terça-feira, 11 de março de 2014

Policiais federais fazem protesto na Praça Mauá

Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal em vários estados do país, incluindo o Rio de Janeiro, fazem paralisação a partir desta terça até quinta (13), de acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef).
As datas seguem o Calendário de Mobilização da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), tendo como tema "Segurança Pública Padrão FIFA". No Rio, policiais têm realizado apitaços, algemaços e distribuído "cartões vermelhos" no atos. A ideia é chamar a atenção da população para os protestos que buscam melhores condições de trabalho.
"A principal preocupação do movimento é com as nossas condições de trabalho, pois falta efetivo, e as funções que deveriam ser exercidas pela Polícia Federal passam a ser delegadas a terceirizados. Precisamos chamar a atenção do governo para a nossa atual situação e melhorar o desempenho da PF", diz o presidente do Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro (SSDPF/RJ), André Vaz de Mello.
Entenda as reivindicações
Segundo os manifestantes, a Polícia Federal vive uma crise histórica. Entre os problemas apontados, estão, de acordo com o sindicato: "diminuição dos investimentos na instituição; perda do poder investigatório, com pesquisas revelando que 75% dos policiais já presenciaram interferências políticas nas investigações; o não reconhecimento das funções complexas de inteligência que exercem há décadas; baixa anual de efetivo (só no ano passado, 230 PFs deixaram a instituição); congelamento de salários há sete anos; falta de valorização das atividades; insatisfação total, com pesquisa nacional constatando que 86,53% dos policiais se sentem infelizes, e 90,76% subaproveitados quanto às suas funções; situação de verdadeiro apagão, o que tem gerado doenças psíquicas em, pelo menos, 30% do efetivo, e altos índices de suicídios".

Um comentário:

  1. Os PMs arriscam suas vidas para proteger a sociedade, mas suas famílias passam necessidades. O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa conceder mais 36,228% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ em 2014, para ficar em dia com suas obrigações, pois concedeu apenas 11,18%.

    O salário líquido de um Soldado da PMERJ é de R$ 2.123,26 (dois mil, cento e vinte e três reais e vinte e seis centavos), valor insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS dos Policiais Militares, previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Salário Mínimo Necessário divulgado pelo D.I.E.E.S.E. em Abril de 2013 foi estimado em R$ 2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos).

    A defasagem do salário do SD PM ou BM no RJ está em R$ 769,21, ou seja, é necessário conceder um novo reajuste, de 36,228%, para que a família do PM não passe necessidades. Um Estado que possui a 2ª MAIOR ARRECADAÇÃO de impostos do país não pode pagar tão mal! Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)??? A solicitação visa apenas atender o que está previsto na Carta Magna!

    "Como uma sociedade vai garantir a paz, a segurança pública e a justiça criminal com policiais envolvidos em jornadas estressantes e perigosas em ambientes com armas de guerra e poder financeiro corruptor, sem poder conviver com a famílias os momentos de folga e lazer, necessários à sua saúde mental, boas condições técnicas e acertadas decisões de inopino?

    A saúde emocional, psíquica, física e financeira dos policiais brasileiros deveria ser prioridade na atenção dos poderes governantes e da sociedade, já que são estes homens e mulheres que fazem a primeira linha de defesa contra o crime e contra a violência na garantia de direitos."

    BENGOCHEA

    O GOVERNO FEDERAL DEVERIA CRIAR O PISO NACIONAL DA SEGURANÇA PÚBLICA NO VALOR DE R$ 5.000,00 (CINCO MIL REAIS) MENSAIS, POIS OS POLICIAIS PRECISAM RECEBER UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM A RESPONSABILIDADE E A IMPORTÂNCIA DAS FUNÇÕES QUE EXERCEM. SÓ ASSIM OS GOVERNOS ESTADUAIS OFERECERÃO QUALIDADE NOS SERVIÇOS PRESTADOS. A SEGURANÇA PÚBLICA É UM SERVIÇO ESSENCIAL!

    A POLÍCIA MILITAR DO ESTADO RIO DE JANEIRO PRECISA LUTAR PELA VALORIZAÇÃO DE SUA TROPA. O salário-base dos garis (R$ 1.100,00) está bem maior do que os soldos dos Militares Estaduais. Os garis já devem estar ganhando mais do que os Soldados da PMERJ e do CBMERJ! Eles ainda recebem 40% de insalubridade e R$ 20,00 por dia no vale-refeição.

    ResponderExcluir