bandidos foi pichado em muros da comunidade citando até nomes dos alvos

Dois policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Alemão foram transferidos após serem ameaçados de morte por traficantes da região, relataram colegas deles ao DIA ontem. Frases com erros de ortografia — ‘Vae morre Andre Martins’ e ‘Vae morre, Cigano (identificado por colegas como Douglas)’ — estão pichadas em muros da favela e ilustram a violência que voltou a tomar conta da comunidade.

“Há pelo menos dois anos não passava uma noite em claro”, lamentou mulher, que vive há 22 anos perto da Pedra do Sapo, onde contêiner da UPP virou alvo de disparos ontem pelo segundo dia seguido. Bandidos também estariam atacando veículos particulares de PMs da UPP. Segundo denúncia de um militar, na segunda-feira um policial teve o veículo depredado no Alemão. No fim de semana, o carro de outro PM pegou fogo, com a explosão de granada.

“Poderiam, pelo menos, colocar aqui cabine blindada. Estamos abandonados, ao lado de uma lixeira, com vazamento de esgoto na porta e alvo de tiros”, reclamou um PM. Segundo colegas dele, o local deixou de ser atacadista de drogas, mas hoje o movimento funciona no esquema de varejo. “Bandidos passam rádio para a gente pedindo: ‘Deixa a gente trabalhar, chefia’. Eu respondo sempre: ‘Trabalha aí, mas, se eu pegar, está preso’”, relatou um PM.

O Comando de Polícia Pacificadora (CPP) confirmou a transferência do soldado Douglas Marques para o 41º BPM (Irajá). Ainda segundo o CPP, o policial André Martins pertence ao efetivo da UPP Alemão e informou que não planeja colocar cabine blindada no Alemão, pois isso ‘contrariaria a lógica das UPPs, que é de polícia comunitária’. 

Bandidos abrem fogo contra posto da UPP do Complexo do Alemão


Um confronto entre traficantes e PMs da Unidade de Polícia Pacificadora do Alemão levou tensão ao complexo de favelas da Zona Norte do Rio na noite desta segunda-feira. Policiais relatam que, por volta de 22h, bandidos abriram fogo contra um contêiner que serve como base secundária da UPP na Rua João Rêgo, próximo à região conhecida como Pedra do Sapo. Durante a troca de tiros, os agentes que estavam no local se posicionaram em um beco. Um dos PMs precisou se abrigar atrás de uma geladeira dentro do posto, que de acordo com os policiais não possui nenhum tipo de blindagem.
A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou, via assessoria de imprensa, que policiais das UPPs da Fazendinha, do Adeus e de Nova Brasília foram chamados como reforço depois dos primeiros tiros serem ouvidos. Homens do 16º BPM (Olaria) também estiveram na comunidade. Chegou a circular a informação, em seguida negada pela CPP, de que a base central da UPP do Alemão também teria sido atacada.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Policiais Miltares têm prisão decretada por incitar greve no Pará

A Justiça Militar expediu mandado de prisão contra nove policiais militares do Pará que estariam incentivando a categoria a entrar em greve através de postagens nas redes sociais. As buscas pelo grupo estão sendo realizadas pelo Comando Geral da Polícia Militar, nesta sexta-feira (22). As prisões foram solicitadas pela Corregedoria da PM.
De acordo com o promotor de Justiça Militar Armando Brasil, a conduta dos agentes se enquadra no artigo 152 do Código Penal Militar, que caracteriza “conspiração para crime de motim”. “Os policiais vinham postando mensagens que incitavam a greve da categoria, que poderia paralisar a qualquer momento”, afirma Brasil.


Redes sociais
Perfis foram criados nas redes sociais para promover a ação grevista dos PMs. Diversas mensagens postadas convocam a categoria para a paralisação e levantavam pautas de reivindicação. Nos comentários, alguns usuários que se identificavam como oficiais da PM demonstravam apoio à causa.
Segundo o promotor, os policiais que tiveram a prisão decretada estariam incitando tumulto nos quartéis, em decorrências do aumento de 9% dado pelo governo estadual, que foi considerado baixo pelo movimento grevista. O governo do Pará informou que o salário dos PMs no estado é o quarto maior do Brasil, e que nos últimos anos a categoria teve aumentos com ganhos reais.
De acordo com o promotor, os policiais presos serão encaminhados para o Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves, em Santa Izabel, nordeste do Pará.

LUTAR POR DIREITOS NÃO É CRIME!



CARTA ABERTA: Recentemente foi muito debatida a minha filiação ao PSOL e a possível candidatura ao cargo de governador do Rio. Antes de mais nada, gostaria de afirmar que a minha filiação ao partido vem ao encontro de um processo constante de amadurecimento político, que nasceu na luta por um mundo melhor e menos desigual. Acho que todos nós, humanos em um sistema desumano, devemos aprender e dialogar a cada passo, respeitando a dignidade de todos. Eu espero aprender com todos, e, do mesmo modo, trazer aos novos companheiros de luta a realidade tão dura dos quartéis, que parece ainda distante para a maioria de vocês. Desse modo, todos nós podemos melhorar nossa avaliação sobre a realidade como um todo, e agir de forma unida. Somente juntos seremos fortes. Aprendi isso com meus companheiros dos bombeiros e estou buscando isso dentro do partido. Escolhi o PSOL porque sou contra a lógica de exploração do trabalhador em favor dos grandes empresários.

