sexta-feira, 2 de maio de 2014

Policiais civis do Rio ameaçam entrar em greve às vésperas da Copa do Mundo

REVISTA VEJA


O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tem duas semanas para conter mais uma crise na Polícia Civil. Os agentes, que reclamam do abismo salarial entre os policiais e delegados, exigem a incorporação ao salário de uma gratificação de 850 reais e ameaçam entrar em greve caso não tenham a reivindicação atendida – o valor integra o programa Delegacia Legal, de modernização das delegacias. Na terça-feira, a categoria estabeleceu um prazo: se Pezão não apresentar o projeto de incorporação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) até o dia 15, os agentes farão uma assembleia para votar a possibilidade de greve.
Atualmente, perdem a gratificação policiais grávidas, baleados em dias de folga, aqueles que estão de licença ou férias e os aposentados. “Uma policial que engravida perde a gratificação e precisa recorrer à Justiça para não ter o salário diminuído. Isso é cruel”, disse o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (Sindpol), Francisco Chao.
O governo está pressionado por outra categoria: policiais militares articulam, caso a Polícia Civil obtenha a incorporação, um movimento de greve para também cobrar aumento salarial.
A julgar pela opinião dos cerca de mil policiais que participaram da assembleia realizada na terça-feira, no Clube Municipal, na Tijuca, sem a incorporação da gratificação o risco de paralização é elevado. Uma greve a poucos dias da Copa do Mundo – quando são previstas manifestações e confrontos nas ruas – é uma ameaça capaz de comprometer o governo de Luiz Fernando Pezão, pré-candidato ao governo do Rio.
“A categoria está muito ressabiada. Em dezembro, o governador Sérgio Cabral se comprometeu a incorporar a gratificação Delegacia Legal durante reunião com o sindicato, no Palácio Guanabara. Pezão, assim que assumiu o governo, afirmou que atenderia a reivindicação e nos pediu que esperássemos até o dia 15 de maio. A demora está sendo nociva porque está minando a confiança da categoria”, afirmou Chao ao site de VEJA.
Outro sindicato que representa os policiais fixou outdoors com a ameaça de greve dos agentes. No texto, o Sindicato dos Policiais Civis do Rio de Janeiro (Sinpol) afirma: "Pezão, a bola é sua! Atenda a categoria e evite greve na Copa". 
De acordo com o Sindpol, o salário inicial bruto de um agente é de cerca de 4.500 reais, incluindo a gratificação Delegacia Legal. Com os descontos, o valor líquido cai para 3.500 mil. O ganho de um delegado no início da carreira, segundo planilha do Sindpol, é de 15.000 reais.
“O salário de um agente da polícia civil do Rio não é condizente com a qualificação que é exigida no concurso e com a responsabilidade de um inspetor. O concurso exige terceiro grau, mas a remuneração é uma das mais baixas do país”, afirma Chao.
Delegados – A reivindicação de incorporação da gratificação tem o apoio dos delegados. Em 28 de abril, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Rio de Janeiro entregou uma Moção de Apoio assinado por 365 delegados no Palácio Guanabara.
No texto, os delegados narram as dificuldades enfrentadas pelos agentes e afirmam que a remuneração insuficiente causa estresse e necessidade de busca de complementos de renda que causam "cansaço exacerbado capaz de prejudicar os reflexos e raciocínio". No documento, os delegados afirmam ainda que fazem "coro com as manifestações" dos agentes e dizem que a causa salariam dos policiais deve ser prioritária na instituição. 

14 comentários:

  1. Polícia entra em greve? A do RJ? É piada? "Nunca serão" kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os PMs do Rio arriscam suas vidas para proteger a sociedade, mas suas famílias passam necessidades. O Governo do Estado do Rio de Janeiro precisa conceder mais 36,228% de reajuste salarial para a PMERJ e o CBMERJ em 2014, para ficar em dia com suas obrigações, pois concedeu apenas 11,18% recentemente.

      O salário líquido de um Soldado da PMERJ é de R$ 2.123,26 (dois mil, cento e vinte e três reais e vinte e seis centavos), valor insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS dos Policiais Militares, previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Salário Mínimo Necessário divulgado pelo D.I.E.E.S.E. em Abril de 2013 foi estimado em R$ 2.892,47 (dois mil, oitocentos e noventa e dois reais e quarenta e sete centavos).

      A defasagem do salário do SD PM ou BM no RJ está em R$ 769,21, ou seja, é necessário conceder um novo reajuste, de 36,228%, para que a família do PM não passe necessidades. Um Estado que possui a 2ª MAIOR ARRECADAÇÃO de impostos do país não pode pagar tão mal! Como vamos sediar a COPA DO MUNDO de 2014 e os JOGOS OLÍMPICOS de 2016 se não conseguimos nem pagar um SALÁRIO DIGNO aos funcionários públicos que prestam SERVIÇOS ESSENCIAIS à população (Bombeiros e Policiais Militares)??? A solicitação visa apenas atender o que está previsto na Carta Magna!

