segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Tráfico de Madureira faz guerra também no Facebook


Além da guerra com fuzis e pistolas nas vielas e becos dos morros do Cajueiro e Serrinha, em Madureira, facções criminosas travam batalha pelo Facebook. Pelo teclado, bandidos narram a situação das comunidades e, entre uma postagem e outra, comemoram mortes de inimigos, desejam sorte a companheiros em confrontos e ameaçam rivais. 
Em seus perfis, os criminosos se exibem, sem a menor preocupação, com armas de diversos calibres e enaltecem o poderio de suas quadrilhas. Há semanas, bandidos rivais do Terceiro Comando Puro (TCP) e Comando Vermelho (CV) duelam a bala pelo controle de várias localidades. Na linha de tiro, moradores estão apavorados, já que vários traficantes foram mortos, sendo um decapitado. Uma pessoa inocente foi baleada.                        

As postagens dos bandidos estão cheias de erros de português e abreviações. Para melhorar o entendimento das mensagens, elas estarão corrigidas nesta reportagem. Em uma das postagens, um rapaz que identifica como Dennis Lemos, que aparece em uma foto segurando um fuzil, avisa que o Morro da Congonha, invadido recentemente pelo TCP, está tranquilo, e manda um recado para os rivais: “Maior paz, que está a Serrinha. Só tranquilidade. Breve, breve, tudo TCP no Complexo de Madureira”. A mensagem faz alusão aos planos da facção para dominar todos os pontos de venda de drogas. 
Como em um diálogo, a resposta não demora. No perfil Cajueiro Congonha Bagdá do Ph (Madureira CRVL), que seria utilizado por integrante do CV, um homem faz ameaça. “Vão tomar tiros na cabeça, na cintura. Vamos dar tiros nos vacilões”. Em outras postagens, ele fala dos confrontos: “Se brotarem no cajueiro, vocês vão ficar malucos. Porque os manos estão na laje” e “Um calor da p.... E os alemães entrando na bala. Está ruim para vocês”. 

O traficante Douglas de Paula, o Dina, também do CV, avisa: “Nós vamos voltar para Congonha, vamos manter o Cajueiro e vamos dominar a Serrinha. Vamos virar o jogo, pode deixar!”. 
A guerra teria sido iniciada no dia 27 de dezembro, quando, durante um baile funk na Serrinha, criminosos do Cajueiro efetuaram disparos na direção da festa. Como resposta, foram iniciadas as invasões. Há poucos  dias, segundo a polícia, o bando da Serrinha também invadiu o Cajueiro. 

Tudo isso com o suporte de Marcelo Santos das Dores, vulgo Menor P., que pretende fugir para lá a pacificação do Complexo da Maré. No entanto, integrantes do Comando Vermelho continuam no território e tentam resistir com a ajuda de homens expulsos da Congonha e do Morro do Juramento, em Vicente Carvalho.
Exibição com armas e joias na Internet 
Suspeito de chefiar o Morro da Serrinha, Walace de Brito Trindade, conhecido como Lacosta, também se expõe. No perfil Lacosta TCP, aparece com várias armas e até mesmo um lança-mísseis. As roupas, joias e bonés remetem ao jacaré da marca francesa Lacoste, que está gravado no cordão de ouro e em um dos fuzis. 

Investigadores da 29ª DP (Madureira) já monitoram os perfis dos supostos bandidos. Já a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) informou que as páginas podem ser excluídas. Os envolvidos também podem responder por apologia ao tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte de arma de fogo.

10 comentários:

  1. A polícia tinha que deixar eles se matarem,pq quando a polícia entra ai os bandidos matam morador e depois os próprios moradores falam que e a polícia que atirou,agora na invasão de traficante ninguém fica ferido,mais é claro que vai reclamar de bandido?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A polícia sempre será culpada. Para o morador destas comunidades,é conveniente culpar a polícia, seja por medo do bandido,ou para se beneficiar, pois se tiver algum parente morto ou ferido,ganhará indenização do Estado(Este tem responsabilidade objetiva,nestes casos,sendo irrelevante se a bala partiu ou não da arma de um policial),e ainda cairá nas graças do traficante,ficando claro que está ao lado deles e contra a polícia.