Essa exploração não se limita ao setor privado. A covardia do sistema faz com que o servidor público esteja sujeito a todo tipo de arbitrariedade e ordens ilegais, que prejudicam a população para beneficiar os velhos bandidos de sempre. No caso dos policiais e bombeiros isso é ainda mais grave. O uso das forças de segurança por interesses privados resulta em tragédia e perda de vida, principalmente entre a população excluída e os próprios militares. E, como agravante, qualquer tentativa de luta por melhores condições é reprimida com cadeia e ameaça. No meu caso, fui preso em Bangu I. Não sei quantos de vocês já estiveram sob custódia em um presídio de segurança máxima por lutar por seus direitos e por condições dignas de trabalho. É uma realidade que eu não desejo à ninguém. E não quero viver de novo.
Infelizmente, no dia 5 de abril de 2013, novamente eu enfrentarei essa ameaça, respondendo injustamente por motim armado e formação de quadrilha. Não são só as forças de segurança que servem interesses privados dentro do Estado. A justiça também age de forma covarde e política, como todos sabemos, criando várias mentiras que pelos donos do poder viram fatos. Por exemplo, eu nunca andei armado para responder por motim armado. Sou perseguido até a minha residência por gente que anda armada e nunca contei com nenhum tipo de segurança. Fazem acusações sobre uma série de atos de vandalismo, atos esses que nunca contaram com o meu apoio, cuja autoria nunca foi comprovada, e que pelo meu entendimento podem ter partido inclusive de gente disposta a denegrir a imagem dos policiais, enfraquecer o movimento dos servidores, e garantir o lucro do carnaval, tanto no Rio, quanto na Bahia. Eu deixei o estado com o Juiz Federal, José Barroso Filho (membro da Associação dos Magistrados Brasileiros) e com o Deputado Federal Mendonça Prado (Presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados), para auxiliar a negociação da greve. Estava acompanhado de parlamentares estaduais e federais, do general Gonçalves Dias, do vice governador da BA, etc. A Greve no Rio sequer existiu. E eu fui preso em Bangu I, ilegalmente, sem mandato, por causa de escutas que nunca me relacionaram a nenhum ato ilegal ou desordeiro, nunca foram divulgadas e que oficialmente só o Jornal Nacional teve acesso. Houve no Rio um movimento de repúdio à minha prisão, que gerou outras dezenas prisões em Bangu I, além da expulsão de PMs e de bombeiros de suas corporações.
Mesmo com o meu segundo pedido de habeas corpus negado, eu espero no dia 5 ser absolvido. Voltar a ter ao convívio tranquilo da minha família, apesar de terem tentado roubar a minha dignidade e terem roubado o meu trabalho. Quero ser livre, me organizar melhor na luta, e gostaria de contar com ajuda do partido e da esquerda unificada de um modo geral. Ao me INCRIMINAR anulam qualquer possibilidade de candidatura através da lei da "FICHA LIMPA". Maior do que a minha pessoa é a importância de lutar pelo direito do cidadão de se organizar como trabalhador e se livrar do assédio moral, incluindo policiais e bombeiros. É esse debate que eu espero trazer. Agradeço o apoio, compreensão e o comprometimento de todos vocês com a luta do trabalhador.
Benevenuto Daciolo
LUTAR POR DIREITOS NÃO É CRIME! JUNTOS SOMOS FORTES!
Segue o número do meu processo no Tribunal de Justiça do Estado da Bahia: 0317314-48.2012.8.05.0001

sábado, 23 de março de 2013

FBI treina polícia do Rio

Agentes tiveram aulas de técnica de interrogatório


Policiais militares e civis concluíram ontem um curso de técnicas de interrogatório com agentes do FBI, a polícia federal norte-americana. A qualificação faz parte da iniciativa da Secretaria de Segurança de fazer parcerias com embaixadas e consulados para trazer conhecimentos de outros países para a polícia fluminense. O curso teve duração de uma semana e contou com a participação de policiais civis, militares e federais.
Até o fim do ano, cerca de 4.520 policiais serão qualificados através das parcerias. Para a primeira quinzena de abril está programado o curso de Ameaças Externas, com a Embaixada da Espanha. A superintendente de Educação da Secretaria de Segurança, Melissa Pongeluppi, afirmou que o objetivo é agregar valor.
“Esse curso de entrevista e interrogatório vem somar a experiência que o FBI tem na análise e produção de provas. Trazemos os conhecimentos dos organismos externos e qualificamos os nossos policiais nessa área de investigação, e de apuração de crimes”, disse a superintendente.
As aulas foram ministradas por dois agentes da Seção de Assuntos Narcóticos, Justiça e Segurança do FBI. Delegado titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Alexandre Capote, fez o curso e acredita que as técnicas apresentadas serão muito importantes para o trabalho das polícias.
“Isso é fundamental para todos os policiais porque nos fornece técnicas e elementos que fazem com que nossas entrevistas e interrogatórios sejam mais eficazes. E são essas entrevistas que colaboram para que se tenha uma investigação bem-sucedida. Acredito que o que foi passado por esses agentes especiais do FBI realmente será bastante importante no nosso trabalho diário”, afirmou Capote.

Após polêmica, 'caveira' é retirada da farda do Bope da PM da Paraíba


O Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar da Paraíba (Bope) está proibido de usar, em sua farda, o símbolo do punhal encravado numa caveira. A determinação foi publicada no boletim interno da PM que circula nesta sexta-feira (22), mas os integrantes do Bope já retiraram o emblema de suas fardas nesta quinta.
O uso da caveira como símbolo do Bope gerou protestos do Conselho Estadual de Direitos Humanos e um discurso àspero do deputado Luiz Couto (PT), na tribuna da Câmara Federal. A polêmica ficou ainda mais acirrada depois da quinta-feira passada (14), quando, durante a comemoração do primeiro ano de aniversario do Batalhão Especial da Polícia Militar da Paraíba, o comandante geral da PM, coronel Euller Chaves, vestiu o uniforme preto com o símbolo.
Durante a solenidade foi hasteada uma bandeira preta, ostentando o desenho do punhal cravado na caveira, juntamente com a bandeira nacional e a bandeira do Estado da Paraíba. A solenidade ocorreu em frente ao comando geral da PM, na praça Pedro Américo, centro de João Pessoa.
Em carta pública, o comandante do Bope, major Jerônimo Pereira da Silva Bisneto, defende o uso do símbolo. "O Estado Democrático de Direito deve ser preservado e aplicado a todos dentro do território nacional e, isso implica que também nós, policiais militares e policiais do BOPE, devamos ter nossos direitos preservados, direitos a pensar, a seguir convicções filosóficas e continuar acreditando que a 'faca na caveira' significa a vitória da vida sobre a morte, com sabedoria, poder, força e invencibilidade frente à criminalidade", argumenta.
O deputado Luiz Couto (PT) havia ocupado a tribuna da Câmara Federal, na segunda-feira (18), para denunciar que o comandante da Polícia Militar da Paraíba, coronel Euller Chaves, estaria desobedecendo determinação do governador Ricardo Coutinho.
Na opinião do deputado, o coronel queria implantar o símbolo da caveira na instituição.
Couto disse que apesar do governador já ter se pronunciado, por mais de uma vez, que não aceitaria o uso desse emblema na polícia, há, segundo ele, registros de que o coronel Euller utilizou o símbolo durante uma solenidade, em que estava vestido de preto, e ainda gritou o nome ‘caveira’ com o microfone na mão em plena praça diante do público. “Isso precisa ser analisado com mais profundidade”, defendeu o parlamentar.
Luiz Couto destacou que as entidades defensoras dos direitos humanos na Paraíba manifestaram, em documentos entregues ao comandante geral e ao governador Ricardo Coutinho, o repúdio aos crimes de apologia e defenderam o cumprimento da Resolução Ministerial nº 8, de 20 de dezembro de 2012, art. 2°, inciso XVII.
Couto pediu que as autoridades da Paraíba analizassem os documentos e que cumprissem "as determinações das resoluções ministeriais na forma de acolhimento ao clamor público”.
O deputado federal considerou que os policiais que "aderissem à essas atrocidades, que sejam punidos conforme a lei”, completou.
Para os integrantes do Conselho Estadual de Direitos Humanos, é motivo de preocupação não apenas o uso de caveira como símbolo, mas também de figuras "de animais raivosos, jargões em músicas ou jingles de treinamento que fazem apologia ao crime e à violência, com a escusa de que os policiais se sentem mais estimulados para o trabalho".
Eles protocolaram junto ao quartel do comando geral da PM da Paraíba a resolução ministerial nº 08, de 21 de dezembro de 2012, que orienta as Polícias a não utilizarem tais símbolos. "Entendemos que esta permissividade contraria princípios constitucionais, tratados de direitos humanos e a Resolução Ministerial acima mencionada, afrontando o Estado Democrático de Direito. É sabido que a violência impregnada nesses símbolos e práticas desumaniza os trabalhadores da Segurança Pública que acabam manifestando o ódio e a raiva apreendidos no tratamento dispensado à população jovem, negra e mais pobre do Estado, além de contrariar a política de segurança em voga pela Secretaria de Segurança Pública do Estado da Paraíba e do Governo do Estado da Paraíba", enfatizaram os integrantes dos Direitos Humanos.
O major Bisneto, comandante do Bope, rechaça a ideia de que a caveira e o punhal remetam à apologia ao crime. "Em nosso escudo nada há de apologia ao crime e a violência, pois esta última manifesta-se de várias maneiras: em guerras, conflitos religiosos, étnicos, preconceito, discriminação, fome, miséria, contra a mulher ou contra a criança", defende-se na carta.
Leia a carta do comandante do Bope, na íntegra AQUI:

sexta-feira, 22 de março de 2013

Sargento da PM é morto a tiros em São Gonçalo

Um sargento da Polícia Militar, identificado apenas como Pimentel, foi morto a tiros na noite desta quinta-feira, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.
Segundo as primeiras informações, o sargento teria reagido a uma tentativa de assalto e foi baleado. Ele era lotado no Comando de Polícia Ambiental (CPAm). 
 
Bombeiro é morto em tentativa de assalto
Também na noite desta quinta, o sargento do Corpo de Bombeiros Carlos Fernando Euzébio Motta, de 43 anos, foi morto a tiros durante uma suposta tentativa de assalto na Baixada Fluminense. Ele foi abordado na Rua Paraíba, em São João de Meriti, quando passava em seu carro. Policiais do 21º BPM (São João de Meriti) foram acionados e localizar os suspeitos.

Polícia Civil derruba versão de PMs de UPP e descarta troca de tiros na Cidade de Deus

A confusão começou quando policiais da UPP rendiam um suspeito de envolvimento com o tráfico numa localidade conhecida como Laminha, próximo à Travessa Betsaída. De acordo com depoimento dos policiais, o homem reagiu e incitou a população. Eles disseram ter sido agredidos pelos moradores. Um deles, inclusive, disse ter tido a farda rasgada.
A versão contada no local da confusão é outra. De acordo com moradores, o suspeito foi agredido com uma gravata e desmaiou antes de ser algemado. A mãe dele, uma mulher de 45 anos, disse ter sido agredida enquanto o filho era colocado na viatura. "Me atiraram no chão. Torci o tornozelo e estou com o joelho machucado, olha", disse a mulher, apontando para o local do ferimento.
A versão contada por policiais militares da UPP da Cidade de Deus para justificar terem baleado um homem, nesta quarta-feira, foi derrubada pela Polícia Civil. Uma investigação conduzida pela 32ª DP (Taquara) descartou a possibilidade de reação policial a tiros dados pelo office-boy e motoboy Paulo Henrique dos Santos, de 25 anos, baleado no rosto enquanto estava a 30 metros do local onde havia um tumulto entre PMs e moradores.
— Não houve confronto. A versão apresentada pela Polícia Militar não é coerente com o que apuramos — afirma o delegado Antônio Ricardo, titular da 32ª DP, que abriu inquérito por tentativa de homicídio.
No local da confusão, numa localidade conhecida como Laminha, próximo à Travessa Betsaida, os moradores se revoltam com o episódio.
— Ele (Paulo Henrique) não foi nem perto dos policiais. Eles (os PMs) vieram para trazer paz, mas não é o que está acontecendo aqui. Não sou contra a UPP. O problema é que os policiais deveriam ser mais preparados — protestou uma moradora, que não se identificou.

PMs afastados
O coronel Paulo Henrique de Moraes, coordenador das UPPs, afastou, nesta quinta-feira, os soldados Hugo de Souza Rodrigues e Rodrigo Chaves da Rocha Pereira, acusados de atirar na direção de Paulo Henrique. Eles irão desempenhar funções administrativas até o fim da investigação. A 32ª DP apura o caso como tentativa de homicídio.

Antecedentes da vítima
Três horas depois do episódio, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora divulgou nota afirmando que Paulo Henrique havia trocado tiros com policiais e tinha antecedentes por furto, receptação e resistência. Depois, mudou a versão, dizendo que ele tinha apenas passagens por desacato, resistência e dano.
Na tarde desta quinta-feira, a Polícia Civil informou que Paulo Henrique tem quatro anotações. Ele foi indiciado por receptação por comprar uma bicicleta furtada, há dois anos. O caso está na Justiça. O inquérito de violência doméstica está em andamento. Os outros dois inquéritos foram arquivados.