      "Como uma sociedade vai garantir a paz, a segurança pública e a justiça criminal com policiais envolvidos em jornadas estressantes e perigosas em ambientes com armas de guerra e poder financeiro corruptor, sem poder conviver com a famílias os momentos de folga e lazer, necessários à sua saúde mental, boas condições técnicas e acertadas decisões de inopino?

      A saúde emocional, psíquica, física e financeira dos policiais brasileiros deveria ser prioridade na atenção dos poderes governantes e da sociedade, já que são estes homens e mulheres que fazem a primeira linha de defesa contra o crime e contra a violência na garantia de direitos." (BENGOCHEA)

      O GOVERNO FEDERAL DEVERIA CRIAR O PISO NACIONAL DA SEGURANÇA PÚBLICA NO VALOR DE R$ 5.000,00 (CINCO MIL REAIS) MENSAIS, POIS OS POLICIAIS PRECISAM RECEBER UM SALÁRIO COMPATÍVEL COM A RESPONSABILIDADE E A IMPORTÂNCIA DAS FUNÇÕES QUE EXERCEM. SÓ ASSIM OS GOVERNOS ESTADUAIS OFERECERÃO QUALIDADE NOS SERVIÇOS PRESTADOS. A SEGURANÇA PÚBLICA É UM SERVIÇO ESSENCIAL!

      A POLÍCIA MILITAR DO ESTADO RIO DE JANEIRO PRECISA LUTAR PELA VALORIZAÇÃO DE SUA TROPA. O salário-base dos garis (R$ 1.100,00) está bem maior do que os soldos dos Militares Estaduais. Os garis já devem estar ganhando mais do que os Soldados da PMERJ e do CBMERJ! Eles ainda recebem 40% de insalubridade e R$ 20,00 por dia no vale-refeição. A sociedade precisa acordar e deixar de ser hipócrita... A PMDF paga R$ 2.000,00 (dois mil reais) por mês de Vale Refeição à sua tropa! Por que no Rio de Janeiro não pode ser assim? O Rio já foi a capital do país. A PEC 300 é a solução! A tropa ainda sonha e luta para receber salários dignos.

      Excluir
    2. PORRAAA VAMOS NOS UNIR NA GREVE TAMBÉM...SOU PM DO 11º BPM E A NOSSA ANTIGA GREVE FOI UMA PIADA...VAMOS SER HOMEM PORRAA E NÃO UM BANDO DE BABACAS...POR UM REAJUSTE SALARIAL MAIS DIGNO...A HORA É AGORA!!! VOCÊS LEMBRAM DA NOSSA BOLSA COPA E BOLSA OLIMPÍADAS QUE FUROU...QUE ESSA PILANTRA DA DILMA FUROU???A HORA É AGORA PORRA...!!!BOMBEIROS MILITARES TAMBÉM DEVEM ADERIR AO MOVIMENTO!!!A ROUBALHEIRA É MUITA!!!ESTE PAÍS ESTÁ NAS MÃOS DESTES GOVERNANTES SAFADOS E CORRUPTOS (SEI QUE NÃO SÃO TODOS, MAS A MAIORIA...)

      Excluir
  2. São uns merdas. Quando eram para parar roeram a corda, não tenho pena tomam.

    ResponderExcluir
  3. concordo,não tem peito para isso.

    ResponderExcluir
  4. FORA PEZÃO!!!!!!!!3 de maio de 2014 14:05

    AFIM DE SATISFAZER OS PCs, COM CERTEZA O PEZÃO IRÁ INVENTAR MAIS UMA GRATIFICAÇÃO, E COM ISSO DEIXARÁ MAIS UMA VEZ OS INATIVOS E PENSIONISTAS DE FORA. ISSO JÁ É DE SE ESPERAR!

    ResponderExcluir
  5. Estão brigando por gratificação,vão se ferrar peito mesmo são os nossos bombeiros.

    ResponderExcluir
  6. A PEC 300 é a solução para a melhoria salarial.

    Com os reajustes concedidos, ao final de 2016, um soldado da PMDF receberá R$ 7.190,98. O valor não inclui nenhum anuênio.

    http://www.policialbr.com/df-governo-reajusta-beneficios-para-pms-e-salario-soldado-vai-para-r-71-mil/

    ResponderExcluir
  7. quando foi para parar só os pms do interior que parou ,é uma falta de união muito grande,os colegas de mg estão trabalhando só as 40hs semanais e aqui alem de ultrapassar as 40hs ainda tem esse maldito ras obrigatorio vamos acordar pm e bm estamos sendo escravos.

    ResponderExcluir
  8. Só uma perguntinha: esse Francisco chao não é o mesmo cara que na em 2012 roeu a corda durante a ameaça de greve dos PMs e BMs? Então não levo fé que eles vão parar pois seu líder é um rói corda!

