quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Homens de bens na PM

EXTRA
Propriedade em Búzios que, de acordo com investigações da Polícia Civil e do Ministério Público estadual, pertence ao coronel Fontenelle: terreno de 680 metros quadrados fica às margens de canal que dá acesso a uma marina

Escrituras de quatro imóveis, incluindo uma casa em Búzios, foram encontradas no apartamento do coronel da Polícia Militar Alexandre Fontenelle de Oliveira. O oficial foi preso no último dia 15, durante a operação Amigos S.A., sob a acusação de comandar uma quadrilha de 23 PMs, entre eles cinco oficiais, que receberiam propinas de comerciantes e empresas da Zona Oeste. Os documentos revelam que há apartamentos em nome da mãe de Fontenelle, da irmã e de outros dois oficiais da corporação que são réus no mesmo processo. Nesta terça-feira, após um policial beneficiado pela delação premiada ter acusado o Estado-Maior da PM de receber R$ 15 mil mensais de cada batalhão, o Ministério Público (MP) estadual pediu que a Corregedoria-Geral Unificada da corporação investigue o comandante-geral, coronel José Luís Castro Menezes, e os oficiais da mesma patente Paulo Henrique de Moraes e Ricardo Coutinho Pacheco, respectivamente chefes do Estado-Maior Operacional e Administrativo.
Enquanto a CGU não se pronuncia sobre o pedido do Ministério Público, as investigações têm como foco uma casa em Búzios, dois apartamentos — um no Grajaú e outro em Jacarepaguá — e uma lotérica, cujas escrituras estavam no apartamento em que vivia o coronel, no Leme. Os documentos mostram que, em 30 de novembro de 2012, Fontenelle comprou, em sociedade com uma pessoa cujo nome não foi divulgado para não atrapalhar as investigações, uma lotérica, pagando R$ 200 mil em espécie. Na época, o coronel estava à frente do 14º BPM (Bangu), batalhão classificado na denúncia do MP como “um balcão de negócios da holding criminosa militar”.

MÃE E COLEGAS DA PM TERIAM UMA COBERTURA
No dia 13 do mesmo mês, a mãe do coronel, o major Carlos Alexandre de Jesus Lucas e o capitão Walter Colchone Netto — PMs também presos na Operação Amigos S.A. — fizeram registros como compradores de uma cobertura de 320 metros quadrados na Rua Araguaia, uma das mais valorizadas da Freguesia, em Jacarepaguá. Na ocasião, o imóvel foi adquirido por R$ 200 mil. Atualmente, de acordo com os policiais que investigam o caso, o apartamento está sendo anunciado para venda por R$ 950 mil.
Dias antes, foi a vez da irmã do coronel Fontenelle arrematar num leilão, por R$ 422 mil, um apartamento de 178 metros quadrados na Rua Oliveira Lima, no Grajaú. O imóvel de três quartos também está sendo anunciado, na internet, por R$ 750 mil. Mas agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP ficaram intrigados com um fato: apesar de terem mais de um imóvel, o oficial e alguns de seus parentes moravam juntos num apartamento em más condições de conservação. Eles suspeitam que o coronel, que chefiava a Coordenadoria de Operações Especiais (COE) da PM, tenha usado a mãe, a irmã e um irmão, tenente-coronel do Exército, para ocultar seu patrimônio.
O levantamento comprovou ainda que Fontenelle tem um imóvel de dois pavimentos no Condomínio Enseada Azul, na Baía Formosa, em Búzios. De acordo com a escritura, ele pagou R$ 25 mil por um terreno de 680 metros quadrados às margens do canal que dá acesso à Marina de Búzios, em 2008. No ano seguinte, investiu R$ 90 mil na construção de uma casa de 305 metros quadrados com quatro suítes, churrasqueira, piscina e um atracadouro.