      Excluir
    2. vc esta generalizando nem todas as pessoas que moram na favela defende bandido a não ser as pessoas que ja possui algum tipo de relação com eles ao contrario de muitos existi um grande numero de disque denuncia,certamente são pessoas que buscam pela paz.

      Excluir
    3. provavelmente não mora na favela,não sabe nada que se passa lá.

      Excluir
  2. Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro deveriam ganhar mais de 10 (dez) salários mínimos por mês para ter uma remuneração compatível com a responsabilidade e a importância de suas funções.

    O salário líquido de um Soldado da PMERJ, sem as gratificações temporárias, é de apenas R$ 1.909,75 (mil, novecentos e nove reais e setenta e cinco centavos). FALTA MUITO PARA ALCANÇAR A TÃO SONHADA DIGNIDADE. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988 está sendo desrespeitado no Rio de Janeiro. O Salário Mínimo Necessário divulgado pelo D.I.E.E.S.E. em Abril de 2013 foi estimado em R$ 2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos). A defasagem do salário do SD PM ou BM no RJ é de R$ 982,72 (novecentos e oitenta e dois reais e setenta e dois centavos) = 51,5%.

    Bombeiros e Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro não recebem uma remuneração suficiente para suprir as necessidades vitais básicas previstas no dispositivo constitucional supramencionado. Um Estado que possui a 2ª MAIOR ARRECADAÇÃO de impostos do país não pode pagar o MENOR SALÁRIO da Federação! Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)??? Considerando que o SOLDO é o salário do Militar, seria importante observarmos o valor pago aos Soldados da PMERJ e do CBMERJ. Atualmente, o soldo de um SD PM ou BM é R$ 512,90, R$ 211,10 abaixo do salário mínimo vigente, que é de R$ 724,00 (para equiparar os valores seria necessário conceder um reajuste mínimo de 41,16%).

    Concluindo, o Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa conceder 51,5% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ em 2014, para ficar em dia com suas obrigações.

    ResponderExcluir
  3. Sou morador e vou falar para vcs que não é interesse do governador upp em madureira , não faz parte dos planos do governo . Infelizmente a policiamento local do bairro esta vendido , da para ver aos finais de semana o gat pegar dinheiro dos traficantes. Em quem nós vamos confiar ? Só a upp para dá paz a nós moradores , ja balearam gente e animais . Não temos dinheiro para mudar de bairro, não tenho dinheiro para morar na tijuca .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. essa é a mais pura verdade a upp de madureira não esta em nenhum plano isso não é lucrativo pro governo mais quem sabe um dia quando muitos morrem quem sabe pacifica

      Excluir
  4. Quando policia troca tiro com traficantes e morre "morador" (eufemismo para suspeito com 3 passagens pela polícia), tem manifestação, queima de onibus e o escambal.
    E quando tem troca de tiros entre traficantes e algum morador morre, tem manifestação tb?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. provavelmente quem faz esse tipo de manifestação é quem tem envolvimento e com certesa não são todos existe pessoas que moran na favela porque não tem pra onde ireeu sou um.

      Excluir
  5. Sou morador e vou falar para vcs que não é interesse do governador upp em madureira , não faz parte dos planos do governo . Infelizmente a policiamento local do bairro esta vendido , da para ver aos finais de semana o gat pegar dinheiro dos traficantes. Em quem nós vamos confiar ? Só a upp para dá paz a nós moradores , ja balearam gente e animais . Não temos dinheiro para mudar de bairro, não tenho dinheiro para morar na tijuca .

    ResponderExcluir