Corpo de PM é encontrado em porta-malas de carro na zona sul de São Paulo

O corpo de um soldado da Polícia Militar foi encontrado no porta-malas de um carro abandonado na rua Luciano Silva, na Vila das Belezas, zona sul de São Paulo, na noite de quinta-feira (21), após denúncia ao 190.
Os moradores da região desconfiaram de um cheiro forte que vinha de um Renault Kangoo abandonado desde o dia 16 no local.
Quando os militares abriram o porta-malas do carro encontraram o corpo do soldado Genivaldo Carvalho Ferreira, 44, que estava algemado, e havia levado um tiro na cabeça. Ele estava desaparecido há pelo menos uma semana.
Ao lado do corpo, que estava em avançado estado de decomposição, foram encontrados a farda e os documentos do soldado. Segundo a PM, o carro pertencia ao policial morto.
Câmeras de segurança de um condomínio próximo flagraram o momento que um homem abandonou o carro e fugiu com um motociclista que o esperava.
O caso será investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

DF: Câmara aprova aumento para PM's, bombeiros e policiais civis

O deputado federal Luiz Pitiman comemorou nesta quinta-feira (21) a aprovação do Projeto de Lei que aumenta os salários dos policiais militares, bombeiros e policiais civis do Distrito Federal. Segundo ele, trata-se de um projeto do executivo que reajusta o valor recebido por estes profissionais em 15,5% em no máximo três anos. Pitiman acredita que o valor é baixo, mas garante: “era isso ou nada”. Leia a entrevista concedida com exclusividade à Coluna:

O executivo enviou ao Congresso um projeto justo?
Todos os funcionários públicos da União já tinham recebido aumento em janeiro, menos os nossos. Além disso, o aumento veio depois de outros territórios, que também foram aumentados em janeiro. Tudo isso porque o executivo, que é o responsável por aumentos, demorou para mandar o projeto para a Câmara – só mandaram no dia 20 de dezembro, depois que os trabalhos foram fechados. O Executivo deveria ter mandado em formato de Medida Provisória e não de Projeto de Lei. Da forma como foi feito, levou a gente a ter um trabalho extra porque nós tivemos que conseguir com todos os lideres uma medida de urgência.

As associações têm demonstrado insatisfação com o valor do aumento. Era possível conseguir mais?
Quem aumenta salário é só o executivo, que já mandou o projeto com esse aumento determinado. Nós entendemos que está errado porque faz 6 anos que eles não recebem aumento e, esse aumento, de 15,5% é dividido para os próximos três anos. Então, é um aumento para 9 anos. Nós, parlamentares, não podemos inserir emendas para aumentar o valor. Era aprovar os 15 ou rejeitar a matéria, o que atrasaria ainda mais, seria outra confusão. Mas, entendemos que associações estão corretas quando pedem que o executivo tenha uma flexibilidade maior porque é impossível agir com a perda salarial e, por isso, a nossa polícia acaba deixando de ser a mais bem preparada, bem paga e motivada do país – falta meritocracia, o reconhecimento do patrão com o seu funcionário.

Os cargos que foram criados por meio do projeto para a Polícia Civil serão suficientes?
Nós entendemos que esse número, 3.029 cargos, servirá somente para repor as aposentadorias e, principalmente, as vacâncias deixadas pelos vários policiais que passaram em outros concursos. Estão apenas repondo, é preciso ainda olhar a Polícia Civil com tratamento diferenciado porque senão, ela deixará muito rapidamente de ser a melhor polícia do Brasil.

PM's de outros estados, que recebem menos, podem ficar insatisfeitos com o projeto aprovado?
Se nós não conseguirmos dar para os nossos em nove anos nem a reposição da inflação, como vai causar insatisfação aos outros? São seis anos sem aumento, mais 15,5% em mais três. Veja o preço do feijão o quanto subiu, o preço do colégio do filho do policial. Não podemos ter uma polícia sem dar reconhecimento a ela.

quinta-feira, 21 de março de 2013

O soldado que denunciou a saída ilegal de detentos da Cadeia Militar Romão Gomes, em São Paulo, pode ser expulso da polícia.

DACIOLO - NOTA DE AGRADECIMENTO

 FONTE: SITE DO DACIOLO

 

Amigos (as),


é com alegria que falo com vocês através desse novo site. O sistema covarde mais uma vez quer me prender, e dessa vez o cenário é cruel. Serei julgado dia 5 de abril, estou sendo acusado de formação de quadrilha e motim armado no episódio da greve da Bahia no ano passado. Mas que motim armado foi esse? Nunca usei armas, fui até lá dialogar a paz do conflito e com autoridades constituídas, inclusive um juiz federal. Que formação de quadrilha é essa? Nada fiz de errado e ainda sou o único respondendo as acusações.
Agradeço mais uma vez todo apoio dos bombeiros, policiais, professores, estudantes, profissionais da saúde, servidores públicos, cidadãos de todo Brasil, pelas mensagens de fé, força e esperança. Conto com cada um dos senhores (as) na divulgação dessa atrocidade que está prestes a acontecer. Sou apenas uma pai de família pedindo pra ser tratado como todo brasileiro deve ser tratado, com DIGNIDADE.

Somente nós podemos agir contra uma imprensa que se cala. A data do meu julgamento se aproxima, me ajudem a não ser preso injustamente mais uma vez. Acompanhem o site e divulguem o que está acontecendo. ABAIXO A DITADURA! Deus nos abençoe.

JUNTOS SOMOS FORTES!
 

Preso com fuzil em Niterói era procurado por duplo homicídio na Barra da Tijuca

FONTE: ROBERTA TRINDADE


Acusado de matar a mãe de sua filha e o atual namorado dela, em um condomínio de classe média alta na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, Bruno Moreira de Souza, o Degelo, 24 anos, acabou preso em Niterói ao ser flagrado com um fuzil. A prisão foi efetuada no final da tarde desta terça-feira, dia 19 de março – véspera do crime completar um mês.
Apontado pela Polícia como gerente do tráfico de drogas na Favela Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio – onde conheceu a mãe de sua filha, nascida e criada lá – Degelo foi surpreendido por policiais do 12º BPM (Niterói) na esquina da Rua Professor João Brasil com a Alameda São Boaventura, no Fonseca, na Zona Norte. Ele estava no interior de um táxi, acompanhado por Alan Serra de Almeida, 20, e tentava escapar de uma incursão realizada na Favela Coronel Leôncio, na Engenhoca.
Integrante da facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP), Degelo tinha um cartaz com sua foto divulgado pelo Disque-Denúncia logo após o duplo homicídio praticado por ele em fevereiro. Na ocasião, ele invadiu o apartamento onde morava a ex-namorada, Luana Rangel Lima, 20, e a matou com dois tiros. O atual namorado dela, o personal trainner Wagner da Silva Araújo, 22, foi atingido por seis tiros e também morreu no local.
O crime ocorreu na Avenida Salvador Allende, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde Degelo – que é pai da filha de 11 meses de Luana – flagrou o casal sem roupas.
A jovem é filha do sargento da Aeronáutica Joabs Alves Lima – nascido e criado na Maré, juntamente com nove irmãos, e que ficou conhecido por ter conseguido sucesso na carreira militar após uma infância de dificuldades. Além de ser engraxate, morou nas ruas e chegou a ser internado várias vezes na extinta Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor (Funabem).