24 POLICIAIS, 43 ENDEREÇOS RESIDENCIAIS
Os investigadores já solicitaram à Capitânia dos Portos dados para saber se o coronel tem alguma embarcação. Há informações de que pelo menos dois oficiais envolvidos na quadrilha são donos de iates, colocados em nome de terceiros. Além disso, promotores do Gaeco destacaram que os 24 PMs denunciados na operação Amigos S.A. tinham 43 endereços residenciais registrados na corporação. O major Carlos Alexandre de Jesus Lucas, por exemplo, tem três endereços, dois deles em condomínios de classe média em Jacarepaguá.
A equipe de reportagem tentou ouvir por telefone o advogado Paulo Ramalho, que defende Fontenelle, mas ele não retornou as ligações.

PATRIMÔNIO DO ALTO ESCALÃO NA MIRA
Nesta terça-feira, o MP pediu à CGU que investigue o comando da PM. Um sargento preso na operação Amigos S.A. teria dado detalhes sobre repasse de propinas para o alto escalão da corporação. Ele contou, em dois depoimentos, que cada batalhão repassava R$ 15 mil mensais para o Estado-Maior, e afirmou que o esquema só não funcionou durante a gestão do coronel Erir Ribeiro Filho. O militar disse que o repasse de dinheiro para o alto escalão foi revelado pelos majores Edson de Góes e Nilton João dos Prazeres Neto de forma reservada, em mais de uma ocasião. Apesar de ainda não ter recebido o ofício com o pedido do MP, o corregedor Giuseppe Vitagliano disse que pode pedir a quebra de sigilo patrimonial e bancário dos oficiais citados.
Ao tomar conhecimento das acusações do praça da PM preso na operação Amigos S.A., o comandante-geral da PM, coronel Luís Castro, informou que que vai abrir um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o caso. Segundo ele, a intenção é convocar os comandantes e representantes do Estado-Maior da corporação para esclarecer as denúncias sobre o suposto ‘‘mensalão da PM’’. Ele explicou que, se o encarregado do IPM considerar necessário, militares da reserva poderão ser chamados para prestar depoimentos à CGU.
Em nota, a Secretaria de Segurança informou que tem total interesse em esclarecer o caso e ressaltou que sempre pautou suas ações em cima de provas concretas.

12 comentários:

  1. Todas as denúncias devem ser investigadas!

    Os oficiais, que deveriam dar o exemplo de honestidade à tropa da Polícia Militar, são os mais corruptos? É isso mesmo? Eles possuem bens incompatíveis com os salários que recebem, agora terão que se explicar. Quem não deve, não teme! Não é isso? Vão puxar a corda e isso vai acabar atingindo os comandos anteriores! Não pode haver corrupção na Polícia, eu apóio o MP! Os oficiais corruptos devem perder os vencimentos e ir para a cadeia!

    ResponderExcluir
  2. Não confio em oficiais da PMERJ. Todos os oficiais superiores e intermediários, sem exceção, devem ser investigados!

    ResponderExcluir
  3. E ESSE SECRETARIO DE SEGURANÇA CRIOU A OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAR DECLARAÇÃO DE BENS DOS PMs TODO ANO INCLUSIVE, COM PUNIÇÃO PARA QUEM NÃO FAZ, PERGUNTO. PRA QUE ESSA MERDA? É SIMPLES, PARA QUE CONTINUEM ILUDINDO A POPULAÇÃO COM ESSA FALSA MORALIDADE. O MP, DEVERIA COBRAR EXPLICAÇÕES, JÁ QUE FOI CRIADO ESSE MECANISMO DE FISCALIZAÇÃO, QUE SÓ SERVE PARA OS PRAÇAS.

