terça-feira, 2 de setembro de 2014

Candidatos a soldado da PM reclamam de prova e dizem que edital não foi respeitado

A prova de soldado da Polícia Militar do Rio (Pmerj), realizada no último domingo, não agradou aos mais de 105 mil inscritos. Muitos reclamaram que o teste estava em desacordo com o edital.
Além do desencontro das questões com o edital, os candidatos também alegaram que o concurso apresentava um grau de dificuldade maior que o exigido. Para eles, a parte de Informática, Geografia e História estavam extremamente difíceis.
“Estou estudando desde o ano passado. Muitos candidatos investiram dinheiro e tempo para chegar na hora da prova e não cair o que estudamos. Em Informática, caíram questões de Microsoft Excel 2013, sendo que no edital constava o do programa de 2007. Foi uma falta de respeito”, desabafou a estudante Ana Paula de Souza, de 28 anos.
No domingo, um candidato foi desclassificado ao tirar uma foto do cartão resposta da prova. Imagens do cartão de respostas estão circulando em grupos de discussão de candidatos à prova da PM, no Facebook. “Isso é fora do comum. Essa prova precisa ser cancelada. Organização péssima. Não tinha supervisão legal. Muita gente indo ao banheiro ao mesmo tempo”, comentou Amanda de Santos Costa, 27, que fez a prova pela primeira vez em uma faculdade particular na Praça XI.
Nesta terça-feira, os candidatos vão pedir a anulação do certame em um protesto que será realizado em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A PM, em nota, informou que a Exatus — banca responsável pela elaboração e organização do concurso —, por meio de seu site, disponibiliza a ferramenta para recursos, com prazo de três dias a partir da divulgação do gabarito, ocorrido ontem. Em relação às falhas tanto na segurança quanto na organização do concurso, a PM afirmou que vai cobrar uma explicação da empresa.
A corporação garantiu ainda que em cada município, onde foi realizada a prova, havia policiais com a missão de conferir se tudo estava sendo cumprido conforme o edital. Se forem constatadas falhas, o Centro de Recrutamento e Seleção de Praças (CRSP) será mobilizado e repassará à Diretoria de Logística (DL), setor da PM responsável pelas licitações, a investigação.
Se forem comprovadas as irregularidades, pode haver punições previstas na Lei das Licitações, que vão desde a advertência até a suspensão de participar de novos c

15 comentários:

  1. A PMERJ já deveria estar exigindo o Nível Superior Completo para Soldado e o Bacharelado em Direito para Oficial!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nível superior com o salário que é oferecido?
      Antes de se exigir Nível Superior ou Bacharelado em Direito, é necessário reajustar, e muito, os salários dos policiais, caso contrário sobrarão vagas.

      Excluir
    2. Pode ter certeza de que não sobrarão vagas, mas mesmo assim os salários dos Policiais Militares devem ser reajustados significativamente, a fim de garantir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, não seriam supridas com menos de R$ 3.079,31 (três mil e setenta e nove reais e trinta e um centavos), valor do SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO. Esse deveria ser o salário de ingresso do Aluno do CFSd (recruta) da Polícia Militar, devendo ainda ser acrescido do adicional de periculosidade de 30% (artigo 193, II da CLT), o que representaria uma quantia de R$ 4.003,10 (quatro mil e três reais e dez centavos). Este salário mínimo divulgado pelo DIEESE deveria ser o ponta pé inicial para a discussão do piso nacional, não podendo qualquer valor inferior ser considerado como aceitável. É preciso lutar por um piso nacional digno e adequado à nossa legislação vigente. A categoria não pode ser tratada com descaso!

      PISO NACIONAL DE R$ 4.003,10 JÁ!

      Excluir
  2. A PMERJ já deveria estar exigindo o Nível Superior Completo para Soldado e o Bacharelado em Direito para Oficial!

    ResponderExcluir
  3. QUALIDADE x QUANTIDADE

    O nível superior para soldado e o bacharelado em Direito para oficial já deveriam entrar em vigor, independente da obrigatoriedade (aprovação do Projeto de Lei nº 6.632/13). O Governo do Estado do Rio de Janeiro poderia implantar a exigência para os novos candidatos, ou seja, concursandos da PMERJ e do CBMERJ. A qualidade dos serviços prestados é mais importante do que a quantidade de profissionais contratados (efetivo).

    Para melhorarmos a qualificação da tropa, precisamos melhorar também os salários.

    Um Soldado da PMERJ, que ganha atualmente R$ 2.309,50, ganhará em Janeiro de 2015 apenas R$ 2.518,09, valor insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS dos Policiais Militares, previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O Salário Mínimo Necessário, referente ao mês de Maio de 2014, foi estimado pelo DIEESE em R$ 3.079,31. Em respeito ao que determina a nossa Carta Magna, promulgada em 1988, um "SD PM" não deveria ganhar menos do que isso. Esse deveria ser o piso salarial da categoria em todo o país! As famílias dos Policiais Militares do RJ estão passando necessidades. É importante ressaltar que, ao final de 2016, um soldado da PMDF estará recebendo R$ 7.190,98. É realmente um absurdo a diferença de salário de dois orgãos públicos que fazem exatamente os mesmos serviços!

    ResponderExcluir
  4. A POLÍCIA MILITAR DE TODO O BRASIL DEVE RECEBER UM SALÁRIO DIGNO, NÃO APENAS A PMDF!