Big Brother na PM


Cem viaturas da Polícia Militar já circulam com câmeras que captam imagens em alta definição. Trinta e nove carros do 12° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Niterói e 61 do 7° BPM (São Gonçalo) testam, há uma semana, os equipamentos que registram as ações dos policiais durante 24 horas por dia. A previsão é de que, até o fim do ano, dois mil veículos de todos os batalhões do estado ganhem os kits de videomonitoramento. Investimento de R$ 18 milhões.
 As duas câmeras instaladas em cada viatura gravam até imagens noturnas, além de registrar a rota e localização das equipes da corporação. O comandante do batalhão ou o comando da Polícia Militar poderão assistir às movimentações em tempo real, via 3G. Todo material capturado também é transmitido via wi-fi para um sistema de armazenamento da corporação, onde ficará arquivado por 60 dias.
“Estamos em fase de implantação, fazendo os diagnósticos técnicos para identificar quais são as melhores antenas de recepção. Precisamos ter o melhor resultado na taxa de transferência de dados, além de testar toda a estrutura de equipamentos que ficam no batalhão. Não é só instalar a câmera”, afirmou Edval Novaes, subsecretário de Modernização Tecnológica, da Secretaria de Segurança.
 Monitoramento
A Polícia Militar ainda está avaliando de que forma o acompanhamento das imagens será realizado. Além de trazerem mais transparência ao trabalho policial, as imagens serão utilizadas em treinamentos de equipes.
“As câmeras trazem transparência e servem também de segurança para o PM, que pode ser acusado de algo que não cometeu. Vamos registrar toda a atuação deles e usar as imagens para replicar experiências, tanto boas como ruins, mostrando quando agiram corretamente ou instruindo de que forma deveriam ter se posicionado”, explicou Novaes.

Investimento
O processo de instalação das câmeras e base tecnológica nos batalhões, cujo investimento foi de R$ 18 milhões, vai continuar durante o ano até alcançar as duas mil viaturas. Considerando o número de registro de ocorrências, o 20° BPM (Mesquita), o 41° BPM (Irajá) e o 9° BPM (Rocha Miranda) serão os próximos a receber os equipamentos após a fase de testes.

Viúva e ex-amante do traficante Matemático são acusadas de golpe

Onze acusados de fraudar o programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal, e integrar a quadrilha de Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, chefe do tráfico na Favela da Coreia, morto no ano passado, começaram a ser julgados nesta quarta-feira na 1ª Vara Criminal de Bangu, na Zona Oeste. O esquema acontecia no bairro de Senador Camará, território do bando de Matemático.
Entre os acusados estão a viúva Alessandra Pinto, e a ex-amante do crimininoso, Natália Rodrigues Marques. Ontem, quatro testemunhas de acusação e três de defesa foram à 1ª Vara Criminal.
Segundo as investigações, a quadrilha comprou pelo menos três imóveis por R$ 100 mil cada, quase o dobro do preço oficial (R$ 55 mil). Os apartamentos, que foram em parte subsidiados pelo governo federal por meio do projeto habitacional, não poderiam ser vendidos.
As transações ilegais ocorreram antes da morte de Matemático, em maio do ano passado.

Soldados do Exército são denunciados por homicídio

 Dois soldados do Exército foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) pela morte do adolescente Abraão da Silva Maximiano, de 15 anos, em dezembro de 2011, no Complexo da Penha. Os militares, que eram da Força de Pacificação e estavam em patrulhamento, vão responder por homicídio qualificado, que prevê entre 12 anos e 30 anos de prisão.
Segundo o procurador da República, Fernando Aguiar, responsável pelo caso, o adolescente estava desarmado e foi atingido nas costas. Ele morreu na hora. Os soldados Douglas Luciano e Hudson Costa vão responder na 8ª Vara Federal Criminal, e não na Justiça Militar, porque foi um crime doloso contra a vida de um civil.
A investigação revelou que não foram encontradas drogas ou armas com Abraão, e que o tiro que o matou foi disparado de um fuzil 7.62 mm. “Eles (militares) fizeram uma avaliação equivocada. Mas quando você tem uma arma na mão isso pode se transformar numa tragédia, como aconteceu”, disse Aguiar.
Na época, a família afirmou que, no momento do disparo, Abraão teria acabado de jogar futebol. O jovem, que era órfão, não tinha passagem pela polícia. Já os militares alegaram que o rapaz estava com dois homens suspeitos, que teriam fugido da abordagem e feito disparos na direção deles.
“Não resta dúvida de que as Forças Armadas prestaram relevante serviço ao Rio, participando do processo de pacificação das comunidades tomadas pelo tráfico e pela violência. No entanto, fatos como este, em que um adolescente foi morto com um tiro de fuzil nas costas, precisam ser submetidos ao poder Judiciário, a fim de que seus executores sejam devidamente responsabilizados”, afirmou o procurador.

Traficante carioca é preso ao tentar invadir comunidade em Angra dos Reis

Acusado de balear duas pessoas durante uma tentativa de invasão ao Morro da Fortaleza, no Centro de Angra dos Reis, no Sul Fluminense, Jairo de Aguiar, de 32 anos, foi preso por policiais do 33º BPM (Angra dos Reis), na madrugada desta quinta-feira.
De acordo com a PM, o criminoso – que estava foragido do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu – é ligado ao tráfico no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio, e pretendia atuar na comunidade do Sul Fluminense.
Na ação, também foram presos:Leonardo de Oliveira da Conceição, de 20 anos, Victor dos Santos Tavares, de 22, e Clauvino da Silva, de 37. Com o grupo, foram apreendidas cinco armas – duas pistolas e dois revólveres –, bonés e camisas com o o emblema da Polícia Civil, além de algemas e munições de vários calibres. O caso está sendo registrado na 166ª DP (Angra dos Reis).

