segunda-feira, 19 de maio de 2014

PM TERÁ QUE MARCAR PONTO

COLUNA DO SERVIDOR

Os policiais militares do Estado do Rio terão que marcar ponto eletrônico para controlara carga horária de  trabalho e assegurar, assim, o cumprimento da jornada de trabalho e a escala específicas da classe. A novidade integra o Termo de Compromisso de Ajustamento (TAC) de conduta entre o Ministério Público e o estado, a que O DIA teve acesso com exclusividade. O texto prevê diversas alterações nas rotinas administrativas da corporação. 
A PM também terá que respeitar um intervalo mínimo de descanso de trabalho de 12 horas. E regulamentar um sistema de compensação de horas de jornada de trabalho. Um dos trechos normatiza o uso dos equipamentos de proteção individual do policial militar. De acordo com o termo de compromisso, os PMs serão submetidos a exames periódicos. Também haverá adequação das condições dos ambientes de trabalho, garantindo o acesso à infraestrutura e equipamentos corretos. 
A partir da vigência da minuta, todos os policiais devem receber treinamento adequado para o uso dos equipamentos. Também haverá a preocupação quanto à oferta adequada de equipamentos de contenção não letais para cada PM. Por conta do alto número de afastamentos de policiais, haverá ações mais rígidas para preservara integridade física dos militares. Serão desenvolvidas ações que vão garantir o mapeamento dos riscos das atividades. O objetivo é adotar medidas preventivas e de acompanhamento da saúde dos policiais militares de acordo o tipo de atuação. 


19 comentários:

  1. interessante ninguém fala sobre melhoria salarial o policial pode fazer tudo menos receber o que e devido acorda polícia a coisa vai continuar se vocês não votarem a boca no trombone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O salário dos soldados está em torno de R$ 2.320,00. Falta muito para o PM do Rio ter um salário digno, pois o Salário Mínimo Necessário divulgado pelo D.I.E.E.S.E. em Abril de 2014 foi estimado em R$ 3.019,07 (três mil e dezenove reais e sete centavos).

      Os PMs do Rio arriscam suas vidas para proteger a sociedade, mas as suas famílias passam necessidades. O salário líquido de um Soldado da PMERJ é insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS dos Policiais Militares, previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O Governo do Estado tem que atender pelo menos o que está previsto na Carta Magna!

      http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

      "Como uma sociedade vai garantir a paz, a segurança pública e a justiça criminal com policiais envolvidos em jornadas estressantes e perigosas em ambientes com armas de guerra e poder financeiro corruptor, sem poder conviver com a famílias os momentos de folga e lazer, necessários à sua saúde mental, boas condições técnicas e acertadas decisões de inopino? A saúde emocional, psíquica, física e financeira dos policiais brasileiros deveria ser prioridade na atenção dos poderes governantes e da sociedade, já que são estes homens e mulheres que fazem a primeira linha de defesa contra o crime e contra a violência na garantia de direitos." (BENGOCHEA)

      OS POLICIAIS MILITARES PRECISAM RECEBER UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM A RESPONSABILIDADE E A IMPORTÂNCIA DAS FUNÇÕES QUE EXERCEM. SÓ ASSIM OS GOVERNOS ESTADUAIS OFERECERÃO QUALIDADE NOS SERVIÇOS PRESTADOS. A SEGURANÇA PÚBLICA É UM SERVIÇO ESSENCIAL! A POLÍCIA MILITAR DO ESTADO RIO DE JANEIRO PRECISA LUTAR PELA VALORIZAÇÃO DE SUA TROPA, NÃO PODE PERMITIR QUE O SOLDO DO SOLDADO FIQUE ABAIXO DO SALÁRIO MÍNIMO VIGENTE.

      A PEC 300 é a solução para a melhoria salarial! Com os reajustes concedidos, ao final de 2016, um Soldado da PMDF receberá R$ 7.190,98, e esse valor não inclui nenhum anuênio. É um absurdo a diferença de salário de dois orgãos públicos que fazem os mesmos serviços!

      http://www.policialbr.com/df-governo-reajusta-beneficios-para-pms-e-salario-soldado-vai-para-r-71-mil/

      O Salário Mínimo Necessário, referente ao mês de Abril de 2014, foi estimado pelo DIEESE em R$ 3.019,07. Em respeito ao que determina a nossa Carta Magna, promulgada em 1988, um Soldado da PMERJ não deveria ganhar menos do que isso. Esse deveria ser o piso da categoria em todo o país! As famílias dos Policiais Militares do RJ estão passando necessidades, o que é inaceitável, pois eles prestam um serviço público essencial.

      As reivindicações da tropa devem ser levadas ao Sr Cel PM Comandante-Geral, o qual inclusive já se disse aberto a receber as propostas, bem como devem ser levadas ao Exmº Sr Governador do Estado. Como os salários encontram-se muito defasados, seria necessário conceder um reajuste salarial significativo para a categoria, pelo menos 50%.