    ResponderExcluir
  4. Segundo um amigo meu que é PM e trabalha na Lei Seca,esse Fontenelle certa vez foi parado por este policial que é Cabo PM e logo que se identificou para o Oficial Fontenelle,este em tom arrogante disse" não quero falar com você Cabo PM",quero falar com o Oficial responsável pela operação,no final ele foi liberado pelo Oficial da Lei Seca sem fazer o bafômetro.
    Enfim,o problema disso tudo se chama "militarismo" ,o dia que isso acabar quero ver os "cabides de emprego",que são gerados, fora esses abusos por parte dos Oficiais se valendo da sua posição hierárquica para coagir os Praças,queria ver se fosse um Policial Civil ou Federal se este Oficial iria fazer graça,por isso que eles querem perpetuar este militarismo,mais agora o MP está agindo e prendendo estes oficiais bandidos.

    ResponderExcluir
  5. QUEM GOSTA DE PRAÇA É POMBO E QUEM GOSTA DE OFICIAL É O MP E O GAECO,KKKKKKKKKKK.

    ResponderExcluir
  6. Falar em não confiar o que aconteceu,COM OS POLICIAIS QUE DESVIARAM " HUM MILHÃO E TREZENTOS LITROS DE GASOLINA DO BATALHÃO DA PM NO RIO DE JANEIRO??????

    ResponderExcluir
  7. E o secretário? não se fala mais sobre as vtr. E os policiais civis, sao todos santos? não foi noticiado que tinha gente envolvida também? Agora é só PM? Pelo que consta foi delação premiada; quer dizer quem delatou agora é santo, pois enquanto "mamava" estava tudo certo. Em outros tempos isso era "traição". Será que é verdade tudo isso? pelo que parece estão aproveitando para envolver toda a corporação, com a finalidade de desmoralizar a tropa e ter motivos para acabar com as PM. Será que empresas e bancos iriam se sujeitar a esse tipo de coisa? Muito estranho é noticiar que o BB está envolvido com pagamento de mensalidade para PM.

    ResponderExcluir
  8. Seis policiais militares são acusados de participação no ...
    extra.globo.com/…-de-policia/seis-policiais-mili...
    ... no desvio de 1,3 milhão de litros de gasolina ... de gasolina no 16º BPM, por pelo menos um ... 16º BPM e a quantidade de gasolina gasta no ... NINGUÉM FALA MAIS NADA? MORREU????

    ResponderExcluir
  9. SE ESSE MAJOR LUCAS FOR O QUE FOI CAPITÃO NO 16 BPM , É UMA RATAZANA MUTANTE COM MÃO DE GORILA,KKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  10. JA VIRAM QUEM VAI PRESIDIR AS INVESTIGAÇÕES ! TÁ DE SACANAGEM JÁ MEXERAM OS PAUZINHOS ,QUEM DEVERIA PRESIDIR ERA A POLICIA FEDERAL E NÃO AMIGO DE TURMA ! DE 2010 A 2014 EU TAMBÉM ACHO QUE É UMA ESTRATÉGIA DELES ,TEM QUE PUXAR DE TODOS CORONÉIS QUE PASSARAM NOS BATALHÕES OU SEJA : COMANDARAM ,O QUE TINHAM E O QUE NÃO TINHAM ANTES DE COMANDAREM PRINCIPALMENTE OS BTL DE ELITE .
    FIQUEI SABENDO TAMBÉM QUE A MAIORIA DOS CORONÉIS ESTÃO IGUAL BARATA TONTA ,ENTÃO POR ISSO QUE ACHO QUE JÁ ESTÃO ARMANDO UMA ESTRATÉGIA ,AH! JÁ IA ME ESQUECENDO ,( O CORONEL DA SILVA QUE COMANDOU O 14 BPM EM UM CERTO ANO HOJE TEM UM SHOPING EM BANGÚ ) MUITO ENGRAÇADO NÉ ! POLICIA FEDERAL PROCURE VER O QUE TINHA ANTES E DEPOIS .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investigar todos os coronéis e suas administrações nos batalhões por onde passaram,
      Voce quer acabar com a PM? kkkkkkkkkkk

      Excluir
  11. Tem que acabar com a corrupção em todos os escalões!Quem sabe assim melhora alguma coisa na polícia?

    ResponderExcluir