Acusado de receber propinas, capitão da PM alega que era 'telha'

Três anos depois de ter sido promovido a capitão, por antiguidade, o oficial Ricardo Sant'anna Loureiro foi submetido a Conselho de Justificação da PM, suspeito de receber propina de criminosos. A instauração do Conselho foi feita pela Corregedoria Geral Unificada.
O capitão Loureiro foi pego na escuta telefônica da Operação Lobão, da Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado e Inquéritos Especiais (Draco) e das corregedorias Geral Unificada (CGU), da Polícia Civil (Coinpol) e da Polícia Militar, em dezembro do ano passado. Nas gravações, o oficial aparecia conversando com um sargento suspeito de intermediar a arrecadação do suborno. 
A CGU considera que o teor da conversa tem "solicitações de vantagens ilícitas". Num dos trechos, o capitão se dirige ao sargento dizendo "aquele amigo que tinha lá esse mês tem despedida? Vê logo isso pois estou no maior Ceará. Não esqueça daquela parada com o amigo lá se não aqueles pelas irão pegar primeiro". Como justificativa, o capitão alegou que "como o sargento trabalha na rua, e conhece muitos comerciantes", ele tinha o hábito de recorrer ao colega "para que conseguisse coisas do tipo: telhas, tijolos etc".
A CGU conclui que o capitão cometeu transgressão disciplinar grave porque adotou, "em tese", "condutas irregulares e praticou atos que afetam a honra pessoal e o decoro da classe".

Policiais e bombeiros fecham prédio da Secretaria da Fazenda

Os policiais e bombeiros militares realizaram, na tarde desta terça-feira, 19, uma caminhada pelo Centro de Maceió em protesto a falta de resposta do Governo com relação ao realinhamento da tabela de subsídio da categoria. 

MACEIÓ - Insatisfeitos com o descaso do governo estadual, os militares de Alagoas voltaram a promover mobilizações durante toda esta semana e prometem não parar até o governador Teotonio Vilela Filho não atender as reivindicações. A classe cobra o realinhamento salarial prometido para a categoria desde 2010, de cabo a coronel.
Na tarde de ontem, os militares saíram da porta da Secretaria de Gestão Pública, no Centro de Maceió, e seguiram em passeata para frente da Secretaria da Fazenda, também no mesmo bairro. Por lá, eles também resolveram acampar, assim como foi feito na última segunda-feira, na Segesp, e prometeram não arredar o pé enquanto o secretário da Fazenda não sentar com a categoria para negociar.
De acordo com o presidente da Aspra – Associação das Praças Militares de Alagoas (Aspra/AL), Wagner Simas, o governo tem condições de conceder o realinhamento para a classe, porém alega não ter condições, por conta do impacto na folha de pagamento. Segundo ele, o impacto não ultrapassaria R$ 1,9 milhão mensais contemplando toda a classe.    
Insatisfeitos, os militares fecharam a Rua General Hermes, na Cambona, para chamar a atenção dos membros da pasta do executivo, e prometeram na próxima sexta-feira realizar um ato público em frente ao prédio do governador, no bairro da Ponta Verde, pela manhã.

quarta-feira, 20 de março de 2013

BELÉM - Policiais e moradores entram em confronto

Policiais e moradores entram em confronto após morte de jovem em Manguinhos


Tráfico da Rocinha usa menores com celulares para alertar sobre a aproximação de PMs da UPP


O tráfico na Rocinha trocou o foguete pelo torpedo. Menores de idade recrutados por traficantes da favela — onde há uma UPP desde setembro do ano passado — estão usado a tecnologia para alertar os criminosos sobre a chegada dos PMs. Nas esquinas dos becos da localidade conhecida como Roupa Suja, os olheiros, que antes usavam rojões ou pipas para avisar sobre operações, agoram mandam mensagens de texto e fazem ligações de celular.
O próprio comando da UPP da favela admite a resistência da criminalidade na região e a dificuldade para patrulhar as vielas estreitas.
— É, sem dúvida, a área mais difícil de atuar. Como é o local mais pobre da comunidade, os garotos têm aceitado, por R$ 200 por semana, ficar com os celulares nas mãos — conta o comandante da UPP da Rocinha, major Edson Santos.
Segundo o major, numa das mensagens um menor escreveu: "policial tá subindo". Desde janeiro, pelo menos três apreensões de menores flagrados com celulares na Roupa Suja foram registradas na 15 DP (Gávea).
— Depois que perceberam que estávamos de olho, eles estão mandando mensagens mais simples, como "oi" — conta o major.
À frente da delegacia há 15 dias, o delegado Orlando Zaccone prometeu instaurar um inquérito para investigar a atuação do tráfico na comunidade:
— Já apreendemos celulares pré-pagos. Mas sabemos que não tem mais morteiro: os olheiros trabalham com celulares — afirma.
Um confronto a cada duas semanas
As vielas da Roupa Suja sofrem com a falta de estrutura. São montanhas de lixo, esgoto jorrando a céu aberto e ruas mal iluminadas. Tudo isso, explicam os policiais, prejudica o trabalho nas rondas a pé. Um confronto armado acontece no local a cada 15 dias, pelo menos.
— Pela quantidade de drogas apreendidas, não há dúvidas de que o tráfico continua lá dentro — afirma Orlando Zaccone.
De acordo com o major Edson Santos, nenhuma das 80 câmeras de monitoramento instaladas na Rocinha está na Roupa Suja. O monitoramento ajudou, segundo ele, a concentrar criminosos nessa localidade.

Polícia do Rio ganha novos ‘Caveirões’

O novo blindado terá modelos na cor azul

A Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro vai mudar a cara dos “Caveirões”, famosos blindados da polícia usados principalmente para operações em áreas de risco. Chamado de “Maverick”, o novo carro é mais compacto, ágil e veloz e terá modelos com a cor azul, além do tradicional preto.
A empresa sul-africana Paramount Logistics, que ganhou a licitação da secretaria de Segurança, fabricou oito novos “Caveirões”: quatro irão para o Bope, (Batalhão de Operações Policiais Especiais), dois vão para o Batalhão de Choque (com torre com jato de água, para controle de confusões) e dois para a Core (Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais), da Polícia Civil. Os veículos transportam 12 homens cada e custaram R$ 6,65 milhões, já incluindo o custo de manutenção por cinco anos.
A renovação da frota dos "Caveirões" tem como objetivo melhorar a segurança durante os grandes eventos que o Rio vai receber a partir deste ano: a Copa das Confederações, em junho, a Jornada Mundial da Juventude, em julho, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, entre outros.

Polícia apreende pé de maconha de 1,70 m


A Polícia Militar de Goiás, em patrulhamento pelo bairro Calixtolândia, em Anápolis, apreendeu um pé de maconha de aproximadamente 1,70 m que era cultivado nos fundos da casa de Wesley Luiz de Almeida, de 34 anos.
Depois de abordarem pessoas em atitudes suspeitas na região, os policiais verificaram que no celular de Almeida, que já responde por furto e tráfico de entorpecentes, havia um vídeo de um pé de maconha e um outro no qual ele preparava a droga para a venda e uso.
Ao chegarem à casa do suspeito, a PM confirmou a existência da planta. O arbusto foi arrancado, e, juntamente com o cultivador, encaminhado à Central de Flagrantes da cidade, onde foi confeccionado um Termo Circunstanciado de Ocorrência.
Mesmo com o flagrante, o homem acabou liberado após prestar depoimento e assinar um documento no qual se compromete a comparecer em juízo. Ele vai responder por posse de entorpecente para uso próprio, conforme artigo 28 da Lei 11.343/2006.

Polícia Civil arrecada donativos para vítimas da chuva em Petrópolis

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro está recebendo doações para os desabrigados vítimas da chuva que caiu em Petrópolis, no último domingo (17). De acordo com o delegado titular da 105ª DP (Petrópolis), Alexandre Ziehe, os moradores estão precisando de roupas íntimas novas, roupas de cama, colchonetes e cobertores. As doações devem ser encaminhadas para a sede da unidade, na Rua Rio Branco, s/nº, Retiro, em Petrópolis.                         
Sobre o trabalho realizado para liberação de corpos encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), o delegado informou que a unidade policial auxilia no processo de identificação e autorização judicial, agilizando a entrega à família para o enterro. O Instituto de Identificação Félix Pacheco (IIFP) atua na identificação de vítimas através de papiloscapia, ou seja, pelas digitais. Os corpos que não conseguem ser identificados por este método e pela arcada dentária são reconhecidos pela família e é coletado material genético para o exame de DNA. Uma viatura da 105ª DP está à disposição para levar a documentação dos corpos não identificados, e apenas reconhecidos pelas famílias, para que a liberação para o enterro seja autorizada pela Justiça. 
A delegacia trabalha com efetivo reforçado. Oito policiais civis - dois da 107ª DP (Paraíba do Sul), dois da 108ª DP (Três Rios), dois da 110ª DP (Teresópolis) e dois do 7º Departamento de Polícia de Área (DPA) – estão auxiliando no trabalho, além de uma assistente social da Prefeitura. Até o momento, 27 corpos foram levados ao IML, 13 deles já liberados.

PM acha casa onde havia apreensões da Polícia Civil

Uma mega-apreensão de produtos piratas feita quinta-feira no Jardim América, Zona Norte, intrigou policiais militares do Batalhão de Choque. Na casa, havia mais de 220 mil mídias falsificadas, além de 800 gravadores, impressoras e computadores.

Mas o que impressionou os agentes não foi o volume do material, e sim o fato de que boa parte dos CDs e DVDs já teria sido apreendido antes por diversas delegacias, inclusive a de Repressão a Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIm), responsável pela investigação e combate à pirataria.

A Corregedoria da Polícia Civil abriu investigação para apurar o motivo de o material estar no local, já que a denúncia anônima dizia tratar-se de suposto depósito clandestino.

 Em alguns malotes, havia registros e autos de apreensões feitos por mais de 20 delegacias, desde 2010. Outra dúvida da Corregedoria: se o local servia como depósito da polícia para produtos apreendidos, por que havia equipamentos produzindo cópias no momento da chegada dos PMs?

Preso por corrupção ativa

O material foi recolhido e a casa, interditada. Um caminhão e um microônibus da PM transportaram toda a apreensão para a 38ª DP (Irajá), que fez nesta terça-feira o registro inicial do caso, depois de perícia no material. À tarde, agentes da Corregedoria estiveram na unidade e assumiram a investigação.

 Quatro pessoas e uma adolescente que estavam no imóvel foram levados à delegacia para prestar esclarecimentos. Antes, porém, três deles se esconderam dentro da caixa d’água da casa de dois andares, para tentar escapar do cerco.

Edson Castro de Araújo foi preso em flagrante durante a operação, por corrupção ativa. Segundo militares, ele ofereceu R$ 30 mil para que a apreensão não fosse feita e ainda teria se apresentado como suposto advogado do dono do imóvel. O proprietário, já identificado, também será ouvido pela polícia.

Polícia à procura de suspeitos de matar filhos de policiais em Niterói

Agentes do Serviço Reservado (P-2) do 12° BPM (Niterói) e policiais da 75ª DP (Rio do Ouro) estão reunindo pistas para chegar aos suspeitos que teriam assassinado no último fim de semana Ronaldo Farias Soares Magalhães, de 19 anos, e seu primo Vagner Soares Barroso, de 34. As vítimas eram filhos de policiais.
Segundo a polícia, os dois foram mortos a tiros e seus corpos tinham marcas de torturas ao serem sequestrados no Morro do Serrão, no Cubango, de onde foram levados a força por dois homens suspeitos armados com pistolas. As vítimas tinham familiares na comunidade, completou a polícia.
Os corpos foram deixados em um carro no bairro de Maria Paula, divisa de Niterói e São Gonçalo. As vítimas estavam com mãos amarradas com cordas, acrescentou a polícia, que revelou também que Vagner tinha passagem pela por tráfico e teria cumprido pena após condenado.
Queima de arquivo- O homem mais jovem, Ronaldo, era estudante e teria sido levado pelos criminosos como queima de arquivo. Os pais das vítimas são policiais, um deles lotado no Batalhão da Polícia Militar de Niterói e outro da Civil, mas já falecido.

Gerente do tráfico carioca preso com fuzil em Niterói

Um motorista de táxi foi sequestrado no Fonseca, ontem à tarde, por dois traficantes que fugiam de um cerco montado por policiais do 12ºBPM (Niterói) na favela Coronel Leôncio, na Engenhoca, em Niterói. Os acusados estavam armados com um fuzil 5,56 que tinha um carregador com 30 munições. Com eles foram encontrados uma touca ninja, pequena quantidade de drogas e um colete camuflado à prova de balas.
Levados para a delegacia, lá foi constatado que um deles viria a ser gerente geral do tráfico de drogas da Vila dos Pinheiros, Complexo da Maré, no Rio.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Ex-comandante da UPP do São Carlos é condenado a seis anos de prisão

O ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora do Morro do São Carlos, Adjaldo Luiz Piedade Júnior, preso por receber propina do tráfico de drogas da comunidade, foi condenado a seis anos de prisão, em regime fechado, por associação para o tráfico de drogas.
De acordo com as investigações, entre novembro de 2011 e janeiro de 2012, Adjaldo recebia R$ 15 mil por semana do traficante Sandro Luís de Paula, o Peixe, para não coibir a venda de drogas no São Carlos, época em que era comandante da UPP. Ele foi preso pela Polícia Federal e pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança, em fevereiro de 2012.
Na sentença, do último dia 13, o juiz Alcides da Fonseca Neto, da 11ª Vara Criminal da Capital, decretou ainda a perda do cargo do PM. Segundo o magistrado, Adjaldo Luiz funcionava como um verdadeiro "escudo protetor" que possibilitava que o negócio pudesse ser realizado de modo discreto, porém de maneira extremamente eficiente. Ele impedia ou dificultava a atuação de seus subordinados na repressão ao tráfico de drogas na região. "Em troca, recebia o pagamento da quantia de R$ 15 mil por semana, isto é, ele percebia, por sua atuação no grupo, a quantia de R$ 60 mil por mês", afirmou o juiz.
Outros réus
O ex-PM foi denunciado junto com outros 10 réus e, além dele, foram condenados Alex Moura de Matos, gerente das "bocas de fumo" da Cidade Nova, a quatro anos de reclusão, em regime semiaberto, com a substituição da pena privativa de liberdade à prestação de serviços à comunidade e ao pagamento de multa; Douglas Moura de Matos, braço direito de Alex Moura, a três anos e três meses de reclusão, em regime semiaberto, tendo a pena também substituída pelo pagamento de multa e serviços à instituição pública; Anni Fabiana de Souza Barata, Shirlei da Silva Nascimento e Jeovânio Beserra Santos a três anos de prisão, em regime aberto, pena substituía pelo serviço à comunidade e o pagamento de multa.
Foram absolvidos Vera Lúcia da Silva Rodrigues, Ronaldo Cruz dos Santos e o PM Alexandre Duarte, por falta de prova. Os outros dois réus, Anderson Rosa Mendonça, o Coelho; e Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe, que controlavam o tráfico de drogas no Complexo de Favelas de São Carlos, tiveram o processo julgado extinto, uma vez que foram denunciados pelo mesmo crime em outro processo na 17ª Vara Criminal da Capital.

domingo, 17 de março de 2013

‘Big Brother’ da PM


Já utilizada em larga escala por polícias de países europeus e dos Estados Unidos, a "espiadinha" também já chegou à PM do Rio. Desde janeiro, 100 viaturas dos batalhões de São Gonçalo e Niterói já circulam com câmeras, que registram ações policiais 24h por dia. Do batalhão, o comandante pode escolher entre assistir às operações ao vivo via 3G ou esperar o carro voltar à base e ver as imagens gravadas em alta definição.

O sistema, que vai chegar a todos os batalhões do estado e a 2 mil viaturas, custou R$ 18 milhões e é de última geração: grava em áudio e vídeo, mostra imagens noturnas e também registra a localização da viatura e a rota que traçou em um mapa. Todo o investimento tem uma justificativa: transparência.
— Não vai pairar dúvidas sobre o que acontece durante ações policiais — conta o secretário de Segurança José Mariano Beltrame, que, da sua sala, vai ter acesso a câmeras de qualquer viatura.
Apesar de 61 viaturas do 7º BPM, em São Gonçalo, e 38 do 12º BPM, em Niterói, já circularem com os kits de duas câmeras, antena de transmissão e um gravador, o sistema ainda está em fase de testes antes de ser replicado para outros batalhões.
— Ainda estamos vendo qual a melhor solução técnica para a transmissão ao vivo: ela trava muito. Outro problema é o armazenamento, que é caro. Cada batalhão só armazena dois meses de gravações. Vamos expandir isso para criar um banco de dados — explica Edval Novaes, subsecretário de Modernização Tecnológica.

Lei cobra filmagens
O uso de câmeras nas viaturas já é previsto por lei desde dezembro de 2010. Na ocasião, deputados aprovaram o Projeto de Lei 1.625-A/08, de Gilberto Palmares (PT), que obriga a instalação de câmeras nas viaturas da PM. Em sua sustentação do projeto, que havia sido vetado pelo governador Sérgio Cabral, ele afirmou que a lei evitaria "abusos de poder" por parte de policiais.
Além de serem exigência legal, as filmagens também serão utilizadas pela PM de forma didática:
— Pretendo usar as gravações como forma de demonstrar como queremos que se faça polícia, como estudo de caso. Na próxima formatura de policiais, imagens vão ser mostradas como exemplo de abordagem — afirma o comandante do 7º BPM (São Gonçalo), tenente-coronel Luiz Eduardo dos Santos.
Os próximos batalhões a receber a novidade serão Mesquita, Rocha Miranda e Irajá. Eles foram definidos pelo comando da corporação pela quantidade de ocorrências registradas.
Duas câmeras
Cada viatura vai circular com duas câmeras: uma no teto, voltada para a frente do veículo, e outra no painel, que mostra a movimentação dos policiais dentro do carro.
Áudio e vídeo
As câmeras gravam áudio e vídeo. As gravações, em alta qualidade, são armazenadas em um gravador dentro do veículo e são descarregadas, via wi-fi, quando o carro entra no batalhão. Cada unidade tem equipamento para armazenar 16 teras de memória.
Ações ao vivo
Quando o comandante do batalhão desejar, há a possibilidade de as imagens serem transmitidas dos carros em tempo real, via 3G. Nesse caso, a resolução da imagem não é tão boa.

sábado, 16 de março de 2013

Site da Polícia Civil da Bahia orienta a ter dinheiro para 'satisfazer o ladrão'

SALVADOR – Levar uma certa quantia de dinheiro no bolso para não irritar os ladrões durante os assaltos. Essa é uma das “dicas” que o site oficial da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) estava veiculando até o início da tarde desta terça-feira. A recomendação é: “carregue um pouco de dinheiro (para satisfazer o ladrão), mas poucos cartões”. A mensagem provocou forte reação na Assembleia Legislativa da Bahia, fazendo com que o governo retirasse a “dica” do site.
Mesmo assim, os deputados estaduais Carlos Gaban (DEM) e Uziel Bueno (PTC) apresentaram requerimento na Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa para convidar o secretário de Segurança, Maurício Barbosa, a falar sobre a polêmica “dica”. Os oposicionistas também querem explicações de Barbosa sobre os altos índices de violência registrados na Bahia, conforme revelado pelo recém-divulgado Mapa da Violência 2013.
Com a retirada da recomendação, ficaram as mais usuais: “depois de um assalto: não tente perseguir o ladrão, afaste-se do local, ligue rapidamente para 190 com todas as informações possíveis já organizadas, vá para a delegacia mais próxima registrar a ocorrência”.