domingo, 31 de agosto de 2014

O perfil do policial militar que combate a violência no Rio

Atualmente, a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro tem sido alvo de críticas devido ao comportamento de alguns PMs. Mas, a população não conhece quem  está por trás de uma simples farda. Até Agosto de 2014 foram registradas 14 mortes de policiais em serviço e outras 59 durante suas folgas. Os dados foram confirmados pela assessoria da corporação.
Para ser um policial militar, o candidato passa por uma prova objetiva, realizada através de concurso público, além de provas práticas, testes físicos, exames médicos e, ainda, pesquisa social.
Depois disso, o concorrente é encaminhado para o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, na Zona Oeste, onde faz um curso para formação de soldados. O aspirante à vaga passa por um curso de formação que dura oito meses.


Em entrevista ao Portal Manchete On Line, o Coronel Frederico Caldas, atual comandante-geral das Unidades de Polícia Pacificadora (Upps), esclareceu questões importantes.
Segundo ele, a função de um policial militar são as que estão previstas no Artigo 144 da Constituição Federal, ou seja, a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública.
Caldas destacou que a Polícia Militar do Rio trabalha 24 horas por dia. “A presença da PM pode estar através de um policial a pé, de viatura, seja atuando para evitar que um crime aconteça, seja em operações policiais”, disse o oficial. 
Existe um Regulamento de Promoção de Praças para aqueles que desejam seguir carreira dentro da corporação, onde são determinadas as condições de acesso à graduação superior. Normalmente, um acordo de tempo de serviço, cursos obrigatórios e situação disciplinar.  Em ordem crescente, os níveis hierárquicos são: Soldado, Cabo, 3º Sargento, 2º Sargento, 1º Sargento e Subtenente.

Quem está por trás da farda azul?
Caldas destacou que ainda não existe uma pesquisa socioeconômica para traçar o perfil do policial militar, mas, para entrar na corporação o candidato precisa ter o Ensino Médio completo e faixa etária entre 18 e 30 anos. Ele acrescentou que não é incomum encontrar policiais com cursos de graduação em nível superior ou mesmo pós-graduação.
“Não seria absurdo afirmar que somos recrutados majoritariamente nas classes sociais C, D e E. Apesar dos riscos da profissão, nossos concursos de acesso são bastante procurados, talvez por serem acessíveis, democráticos, meritórios e impessoais”, explicou o comandante.
Os militares correm vários riscos diariamente, o maior deles é arriscar a própria vida. A principal precaução de um PM é desenvolver as atividades sem oferecer perigo a si próprio, aos seus companheiros e, de uma maneira geral, a comunidade. E para que isto seja realizado com sucesso ele precisa confiar em seu treinamento, nos colegas de serviço e no seu equipamento.
Quando um PM morre dentro da corporação quando um PM morre é visto como ‘mais um sol que nasce’, no entanto nem todos sabem o significado desta expressão. Frederico Caldas afirmou que o fato de perder um companheiro é o mesmo que perder o sol, que é tão importante para nossa vida. Na verdade, é um verso da Canção do Policial Militar, cuja letra completa é a seguinte:

“Em cada momento vivido
uma verdade vamos encontrar
Em cada fato esquecido
uma certeza nos fará lembrar
Em cada minuto passado
mais um caminho que se descobriu
Em cada soldado tombado
Mais um sol que nasce no céu do Brasil
Aqui nós todos aprendemos a viver
demonstrando valor, pois o nosso ideal
é algo que nem todos podem entender
na luta contra o mal!
Ser Policial
é, sobretudo, uma razão de ser
É, enfrentar a morte,
mostrar-se um forte
no que acontecer
Em cada pessoa encontrada
mais um amigo para defender
Em cada ação realizada
um coração pronto a agradecer
Em cada ideal alcançado
uma esperança para outras missões
Em cada exemplo deixado
mais um gesto inscrito em nossas tradições
Em cada instante da vida
nossa polícia Militar
será sempre enaltecida
em sua glória secular!
Em cada recanto do Estado
deste amado Rio de Janeiro,
faremos ouvir nosso brado,
o grito eterno de um bravo guerreiro!
 Ser Policial
é, sobretudo, uma razão de ser
É, enfrentar a morte,
mostrar-se um forte
no que acontecer.”


Má conduta de alguns policiais reflete na corporação
O Coronel Frederico Caldas disse que esta informação é discutível. “É questionável a afirmação que o policial, de uma maneira geral, é mal visto. Certamente, as ações equivocadas de alguns policiais causam, em maior ou menor grau, desgaste à imagem da instituição, pois se espera de um policial, dentre outras coisas, a repressão ao crime – e não o seu cometimento. Mesmo com esse desgaste, vemos cada vez mais que as comunidades demandam a nossa presença, sobretudo aquelas que ainda não possuem UPP”, lembrou o oficial.
Em muitas comunidades pacificadas alguns moradores ainda ficam receosos com a presença dos PMs. Mas, Caldas garantiu que este temor é temporário e que a corporação trabalha arduamente parta retirar este rótulo.
“No que diz respeito à abordagem, foi produzido um manual, que está em fase final de aprovação por parte do Comando da Corporação e que será distribuído para todos os policiais militares das UPPs. A distribuição é parte de um movimento maior que inclui instruções e workshops, no sentido de atualizar e sensibilizar o policial a realizar abordagens com maior ética, respeito e educação. Quanto à permanência das UPPs nos locais, procuramos mostrar nas nossas ações diárias que o nosso compromisso com as comunidades é permanente e que viemos para ficar”, falou Frederico Caldas.
O oficial lembra que também existem ações punitivas para aqueles que têm desvio de conduta. Caldas traçou um panorama decisivo falando dos últimos anos. “A Corregedoria Interna da Polícia Militar foi redimensionada, tornando-se mais abrangente. Mais Delegacias de Polícia Judiciária Militar foram criadas, entre elas uma para atuar junto às UPPs”, finalizou o Comandante Geral das UPPs.

10 comentários:

  1. esse coronel, não é muito firme não.

    ResponderExcluir
  2. Firme igual pneu de carro em dia de chuva.

    ResponderExcluir
  3. Não vejo a hora de poder ingressar na PM somente com ensino superior. Não tenho nada contra as classes C, D e E, mas queria que o nível dos policiais aumentassem.

    E o concurso é uma vergonha. Para qualquer um passar. Gente, arma e farda só põe em gente que tem nível.
    Mas infelizmente os políticos não querem qualidade, mas sim, quantidade, só querem números.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A PORTA ÚNICA DE INGRESSO NA PMERJ E NO CBMERJ SERIA UMA MANEIRA DE TORNAR AS CORPORAÇÕES MAIS EFICIENTES E MAIS PREPARADAS, mas a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar não podem promover toda a tropa, somente os melhores! Os concursos internos precisam voltar.

      Assim como existe o concurso para o CFSd, para o candidato se tornar SD PM; precisamos resgatar o concurso para o CFC, para o SD PM ser promovido à graduação de CB PM; precisamos resgatar o concurso para o CFS, para o CB PM se tornar 3º SGT PM e depois 2º SGT PM; precisamos resgatar o concurso para o CAS, para o 2º SGT PM se tornar 1º SGT PM e depois SUBTEN PM. Não pode um PM que nunca se qualificou exercer as funções de graduado.

      As divisas não devem ser doadas pela Corporação, devem ser conquistadas pela tropa! Chega de promoção automática, chega de divisas caindo do céu... POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS QUE NÃO ESTUDAM E NÃO TEM COMPROMISSO COM A CARREIRA NÃO PODEM SER PROMOVIDOS!

      Excluir
    2. Nível Superior Completo para o CFSd e Bacharelado em Direito para o CFO!

      Excluir
  4. vai ver a ultima prova da pmerj, imbecil das 22:53.

    ResponderExcluir
  5. diariamente podemos assistir muitos politicos com nivel superior desviando dinheiro e mais dinheiro do povo brasileiro, acho que nivel superior não significa dignidade e moral,tenho 14 anos e 6 meses de pmerj e muito me orgulho de ser policial com apenas o 2º grau(completo),nunca recebi uma unica punição se quer, talvez a publicação de 22:53 pensa que com nivel superior os salarios iram melhorar as escalas é muito dificil ,se o concurso fosse para qualquer um passar teriamos 105.000 candidatos aprovados então não é tão facil assim,

    ResponderExcluir
  6. Tem é que desmilizar essa organização criminosa

    ResponderExcluir
  7. grande cmt.!! responde com mais DPJM!! ,nível superior para entrar nisso? e conviver com favelados,malditos,,? com tanto concurso abrindo,abin,tj,senado, mec....neurótico. o cara está no topo! olha as idéias dele reprimir e formar os futuros policiais ! cipm,dpjm,sem contar na escola de formação. só quem estiver passando fome ou quiser a carteira e porte de arma, nem as ffaa.tem ,morrem de inveja.

    ResponderExcluir
  8. ELE GANHA ISSO PARA FALAR BESTEIRAS!!!2 de setembro de 2014 12:31

    Detalhamento da Remuneração

    POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

    Nome PAULO FREDERICO BORGES CALDAS
    CPF ***37502***
    Servidor ATIVO
    08/2014

    Descrição
    Valor (R$)
    Remuneração Mensal
    27.757,70
    Remuneração Eventual
    0,00
    Descontos Totais
    -7.148,63
    Limite Remuneratório - EC 41/2003
    -2.353,23
    Valor Líquido
    18.255,84

    ResponderExcluir