terça-feira, 2 de setembro de 2014

Preso em São Gonçalo era procurado pela Interpol

 
Apontado pela polícia como armeiro do tráfico do Morro da Alma, no bairro Amendoeira, em São Gonçalo, o polonês  Galas de 41 anos, foi preso por policiais do Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 7ºBPM (São Gonçalo).
Segundo a polícia, Galas - que é ex-militar - era o responsável pela manutenção do armamento dos criminosos e estava gerenciando a venda de drogas na comunidade. Com ele, os agentes apreenderam um fuzil calibre 762 com seis munições, uma carabina 22, sete munições de calibre 28, uma balança de precisão, uma caixa de ferramentas para a manutenção de armas, além de 300 cápsulas de cocaína e material para embalagem de drogas.
 
A suspeita é de que o acusado tenha buscado abrigo no Morro da Alma após a implantação da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na Favela da Rocinha, em São Conrado, Zona Sul do Rio, em setembro de 2012. O tráfico nas duas comunidades é controlado pela mesma facção criminosa, a Amigos dos Amigos (ADA). 
 
Galas foi surpreendido dormindo dentro de sua residência, na Rua Xingu, e não resistiu à prisão. Os PMs contaram que chegaram ao acusado após prenderem o cunhado dele, Gabriel Gerônimo Felipe Ramos, 18, que atuava como olheiro do tráfico. O jovem foi flagrado com um rádio transmissor.
 
Para tentar evitar a prisão, Gabriel teria dito que, se fosse solto, apontaria a casa do chefe do tráfico. Os policiais fingiram aceitar o acordo e deram voz de prisão aos dois. 
 

Um comentário:

  1. Os salários dos Policiais Militares devem ser reajustados significativamente, a fim de garantir as NECESSIDADES VITAIS BÁSICAS previstas no artigo 7º, inciso IV, da Constituição Federal de 1988, que, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, não seriam supridas com menos de R$ 3.079,31 (três mil e setenta e nove reais e trinta e um centavos), valor do SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO. Esse deveria ser o salário de ingresso do Aluno do CFSd (recruta) da Polícia Militar, devendo ainda ser acrescido do adicional de periculosidade de 30% (artigo 193, II da CLT), o que representaria uma quantia de R$ 4.003,10 (quatro mil e três reais e dez centavos). Este salário mínimo divulgado pelo DIEESE deveria ser o ponta pé inicial para a discussão do piso nacional, não podendo qualquer valor inferior ser considerado como aceitável. É preciso lutar por um piso nacional digno e adequado à nossa legislação vigente. A categoria não pode ser tratada com descaso!

    PISO NACIONAL DE R$ 4.003,10 (QUATRO MIL E TRÊS REAIS E DEZ CENTAVOS) PARA PM JÁ!

    ResponderExcluir