terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Batalhão da PM do Leblon convive com o abandono

O 23º Batalhão de Polícia Militar (Leblon) está com problemas de falta de conservação, como infiltrações e instalações improvisadas. A corporação admite o problema e garante que está tomando medidas para as melhorias do local. A Polícia Militar afirma que, por conta das obras da Linha 4 do metrô no bairro, o antigo refeitório e alojamento tiveram de ser demolidos. E os atuais — que já apresentam falhas estruturais — são provisórios. As denúncias do péssimo estado de conservação do Batalhão do Leblon não partem somente de policiais lotados no quartel. Moradores da região, que acompanham a rotina dos PMs afirmam que há cerca de um ano vêm constatando diversos problemas.




Alojamento foi demolido com obras do metrô. Instalações provisórias já estão com problemas
Moradora da Lagoa, A., que afirma acionar os policiais militares da área sempre que precisa, se diz “revoltada” com a situação. “Eles (os policiais) servem a toda a região, trabalham de sol a sol. São muito exigidos e encontram péssimas condições para trabalhar. Já acompanhei um dia de trabalho deles na rua. E depois vi eles chegarem em um local em péssimas condições”, comentou a moradora, que prefere não se identificar.
Um policial militar, que também não quis se identificar, conta que o problema veio à tona com as obras da Linha 4 do Metrô — que vai ligar a Barra da Tijuca a Ipanema. Segundo este policial, o comandante do 23º BPM, tenente-coronel Amaral, já tocou no assunto e estaria tentando buscar uma solução para o problema.




Buracos oferecem risco em alguns trechos do Batalhão do Leblon
“Quando temos que dormir no batalhão, é naquela condição mesmo. A empresa que faz as obras do metrô não chegou a fazer nenhuma reforma ali. Estamos esperando as mudanças”, declarou o policial. Outro morador, que também não se identificou, chegou a dizer que o problema é de conhecimento da região: “Quem conhece os policiais e passa ali diariamente já ouviu falar e sabe muito bem das condições em que eles estão”.
Comando lamenta a situação e promete melhorias
Teto despencando no rancho onde os militares almoçam. Infiltrações no vestuário e na despensa onde é armazenada a comida. Deterioração das paredes das instalações, como da praça de alimentação e dormitório, além buracos pelo batalhão. Estes são os problemas mais evidentes do 23º Batalhão.




O rancho, onde policiais almoçam, está com o teto despencando
Procurada, a Polícia Militar informou que vai tomar providências, para garantir um local seguro e saudável para os policiais. Por meio de nota, a corporação afirmou que o comandante do 23° BPM (Lebon), tenente-coronel Marcus Amaral, “tem conhecimento dos problemas estruturais da unidade e está preparando um relatório que foi solicitado pelo comandante-geral, coronel José Luis Castro Menezes, com detalhes sobre as necessidades de melhoria do batalhão”.
A corporação atribuiu os transtornos às obras da Linha 4 do Metrô: o antigo rancho do 23° BPM e o alojamento foram demolidos para continuidade das intervenções para o projeto. Em decorrência disso, os militares estão em um alojamento provisório. A corporação garantiu que o atual refeitório será substituído também por um provisório “com condições adequadas”.
O Comando da PM afirmou que o espaço já foi instalado na unidade, mas está em fase de acabamento e de aparelhamento da cozinha.
Em nota, o consórcio Linha 4 Sul informou que utiliza parte do terreno do 23º BPM como canteiro de apoio às obras na região. Para isso, o consórcio acordou com o Governo do Estado e a Polícia Militar que construíria novas estruturas na área utilizada pelo batalhão.
De acordo com a nota, já foram construídos novos alojamento, vestiário, estande de tiro, reserva de armamento, barbearia e salão para ato ecumênico. Além da instalação de sistema interno de monitoramento por câmeras e readequação da portaria principal do batalhão.
Segundo a empresa, estão em fase de implantação novos refeitório (por enquanto, está sendo utilizado o refeitório original do batalhão) e cozinha. Será feito ainda um novo almoxarifado.
Semana passada, o consórcio foi informado pelo comando da unidade que seria necessário realizar manutenção no alojamento e vestiário. Serviço que será iniciado nesta terça-feira.

5 comentários:

  1. Poruê não fotografaram o Mikey, um rato que parece um gambá, volta e meia o danado aparece na entrada do refeitório?????

    ResponderExcluir
  2. E ESSE BATALHÃO É NA ZONA SUL;IMAGINEM NO INTERIOR DO ESTADO,COMO DEVE SER?

    ResponderExcluir
  3. Não é o único Batalhão da PMERJ que convive com o abandono!

    É uma vergonha essa falta de investimentos na área de Segurança Pública...

    ResponderExcluir
  4. O 6° BPM está pior... O banheiro dos soldados está fechado...

    ResponderExcluir
  5. OOOOOOOO PARECER UMA CASA DE CRACUDO DO ANTARES OU DA MARE ,,,,,,,,,,EM QUANTO NO COMANDO GERAL ....E NOS BATALHAO ....OS COMANDANTES ENCHENOS OS BOLSOS DE MILHOES DINHEIROS DAS MAO DE MACACOS BICHEIROS E DOS GANSOS DAS FAVELAS.....FORA A CORRUPÇAO FORA LADROES DE FARDA

    ResponderExcluir