      Excluir
  2. Agora quero ver se vão pagar os horários que passam das 40h semanais... Pq cobrar os deveres do policial é mole, quero ver cobrar seus direitos como cumprir 40h semanais, pagar o que passar disso e principalmente pagar certo, baseado em seus vencimentos e com 50% em cima do valor (100% feriados e finais de semana), pq esse valor do RAS é uma comédia!

    ResponderExcluir
  3. TÁ LEGAL, E O SALÁRIO?

    ResponderExcluir
  4. Com certeza a carga horária é o que mais estressa o policial e interfere na sua produtividade. Esperamos que esse termo de compromisso saia do papel.
    P.S.: As horas que perdemos de folga para depor também poderiam contar como serviço, visto que isso é mais uma coisa que desanima os ppmm a se esforçar a realizar prisões em flagrante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FORA QUE SE VC FALTAR POR ESQUECIMENTO OU NÃO CONSEGUIR JUSTIFICAR VC PAGAR R$1.000 E RESPONDERA POR DESOBEDIÊNCIA, MAIS SE O JUIZ NÃO FOR VC PERDE A FOLGA E NÃO GANHA NADA.

      Excluir
  5. Se o poliça tem promoção,não deve ter folga.O poliça com muita folga faz merda.....

    ResponderExcluir
  6. Pra que tenho que depor se na delegacia é colocado tudo referente a ocorrência? Por que usam esse R.QUERO para nos manter no cabresto se a constituição é a lei máxima desta merda de país?

    ResponderExcluir
  7. Quando a família, a educação, o meio social... tudo falhou e o homem se transformou em um marginal da lei !! l
    Lá estão os policiais militares ,a ponta da lança para defender os direitos da população.agora gostaria de saber quem defende os direitos dos PPMM? Antes de sermos policiais somos seres HUMANOS dotados de raciocínio e sentimentos.

    ResponderExcluir
  8. bem colocado os depoimentos em juizo diversos ,pois, só caem na folga, portanto, será sim computado como carga horaria

    ResponderExcluir
  9. Quero é salário digno com a responsabilidade da carreira, "FORA GRATIFICAÇÕES"
    AUMENTO JÁ.....

    ResponderExcluir
  10. kkkkkkkkkkk. estao tentando desd 1994. kkkkkk quero ver q cel. ou maj. q vai assinar ponto...

    ResponderExcluir
  11. Se for realmente verdade, com certeza será o nosso maior ganho de todos os tempos, mas se não houver fiscalização do ministério público, com certeza iram burlar esse sistema, pois nós praças não podemos contar com a corregedoria, para assegurar nossos direitos.

    ResponderExcluir
  12. Isso tudo que o MP propõe deve ser feito por força de lei e não como acordo entre governo RJ e MP. Pois os lacaios oficiais não respeitariam. Ficaríamos na mesmisse. E
    Operação enxuga gelo.

    ResponderExcluir
  13. Deixo aqui minha indignação sobre o HCPM, hoje não se consegue marcar mais uma consulta como antigamente, nem chegando de madrugada, principalmente quem mora longe, normalmente quando chega-se ao guiché a resposta é sempre a mesma; acabou as vagas. Esse governo inchou a corporação aumentando o efetivo e o atendimento médico murchou, se entra cinco médicos sai dez, isso está virando um verdadeiro SUS, por que cada policial que entra traz consigo seu dependente ou dependentes. Não vejo a hora desse governo acabar; só sabem exigir o cartão do FUSPOM em dia mas não dão condições para o policial e seus familiares se tratar com dignidade sem precisar chegar de madrugada no hospital, é muito sacrifício principalmente para os inativos que a maioria é idosa.

    ResponderExcluir
  14. Boa noite a todos. Concordo plenamente com a medida, é transparente, saneadora, justa, igualitária e serve como indicador e parâmetro de referência para as necessárias e imprescindíveis alterações institucionais, atuais e futuras. Entretanto, uma no cravo outra na ferradura, a política de gratificações deve ser revista, é como UPP, somente com essa medida não chegaremos a bom termo. Excesso de horas de trabalho, sob condições permanentemente ameaçadoras e muitas vezes insalubres, sob um nível de vigilância e atenção permanente, mesmo na "folga", agravadas pela ida e retorno do trabalho sob um trânsito caótico. Com um só exemplo podemos levantar a ponta do véu, um só para não ser muito extenso. Todos somos sabedores de que repousa na família a responsabilidade e o conjunto de valores morais, espirituais, humanistas e socialmente edificantes. Para isso ser possível a família precisa de largos momentos de compartilhamento e atenção, de condições materiais que lhe confira lazer, descanso e recuperação de forças e equilíbrio. Entrementes, parece que à nossa classe esse direito é suprimido, negado e vilipendiado. ou seja: podemos garantir esse direito às outras famílias, sem distinção, mas a nossa... Somos depositários de imensas responsabilidades e deveres, por opção voluntária é certo, deveríamos, portanto, ter uma contrapartida no mesmo patamar. Há muito espaço para avanço... urge argumentar. Saudações policiais.

    ResponderExcluir