sexta-feira, 11 de abril de 2014

Policial armada impede ação de vândalos em desocupação



Em meio ao som de tiros e bombas, em um trecho em que um ônibus pegava fogo, a figura de uma mulher armada, de calça branca e salto alto vermelho, surpreendeu quem passava pela Avenida Leopoldo Bulhões.
Era a major Fabiana Silva, subcomandante do 22.º Batalhão (Maré), que estava a caminho do trabalho, quando viu um grupo de homens, alguns com pedras nas mãos, logo após a desocupação da Favela da Telerj, erguida em um terreno da Oi, no Engenho Novo. Fabiana desceu do carro e, empunhando uma pistola, impediu a suposta ação.
Em nota, a assessoria da PM informou que a major, que tem 16 anos de corporação, desconfiou que o grupo tentaria atear fogo a outro ônibus. Os homens fugiram em direção à comunidade do Arará, em Manguinhos.

10 comentários:

  1. MULHER POLICIAL FEZ O PAPEL DE QUEM TERIA QUE FAZER ERA OS HOMENS POLICIAIS. QUEIT MARRONE TA DE PARABENS.

    ResponderExcluir
  2. depois dessa será promovida por bravura ja que muito marmanjo se esquivaria de tomar atitude com certeza na verdade na verdada merece

    ResponderExcluir
  3. -DUVIDO QUE SE FOSSE UM PRAÇA, ESTARIA NO BEP OU MELHOR, NUM PRESIDIO DE BANGÚ!
    -COMO É OFICIAL (TEM UMA RACHA!NÃO VENHA ME DIZER QUE BUCETA NA PMERJ NÃO TEM PRERROGATIVAS QUE EU PEÇO BAIXA!rsrs)E ALÉM DISSO É SUB COMANDANTE DO 22BPM, LOGO A IMPRENSA COM A AJUDA DA CÚPULA DA PMERJ DIZ QUE FOI UM ATO HEROICO!
    -NÃO JULGO O ATO EM SIM, ATÉ ACHO QUE FOI UMA ATITUDE NOBRE, PORÉM SÓ ESTOU APENAS EXPONDO QUE O CORPORATIVISMO QUE HÁ ENTRE OFICIAIS(CORPORATIVISMO ESSE INEXISTENTE ENTRE OS PRAÇAS!!!)DEMONSTRA QUE QUANDO HÁ APOIO DO COMANDO E NÃO EXISTE "PRÉ JULGAMENTO" DO GOVERNADOR (COMO FOI NO CASO DA FAVELADA QUE CAIU DA VIATURA POR ACIDENTE, E O GOVERNADOR "PINÓQUIO"EXECROU A GUARNIÇÃO QUE A SOCORREU) A JUSTIÇA PREVALECE!
    -HOJE EM DIA, UM PRAÇA DE FOLGA OU DE SERVIÇO, TEM QUE PENSAR DUAS ,TRÊS, QUATRO VEZES ANTES DE SACAR A ARMA, POIS QUALQUER FAVELADO QUE FILMAR E POSTAR NA INTERNET COMANDO DA PMERJ,GOVERNADOR E A JUSTIÇA SIMPLESMENTE PRENDEM O PRAÇA, MESMO ELE NÃO ATIRANDO,PORQUE SE ELE ATIRAR ENTÃO DAI ELE TERÁ SUA VIDA PROFISSIONAL"ANIQUILADA"LITERALMENTE!!!
    -POR ISSO SE POR ACASO EU DEPARAR COM QUALQUER DELITO, (EXCETO COVARDIA COM CRIANÇA )ESTANDO DE FOLGA, PODEM TER CERTEZA DE UMA COISA!
    -NÃO FAÇO PORRA NENHUMA!
    -SABE PORQUE?
    -PORQUE EU QRO QUE SE FODA!!!

    ResponderExcluir
  4. Só tem um detalhe ela estava de vtr e sabia que o 22 estava no local já reforçando o patrulhamento será que se não fosse área de maré 22 ela faria isso? Rs cada um olha o seu lado nada é por razão de ser

    ResponderExcluir
  5. PM pune 11 oficiais que trabalharam para Liesa
    Comandante das UPPs está entre policiais advertidos que prestaram serviço para empresa contratada pela Liga em 2009

    POR JOÃO ANTÔNIO BARROS

    Rio - A tropa da segurança privada da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) dançou. O comandante da PM, Mário Sérgio Duarte, puniu administrativamente os 11 oficiais da ativa que prestaram serviço no Carnaval de 2009 à liga criada pelos contraventores do jogo do bicho.

    São dois coronéis, dois tenentes-coronéis, cinco majores e dois tenentes advertidos com a repreensão — uma penalidade classificada como leve, mas que suja a ficha funcional do militar e o impede de ocupar cargos no Estado-Maior. Entre os punidos está o coronel Robson Rodrigues da Silva, comandante das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

    A decisão do comando da PM foi publicada, dia 19, no boletim interno da corporação. Mário Sérgio entendeu que os oficiais, mesmo de folga, infringiram o regulamento disciplinar ao prestar serviço à MJC Eventos e Serviços.

    A empresa foi encarregada pela Liesa do controle dos acessos e da recepção a autoridades na Sapucaí. Aos oficiais da ativa, o código disciplinar da PM proíbe o segundo emprego — mais conhecido como ‘bico’ —, mesmo temporário.

    Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
    Coronel Robson Rodrigues, comandante das UPPs, foi um dos oficiais repreendidos por atuar na Sapucaí | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

    A sindicância constatou que os oficiais trabalharam durante os desfiles e chegaram a usar coletes com os logotipos da Riotur e da Liesa. A apuração levou mais de um ano e outros policiais (cabos e sargentos, em sua maioria) também foram alvo da investigação.

    Os oficiais punidos ocupam cargos de destaque na cúpula da PM. Além do comandante das UPPs, o coronel médico Antônio Carlos Barbosa de Souza foi nomeado superintendente de saúde da Subsecretaria Militar, o tenente-coronel Aleucy Bento dos Santos é da Diretoria de Finanças, enquanto seu colega de patente, Luiz Cláudio dos Santos Silva, foi cedido à Secretaria Municipal de Ordem Pública.

    Beltrame determinou fiscalização na Avenida

    A participação de policiais no Sambódromo passou a ser fiscalizada com rigor desde que José Mariano Beltrame assumiu a Secretaria de Segurança. Este ano o coronel Mário Sérgio devolveu o camarote cedido pela Liesa à PM.

    O receio da autoridades é a proximidade dos agentes com a Liesa, considerada o braço carnavalesco dos bicheiros. Nem mesmo a oficialização da parceria entre a Liga e a Riotur na apresentação das escolas do grupo especial afastou as restrições.

    A empresa MJC Eventos e Serviços é a ponte entre a Liesa e a contratação dos seguranças para o Carnaval. Ela é dirigida pelo coronel da reserva da PM Celso Pereira de Oliveira, que busca na corporação a mão de obra qualificada para o serviço. O pagamento do ‘bico’ chega, no máximo, a R$ 800 pelo dia de serviço.

    Cargos importantes

    Coronel Robson Rodrigues da Silva — Comandante das UPPs
    Coronel Antônio Carlos Barbosa de Souza — Superintendência de Saúde
    Tenente-coronel Aleucy Bento dos Santos — Diretoria de Finanças
    Tenente-coronel Luiz Cláudio dos Santos Silva — Secretaria de Ordem Pública
    Major Jorge de Figueiredo Marques — Diretoria Geral de Pessoal
    Major Fabiana Silva de Souza Chagas — 4º BPM (São Cristóvão)
    Major Renato Assis Ferreira — Diretoria Geral de Pessoal
    Major Antônio Jorge Goulart Matos — Coordenadoria de Inteligência
    Major Carlos Eduardo Silva — Batalhão de Polícia Rodoviária
    Tenente Leandro da Silva Dias — Academia da Polícia Militar D. João VI
    Tenente Anderson Silva Santos - 2º Comando de Policiamento de Área (CPA), Baixada Fluminense

    http://papamayckeandre.blogspot.com.br/2011/05/pm-pune-11-oficiais-que-trabalharam.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. -ESCLARECEDOR O QUE O AMIGO ACABA DE POSTAR, PELO O QUE EU ENTENDI É UMA "MATÉRIA ANTIGA"(DIGO ISSO,PELO FATO DE CITAREM COMO COMANDANTE GERAL O CEL MARIO SÉRGIO, NÃO O ATUAL "BONECO DE VENTRIOLOGO, QUE ALIAS BEM QUE PODERIA SER SUBSTITUÍDO FACILMENTE POR UM CONE DE TÃO "APAGADO" QUE SEU COMANDO É NÉ?)
      -MAIS VOLTANDO AO ASSUNTO PRINCIPAL, ESTA MATÉRIA DEMONSTRA QUE SE UMA PRAÇA FOR PUNIDO POR ESTA FAZENDO SEGURANÇA A "DOSIMETRIA DA PENA", DEVERÁ SER A MESMA OU SEJA O PRAÇA TEM QUE SER "REPREENDIDO" TAL QUAL "OS PLAYMOBIL"DA LISTA ACIMA NADA A MAIS QUE ISSO!
      -ESSE TIPO DE MATÉRIA QUE É IMPORTANTE DE SE GUARDAR PARA QUEM FAZ "BICO", PORQUE SE O PRAÇA FOR PERSEGUIDO" POR UM OFICIAL LUNÁTICO, E O COMANDO QUISER PRENDER O PRAÇA, QUALQUER ADVOGADO TERÁ EXITO EM RECORRER DA PUNIÇÃO BASEADO NESSAS PUNIÇÕES ACIMA APLICADAS AOS "ALTOS-INTITULADOS deuses do Olympo"!
      -POR ESSAS E POR OUTRAS QUE NÃO FAÇO PORRA NENHUMA!
      -DAÍ VOCÊ IRÁ ME PERGUNTAR!
      -E A SOCIEDADE?
      -BEM A SOCIEDADE?
      -EU QRO QUE SE FODA!!!!!

      Excluir
    2. Se prende, a justiça solta porque o legislativo não trabalha. Se mata em legítima defesa tá fudido. Se bate, tá fudido vai responder. Ou seja, PM tá sempre apanhando. Por isso a PM não tem que fazer nada mesmo. Tem se omitir. Sociedade hipócrita. O negócio é esperar os 30 anos e metet o pé do RJ e se puder do BRA. É isso que estou fazendo. Fui...

      Excluir
  6. ENVOLVIDASSA!!!!!!!!!!13 de abril de 2014 17:01

    BONITINHA MAS ORDINÁRIA!!!

    ResponderExcluir