    ResponderExcluir
  9. CONCORDO COM O OUTRO ANONIMO,PORQUE NO PERIODO DO "ENSAIO DE GREVE"COMO DISSE UM CORONEL,O TAL INPETOR CHAO,ROEU A CORDA,INDUZINDO A LIDERANÇA DA GREVE A SE ENTREGAR NO QG.POLICIAL CIVIL NO RJ GANHA MUITO BEM PELO QUE FAZEM,OU SEJA NADA!!ATENDEM MUITO MAL A POPULAÇÃO POR SINAL.NO SUL DO ESTADO,A ESCALA DESTES EM ALGUMAS D.P.SAO 2 POR 1,OU SEJA TRABALHA UM FINAL DE SEMANA E FICA OUTRO EM CASA,TOTAL:15 DIAS SEM TRABALHAR...

    ResponderExcluir
  10. aNÔNIMO DO DIA 4 DE MAIO AS 14:40. vAI ME DESCULPAR, MAS A PC TEM QUE FICAR LIMPADO A CAGADA QUE MTO PM FAZ NA RUA... TA RESSABIADO ACHANDO QUE PC NAO FAZ NADA E GANHA MTO, FAZ PROVA PRA PC ENTAO... AH, ESQUECI, EH NIVEL TERCEIRO GRAU... VC NAO DEVE TER...

    ResponderExcluir
  11. Penso que policias, sejam civis, militares ou qualquer outra força policial não devem ou não deveriam ficar se digladiando nas redes sociais ou em lugar algum. Nós, policiais civis e militares muito menos. Pertencemos a mesma Secretaria de Segurança, temos os mesmos inimigos em comum, ganhamos uma miséria. Portanto, as questões individuas, ou seja, os idealismos institucionais sobre qual policia é a melhor ou pior, qual policial e monos ou mais inteligente, mais ou menos corajoso, não agrega valor algum a nossa luta por melhores salários e melhores condições de trabalho. Nós, policias civis e militares temos que lutar sim, mesmo que não o façamos conjuntamente, por uma segurança Pública respeitável, séria. Uma segurança Pública que tenha o cidadão de bem como o principal foco. Esse é um dos caminhos para termos um bom salário e melhores condições de trabalho. O respeito da Sociedade como um todo e um fator preponderante para conseguirmos vencer nossa luta por melhoria salarial. Esse é um dos principais caminhos a ser trilhado por nos policiais militares e civis, o reconhecimento da sociedade da nossa importância dentro do contexto de um Estado democrático de Direito é de suma relevância para nossa luta.
    No que tange a limpar "CAGADAS" de PM, isso não é fato, é falácia. Sou policial militar a quase 19 anos e nunca precisei de policial civil ou militar algum para consertar ocorrência por mim conduzidas. Na atual conjuntura ninguém troca de lugar com ninguém. Jamais uma autoridade policial ou um agente da autoridade, seja ele militar ou civil se exporia a ponto de colocar sua carreira e seu emprego em risco. É o que penso.
    Um abraço amigos de profissão, sim, uma vez que somos todos policias, não importando o nível de conhecimento ou o papel que desempenhamos dentro de um Estado democrático de Direito. Ter ou não nível superior não é sinônimo de competência ou de eficiência, pode até agregar, entretanto não é fator preponderante.

    ResponderExcluir
  12. Penso que policias, sejam civis, militares ou qualquer outra força policial não devem ou não deveriam ficar se digladiando nas redes sociais ou em lugar algum. Nós, policiais civis e militares muito menos. Pertencemos a mesma Secretaria de Segurança, temos os mesmos inimigos em comum, ganhamos uma miséria. Portanto, as questões individuas, ou seja, os idealismos institucionais sobre qual policia é a melhor ou pior, qual policial e monos ou mais inteligente, mais ou menos corajoso, não agrega valor algum a nossa luta por melhores salários e melhores condições de trabalho. Nós, policias civis e militares temos que lutar sim, mesmo que não o façamos conjuntamente, por uma segurança Pública respeitável, séria. Uma segurança Pública que tenha o cidadão de bem como o principal foco. Esse é um dos caminhos para termos um bom salário e melhores condições de trabalho. O respeito da Sociedade como um todo e um fator preponderante para conseguirmos vencer nossa luta por melhoria salarial. Esse é um dos principais caminhos a ser trilhado por nos policiais militares e civis, o reconhecimento da sociedade da nossa importância dentro do contexto de um Estado democrático de Direito é de suma relevância para nossa luta.
    No que tange a limpar "CAGADAS" de PM, isso não é fato, é falácia. Sou policial militar a quase 19 anos e nunca precisei de policial civil ou militar algum para consertar ocorrência por mim conduzidas. Na atual conjuntura ninguém troca de lugar com ninguém. Jamais uma autoridade policial ou um agente da autoridade, seja ele militar ou civil se exporia a ponto de colocar sua carreira e seu emprego em risco. É o que penso.
    Um abraço amigos de profissão, sim, uma vez que somos todos policias, não importando o nível de conhecimento ou o papel que desempenhamos dentro de um Estado democrático de Direito. Ter ou não nível superior não é sinônimo de competência ou de eficiência, pode até agregar, entretanto não é fator preponderante.

    ResponderExcluir