quinta-feira, 27 de março de 2014

Retratação de ofensa a policial

A Editora O DIA vem por meio desta se retratar publicamente em razão da publicação de notícias jornalísticas equivocadas a respeito do policial militar Luis Carlos Melchíades, morador de Campos dos Goytacazes e então lotado no 8º Batalhão de Polícia Militar. As reportagens foram divulgadas nos dias 17 de março e 15 de abril de 1994, apontando-o como uma das pessoas supostamente envolvidas em um grupo de extermínio que agia na cidade.
A primeira reportagem foi publicada em uma quinta-feira, sob o título "Testemunha depõe e acusa exterminadores" A segunda saiu em uma terça-feira, com o título "Suspeitos de extermínio serão interrogados hoje" As duas reportagens foram contestadas judicialmente por Luis Carlos Melchíades. A Justiça deu ganho de causa a ele e condenou a ré, Editora O DIA, a fazer publicar em seu jornal, no mesmo tamanho das matérias ofensivas à honra do autor e nos mesmos dias da semana em que foram publicadas, retratação da ofensa perpetrada.
Segundo o policial, na lista dos acusados de envolvimento no grupo citada na reportagem, o seu nome apareceu ligado ao vulgo "Cacau" que seria o apelido de outro PM. Ele afirmou que devido ao noticiado foi excluído da Polícia Militar do Rio de Janeiro, ficando afastado da corporação por cinco anos, inviabilizando suas aspirações em prosseguir na carreira militar.
Luis Carlos Melquíades não chegou a ser indiciado ou denunciado pela Justiça, jamais tendo respondido por crime de formação de quadrilha ou homicídio. Ele foi reintegrado à PM por meio de processo administrativo, em decisão publicada em 28 de novembro de 2000 no Boletim da PMERJ.
1858

8 comentários:

  1. Kd a justica que nao propos uma boa indenizacao a este pm injusticado.ah esqueci,ele e pm,nao merece nada,muito menos ser recebido pelo governador,quanto mais ganhar indenizacao do ESTADO OMISSO DEFENSOR DE GANSOS.

    ResponderExcluir
  2. É MUITO BOM E GRATIFICANTE VER, QUE EM TEMPOS COMO OS DE HOJE EM QUE SÓ SE VÊ NOTICIAS NOS JORNAIS DENEGRINDO A IMAGEM DO POLICIAL, UM JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO COMO O DIA É OBRIGADO PELA JUSTIÇA A SE RETRATAR DA FORMA COMO FOI PUBLICADA, OBRIGADO JUSTIÇA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estivemos juntos no PTPM I 2001 no antigo CQPS em Fonseca - Niterói e só resta a sensação de quem na época passou por uma injustiça de cabeça erguida. Parabéns companheiro e que Deus continue te abençoando. Abraços, Elias.

      Excluir
  3. MENSAGEM AOS POLICIAIS QUE SE JULGAREM INJUSTIÇADOS POR MATÉRIAS JORNALISTICAS:

    MESMO APÓS 20 ANOS, E MESMO QUE AS PESSOAS QUE ESTARÃO LENDO A RETRATAÇÃO HOJE NÃO SERÃO AS MESMAS QUE LERAM AS MATÉRIAS OFENSIVAS A MINHA PESSOA NAQUELA ÉPOCA, NÃO DESCANSEM, JUNTEM PROVAS MOSTRANDO SUA INOCÊNCIA E PROCESSEM O JORNAL, POIS NÃO FOI APENAS VOCE QUE SOFRERAM POR ERRO DA IMPRENSA, FOI TAMBÉM SEUS FAMILIARES QUE ABSORVERAM TODO SOFRIMENTO SEU À ÉPOCA..

    ResponderExcluir
  4. FALTA AGORA O TAL JORNAL EXTRA QUE OS COLEGAS INSISTEM EM COMPRAR AQUELA PORCARIA QUE NO AFA DE FAZER A KBÇA DO POVINHO E VENDER SEUS FOLHETINS,SO TEM MATERIA FALANDO MAL DO PM.UM DIA A PROPIA ATRIZ GLORIA PIRES DECLAROU AO VIVO NO PROGRAMA DO FAUSTAO QUE TAL JORNAL NAO E SERIO.

    ResponderExcluir
  5. NÃO PODE ESQUECER QUE FOI EXPULSO SEM PROVAS ( POR SER PRAÇA).
    2 PESOS E 2 MEDIDAS. CORREGEDORIA SO SER PARA PRAÇA!!! E NÃO VENHA ME FALAR QUE É MENTIRA ISSO!!!

    ResponderExcluir
  6. SE TODOS FIZESSEM ISSO ESSA HUMILHAÇÃO CONTRA NÓS PRATICAMENTE ACABARIA,LEMBRAM DO CASO DO JUIZ QUE COLOCOU UM QUADRO DE JESUS SENDO METRALHADO PELO PM,O CASO DA RITA LEE EM QUE ELA PERDEU UMA BOA GRANA PARA OS POLICIAIS EM ÚLTIMA INSTÂNCIA,PARABÉNS A ESSE POLICIAL,QUE SIRVA DE EXEMPLO,FAÇAM ISSO TAMBÉM CONTRA OS OFICIAIS QUE TENTAM HUMILHAR MUITOS POLICIAIS POR MOTIVOS BANAIS,CUSTEADOS POR ESTE REGULAMENTO ARCAICO E COVARDE.

    ResponderExcluir