    Ao final de 2016, um soldado da PMDF estará recebendo R$ 7.190,98 (sete mil, cento e noventa reais e noventa e oito centavos). Não é um salário alto, é um salário justo, levando-se em consideração o fato de que a inflação desvalorizou muito o real, ou seja, diminuiu o nosso poder aquisitivo. Enquanto isso um soldado da PMERJ não recebe nem o valor do Salário Mínimo Necessário, que foi estimado pelo DIEESE em R$ 3.079,31. O SD PM ganha, portanto, uma quantia insuficiente para suprir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988. Concluindo, o salário do soldado da PMERJ é inconstitucional!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde!
    Meu nome é Cristiano.Fiz a prova do concurso da PMERJ/2014 no no domingo passado e Concordo plenamente na anulação da prova.
    Fiz a prova na em Niterói na Universidade Federal Fluminense - Campus Gragoatá, Bloco A - sala 201.
    Logo na entrada à fiscal ordenou todos os candidatos a guaradarem, os aparelhos eletronico e os "( LAPÍS E BORRACHA, que esta previsto a sua utilização no edital)", ficando somente com a coneta esferosgrafica transparente.
    Logo depois um dos candidatos questionou " porque não poderiamos fazer a utilização desses material "
    - Ela respondeu: " não esta previsto no edital, e nos concursos que aplicamos anteriores não é permitido".
    - Então todos começaram a questionar esta afirmação da FISCAL.
    Em seguida ela pediu Desculpas pelo equivoco, " E DISSE: QUEM GUARDOU O SEU LAPÍS E BORRACHA NO ENVELOPE, E LACROU, NÃO PODERIA FAZER A RETIRADA DO MATERIAL E DINIFICAR O LACRE".
    Eu, Cristiano e alguns outros concorrente, sentimos prejudicado na hora de redigir o rascunho da minha redação.
    Então pesso ao Senhores q nos ajude a divulgar esta denuncia.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Boa Noite!
    Meu nome é Ariana Freitas, e realizei o concurso da PMERJ 2014, e nao estou satisfeita com o conteudo de História e Informática, pois o GRAU de dificuldade foi superior ao previsto no edital. Além do mais, foi cobrado excel 2013, sendo que seria excel 2007. Assim como muitos estudei bastante, para este concurso e e não acho justo como as coisas ocorreram.
    Além disso, foi muito confuso, os candidatos aim direto ao banheiro, uns foram ate antes das 1 horas prevista no edital, nao começou no horário previsto as 13:00. e ainda começou a contar as horas antes de dar a PROVA.
    Olha contudo isso, acho um descaso com os nossos sonhos. Este concurso deveria ser anulado.
    Peço desde já a ajuda dos Senhores,

    ResponderExcluir
  7. Ah esqueci estou tentando entrar com RECURSO E NÃO CONSIGO, a página não funciona. ARIANA FREITAS

    ResponderExcluir
  8. eu acho que isso deveria ser anulada o grau de dificudade estava muito alto em geografia informatica historia

    ResponderExcluir
  9. Meu nome é Michele Andrade, fiz a prova na Universidade - UNID, em Madureira. Tenho 25 anos.
    Estudei muito para essa prova e quando vi a prova, levei um susto quando me deparei com o grau de dificuldade das questões de História, que por sinal está totalmente diferente do que informaram no Edital e com as questões de Informática que também estão diferente do Edital. Tomei por base o que foi posto no Edital, pois não estava com condições de pagar um curso preparatório, como havia feito em 2010. Daí peguei todo o conteúdo que tinha em casa e me preparei. Quão grande decepção está sendo pra mim, depois que vi o meu resultado. Esse concurso tem que ser cancelado e a banca ser trocada por uma competente. Quando fazia o concurso da EAGS, a bolsa do candidato tinha que ficar próximo ao quadro e não no colo. Que falta de respeito e que DESORGANIZAÇÃO por parte da banca!!!

    ResponderExcluir
  10. Anular a prova ?isso seria justo com quem estudou mais e passou?

    ResponderExcluir
  11. acredito que anular a prova seria um ato que geraria diversos precedentes.
    aonde já se viu anular uma prova porque ela estava difícil,quer uma prova fácil escolha um concurso que se encaixa em seu nível de intelecto.
    no entanto anular algumas questões por não estarem no edital ou estarem com resposta errada tudo bem concordo.como podemos exigir melhores profissionais se nós mesmos exigimos que façam vista grossa.

    ResponderExcluir
  12. Venho denunciar a banca da exatus em relação a prova objetiva da cfsd 2014 pmerj realizada na data 31/08/2014, quero dizer que essa prova foi uma fraude,uma baixaria,e principalmente um desrespeito com o cidadão. A Exatus não cumpriu com as normas do edital. A Exatus não está preparada para elaborar provas objetivas.Peço q a exatus seja processada e punida judicialmente e sou a favor da Anulação da prova.Porque as matérias do ensino médio estavam fora do padrão: Informática,história,geografia e português. Os candidatos usaram durante a prova celulares e apostilas para consultar a prova.
    as provas não foram lacradas e chegaram na sala abertas, candidatos tirando fotos da prova e gabaritos, o horário da prova não teve início exigido pelo edital , Instrutores despreparados, Não teve vistoria nos candidatos , candidatos com materias de consulta em cima das mesas.
    Peço q a Assembléia Legislativa do Estado do RJ, Faça alguma coisa em relação a banca da Exatus, porque o q ela fez com os candidatos foi desumano e ilegal. Nós pagamos pela inscrição e temos o nosso direito de reivindicar.
    Obrigado pela compreensão!!!
    mendes, 04/09/2014

    ResponderExcluir
  13. Essa Empresa Exatus não serve nem para organizar prova de concurso para o jardim de infância.!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir